Home Força Aérea Brasileira Primeira Aviadora da FAB pede as contas e vai para a CGU

Primeira Aviadora da FAB pede as contas e vai para a CGU

29273
35

dsc00036

vinheta-clipping-aereoA mulher que inscreveu seu nome na história da aviação no Brasil como a primeira aviadora da FAB, a Primeiro Tenente Fabrícia Liane Souza Aguiar Oliveira foi licenciada da Aeronáutica no último dia 29 de janeiro.

Primeira colocada da primeira turma de Cadetes Aviadores da Academia da Força Aérea (AFA) que recebeu mulheres, no ano de 2003, Fabrícia, que servia no 1º Esquadrão do 6º Grupo de Aviação (1º/6º GAV), em Recife, foi aprovada no último concurso para auditora da Controladoria Geral da União.

Em junho de 2010, ela foi homenageada pela Assembleia Legislativa do RJ e agradeceu com as seguintes palavras:
“Recomendo a carreira de aviadora para as mulheres que, além do sonho de pilotar aviões, tenham um amor profundo pelo Brasil. Sem um desses requisitos, acho que não é possível”.

FONTE: montedo.blogspot.com.br/

SAIBA MAIS:

35
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
19 Comment authors
VictorLOUZADA MARQUES DA COSTADrCockroachjoseboscojrcalopesdasilva Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Edgar
Admin
Member

http://www.esaf.fazenda.gov.br/Concursos/concursos_selecoes/AFC-CGU-2012/afc-cgu-home.html

Subsídio inicial do cargo: R$ 12.960,77

Dá pra entender a Ten. Av. Liane.

Da mesma forma, empresas privadas oferecem USD 10,000 / mês pra pilotos com experiência, como os da FAB.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Tá, beleza, é um direito dela.
Mas quanto custa ao Estado formar formar uma profissional como ela>

Victor
Visitante
Victor

Custa por volta de 1 mi. E por isso que ela só saiu depois do período indenizavel.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Mais uma coisa… ela trocou o céu por um trabalho burocrático, trancada numa sala.

Giordani
Visitante
Member
Giordani

Numa reportagem do final dos Anos 80, lembro que cada aviador da FAB custava 1 milhão de dólares ao Erário Público.

Não culpo ela, mas trocar o cockpit de um caça, mesmo que seja um AMX, por um serviço burocrático? E sendo o salário inicial não muito distante do soldo atual…Deve ter sido uma decisão difícil…muito difícil…

Eu troquei o mundo da aviação pela engenharia justamente pelo salário, mas Eu não estava nos comandos de um jacto…

HRotor
Visitante
Member
HRotor

Glamour e idealismo não pagam as contas… Na verdade, isso acontece todo ano, virou manchete pelo contexto. Podem ficar tranquilos que a Tenente deu o retorno devido ao Estado, na forma da Lei, quer sob a forma de indenização, quer servindo por 5 anos. Se tiverem sido os 5 anos, foi pouco céu e muito serviço burocrático, oficial de dia, de operações, recepçao de autoridades, sindicâncias, comissão de concursos, descarga de material, alienação, espojos, cotejamento, representações, e por aí vai. Muita atividade meio e pouca atividade fim. E nesse caso específico, vivendo em Brasília, terra onde os valores que lhe… Read more »

Vader
Visitante
Active Member

Sinceramente? Certa ela. A mulher tem mais preocupações na vida do que ser heroína. Aliás, heroína mesmo é a mulher que trabalha fora, é mãe, estuda, cuida da casa, etc, tudo ao mesmo tempo.

Ninguém vive só de emoções. Ser militar em qualquer lugar do mundo é um sacerdócio; no Brasil, com o soldo ridículo que se ganha, e com a falta crônica de condições de trabalho, é quase uma auto-flagelação.

Errada, creio eu é a FAB (e o país) investir R$ 1 milhão num oficial-aviador e pagar um soldo de – o quê? – R$ 7.000,00?

HRotor
Visitante
Member
HRotor

Parece que a noção que os amigos têm sobre os soldos está deveras equivocada….

