Home Noticiário Internacional Rússia sem intenção de manter Estação Espacial Internacional após 2020

Rússia sem intenção de manter Estação Espacial Internacional após 2020

556
33

ISS

ClippingNEWS-PAA Rússia recusa prolongar o uso da Estação Espacial Internacional (EEI) após 2020, como propõem os Estados Unidos, anunciou hoje o vice-primeiro-ministro russo, Dmitri Rogozin.

“Precisamos da EEI até 2020. Depois de 2020, gostaríamos de canalizar estes recursos para projetos espaciais mais promissores”, disse Rogozin, citado pelas agências russas. As agências espaciais russa e norte-americana, Roscosmos e Nasa, respetivamente, e a europeia (ESA) acordaram prolongar pelo menos até 2020 a atividade da plataforma orbital, que conta com a participação de um total de 16 países.

FONTE: Diário Digital

33
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
Jackal975Guilherme PoggioFernando "Nunão" De MartiniAndré Sávio Craveiro BuenoVader Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Edgar
Admin
Member

Esse é o começo do fim da ISS. E é bem capaz da administração(?) Obama considerar essa uma boa iniciativa daqui a algum tempo e seguir o mesmo caminho.

Com Obama com a caneta, vamos ter de esperar os Russos, Chineses ou Hindus para enviar o homem a Marte.

Ou quem sabe os Brasileiros? Eu sei, brincadeira sem graça. Me desculpem.

– AEB diz: NASA, eu sou você no futuro!

😛

Mayuan
Visitante
Mayuan

Desculpe minha ignorância, não quero antagonizar nem nada mas você poderia me explicar qual seria a utilidade científica de mandar um homem a Marte hoje em dia? Não seria talvez deixar esse projeto mais pra frente quando a tecnologia para chegar lá estiver mais adiantada?

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Mayuan, Você está certo, mas se quiserem mandar um homem pra marte quando a tecnologia estiver madura, terão que começar hoje. Tanto é que já começaram. rsssss Quanto a ISS, acho que os russos estão certos. Não há mais nada a fazer lá. Teria sido interessante se ela fosse um núcleo para uma estação orbital permanente e parada obrigatória para os viajantes indo pra Lua, Marte, etc. Todas as informações necessárias para a permanência prolongada do homem num ambiente de microgravidade já foi obtida e não creio que ela seja cientificamente produtiva a ponto de justificar as enormes somas de… Read more »

Edgar
Admin
Member

Mayuan, poderia citar alguns ganhos que eu, como leigo, vejo:

– Sistemas de Propulsão;
– Tecnologias de Sustento à Vida;
– Tecnologias de Materiais;
– Formas Microscópicas de Vida Alienígena;
– Evolução de Sistemas Vegetais em condições extraterrestres;
– Descoberta e Exploração de novos minerais;
– Estudo da Atmosfera local e seus componentes;
– Entre outros.

Parte destes ganhos são multidisciplinares, e podem contribuir com a Medicina, Engenharia, Física, etc.

Caso você deseje se aprofundar mais, existe um artigo de Jim Plaxco, entitulado “Making Mars Relevant”:

http://www.astrodigital.org/mars/whymars.html

Marcelo
Visitante
Member
Marcelo

Se a Rússia sair, a ISS acaba. O módulo que a mantém em órbita é russo (possui propulsores e sistema de estabilização) e recebe o combustível através de cargueiros espaciais Progress. Quando a Rússia não estava na ISS, a Boeing iria desenvolver esse sistema, mas o desenvolvimento foi abandonado com a entrada da Rússia, que já tinha um módulo pronto para a Mir 2.

Marcelo
Visitante
Member
Marcelo

dá até para vê-lo na ilustração da matéria, que é de uma fase inicial da montagem da ISS. Trata-se do módulo central, 2o da esquerda para a direita na direção horizontal.

