domingo, junho 20, 2021

Gripen para o Brasil

Ministro Fernando Pimentel participará de escolha de caças da FAB

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Eliane Oliveira e Roberto Maltchik

BRASÍLIA – A presidente Dilma Rousseff determinou que o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, passe a integrar o núcleo do governo que vai escolher os novos caças para a Força Aérea Brasileira (FAB), optando entre franceses (da Dassault), americanos (da Boeing) ou suecos (da Saab).

Responsável pela política industrial do governo Dilma, que tem a inovação e a tecnologia como prioridades, Pimentel defende que a transferência de tecnologia exigida pelo Brasil na operação seja estendida à indústria aeronáutica civil, não se restringindo meramente à área militar. A entrada de Pimentel pode provocar atritos com o Ministério da Defesa, que vinha coordenando o tema.

Segundo altos funcionários do governo, ao praticamente abortar o que havia sido, de modo informal, acertado entre o ex-presidente Lula e o chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy, Dilma adia um peso a mais nas contas públicas e o impacto no Orçamento, que recebeu ontem corte de R$ 50 bilhões. Ela pretende adiar para 2012 ou 2013 gastos que comprometam a situação fiscal. O valor dos caças é estimado em US$ 6 bilhões.

Para Dilma, neste momento, não importa se os vencedores serão franceses, suecos ou americanos. Em temporada de cortes, a presidente está determinada a provocar os competidores a demonstrar que a transferência tecnológica é factível e está respaldada pela legislação de seus países. O único senão para as negociações é a vida útil da atual frota dos Mirage 2000 da FAB, que termina em 2016. Os F-5, que ficam na reserva, devem ser aposentados em 2018 e já não têm a mesma capacidade bélica de anos atrás.

O prazo considerado razoável pela Aeronáutica para a entrega dos novos caças é de quatro anos. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, já manifestou publicamente preocupação com a possibilidade de o país ficar com sua defesa fragilizada. Jobim não só pressiona por uma decisão rápida como manifesta reservadamente apoio ao acordo com os franceses, costurado por ele e pelo ex-presidente Lula.

Se, de um lado, a ampliação do debate para outras esferas do governo já expõe divergências sobre o tema, de outro, abre-se a possibilidade de se negociar algo maior, incluindo acordos de investimentos e na área comercial. No caso dos Estados Unidos, país da Boeing – fabricante do Super Hornet F-18 – as salvaguardas tecnológicas, que já impediram a venda de aviões Tucanos da Embraer para a Venezuela, representam o principal entrave. Fontes do governo são céticas sobre uma proposta tecnológica vantajosa dos EUA, o que dependeria de aprovação pelo Congresso, onde Barack Obama é refém do Partido Republicano.

Autoridades que participaram da reunião entre Dilma e o secretário de Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, revelaram que em nenhum momento a brasileira afirmou que o F-18 seria a melhor opção. Entre os técnicos do setor, fala-se que Obama pode apresentar um novo pacote, que mudaria o rumo das negociações na segunda quinzena de março.

O Ministério do Desenvolvimento afirma que Pimentel não recebeu um sinal formal da presidente de que participaria das conversas. Porém, técnicos admitem que o ministro ganhou força para negociar diretamente com os EUA um amplo acordo, que inclui produção de satélites, investimentos e abertura de mercado.

FONTE: O Globo

- Advertisement -

6 Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
asbueno

“[…] atual frota dos Mirage 2000 da FAB, que termina em 2016. Os F-5, que ficam na reserva (1), devem ser aposentados em 2018 e já não têm a mesma (2) capacidade bélica de anos atrás”. 1. F5M de reserva? Só voam se os M2000 “derem para trás”? 2. Não seria o contrário? Com a modernização houve um aumento! “O ministro da Defesa, Nelson Jobim, já manifestou publicamente preocupação com a possibilidade de o país ficar com sua defesa fragilizada”. Ele quer dizer ainda mais fragilizada, certo. Mais do que está atualmente seria uma tragédia. E de que forma ele(s)… Read more »

ZE

“O Ministério do Desenvolvimento afirma que Pimentel não recebeu um sinal formal da presidente de que participaria das conversas. Porém, técnicos admitem que o ministro ganhou força para negociar diretamente com os EUA um amplo acordo, que inclui produção de satélites, investimentos e abertura de mercado.” Se tivermos que nos aliar, que seja com o mais forte, o mais preparado, O QUE POSSA NOS DAR MAIS BENEFÍCIOS. O segundo parágrafo diz tudo ! O Acordo com o mais forte que inclua produção de satélites, investimentos e ABERTURA DE MERCADO seria ÓTIMO PARA O BRASIL ! Teríamos privilégios no MAIOR MERCADO… Read more »

Rodrigo

A coisa é simples.

Os gringos chegaram com dedo no olho e a farta munição de sempre.

Inigualáveis offset, fms, prazo de entrega e outras cositas mas.

Entrar na incerteza do NG a esta altura é complicado.

Ahhhhh mas a Boeing ainda não ligou para o Marinho.

Nick

Não tem muito sentido exigir que as Transferências de Tecnologia sejam aplicadas no mercado civil, porque basicamente é isso o que acontece.

Aqui ou em qualquer outra empresa aeronáutica no mundo. Embraer é o maior exemplo disso.

[]’s

Alexandre Galante

Sim, Nick, mas essa questão tem que ser reforçada, porque senão os políticos não são convencidos de que os caças precisam ser comprados.

Grifo

Ahhhhh mas a Boeing ainda não ligou para o Marinho.

Caro Rodrigo, tem certeza?

http://www.alide.com.br/joomla/index.php/capa/36-noticias/1755-executivos-da-boeing-se-encontram-com-o-prefeito-luiz-marinho

Tomara que a Boeing venha realmente como a “farta munição de sempre”. Só não dá para entender porque não veio antes, quando a FAB pediu a BAFO. Talvez porque a “farta municão” esteja mais para estalinho…

Reportagens especiais

Poder Aéreo no Fort Worth Alliance Air Show 2015

Em setembro participamos do Fort Worth Alliance Air Show 2015, realizado no aeroporto Worth Alliance em Fort Worth, no Texas. Este show aéreo...
- Advertisement -
- Advertisement -