Home Sistemas de Armas Principais armas ar-superfície americanas

Principais armas ar-superfície americanas

1415
76
f-15e-gbu-28
F-15E lançando GBU-28

Uma aeronave de ataque, ou um caça-bombardeiro é uma aeronave militar tática que tem um papel primordial na realização de ataques aéreos com precisão e está preparada para enfrentar fortes defesas antiaéreas. Esta classe de aeronave é projetada também para apoio aéreo aproximado e algumas para missões ar-superfície contra alvos navais.

O armamento ar-superfície é usado por aeronaves de ataque para atingir alvos terrestres ou marítimos. As armas incluem bombas, metralhadoras, canhões, mísseis ar-superfície, foguetes, mísseis de cruzeiro lançados por ar e lançadores de granadas.

Mas as principais armas são as bombas, que vão desde as bombas “burras”, sem orientação e que seguem uma trajetória balística do ponto de lançamento até o impacto, até as bombas guiadas, planadoras e os mísseis “stand-off”.

As bombas guiadas e mísseis empregam diversos modos de orientação, como laser, GPS/INS e Infravermelho, algumas vezes combinando diversas modalidades em uma só arma.

GBU-39 (SBD) Small Diameter Bomb

gbu-391

GBU-28 (Guided Bomb Unit) 5,000-lb

gbu-28

GBU-27 (Guided Bomb Unit) 2,000-lb

gbu-27

GBU-24 Paveway III. 2,200-lb

gbu-24-paveway-iii

GBU-15. 2,500 lb

gbu-15

GBU-12 Paveway II. 500-lb

gbu-12


GBU-10 Paveway II. 2,000-lb

gbu-10


GBU-31-32 Joint Direct Attack Munitions, JDAM

gbu-31-jdam

 

AGM-158 Joint Air-to-Surface Stand-off Missile (JASSM)agm-158-jassmAGM-154 Joint Standoff Weapon (JSOW). GPS/INS

 

agm-154-jsow

AGM-130 Powered Standoff Missile

agm-130

AGM-65 Maverick

agm-65-maverick

Subscribe
Notify of
guest
76 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Giovani
Giovani
11 anos atrás

Quem dera se a FAB pudesse adiquir todas estas armas, ou pelo menos as Paveway II e III, JDAM e os Mavericks ja estaria de bom tamanho.
Se o F-18 for escolhido ha uma boa possibilidade de isso ocorrer.

brazilwolfpack
brazilwolfpack
11 anos atrás

Giovani,se os EUA venderem o F-18,provavelmente como semprem fazem. Mandam o aviao sem radar moderno,e com municoes inferiores. Olhe o que acaba de acontecer com a India,por exemplo. Ou o Chile,que comprou F-16,mas teve que deixar os misseis la com o Tio Sam,e so pode usar-los com o visto de Washington. No blog naval justamente acaba de sair uma materia discutindo o caso da India. O Brasil,decima economia mudial,tem e que partir para a producao de suas proprias municoes avancadas,e nao ficar esperando que os EUA tenham a boa vontade de nos passar tudo de mao beijada.

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

brazilwolfpack O Chile já recebeu sua munição. A ideia da FAB é desenvolver sua própria munição o que só vai ocorrer plenamente quando estes caças alcançarem a MLU (meia vida), enquanto isso as plataformas de ensaio serão os velhos F5 e os A1. A única arma nova a ser incorporada a esse caça será o A-Darter. Esses novos caças virão com armamento e mesmo que não forem de última geração serão bem superiores aos usados pelos F5M, A1 e os outros da América Latina. Provavelmente os caças serão os SH F18, pois é o único caça plenamente operacional. O gripen… Read more »

Bosco
Bosco
11 anos atrás

É claro que não foi intenção do post citar todas as armas ar-sup americanas, já que inclui as guiadas e as não guiadas, convencionais e as nucleares, etc, ma só no sentido de colaborar ai vai mais algumas “guiadas” que não foram citadas:
Míssil anti-navio: Harpoon
Mísseis cruise: SLAM-ER e CALCM
Mísseis anti-radar: HARM e AARGM (AGM-88E)
Bombas de fragmentação: WCMD e WCMD-ER
Bombas guiadas: LJDAM
Bomba “gigante”: MOAB
Mísseis ar-sup tático: Hellfire II

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Já estaríamos bem se tivéssemos no inventário da FAB bombas guiadas à laser como as PW II de 500 e 1000 lbs, mísseis anti-radiação como o MAR-1, mísseis anti-navios como o Exocet AM-39 e um míssil tático como o Maverick.