Marcelo
Visitante
Member
Marcelo
joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Edgar, Mas eu concordo com o Mayuan. Acho que até que sistemas de propulsão avançados estejam desenvolvidos é uma temeridade uma missão humana à Marte usando propulsores químicos. Pra mim, deviam se ocupar primeiro da Lua e quando forem à Marte devia ser um projeto internacional, com uma frota (5 a 6 naves) com espaçonaves dotadas de motores de fusão, que fizesse o percurso de ida e volta em não mais que uns 4 meses, uns 30 astronautas de uma vez, e já levando a tralha toda pra darem o ponta pé pra uma colônia/base permanente. E que essas naves… Read more »

Flighting Falcon
Visitante
Flighting Falcon

O Brasil não estava participando (rs)?

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Está sim. Tem uma Playboy com a Sabrina Sato lá que eles usam todas as vezes que vão se… pentear.

rsrssss

Observador
Visitante
Observador

Flighting Falcon 13 de maio de 2014 at 17:32 # O Brasil, através da AEB, foi convidado a participar, fabricando seis peças uma estrutura que seria fixada na base do braço robótico da estação. Uma chance de absorver e desenvolver tecnologia. No entanto, em 2007, o Brasil foi EXPULSO do programa, por não ter cumprido os prazos de entrega. A razão disto foi a FALTA DE ORÇAMENTO para a AEB. O ridículo da história é que em 2006 o pavão barbudo de Garanhuns mandou o astronauta Marcos Pontes passear no espaço, com a gloriosa missão de plantar feijãozinho. Tudo para… Read more »

Vader
Visitante
Member

Não tem interesse ou não tem dinheiro? 😉

Difícil crer que haja projetos “mais interessantes” nas palavras do russo do que a manutenção de pesquisas em ambiente de microgravidade. Até hoje INÚMEROS materiais, compostos e organismos que chegam até nós no dia a dia foram descobertos ou desenvolvidos no espaço e, mais especificamente, na ISS.

Abandonar a ISS sem deixar outra estação orbital será um enorme retrocesso.

Mas com Obama no poder os EUA estão a cada dia mais parecidos com a Rússia.

Quanto a nós, estamos a cada dia mais parecidos com a Argentina.

Vader
Visitante
Member

Esse antagonismo da Rússia Neo-Czarista do rasPutin aos EUA no momento em que provavelmente tudo que os governantes de tal país mais queriam era estreitar relações irá levar a Rússia à falência e ao subdesenvolvimento, do qual os russos estavam apenas começando a sair, após a implosão do sistema soviético-comunista.

Uma pena. Mas os russos só tem a culpar a si próprios.

Edgar
Admin
Member

Entao Bosco, em meu ponto de vista nao demorara tanto assim. Acredito que a primeira viagem do homem a Marte sera “suicida”, ou, numa visao mais “romantica”, so de ida, nos moldes da Mars One: http://www.space.com/24112-private-mars-colony-1058-martian-volunteers.html Eu realmente acredito que este projeto possa sim vingar, porque basta dinheiro (muito, por sinal) para viabilizar a “one-way trip”. Existem paises ao redor do mundo que, pasmem, gastam muitos bilhoes a mais do que isso somente para abrigar eventos esportivos. Mas isto e’ para outra discussao. O fato e’ que esta “one-way trip” viabilizaria o pontape da construcao em Marte da base/colonia permanente.… Read more »

Edgar
Admin
Member

Vader, talvez isso seja uma pressao combinada entre os Russos e a NASA pra ver se o Obama reage e abre a carteira para os programas mais “promissores” da agencia.

Se bem que a unica coisa que faria o Obama reagir seriam votos, e como a NASA nao atrai isso, permanecerao os passeios espaciais a bordo do taxi Soyuz, com a corrida a meros USD 70 milhoes por assento…

Observador
Visitante
Observador

Edgar 13 de maio de 2014 at 19:15 # Pegando um gancho na “viajada” sobre a colonização de Marte, este é um projeto por demais complexo e perigoso. E olhe que eu já fui um GRANDE entusiasta da ideia. A viagem a Marte, mesmo que só de ida, é muito mais longa, sofrida e perigosa que os passeios que o programa Apolo fez à Lua. E permanecer em Marte pode ser ainda mais complicado. Talvez devêssemos desenvolver melhor a nossa tecnologia e estudar melhor Marte, antes de nos atirarmos a esta empreitada. Senão, nos arriscamos a repetir a trágica experiência… Read more »

