segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

Beechcraft vai tentar bloquear contrato do Super Tucano nos EUA

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Super Tucano - foto 2 Embraer e Sierra Nevada - builtforthemission

Questão estaria relacionada a preço mais alto em relação à oferta do AT-6 Texan II

 –

Segundo nota da Flightglobal publicada nesta sexta-feira, 8 de março, a empresa aeronaútica norte-americana Beechcraft está entrando com um protesto contra o contrato concedido à Sierra Nevada/Embraer, pela Força Aérea dos EUA (USAF) para o fornecimento de aviões de ataque leve destinados às Forças Armadas do Afeganistão.

O protesto que deu entrada no GAO (US Government Accountability Office) deverá colocar o programa LAS (light air support – apoio aéreo leve), para o qual concorreu, novamente na mira das questões legais. O mesmo contrato foi concedido à Sierra Nevada/Embraer há um ano, mas foi cancelado após a USAF descobrir irregularidades no processo de aquisição.

Agora, a Beechcraft quer saber por que a USAF selecionou o Embraer A-29 Super Tucano  apesar do mesmo custar 40% mais do que uma oferta baseada no AT-6 Texan II. Bill Boisture, diretor executivo da Beechcraft, afirmou que continua preocupado em relação a “erros significativos” no processo de avaliação da USAF, apesar de não dar detalhes.  “A Força Aérea precisa tomar a decisão certa para a nação e seus futuros aliados”, disse Boisture. A Embraer não estava imediatamente disponível para comentar a decisão da Beechcraft.

AT-6 - foto mission ready

Para as duas empresas, o contrato foi considerado estratégico. Para a Embraer, representa uma rara chance de entrar na cadeia de suprimentos do Departamento de Defesa dos EUA. No mês passsado, a Beechcraft considerava a conquista do contrato como ponto “crítico” para os planos de emergir com sucesso do processo de proteção falimentar. Um sindicato, a “International Association of Machinists and Aerospace Workers” (IAM) está apoiando o protesto da  Beechcraft, alegando que a escolha da aeronave projetada no Brasil poderia levar à perda de empregos no setor aeroespacial dos EUA. O presidente da IAM, Tom Buffenbarger, afirmou: “Precisamos estar muito atentos quando  o dinheiro do contribuinte norte-americano é usado para criar centenas de empregos num país estrangeiro. Precisamos nos mostrar ultrajados quando a perda desses empregos ameaça interesses vitais da economia e da segurança dos Estados Unidos”.

FONTE: Flightglobal (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

IMAGENS: Builtforthemission e MissionreadyAT-6 (sites de divulgação dos concorrentes nos EUA)

comparativo A-29 AT-6 - fonte Sierra Nevada 2

COLABOROU: Clésio

NOTA DO EDITOR: abaixo, segue tradução de nota divulgada pela Beechcraft nesta sexta-feira, 8 de março, no site “Mission Ready AT-6” (clique no link para acessar original em inglês).

“A Beechcraft Corporation anunciou hoje que vai protestar formalmente ao ‘U.S. Government Accountability Office’ (GAO) quanto ao contrato do ‘Light Air Support’ (LAS – apoio aéreo leve) recentemente concedido pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) ao seu competidor brasileiro, a Embraer.

O diretor executivo Bill Boisture da Beechcraft disse que “após reunião de informações com a Força Aérea no início dessa semana, ficamos muito perplexos com a decisão. Nossa crença de que temos o melhor avião foi confirmada pela Força Aérea classificando nossa aeronave como ‘excepcional’ e pelo fato de que temos a solução de menor custo, o que foi confirmado pelo anúncio público da USAF.” No ano passado, uma investigação da Força Aérea encontrou evidência de viés em relação à Embraer, baseada no Brasil, e sua parceira baseada em Nevada, a Sierra Nevada (SNC), o que levou à decisão de reiniciar a competição. Apesar da tentativa posterior da SNC de forçar a decisão enviesada, a juíza Christine O.C. Miller da Corte de Apelações Federais (U.S. Court of Federal Claims) escreveu em 1º de novembro de 2012 uma opinião de que, baseado na evidência de viés decorrente da investigação, “a decisão da Força Aérea de cancelar o contrato concedido à SNC e solicitar novas propostas foi razoável e racional, e deve ser mantida”.