HRotor
Visitante
Member
HRotor

A Aviadora em questão voava (tentava voar…) no 1/6 GAv de Recife, se não mudou, reduzido esforço aéreo e poucas aeronaves para um grande número de pilotos.
Para os que “curtem” os cockpits de um caça, menos céu ainda.

Nick
Visitante
Member
Nick

A despeito da Tenente ter todo o direito de escolher o que é melhor para ela, é estranho abandonar a carreira de aviadora na FAB. Talvez decepção pelas condições de vôo(ou não vôo como citou o HRotor), e também a diferença entre o soldo atual dela e o valor inicial que ela vai receber como auditora.

Mas é difícil ver que todo o treinamento feito nela pela FAB, que deve ter custado muito, vai para o ralo, ou melhor para um departamento burocrático do Estado.

[]’s

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Distorções de um país difícil de ser explicado.

Nos países desenvolvidos o militar deixa a farda para seguir carreira na iniciativa privada, onde os salários são maiores.

Aqui no Brasil o militar deixa a força para prestar concurso público em áreas onde as exigências são menores e os salários bem mais elevados para a média nacional. Vai entender este país …

Ela não está errada. Está jogando o jogo com a regra debaixo do braço. Errado está o Brasil que criou as regras.

thomas_dw
Visitante
thomas_dw

nos EUA sao doze anos ou seja ate os 30, se nao nao vale a pena, aqui, depois de 5, o que e´um absurdo.

Alias, o tamanho da FAB e´ um absurdo se visto pelo prisma dos salarios, uma organizacao que nao e´capaz de pagar salarios competitivos e perde pessoal assim esta fadada ao fracasso.

Uma forca menor, mas bem equipada e com salarios melhores e´ o que precisamos.

Ozawa
Visitante
Member
Ozawa

Não é a primeira nem será a última. Ano passado mesmo, para a carreira Técnica-Administrativa do Senado Federal, cargo de Analista Legislativo, a FAB perdeu 4 oficiais de uma vez só num mesmo esquadrão… E aí ? O Coronel Marcos Pontes, 1º astronauta brasileiro, milhões de dólares em investimento, foi ao espaço…, e…, quando voltou pro chão, o que aconteceu ? “Caiu na real” e saiu da FAB… Nem se ouve falar mais em investimentos do governo brasileiro em outros oficiais da FAB para serem astronautas. Dizem que Lula ficou %$# quando soube que o Cel. Pontes tinha pedido baixa… Read more »

eriksondb
Visitante
eriksondb

Se o Estado gasta milhões pra formar um piloto e depois não reconhece isso após a sua formação, então isso é um problema do Estado e não do profissional, a moça em questão percebe-se que é super inteligente e é lógico, vai buscar o que é melhor pra ela. Agora o Estado precisa ser inteligente, igual a seus profissionais formados por ele, e que cuide deles pra não acontecer isso.

glaison
Visitante
glaison

Típico do Brasil, onde o trabalho “braçal” (pilotar por exemplo), é considerado inferior ao trabalho “intelectual”, daí os valores invertidos na relação, custo, risco, complexidade…
Ninguém serve a carreira militar por idealismo, isso não existe, quem é que vai dedicar e arriscar a vida para defender um estado corrupto e bagunçado? Uma hora se percebe, ou não, a realidade e então, não se pensa mais com emoção, e a razão, fará tomar medidas mais inteligentes, como essa moça fez.

obs.: Uhhh, uma mulher de farda!!!! kkkk

Grifo
Visitante
Grifo

Senhores, infelizmente esta é a realidade dos nossos tenentes, que são forçados a sobreviver com pouco mais de 4 mil reais (líquidos) por mês. Por mais que a exista a vocação e o sentimento de realização, é muito desestimulante para quem teria condições de estar ganhando o dobro ou o triplo em outro lugar. Além do lado financeiro, existe também o lado pessoal. Quem vai querer constituir família com um tenente da FAB que além de ganhar pouco tem que ficar mudando de cidade a cada dois anos? A mulher pressiona e o sujeito pede as contas para poder se… Read more »

Edgar
Admin
Member

http://www.esaf.fazenda.gov.br/Concursos/concursos_selecoes/AFC-CGU-2012/Editais/21_11_2012/Edital_AFC_2012_Resultado_Segunda_Etapa.pdf

O nome da Ten. Av. Fabrícia aparece na 2ª página, na 13ª colocação da vaga de Aud. e Fiscalização – Geral – Órgão Central.

thomas_dw
Visitante
thomas_dw

ca entre nos – nao havia talvez uma falta de interesse pela profissao …??? pois se houvesse o interesse, exitem algumas companhias aereas disponives para obter emprego, nacionais e internacionais, algumas pagando muito bem obrigado.

enfim, a escolha da nova profissao ja diz tudo.