Observador
Visitante
Observador

Voltando à Marte… Quando a Mariner 9 (primeira sonda espacial a orbitar o planeta) chegou a Marte, encontrou-o mergulhado em uma tempestade de areia global, que durou meses. Conhecemos pouco aquele planeta; nada impede que tempestades assim possam durar muitos anos, mergulhando o planeta no caos e escuridão. Vamos imaginar que uma colônia seja estabelecida lá e, depois de anos, por qualquer motivo (guerras, declínio econômico, desastre ambiental) seja inviável para a Terra mandar naves para Marte, deixando a colônia entregue à própria sorte. E então vem o golpe final: o clima do planeta muda para uma condição desconhecida, inviabilizando… Read more »

Mayuan
Visitante
Mayuan

Prezados, Concordo com Bosco e Edgar de que existem benefícios na missão. Sempre existe benefício no avanço da ciência. Minha maior dúvida, e acho que agora posso expressá-la melhor, é se o custo benefício está compensador. Sempre existirão riscos na atividade espacial mas acredito que nesse momento eles são elevados demais para valerem a pena. Penso que o caminho ideal seria a continuação das pesquisas para o domínio mais amplo da tecnologia necessária para chegar lá. Como bem lembrou o Bosco, chegamos a Lua mas mal temos condições de voltar, menos ainda de fazer uso dela. No meu entender, querer… Read more »

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Ainda sobre o mesmo tema, os russos parecem querer apertar o cerco:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/05/1454234-russia-reage-contra-projetos-espaciais-dos-eua.shtml

Se apertarem, talvez o governo americano aumente o financiamento para acelerar projetos existentes, principalmente o de novos veículos orbitais tripulados.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Seria ótimo!

Esse papo de cooperação espacial EUA-Rússia só embaça novos programas.

Boa era a velha competição espacial da Guerra Fria, astronautas de um lado, cosmonautas do outro!

Quem sabe uma nova corrida espacial ajude a chegar mais cedo em Marte, como querem os amigos dos comentários aí mais pra cima (e ainda tem os chineses pra botar mais lenha na fogueira, quer dizer, mais combustível no foguete…)

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

e ainda tem os chineses pra botar mais lenha na fogueira, quer dizer, mais combustível no foguete…

Não se esqueça dos iranianos Nunão. Eles já mandaram um macaco para o espaço (pelo menos é isso que a mídia de lá disse). Falta pouco para enviarem um orangotango para a Lua e um gorila para Marte.

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/12/macaco-enviado-ao-espaco-retorna-terra-com-vida-diz-iran.html

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Amém Nunão!

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Falando um pouco sério, o antagonismo político, ou melhor, geopolítico, é o principal combustível para a evolução da tecnologia nos países que nela se envolvem.

Edgar
Admin
Member

Este link do André muda o cenário a favor dos Russos.

Caso eles realmente restrinjam a exportação dos RD-180, como retaliação a restrições semelhantes impostas pelos americanos, o programa do foguete Atlas V, principal veículo americano de lançamento de satélites, vai pro ralo.

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Ou então Edgar, investem maciçamente no desenvolvimento de algo similar. Isso se tiverem tempo para isso.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Esse que é o segredo do planejamento de longo prazo, Poggio.

Depois de mandarem o gorila pra Marte, só vai sobrar uma espécie de pongídeo para mandar pra Júpiter, o bonobo.

Como os bonobos só desestressam com sexo, vai ter que mandar mais de um, pois um bonobo solitário destruiria a nave.

Só que, mandando um casal (creio que os mandatários do país não veriam com bons olhos relações entre bonobos do mesmo sexo), até a nave chegar lá vai estar lotada de bonobinhos.

Conclusão: já estão com tudo planejado para criar uma grande colônia de bonobos em Júpiter!

