Home Noticiário Internacional Força aérea de Kadafi está destruída, diz comandante britânico

Força aérea de Kadafi está destruída, diz comandante britânico

132
4

De acordo com vice-marechal do ar da RAF, aviões aliados podem voar impunemente pela Líbia

Um comandante militar britânico na Líbia disse nesta quarta-feira, 23, que a força aérea do ditador Muamar Kadafi foi destruída e que “ela não existe mais como uma força de combate”.

De acordo com o vice-marechal do ar, Greg Bagwell, a coalizão à frente da ofensiva na Líbia agora vigia de perto as forças terrestres de Kadafi. Bagwell afirmou ainda que atualmente é possível à coalizão que aplica a resolução do Conselho de Segurança da ONU voar “impunemente” pelo espaço aéreo líbio.

A declaração do comandante britânico foi feita em visita a uma base aérea em Gioia del Colle, no sul da Itália, onde estão os caças da Real Força Aérea Britânica (RAF, na sigla em inglês). “Estamos zelando pelas pessoas inocentes da Líbia e garantindo que sejam protegidas de ataques”, afirmou Bagwell. “As forças terrestres líbias estão sob observação constante e as atacamos sempre que elas ameaçam civis ou atacam aglomerados de civis”.

A coalizão cumpre a resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas para implementar uma zona de exclusão aérea na Líbia. Para funcionar, a medida prevê a eliminação da defesa antiaérea e do poder de fogo dos aviões de Kadafi.

No momento, líderes das potências ocidentais debatem quem estará à frente de fato da intervenção na Líbia. Os Estados Unidos têm coordenado a ação, seguidos por França e Reino Unido. Os três países discutem passar a liderança da ofensiva à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A coalizão formada por EUA, França, Reino Unido, Itália, Canadá, Qatar, Noruega, Bélgica, Dinamarca, Romênia, Holanda e Espanha deu início no sábado a uma intervenção militar na Líbia, sob mandado da resolução 1973 do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Nesta terça, Washington, Londres e Paris concordaram que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) deve desempenhar um papel na incursão.

A resolução da ONU prevê a criação de uma zona de exclusão aérea na Líbia e a tomada de “quaisquer medidas necessárias” para impedir o massacre de civis pelas tropas de Kadafi, que está no poder há 41 anos e enfrenta um revolta há mais de um mês. Desde o início da ação internacional, os insurgentes ganharam força.

FONTE: Estadão / BBC e Reuters

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
tplayer
9 anos atrás

Que ótimo, isso significa que os Su-22 foram eliminados da face da terra. O mundo ficou mais bonito. 🙂

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Amigos,

Eu ouvi falar que a forca aerea de Kadafi tinha 300+ cacas.

E agora vem esse general dizer ao publico que os cacas foram destruidos. Isso sim e eficiencia.

E o Brasil ainda fica mendigando para comprar 35 miseros jets.

E brincadeira???? Rsrsrsrssrs.

Um Aircraft Carrier da US NAVY. e suficiente para ganhar supremacia aerea de todo o espaco aereo brasileiro em questao de horas.

Observador
Observador
9 anos atrás

Creio que o grande responsável pela destruição da Força Aérea Líbia foi o embargo imposto internacionalmente por anos, proibindo a compra de armas pelos líbios. Eu li que a Dassault havia terminado a reforma dos F1 líbios em 2010, sendo que estes aviões estavam há DOZE ANOS sem voar devido a falta de peças. Por aí vocês imaginam o resto dos aviões. A maioria sucata soviética, que já deveria estar no museu há muito tempo. Li em algum lugar que os F-1 reformados seriam para a defesa aérea e as missões de ataque seriam deixadas para os SU-22 e Mig-23.… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Caro Observador,

Se a coisa e como voce falou, Isso nao e luta da Coalisao contra a forca aerea libia;, nem de longe.

Isso e pratica de tiro ao alvo…rsrsrssrssrsrs.