Home Patrulha Marítima P2006T MRI: vigilância marítima a preços módicos

P2006T MRI: vigilância marítima a preços módicos

545
13

P2006T-MRI

Indra apresentou na LAAD 2013 opção de baixo custo para vigilância marítima

 

testa - laad

A FAB está recebendo seus aviões de vigilância, guerra antissubmarino e patrulha marítima de longo alcance P-3AM. Paralelamente ao recebimento dos oito P-3, está em andamento o programa de modernização de parte da frota de C-95 Bandeirante, que inclui dez P-95 “Bandeirulha”, de esclarecimento marítimo (de superfície). Ao término dos dois programas, a FAB terá menos de vinte aeronaves dedicadas à vigilância e patrulha marítima.

Não é necessário dizer que esta quantidade está muito abaixo das necessidades mínimas para se vigiar de forma apropriada toda a área jurisdicional, mesmo se pensarmos apenas em esclarecimento marítimo. Um fator complicador é que as plataformas que executam este tipo de missão costumam ser complexas e dotadas de sensores diversos. Porém, existem no mercado soluções mais simples, com ótima relação custo/benefício. Uma delas foi apresentada pelo grupo espanhol Indra durante a LAAD 2013, realizada na semana passada, entre os dias 9 e 12 de abril, no Rio de Janeiro.

P2006T-MRI 2

Em janeiro deste ano a empresa Indra completou o desenvolvimento da versão de vigilância e patrulha marítima do avião Tecnam P2006T. A aeronave, designada como MRI (maritime reconnaissance intelligence), está voltada para missões de busca e resgate, vigilância marítima e controle ambiental.

O P2006T é uma aeronave STOL (decola e pousa em pistas curtas) bimotora de asa alta desenvolvida e fabricada pelo grupo italiano Tecnam. Trata-se de um avião de baixo custo de aquisição e operação, cuja autonomia excede quatro horas.

Dentre os principais sensores embarcados no avião estão um radar SELEX Galileo Seaspray 5000E, imageadores térmicos FLIR e um sistema AIS de identificação de navios. Todos os dados são integrados pelo compacto sistema Indra ISIS, instalado a bordo da aeronave. Trata-se de uma suíte bastante completa para uma aeronave de pequeno porte (peso máximo de decolagem de 1230 kg).

P2006T-MRI 4

Obviamente que se trata de uma aeronave de desempenho mais modesto que um P-95, mas que  pode ser adquirida em maior quantidade e distribuída / desdobrada por mais bases, complementado e até mesmo substituindo helicópteros de pequeno e médio porte com custos amplamente favoráveis.

P2006T-MRI 5

FOTOS: Indra

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diegolatm
Diegolatm
7 anos atrás

Se for mais barato que um UAV com certeza vale a pena adquirir para colocar nas zonas de fronteiras, acredito que a aeronave se sairia muito bem nas zonas de fronteiras com o PARAGUAI, BOLIVIA, PERU…

tiagobap
tiagobap
7 anos atrás
Baschera
Baschera
7 anos atrás

Excelente notícia.

Quanto mais competição melhor.

Talvez possam substituir em algum tempo a frente os P-95 Bandeirulha.

Sds.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Diegolatm

E o que o Genro vai fazer com todos aqueles UAV adquiridos, sem doutrina, sem manutenção, sem nada!!!

Soyuz
Soyuz
7 anos atrás

Que a FAB um dia vai precisar de uma aeronave de menor custo que os P-3BR para missões de esclarecimento marítimo onde os P-3 ou estão em menor número ou são caros demais, isto me parece quase uma certeza. O que eu tenho sérias duvidas é até que ponto esta simpática aeronave da matéria é adequada ao Brasil. Especialmente em alcance. Ela certamente é ótima para o Uruguai o Equador, mas aqui, não sei não. O P-95 que é bem maior que ela já é pequeno na função. Talvez uma plataforma da Embraer baseada no R-99 seja uma opção para… Read more »

Diegolatm
Diegolatm
7 anos atrás

Marcos, como não tenho os dados e nem o preço da unidade, poderia a FAB justamente optar tanto pelo UAV quanto por essa aeronave acredito que comprar uma não vai anular a outra.O que vai definir o critério com certeza é $ investido e o alcance da aeronave.

Lembro a você que a intenção do G.F é adquirir tão somente esses novos UAVs por causa da COPA depois o que se espera é comprar novas unidades de fabricação nacional.

Logo, tanto M.B, E.B ou FAB poderiam dar uma olhadinha nessa aeronave.

Almeida
Almeida
7 anos atrás

Bonito aviãozinho. Só.

O futuro da patrulha da FAB deve ser de VANTs espalhados pelas quatro bases na costa mais um esquadrão de P-3AM substituídos no futuro por versões do Embraer P-99 MPA baseados no E-190, operando de apenas um esquadrão em uma base na costa, mas podendo ser desdobrados para as demais bases caso necessário.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Soyuz, Combinar grandes aeronaves de patrulha marítima com ampla capacidade ASuW e ASW com aeronaves de porte médio e/ou pequeno é uma idéia sensata e realizada por alguns países, inclusive os Estados Unidos da América. Os gringos operam Orions e agora Poseidons na US Navy para missões oceânicas eminentemente de combate, mas na US Coast Guard operam aeronaves menores, como CASA HC-144A Ocean Sentry (baseado no CN235) e Dassault HU-25 A/C/D Guardian (baseado no Falcon 20). Os hindus estão investindo nos Boeing P-8I Poseidon, mas também buscam aeronaves MR menores, do porte dos Dassault Falcon ou Embraer P-99. A diferença… Read more »

aldoghisolfi
aldoghisolfi
7 anos atrás

Perdoem, mas me pareceu um ultra-leve metido a sebo.

Marcio
Marcio
7 anos atrás

Adequadoas as necessidades de vigilância marítima da FAB, Fuerza Aérea Boliviana. Perai… mas a Bolivia não tem mar. Então é por isso….

paulofvj
paulofvj
7 anos atrás

A Bolívia perdeu seu acesso ao mar para o Chile em 1879 em uma Guerra que também tomou uma parte do Perú.
Porém ainda tem uma micro marinha fluvial localizada no lago Titikaca.

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

vocÇes observaram a distãncia que o domo do radar fica do solo, a um “pentelhonésimo de toca-lo, ou seja, qualquer prespada no pouso era uma vez um sea spray……

Grande abraço

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Algumas consideraçãoes: A US Navy pretende complementar o P-8A “Posseidon” c/ o MQ-4C “Triton”, versão “patrulha marítima” do UAS “Global Hawk”. Israel tem uma solução parecida em serviço, mas baseada no UAS Heron. Na USCG o HC-144 é o substituto do HU-25. Existem 2 requerimentos hindús, um da própria IN, em que o interesse por uma versão “downgraded” do P-8 é mto forte. E um outro requerimento da Guarda Costeira, no qual diversas aeronaves a reação e turbo-hélice, disputam a seleção. “…substituídos no futuro por versões do Embraer P-99 MPA baseados no E-190, operando…” Já resolveram aonde e como vão… Read more »