Vader
Visitante
Active Member

thomas_dw disse:
4 de fevereiro de 2013 às 7:57

Caro Thomas, com a quantidade de horas que um piloto da FAB voa é muito difícil conseguir um bom emprego de PLA.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Vader

Consegue sim e são disputados a tapa pelas companhias. Não tem treinamento igual ao que eles recebem e se for piloto de transporte voa e voa muito. Não é como na caça.

Um PLA tem sua jornada de trabalho regulamentada por lei, que é rigorosamente seguida ou o sindicato abre o bico. Militar tem que voar e voar e voar.

E nós estamos falando aqui do caso de uma oficial ainda em início de carreira. O que dizer do salário de um sargento em início de carreira?

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Concurso CGU 2012 A Controladoria Geral da União – CGU publicou edital para realização de concurso público destinado a selecionar candidatos aos cargos de Analista de Finanças e Controle, da carreira de mesma nomenclatura. São oferecidas 250 vagas nas áreas Administrativa, Correição, Comunicação Social, Auditoria e Fiscalização, Tecnologia da Informação e Prevenção e Ouvidoria. Entre as exigências para disputar o cargo, estão: diploma de curso superior concluído e idade mínima de 18 anos. O vencimento inicial oferecido é atrativo: R$ 12.960,77. A seleção dos candidatos será realizada através das seis etapas seguintes: 1ª – Prova Objetiva 1 – Conhecimentos Básicos,… Read more »

martins
Visitante
Member
martins

Parabéns para ela.

Porém, ela ñ pode reclamar do salário da FAB. Quando ela prestou o concurso já sabia o valor do vencimento.

Vader
Visitante
Active Member

Guilherme Poggio disse:
4 de fevereiro de 2013 às 10:22

Poggio, conheço pessoalmente mais de um ex-FABiano que para chegar a PLA teve que gastar os tubos pra fazer hora. E não eram da caça não, mas do transporte.

Quando perguntei o porque, a resposta era uma só: na FAB se voa muito pouco, infinitamente menos do que em linha, porque tem muito mais aviador que aeronave.

Talvez o mercado hoje esteja bem mais aquecido que há alguns anos, mas tenho sérias dúvidas se a realidade é assim como o amigo diz.

Sds.

Vader
Visitante
Active Member

Ah, e já que estamos a falar de condições de trabalho, um off-topic pra galera discutir: Ouvi de um colega que trabalha em aeroporto um “causo” de arrepiar os cabelos: Ele e um outro colega, em horário de almoço, foram tentar “peruar” para conhecer o cockpit de um Hércules da Força, que estava estacionado no pátio de um grande aeroporto de uma certa capital brasileira. O curioso é que quando subiram a rampa o avião estava fechado, sem ninguém dentro. Não havia segurança nenhuma, nem ninguém por perto. da aeronave. Nem um mísero soldado da FAB vigiando a aeronave. Foram… Read more »

GBento
Visitante
GBento

Martins disse:

“Porém, ela ñ pode reclamar do salário da FAB. Quando ela prestou o concurso já sabia o valor do vencimento.”

Mas ela não reclamou, simplesmente foi atrás de um salário muito melhor.

trackback

[…] Leia mais… […]

calopesdasilva
Visitante
calopesdasilva

A FAB, a FAB não, o Estado Brasileiro deveria saber que o investimento em um profissional de seus quadros tem dois vieses: 1- Qualificação profissional, e nisso investiu bem direitinho na ex-tenente, já que ela não só conseguiu chegar ao fim do processo de formação profissional em que estava, como numa de suas mais importantes etapas, o curso da AFA, se formou em primeiro lugar. 2- Remuneração, nisso o Estado Brasileiro (e não a FAB) parece achar muito mais importante um auditor da CGU do que um piloto militar (isso para não falar num soldado de um Pelotão de Fronteira… Read more »

Grifo
Visitante
Grifo

Quando perguntei o porque, a resposta era uma só: na FAB se voa muito pouco, infinitamente menos do que em linha, porque tem muito mais aviador que aeronave.

