Home Sistemas de Armas Grécia compra bombas SPICE 1000 e SPICE 2000 de Israel

Grécia compra bombas SPICE 1000 e SPICE 2000 de Israel

318
15

O Ministério da Defesa da Grécia aprovou a compra de sistemas e bombas guiadas israelenses Rafael SPICE 1000 e SPICE 2000, que serão empregadas pelos seus F-16 e F-4.

O custo total é de cerca de 100 milhões de euros. A proporção será de 70% de SPICE 1000 e 30% de SPICE 2000.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
tplayer
9 anos atrás

Até a Grécia que está totalmente quebrada consegue comprar equipamentos militares de bate pronto.

Enquanto isso aqui no “país que mais cresce economicamente” levamos 20 anos.

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Pois é Tplayer. Creio que o pensamento seja crise sim mas, falidos, mortos e enterrados ainda não! Se pensaram que tudo acabou não é preciso fazer mais nada, ficarão em casa com a boca aberta esperando a morte chegar. Claro que medidas devem se aplicar a economia como um todo e assim sairem do atoleiro …… E isso leva a uma outra questão: Não lembro do comentarista que postou mas, que teve uma idéia a ser considerada, a compra à vista dos caças no FX2 usando $$$ de nossas reservas; assim ajudaria a desvalorizar o R$ sem o artificialismo do… Read more »

ZE
ZE
9 anos atrás

Amigos, a Grécia só pode comprar material cujo valor total seja baixo.

Ela realmente está quebrada e de pires na mão !

Serão 130 bilhões de Euros de ajuda da União Europeia e do FMI.

Fiquei até espantado com essa compra. No mínimo os meios de comunicação e o povo devem estar metendo o pau nessa compra.

[ ]s

ZE
ZE
9 anos atrás

Antonio M disse: 10 de fevereiro de 2011 às 13:26 Antonio M, estou sem tempo de comentar agora, mas a ideia seria PÉSSIMA ! Primeiramente, grande parte dessas “reservas” não pertencem ao Brasil. É o que se chama de ouro de tolo. É dinheiro de investimento externo (dentre outras coisas) que, ao adentrarem o Brasil, são trocados por reais. O “ÚNICO PROBLEMINHA” é que esse dinheiro pode sair a qualquer momento, seja porque ele é especulativo (bolsa de valores), seja através da emissão de lucro das empresas (feitas, em regra, anualmente). Aliás, é o que ocorre a todo o momento.… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Pera aí pessoal. A Grécia tá quebrada mas não tá morta.
Cem milhões de Euros também não é tanto dinheiro assim né?
Provavelmente equivale a uns 300 kit de bombas Spice, no máximo.

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Ops!
Devem ser mais já que fiz uns cálculos baseados em dólares e não em euros. Talvez uns 500 kits.

Alexandre Galante
9 anos atrás

Bosco, essa quantidade deve ser maior que toda a dotação de guerra da FAB.

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Com certeza Galante. Agora, sendo verdade, dizem que a FAB comprou 200 kits de bombas guiadas a laser.
É até uma boa quantidade.
Mas será verdade?

Joker
Joker
9 anos atrás

Lembrar que não temos, atualmente, tantos vetores compativeis com armamentos guiados e/ou inteligentes, e sim temos alguns vetores compativeis e outros com capacidade de… Ter grandes estoques de armamentos caros e necessitam de cuidados “especiais”, haja vista o post que já fora publicado acerca dos MAA em aeronaves turbohelices, pode não ser tão compensatorio, no momento, mas isso não quer dizer que não o devamos ter esse tipo de armamento em quantidades “suficientes” e/ou adequadas as nossas HE.

koslowa
koslowa
9 anos atrás

Fosse a Grécia um pais vizinho ao Brasil, e estivesse adquirindo uma capacidade ou sistema de armas que a FAB não tem ou só teria muitos anos depois, como o Peru e a Venezuela que adquiriram nos anos 80 caças de terceira geração 20 anos antes do Brasil. Como a Argentina ou o Chile que adquiriram 15 anos antes do Brasil aviões P-3 com capacidade ASW, como a Venezuela que 10 anos antes da FAB já operava armamentos inteligentes em pod´s de designação de alvos e reconhecimento, como o Chile e Argentina que uma década antes da FAB modernizaram suas… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

A GBU-15 americana não possui capacidade ATA (aquisição automática de alvos), operando apenas no modo “man in the loop” (homem no comando) através de data-link. A única bomba americana semelhante a Spice (e a AASM) é a JSOW-C. O programa DAMASK que visava desenvolver um sensor de imagem térmica para a JDAM com capacidade ATA (data-link opcional através de uma antena conformal) foi congelado (mas teve seu desenvolvimento completado) e não se tem notícia de ter havido encomendas. Pelo visto a versão LJDAM (à laser) é mais interessante para as forças armadas americanas tendo em vista a guerra antiterror. Já… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Desculpem-me pelo off-topic anterior.

Excelentes considerações Elizabeth!

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Amigos,

A Grecia possui F-16, helicopteros Apache, e esta quebrada. Rsrsrsrsrs.

Mas a Grecia e membro da NATO. Ela tem a obrigacao de ter equipamentos militares de ponta, que provavelmente tera o custo rateado com outros membros do pacto de defesa atlantica.

Mesmo que os gregos tenham que comer baklava com sopa pelo resto de suas vidas, seu equipamento militar tem que ser top ou quase top.

A solucao para a FAB seria filiar-se a OTAN e ter um forca aera novinha em folha. Rsrsrsrsrsrs.

Groo
Groo
9 anos atrás

Lembrei do episódio de quando a Grécia, diante da crise, tentou adiar/cancelar a compra dos submarinos e a Angela Merkel disse que isso estava fora de cogitação.

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Antonio M disse: 10 de fevereiro de 2011 às 13:26 Correto ZE mas como as reservas também são compostas, p. exemplo, em cima da receita das exportações, venda de estatais sendo que tais reservas são aplicadas pelo governo no mercado financeiro internacional, creio que haja boa parte como ativos (não sei se seria bem o termo) do governo. E receitas da venda de estatais foram usadas para viabilizar a lei de responsbilidade fiscal. Porém vale lembrar da autonomia do BC e intromissões do GF nisso não seria o melhor porém, vale a discussão que vai longe mas, não sei se… Read more »