Bagatini
11 anos atrás

Seria interessante colocar no blog as armas da FAB, TANTO AR TERRA, COMO AR-AR

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

Sei que o tema aqui são as munições americanas mas essa não dá pra deixar passar!Dizer que os Sukhoi-35 bm são velhos????Ele tem caracteristicas muito mais avançados do que os F-18 sh inclusive o IRST que só agora passará a integrar uma de suas versões.E quanto a disponibilidade de peças gostaria de lembrar que a Russia encomendou 130 sukhoi-35 bm e outros paises como a China, India e outros são potênciais compradores.O que faz alguem pensar que faltará peças para eles???????????????????Gostaria de lembrar que F-18 sh será em um ou dois anos um caça de SEGUNDA LINHA e o F-35… Read more »

Mirage
Mirage
11 anos atrás

A FAB male mal tem bombinha de são joão pra assustar passarinhos nas cabeceiras das pistas.

rssss

Marcos T.
Marcos T.
11 anos atrás

Na minha opinião,em qualquer das opções: Rafale, Gripen ou F18, o Brasil vai acabar levando ferro em algum aspecto.

Esse é o preço que se paga quando se depende dos outros e não se investe em P&D.

Erich Hartmann
11 anos atrás

Nossa pessoal desculpem o off topic que vou cometer…

Como essa aeronave (F-15E) é Bela tanto “estéticamente” quanto em versatilidade(vetor impressionante em quantidade e capacidade de carga superior a um quadrimotor Avro Lancaster da RAF na WWII!)e eficiência comprovada…um dia se Deus quiser chegaremos lá.

( para mim junto com o Spitfire MKI a MKIX das belas aeronaves esteticamente falando da História da aviação).

Jacubão
11 anos atrás

C… babei outra vez o teclado e… vixi… deu curto!!!!

Bandeira
11 anos atrás

Cleuber,como afirmar, que o sukhoi é melhor, se só existem 05
protótipos, e se for por encomendas o futuro cargueiro da Embraer,já tem um monte, e não há como negar que o projeto Russo é velho, basta ver o desenho.

Jacubão
11 anos atrás

Ué, o RAFALE, F-18 e GRIPEN são projetos pós ano 2000????????

Tiago Jeronimo
Tiago Jeronimo
11 anos atrás

As mais novas bombas do arsenal americano se não me engano são as GBU-39 (SBD), as quais foram compradas por israel e provavlmente serão usadas num possivel ataque as istalações nucleares subterrâneas do Irã.

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

Jacubão
os RAFALE, F-18 e GRIPEN estão em produção, mas os 05 protótipos do SU 35 estão…….

J Roberto
J Roberto
11 anos atrás

Durante a guerra do Golfo os pilotos de F-15E gostavam da GBU-10 de 900kg para atacar pontes, Scuds, centros de comando e bunkers. Na Operação Enduring Freedom passaram a gostar mais da GBU-12, menor e mais precisa e com menor dano colateral. Voavam as GBU-12 com espoleta de impacto de um lado e com espoleta de atraso no outro lado. Durante um ataque diurno com o F-16 com bombas burras contra reatores nucleares em Bagdá, 32 caças F-16 foram apoiados por 16 caças F-15, quatro EF-111 e oito F-4G com pouco sucesso. Oito F-117 armados com bombas guiadas a laser… Read more »

J Roberto
J Roberto
11 anos atrás

Para não dizer que a FAB não possue armas à laser,no fim de 2004 as aeronaves A-29 Super Tucano da FAB realizaram uma campanha de testes com armas inteligentes israelenses da família Lizard da Elbit. Os alvos foram designados pelo laser da torreta FLIR Star Safire que equipa os A-29B. O primeiro lote de 250 bombas Lizard foi comprado em 2006 com entregas em 2007. Outros lotes também serão adquiridos. Os F-5EM também poderão lançar as bombas com o guiamento sendo feito pelo casulo Litening III que já foram comprados também. Os A-1M também devem ser armados com a Lizard… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

“Veja a Página 66 (opinião) da Revista Tecnologia e Defesa – ano 25 nº 116. Em parte concordo com a opinião da revista. Acredito que a FAB tem que investir em sistemas, pois para que a atualização desses caças possam ser feitas como está sendo feita nos F5 e A1.”

Não somente a FAB, mas tdas as forças armadas tem que investir, não em sistemas mas em “arquitetura de sistemas”, senão focamos atolados exclusivamente c/ a Elbit.
E o ideal é aproveitar o que o mercado tem a oferecer e não somente uma unica empresa.

