Home Noticiário Internacional Força Aérea da Rússia inicia testes do caça T-50

Força Aérea da Rússia inicia testes do caça T-50

788
26

T-50 - 1

Os testes de Estado do novo caça russo T-50 começaram em Akhtubinsk (região de Astrakhan), declarou esta quinta-feira a jornalistas o comandante da Força Aérea, tenente-general Viktor Bondarev.

As entregas do novo caça às tropas deverão começar em 2016; relata-se também que a Força Aérea pode obter o T-50 antes do prazo previsto. Por enquanto, apenas um país no mundo está armado com caças de quinta geração – os EUA (F-22 e F-35).

“Uma tripulação do caça já foi treinada e começou os voos em um aparelho. Agora, uma outra se juntará ao programa de testes”, disse Bondarev.
O tenente-general não especificou quando começaram os testes. Anteriormente, tinha sido informado que eles deveriam começar em março ou abril.
Segundo o general, o T-50 será apresentado na competição internacional de aviação Aviadarts 2014, na cidade de Voronezh. O caça será mostrado durante um programa especial preparado para a visita do ministro da Defesa da Rússia, Serguei Shoigu.

T-50 - 2

T-50 - 3

T-50 - 4

FONTE: Voz da Rússia

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick
Nick
6 anos atrás

O caça é bonito, mas as armas deveriam estar nas baias internas.

[]’s

Bogaz
Bogaz
6 anos atrás

Gostei da foto “pré-bird strike”. Tão testando até a resistência ja..hehehe

Guizmo
Guizmo
6 anos atrás

Esse avião aí é de quinta…:)

Joner
Joner
6 anos atrás

Noticia aguardada, esse caça nasceu em tempos difíceis, poucas verbas e os USA estão a toda no F-35, sem falar que o F-22 tem até modernização a caminho…
Mas, é a Russia, que fez o que fez e a OTAN disse, disse e ficou por isso mesmo!!!

Torço por projetos como esse, pode ser que nem seja tão bom, mas eles fiseram, e com o tempo vão ter o quinta geração, coisa para poucos países.

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Interessante essa configuração de armamento.
Enquanto no Ocidente se priorizou armar os furtivos com armas ar-sup não propulsadas (bombas), os russos estão priorizando armas propulsadas, e ainda mais, um míssil antirradiação.
Teoricamente a última arma que um caça furtivo precisa é de um míssil antirradiação, mas de bobo os russos não têm nada e se colocaram uma nele é porque será útil, dentro da doutrina deles.

Edgar
Admin
6 anos atrás

Esse motorzão “nú” vai brilhar mais no radar inimigo do que a luz âmbar do painel do Caracal. O pior é saber que as primeiras unidades de PRODUÇÃO vão vir com esse motor exatamente como está: http://www.aereo.jor.br/2013/09/23/incertezas-do-programa-pak-fa/ “A maior parte do motor de quinta geração que deve equipar as versões futuras do T-50 ainda está no papel, dizem os especialistas russos. As aeronaves de ensaios em voo são movidas pelo mesmo motor Saturn 117S que é instalado no Su-35, e este também será o motor dos lotes iniciais de produção do T-50.” Sinceramente, o T-50 será um caça de geração… Read more »

Lyw
Lyw
6 anos atrás

Nick 23 de maio de 2014 at 17:10

Os caças de 5º Geração também transportam armas externamente, depende da missão.

joseboscojr 23 de maio de 2014 at 18:32

Nenhum pouco bobos meu caro Bosco!

Marcelo Pamplona
Marcelo Pamplona
6 anos atrás

Bosco; Boa noite, antes de tudo! Sempre leio os seus posts, são extremamente elucidativos, diga-se de passagem. Parabéns por compartilhar seu conhecimento conosco. Gostaria de tirar uma dúvida, já meio explanada pelo colega Nick, mais acima: Até onde é favorável a adoção de armamento transportado sob as asas ao invés de estar dentro de baias internas? Afinal de contas, se um caça de 5ª geração prega o baixo RCS, isso não inviabiliza conceitualmente a inclusão do T-50 nesta categoria? Fora a questão dos motores, material absorvente ou deflectivo das ondas de radar usados na fuselagem do “bichão”, etc. Sim, sei… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

Já ficou mais do que claro que os requerimentos da Força Aérea Russa não pedia uma caça full stealth como o F-22. Eles testaram um modelo de bocal 2D, semelhante ao empregado no F-22, em uma das turbinas de um Su-27. A prioridade é o aspecto frontal, quando se está penetrando as defesas inimigas ou interceptando um alvo aéreo. Se ele cumprir a promessa de supercruise, dificilmente será atacado por trás, já que o atacante teria que estar muito perto para entrar no envelope de um míssil de médio alcance. A USAF chegou a conclusão semelhante com o F-35, que… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Marcelo, Como o Lyw citou, há situações em que um caça furtivo irá levar sua carga externamente. Claro, a mais comum são os tanques de combustível, tanto pra translado quanto em operações de longo alcance, antes de entrar na zona quente. Quanto as armas propriamente ditas, elas serão levadas externamente quando o sistema defensivo já tiver sido neutralizado. Havendo a neutralização do sistema defensivo e o estabelecimento da superioridade aérea a furtividade passa a ser desnecessária e aí todo o potencial do caça, relativo ao transporte de carga útil e alcance passa a ser mais importante. Outra situação seria no… Read more »

G-LOC
G-LOC
6 anos atrás

Existem fotos dos testes das armas externas, mas nunca serão vistas as imagens dos testes das armas internas pois ele decola com as baias fechadas.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  G-LOC
6 anos atrás

Pois é, concordo com o G-LOC.