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

“Esse motor chipado RD-180 não vai fazer falta. Os americanos conseguirão desenvolver um semelhante em alguns meses. E se brincar, os que já estão nos EUA vão explodir no ar quando lançados porque um código de inativação/descontrole/colapso será enviado desde o espaço sideral vindo de um satélite russo espião emissor de radiofrequências inativadoras diabólicas. Esse Putin não é de confiança e o colega dele, o Stalin, matou 40 milhões de cidadãos russos no passado. Sem falar que a cadela Laika não era vacinada contra raiva e o Mikhail Baryshnikov se passava por viadinho pra papar as colegas de balé, mas… Read more »

Observador
Visitante
Observador

Na verdade, os russos sempre se ressentiram do papel secundário que lhes cabia na ISS.

Os russos se sentiam como os “caminhoneiros” da estação, responsáveis apenas pelas manobras desta e pelo transporte de pessoas e carga da Terra e vice-versa, enquanto as pesquisas de ponta são realizadas por outros países.

Bem feito. Quem manda fazer de tudo para que a iniciativa privada russa não se desenvolva? O resultado é este aí: não existem empresas russas para financiar e mandar pesquisas ao espaço.

Isto é típico de país que quer se desenvolver exportando commodities. Igualzinho ao Brasil, Argentina…

Edgar
Admin
Member

“Isto é típico de país que quer se desenvolver exportando commodities. Igualzinho ao Brasil, Argentina…” Observador, nesse ramo até hoje não conseguimos desenvolver nem cestinhas de mão que pudessem levar o jornal do dia ali na esquina estratosférica. Acho que o sonho do Brasil e dos “Argies” é ter algum dia como commodity esses “caminhões” da estação. Por outro lado, acredito que nesse momento o alto escalão da NASA deve estar abrindo a garrafa de Champagne (ou seria Vodka mais apropriada??), comemorando o primeiro passo para o “reaparelhamento” 😀 Podiam, inclusive, contratar o Nelson Jobim como consultor para elaborar uma… Read more »

Edgar
Admin
Member

Nunão, será que os Bonobos sobreviveriam ao clima “não-amigável” de Júpiter? Talvez aí poderíamos ver se Darwin estava certo, e ao menos um casal desta comunidade a ser gerada no interior da nave sobreviveria, dando origem a uma espécie superior, talvez o lendário Pan paniscus Iuppiter sapiens.

Se fosse eu, mandaria o César.

Jackal975
Visitante
Jackal975

Para aqueles que um dia se maravilharam e sonharam ao ler as obras de Arthur C. Clarke e depois ver as obras-primas de Kubrick e Peter Hyams ao transportarem tais livros para as telas de cinema, é uma enorme frustração ver o nível (lento) que o desenvolvimento espacial adquiriu a partir dos anos 1990. Nesse ponto a Guerra Fria dá saudades: um lado sempre buscava superar os feitos do outro e a coisa andava para a frente a passos largos. E mesmo que digam: “ah, mas qual a utilidade de mandar alguém para Marte?” Sei lá, mas acho que nesse… Read more »

Edgar
Admin
Member

Jackal975, achei que era só eu que olhava para o céu noturno com esse pensamento 😀

E quando falo às pessoas: “Olha, aquele ali é Marte, aquele outro ali Júpiter…”, dá pra notar a expressão de indiferença na cara das pessoas.

Infelizmente, fica a impressão que eu que sou/estou “alienado”. (com o perdão do trocadilho) 😀

Jackal975
Visitante
Jackal975

Edgar, sinto o mesmo que vc: quando aponto para o céu nortuno a uma criança ou adolescente e digo quais planetas e estrelas são aqueles, eles me olham com aquela expressão de “quem disse pra esse senhor que eu quero saber disso?”.
Fico me sentindo até meio “chato” por “importunar as crianças com essas bobagens de ciência e conhecimento”, tão ocupadas que elas estão diariamente com o facebook, instagram, e etc. rsrsrsrsrs 🙂