sábado, janeiro 22, 2022

Gripen para o Brasil

Ministro Fernando Pimentel participará de escolha de caças da FAB

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Eliane Oliveira e Roberto Maltchik

BRASÍLIA – A presidente Dilma Rousseff determinou que o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, passe a integrar o núcleo do governo que vai escolher os novos caças para a Força Aérea Brasileira (FAB), optando entre franceses (da Dassault), americanos (da Boeing) ou suecos (da Saab).

Responsável pela política industrial do governo Dilma, que tem a inovação e a tecnologia como prioridades, Pimentel defende que a transferência de tecnologia exigida pelo Brasil na operação seja estendida à indústria aeronáutica civil, não se restringindo meramente à área militar. A entrada de Pimentel pode provocar atritos com o Ministério da Defesa, que vinha coordenando o tema.

Segundo altos funcionários do governo, ao praticamente abortar o que havia sido, de modo informal, acertado entre o ex-presidente Lula e o chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy, Dilma adia um peso a mais nas contas públicas e o impacto no Orçamento, que recebeu ontem corte de R$ 50 bilhões. Ela pretende adiar para 2012 ou 2013 gastos que comprometam a situação fiscal. O valor dos caças é estimado em US$ 6 bilhões.

Para Dilma, neste momento, não importa se os vencedores serão franceses, suecos ou americanos. Em temporada de cortes, a presidente está determinada a provocar os competidores a demonstrar que a transferência tecnológica é factível e está respaldada pela legislação de seus países. O único senão para as negociações é a vida útil da atual frota dos Mirage 2000 da FAB, que termina em 2016. Os F-5, que ficam na reserva, devem ser aposentados em 2018 e já não têm a mesma capacidade bélica de anos atrás.

O prazo considerado razoável pela Aeronáutica para a entrega dos novos caças é de quatro anos. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, já manifestou publicamente preocupação com a possibilidade de o país ficar com sua defesa fragilizada. Jobim não só pressiona por uma decisão rápida como manifesta reservadamente apoio ao acordo com os franceses, costurado por ele e pelo ex-presidente Lula.

Se, de um lado, a ampliação do debate para outras esferas do governo já expõe divergências sobre o tema, de outro, abre-se a possibilidade de se negociar algo maior, incluindo acordos de investimentos e na área comercial. No caso dos Estados Unidos, país da Boeing – fabricante do Super Hornet F-18 – as salvaguardas tecnológicas, que já impediram a venda de aviões Tucanos da Embraer para a Venezuela, representam o principal entrave. Fontes do governo são céticas sobre uma proposta tecnológica vantajosa dos EUA, o que dependeria de aprovação pelo Congresso, onde Barack Obama é refém do Partido Republicano.

Autoridades que participaram da reunião entre Dilma e o secretário de Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, revelaram que em nenhum momento a brasileira afirmou que o F-18 seria a melhor opção. Entre os técnicos do setor, fala-se que Obama pode apresentar um novo pacote, que mudaria o rumo das negociações na segunda quinzena de março.

O Ministério do Desenvolvimento afirma que Pimentel não recebeu um sinal formal da presidente de que participaria das conversas. Porém, técnicos admitem que o ministro ganhou força para negociar diretamente com os EUA um amplo acordo, que inclui produção de satélites, investimentos e abertura de mercado.

FONTE: O Globo

- Advertisement -

6 Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
asbueno

“[…] atual frota dos Mirage 2000 da FAB, que termina em 2016. Os F-5, que ficam na reserva (1), devem ser aposentados em 2018 e já não têm a mesma (2) capacidade bélica de anos atrás”. 1. F5M de reserva? Só voam se os M2000 “derem para trás”? 2. Não seria o contrário? Com a modernização houve um aumento! “O ministro da Defesa, Nelson Jobim, já manifestou publicamente preocupação com a possibilidade de o país ficar com sua defesa fragilizada”. Ele quer dizer ainda mais fragilizada, certo. Mais do que está atualmente seria uma tragédia. E de que forma ele(s)… Read more »

ZE

“O Ministério do Desenvolvimento afirma que Pimentel não recebeu um sinal formal da presidente de que participaria das conversas. Porém, técnicos admitem que o ministro ganhou força para negociar diretamente com os EUA um amplo acordo, que inclui produção de satélites, investimentos e abertura de mercado.” Se tivermos que nos aliar, que seja com o mais forte, o mais preparado, O QUE POSSA NOS DAR MAIS BENEFÍCIOS. O segundo parágrafo diz tudo ! O Acordo com o mais forte que inclua produção de satélites, investimentos e ABERTURA DE MERCADO seria ÓTIMO PARA O BRASIL ! Teríamos privilégios no MAIOR MERCADO… Read more »

Rodrigo

A coisa é simples.

Os gringos chegaram com dedo no olho e a farta munição de sempre.

Inigualáveis offset, fms, prazo de entrega e outras cositas mas.

Entrar na incerteza do NG a esta altura é complicado.

Ahhhhh mas a Boeing ainda não ligou para o Marinho.

Nick

Não tem muito sentido exigir que as Transferências de Tecnologia sejam aplicadas no mercado civil, porque basicamente é isso o que acontece.

Aqui ou em qualquer outra empresa aeronáutica no mundo. Embraer é o maior exemplo disso.

[]’s

Alexandre Galante

Sim, Nick, mas essa questão tem que ser reforçada, porque senão os políticos não são convencidos de que os caças precisam ser comprados.

Grifo

Ahhhhh mas a Boeing ainda não ligou para o Marinho.

Caro Rodrigo, tem certeza?

http://www.alide.com.br/joomla/index.php/capa/36-noticias/1755-executivos-da-boeing-se-encontram-com-o-prefeito-luiz-marinho

Tomara que a Boeing venha realmente como a “farta munição de sempre”. Só não dá para entender porque não veio antes, quando a FAB pediu a BAFO. Talvez porque a “farta municão” esteja mais para estalinho…

Últimas Notícias

Argentina também negocia a compra de caças F-16 da Dinamarca

Segundo o site argentino Pucara.org, as Forças Aéreas da Argentina e da Colômbia estão analisando ofertas para aeronaves Lockheed...
- Advertisement -
- Advertisement -