Boisture disse que “simplesmente não entendemos como a Força Aérea pode justificar gastar 40% mais – ou mais de 125 milhões de dólares adicionais – no que consideramos ser o avião menos capaz. Dada a nossa experiência do ano passado e nossa continuada e forte preocupação de que novamente há erros significativos no processo e avaliação dessa competição, não nos resta outro recurso além de entrar com um protesto no GAO. A Força Aérea precisa tomar a decisão certa para a nação e nossos futuros aliados.”

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Chega uma hora que pessoas (ou empresas) passam a ser somente CHATOS.

Marcos

Já vi empresas, certas que perderiam o negócio, jogarem o preço lá embaixo simplesmente para melar a coisa toda.

Giordani

Beechcraft: Por quê vocês selecionaram o Embraer A-29 Super Tucano, custando 40% mais do que o meu AT-6 Texan II?

USAF: Porque o A-29 é 40% mais avião que o teu AT-6…

Samuel B. Pysklyvicz "Jaguar"

Beechcraft não saber perder.

Almeida

Loooooooooosers!!! 😛

Diegolatm

Bando de chorões, como eu desejo agora que essa empresa caia em Falência(Sei até que saiu da pindaiba) mass o vento soproa na mesma direção mais de uma vez….

Baschera

Tom Buffenbarger disse: “Precisamos estar muito atentos quando o dinheiro do contribuinte norte-americano é usado para criar centenas de empregos num país estrangeiro…..” Dear Mr. Tom, Tio Sam deveria ter se preocupado com isto a pelo manos quinze a vinte anos atrás….quando começou a importar tudo quanto é quinquilharia e traquitana da China. Igualmente, deveria ter se preocupado antes de mandar milhares de plantas industriais para o México e a mesma China…o que possibilitou que os USA levantassem um defunto econômico abaixo do Rio Grande e de sobremesa criassem um gigante mundial na Ásia, que, em 20 anos, poder poderá… Read more »

Nick

Esse mimimi da Bitchcraft já cansou. Neeexxxxtttt! 🙂

[]’s

jacubao

Po…a, ms que coisa irritante essa Beech….

Observador

Senhores, Puro chororô de perdedor. Daí procuram apoio político, os políticos contatados que não são bobos nem nada, batem nas costas dos empresários, fazem discursos em defesa das empresas americanas e… …fica tudo por isto mesmo. Político é tudo igual em qualquer lugar do mundo. Como lembrou o nosso colega Baschera acima, se este tipo de pressão fizesse resultado, nunca as fábricas americanas teriam migrado para o México, nem os EUA importariam tantos manufaturados da China. O que importa lá é custo-benefício, pouco importando se é de fora ou não. E em matéria de custo-benefício, o ST está anos-luz a… Read more »

Corsario137

To com o Almeida,

Loooooooooosssseeeeerssss! 😉

Marcos

Mas esses 40% mais caros se referem à que?
O custo da mão de obra é a mesma. O custo do alumínio empregado
é o mesmo. Provavelmente a eletrônica empregada tem preço próximo. Os motores, de potência semelhante, também tem preço próximo. Acho que esses 40% à quele ele se refere, devem englobar algo mais que simplesmente o preço básico das aeronaves.

Mauricio R.

“…o dinheiro do contribuinte norte-americano é usado para criar centenas de empregos num país estrangeiro.”

Os Phenoms serão fabricados na Flórida, espero realmente que este senhor esteja assim tão indignado.

Observador

Fernando “Nunão” De Martini disse: 8 de março de 2013 às 17:38 Concordo que a influência política sempre tem seu peso, porém, lá tem muito menos que aqui. Em grande parte porque nossos políticos são ainda menos sérios do que os deles. Vou citar o que está registrado em outra matéria mais recente (Super Tucano nos EUA: Embraer e SNC comentam protesto da Beechcraft) aqui do Blog: “De acordo com o processo de concorrência, a USAF selecionou o A-29 baseado nos três fatores descritos acima, não somente um deles. A USAF entendeu que o preço que está pagando pelo A-29,… Read more »

Reportagens especiais

Saab Press Trip 2019 – parte 2

Entrega do primeiro Gripen E brasileiro Por Guilherme Poggio Linköping é uma cidade pequena para os padrões brasileiros (possui cerca de...
- Advertisement -
- Advertisement -