Embraer transfere pessoal de defesa para os jatos comerciais

Embraer Hangar de montagem - modernização - Gavião Peixoto - foto FAB

Virgínia Silveira De São José Dos Campos

ClippingNEWS-PAPara preservar a mão de obra qualificada de suas equipes da área de defesa, que precisou reduzir o ritmo dos projetos como o do cargueiro militar KC-390, a Embraer está remanejando alguns profissionais para o programa do jato comercial E-2, que está a pleno vapor.

A queda de 16,5% na receita da área de defesa afetou os resultados financeiros da empresa no segundo trimestre. Com o atraso no repasse de recursos, a certificação do KC-390, que sempre foi considerado um projeto prioritário para o governo, foi adiada em um ano e as primeiras entregas, antes previstas para 2016, só vão acontecer no primeiro semestre de 2018.

Apesar das dificuldades nas questões financeiras, os investimentos na formação e aperfeiçoamento dos profissionais têm sido mantidos, segundo a empresa. Em 2014, a Embraer destinou R$ 15 milhões em programas de qualificação e desenvolvimento profissional.

Nos últimos dez anos a fabricante brasileira também investiu R$ 5 milhões nos dois principais programas de treinamento de engenheiros e projetistas aeronáuticos da companhia. Com mais de 1300 engenheiros formados, o Programa de Especialização em Engenharia (PEE), realizado em parceria com o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), atrai todos os anos 60 candidatos por vaga.

Mais recente, o Programa de Projetista Embraer (PPE) capacitou e contratou 124 profissionais para atender ao aumento da demanda de novos projetos da empresa em todas as áreas, como o KC-390, os jatos E2 e os executivos Legacy 450 e 500, informou a diretora de Desenvolvimento de Pessoas da Embraer, Daniela Sena.

“Com 60 engenheiros formados por ano em nível de mestrado, o PEE alimenta a cadeia de desenvolvimento de engenharia da Embraer. No caso dos projetistas, não existe formação no Brasil. No PPE nós customizamos o treinamento para as nossas necessidades”, explica a diretora.

Selecionada pelo PPE em 2013, a projetista aeronáutica Naiara Rose dos Santos trabalha hoje no projeto dos sistemas elétricos dos jatos E2. “O curso PPE me preparou para trabalhar no projeto, mas continuo fazendo outros cursos oferecidos pela empresa e desta forma me especializar ainda mais para o desenvolvimento de novos programas”, afirmou. Incentivada pela empresa, Naiara começou a cursar engenharia mecânica e acaba de concluir um curso de inglês fora do país.

FONTE: Valor Econômico, via NOTIMP

Subscribe
Notify of
guest

6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

E ainda tem gente torcendo e comemorando a decadência de nossa indústria.

Claudio Moreno

Pois é Clésio … somente uns asnos mesmo! Repetirei o que disse em post anterior, porquê penso que se fizermos barulho, alguém na FIESP, ABIND e no governo pode tentar reverter parte do estrago… _____________________________________________ Olá Senhores! Não tem como eu dizer a saudação costumeira, porquê a tarde para mim, depois de constatar mais uma vez essa notícia, não tem nada de “boa”… Infelizmente estou vivênciando mais uma vez essa triste realidade do Brasil sem planejamento estratégico. Na década de 80, mais precisamente de 84 para frente, ví FDV Vasconcelos, Bernadini, Orbita, Engesa uma outra que não me lembro o… Read more »

Antonio M

E tem gente da “direita” apoiando esse governo também como os donos de Bancos que apoiam a Dilma. Como li na sugestão de uma outra pessoa, quero ver eles é empregarem a presidenta no Banco deles …..

Oganza

Antonio M
31 de agosto de 2015 at 14:35

Meu caro, isso não é difícil não… Nossa querida Zélia Cardoso de Mello depois de roubar nossas poupanças foi dar aula na USP…

Aki nos EUA ela estaria na Times Square com um cartaz no pescoço pedindo emprego.

Grande Abraço.

Mauricio R.

É, a ressaca da marolinha na verdade é um tsunami que solapou as fundações do castelo de cartas da potência de araque.

Mauricio R.

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!!

Sierra Nevada no JSTARS:

“Sierra Nevada is a privately-held firm that has a reputation of secrecy, owing much to its classified work with the DOD and many programmes with the special forces community. It declined to say which aircraft it would offer, but one option would be an Embraer business jet, since the two are partnered on other programmes, such as the A-29 Super Tucano for the Afghan Air Force.”

(https://www.flightglobal.com/news/articles/sierra-nevada-intuitive-team-confirmed-as-fourth-jst-416274/)