É simplesmente um teste com armas externas, não significa que a doutrina de emprego do PAK-FA (Sukhoi T-50) será somente com armas externas.

Seria o mesmo que dizermos, depois de ver um F-35 com cargas externas, que todos os princípios de utilização da aeronave americana mudaram…

E já vimos muitas vezes os testes do F-35 com armamento externo, pensado para as fases de uma campanha em que a furtividade já não seria indispensável.

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/01/F-35-armed.jpg

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2012/02/f35cargaexterna2.jpg

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2012/02/f35acargaexterna.jpg

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

O Ocidente até se recente do HARM não caber no compartimento do F-35, mas não há nenhuma menção em levá-lo externamente. O ALARM cabe, mas foi “abandonado” pelos britânicos e não está mais sendo produzidos. Os americanos se animaram em desenvolver um míssil ar-ar BVR com capacidade ar-sup (incluindo capacidade antirradar) pra substituir futuramente o Amraam, mas depois da crise, cancelaram todas as iniciativas nesse sentido. Um caça furtivo levar externamente dois mísseis de 700 kg cada, não furtivos, com função antirradar, vai um pouco contra o que se entende aqui no Ocidente da doutrina aplicada a esse tipo de… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Una cosita me passou pela cabeça! Alguém já viu alguma arma ar-sup levada internamente pelo T-50?
Ou já leu algo a respeito?
Será que toda arma ar-sup dele será levada externamente?
Será que sua furtividade irá privilegiar sua função ar-ar?
Eu sinceramente não me lembro de nenhuma referência ao furtivo russo ser usado em missão de ataque numa configuração furtiva.
Em sendo isso verdade, estaria explicado o míssil antirradar externamente.

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás
joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Esse desenho que eu postei tá bem mixuruco e não deve ter nada de oficial.
Eu pago a rodada se o T-50 puder levar 8 R-77 internamente.

Edgar
Admin
6 anos atrás

Clesio, a questao toda nao e’ o bocal, mas sim a cobertura em si dos motores, que ate o momento estao “nus” e permanecerao desta forma mesmo em producao.

Se a Saturn reconheceu que nao ira criar um novo motor neste momento, e que isto e’ um projeto futuro. Se eles reconhecem que irao melhora-lo, isto me leva a entender que esta versao atual ainda nao atende aos requisitos do projeto.

Pode seguir o modelo russo mais “espartano” de projeto e manufatura, mas poderiam ter se preocupado mais neste desenvolvimento, e nao simplesmente integrar o motor do Su-35.

Marcos
Marcos
6 anos atrás

enquanto isso, em Banânia… DECLARAÇÃO CONJUNTA Em protesto as políticas oficiais para a aviação civil brasileira durante a Copa do Mundo FIFA 2014 Assinado dia 15 MAIO 14 e Distribuído no dia 23 MAIO 14 “Em protesto às políticas oficiais para a aviação civil brasileira durante o período de realização do evento da Copa do Mundo FIFA 2014… (…) “As desproporcionais medidas punitivas anunciadas serão aplicáveis contra empresas, operadores e pilotos que a partir de agora descumprirem as restrições de uso impostas pela ANAC nos principais aeroportos, durante e depois da Copa 2014. Tais medidas anunciadas constituem interferência indesejada e… Read more »

Edgar
Admin
6 anos atrás

Bosco, rolam umas montagens na internet, talvez cabem 6 nas baias ventrais + 2 nas laterais:

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Edgar,
Essa aí que você postou tá mais realista.
Seis R-77 e 2 R-73 é aceitável.

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Correção:
O Ocidente até “se RESSENTE”, e não “se recente”. rsrsss
Perdão!!!!

Iväny Junior
6 anos atrás

Belo avião. Acredito que terá RCS maior que o F-22, mas mesmo assim ainda será furtivo o suficiente.

Marcelo
Marcelo
6 anos atrás

Está confirmado que as 2 “canoas” nas raízes das asas levarão mísseis ar-ar de curto alcance?
Abraços

Aldo Ghisolfi
Aldo Ghisolfi
6 anos atrás

O modelo está em testes; o motor vai ser outro; as armas em cabides externos ajudam no estudo do arrasto e da assinatura. Duvido que esse imenso e lindo vetor não seja a excelência que o ocidente teme que seja; mesmo não sendo russófilo, gostaria que participássemos dele.

Nick
Nick
6 anos atrás

MInhas críticas em relação à essa configuração com armas em pilones se deve mais à proposta desse caça:

Afinal é um 5ª geração? Tudo bem que configuração Stealth só seria usado no 1ª ou 2ª dia de batalha, mas mesmo assim , essas fotos fazem o mesmo parecer mais um SU-35 do que qualquer outra coisa.

[]’s

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Não só a furtividade foi pensada para o primeiro dia de combates, mas para combates entre forças equivalentes.

As últimas guerras tem nos mostrado que embates entre rivais assimétricos são muito mais comuns. Daí tanto F-35 quanto Su-50 terem cabides de armas externos.

No mais, repito sempre: o Su-50 não precisa ser um F-22, basta ser um Su-35 com metade do RCS. Os novos motores podem esperar, até porque serão compatíveis em peso e tamanho.