Caro Vader, uma empresa aérea tem o seu quadro de aviadores otimizado para voar o máximo possível dentro da regulamentação. É claro que vão voar mais do que a FAB, onde se voa para cumprir missão.

E uma empresa aérea tem ainda muito mais aviador do que aeronave do que a FAB.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Pessoal, não se apeguem muito a essa máxima que servir a Pátria é exclusividade dos militares. Eles se apropriaram do termo sem o consentimento dos outros cidadãos que acordam cedo e vão à luta honestamente pra por o país pra funcionar. Essa estória de idealismo e vocação cai por terra quando um cidadão vê que um analista (datilógrafo de luxo) de 22 anos do Senado ganha no mínimo 18 mil por mês em início de carreira pra trabalhar 6 horas por dia depois de passar num concurso público, após ter feito odontologia ou medicina por 5 ou 6 anos gratuitamente… Read more »

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Apenas p/ registro, o DrCockroach, fazem muitos anos passou em concurso p/ ser auditor de financas, com um belissimo salario, atualmente mais alto que o mencionado; foi chamado p/ assumir mas decidiu que nao era o que queria (ficar fechado numa sala no servico publico); continuou estudando, foi trabalhar no exterior e, pelo menos hoje, nao se arrepende da opcao; e mesmo distante, paga impostos p/ maf.., digo governo, e eh um patriota, assim como os colegas do forum em suas respectivas profissoes (corroborando o colega Bosco, mas nao o primo dele).

[]s!

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Mas lembrem-se, nao hah necessidade estudar, pode-se tocar tudo de ouvido ou na base do impressionismo e, eventualmente ser Presidente do Brasil; mas houve progresso neste campo, um nao lia e se gabava, e a outra fingia que estudava pelo menos (com falso CV, eh verdade).

Hey, mas nunca eh tarde p/ comecar (ou fingir):

http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/files/2013/02/lula-fernando-moraes.jpg

E vcs ai implicando com os macacos do programa espacial do Presidente do Iran… 🙂 , querendo ateh iniciar uma guerra.

[]s!

Vader
Visitante
Active Member

Grifo disse:
5 de fevereiro de 2013 às 0:17

Grifo, motivos à parte, o cerne do debate com o amigo Poggio é: não é tão fácil para um aviador sair da FAB e virar PLA.

Creio que seu comentário corrobora o meu.

Sds.

HRotor
Visitante
Member
HRotor

Poggio (3 de fevereiro de 2013 às 21:44) “Distorções…” Excelente comentário, matou a pau. Vader (4 de fevereiro de 2013 às 14:22) “Talvez o mercado hoje…” O mercado tem ciclos, em função de muitas variáveis. Geralmente, um ex-Fabiano piloto de asa fixa, quando vai para a reserva após 30 anos, chega no mercado como “velha águia”, porém, a relação salário/carreira/escala nem sempre lhe atrai. Já um ex-Fabiano piloto de helicóptero encontra salários melhores na executiva, o difícil é chegar bem logo de cara nesse seleto mercado (além de conseguir gerenciar algumas “especificidades”…). Na off-shore, o salário não é tão bom,… Read more »

Grifo
Visitante
Grifo

Grifo, motivos à parte, o cerne do debate com o amigo Poggio é: não é tão fácil para um aviador sair da FAB e virar PLA.

Caro Vader, acho que a facilidade ou não depende mais de como estiver o mercado no momento. Houve época em que a GOL e a TAM estavam contratando qualquer garoto com PC e 300 horas na carteira. Atualmente ao que parece não tem vaga para ninguém.

LOUZADA MARQUES DA COSTA
Visitante
LOUZADA MARQUES DA COSTA

O pior é que os mais inteligentes são os que abandonam a Força Armada. Não me refiro somente à Força Aérea. Exército e Marinha também. A consequência é o enfraquecimento técnico profissional. Se perdem muitos gênios.