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

Errei!

Aonde se lê:

“focamos”, leia-se “ficamos”

Jacubão
11 anos atrás

Robson BR, O RAFALE F-3 e o GRIPEN NG estão??????????
Só o F-18SH escapa dessa.

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

Jacubão
concordo com vc no Gripem NG, mas no Rafale ele já está operacional

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

Vou lembrar novamente os colegas que a Russia encomendou 130 sukhoi 35 bm!Basta observamos as caracteristicas do sukhoi 30 mki da India para sabermos do que o 35 bm é capaz de fazer!Outro projeto que tambem começará a ser produzido é o sukhoi 34 fullback que certamente será adquirido por outros clientes.Não entendo o que os anti equipamentos russu tem na cabeça, com tantos caças magnificos como o sukhoi-30 que antes do f-22 e do f-35 eram reconhecidos pelo próprio EUA como o melhor caça do mundo os caras só sabem dizer o besteirol que os equipamentos russus não prestam,… Read more »

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

Em artigo publicado aqui mesmo no blog no dia 20 fevereiro, 2009 às 17:53 a Sukhoi confirma a entrada em serviço do sukhoi 35 bm para 2011,25/02/2008 10:47 – Novos Projetos Caça Sukhoi Su-35-1 faz seu primeiro vôo na Rússia O antigo Flanker foi totalmente redesenhado com melhoramentos como motor, estrutura e radar com alcance para 400km Hercules Araújo Ampliar a imagem O caça multi-função monoplace Sukhoi Su-35-1 fez seu primeiro (esperado) vôo em Zhukovsky, próximo a Moscou em 18 de fevereiro. Mais dois protótipos estarão prontos até o final deste ano. As primeiras entregas estão previstas para 2010 e… Read more »

welington
welington
11 anos atrás

Pós venda Russo gera duvidas, os EUA boicotam peças e produtos, caso alguém vá contra suas ideologias (No nosso caso aonde vamos confrontar varias posições dos EUA daqui para frente, respeitando nossos interesses não é interessante ficar nas mãos dos mesmos em assuntos estratégicos militares já que vamos ter que confrontar interesses dos mesmos e esta nação não aceita isto sem efetuar pressões ou boicotes), neste caso ficaríamos totalmente nas mãos dos mesmos, a França repassou os códigos fonte dos mísseis argentinos para a Inglaterra, interessante, mas a índia e a China estão bastante felizes com seus vetores, a china… Read more »

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Toda classificação é forçosa e artificial. Classificar caças não foge à regra. Subclassificá-los em geração e meia ou geração seguida de sinais de + é pior ainda. Na melhor das hipóteses um caça é de uma determinada geração mas incorpora características de outra já que como disse é tudo muito artificial e as “gerações” se superpõem. A grosso modo a classificação de caças a jato em “gerações” segue a seguinte padronização: A primeira geração de caças a jato tem como maior representante o Me 262 alemão e seu diferencial foi, claro, no uso de um motor turbojato. A segunda geração… Read more »

Ivan
Ivan
11 anos atrás

Bem lembrado, Bosco.

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

“o insuperável F-22”, já estão prevendo o futuro!EHEHEH
Para os desenformados o Gripen foi o primeiro caça de 4° geração e não o F-16, o Gripen foi o primeiro caça a apresentar uma real configuração multi-roler proporcionada por seus sistemas integrados onde a configuração do caça pode ser mudada atraves dos seus sistemas eletrônico, já que o mesmo foi o primeiro a nascer multi função. Acesse o link e confira: http://www.varican.xpg.com.br/varican/Diversos/Programafx.htm

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Clêuber,
quando usei o termo “insuperável” me referia ao presente e não ao futuro.
Quanto ao Gripen, se o site que você indicou diz que ele é o “primeiro caça realmente de quarta geração”, seja lá o que isso queira dizer, então eu concordo. rsrs……
Um abraço meu caro “bem informado”.rsrs…..

welington
welington
11 anos atrás

Mauro nunca disse que o custo de operação do SU-35 BM é o menor (É clara a ironia.), mas me refiro a custo das operações (Operação), o SU-35 BM é a única aeronave que poderia nos dar uma supremacia aérea com poucas unidades devido a sua grande velocidade de cruzeiro e alcance (Claro alem das suas grandes capacidades de combate) sem necessidade de REVO desta forma sem este apoio específico e também pelo menor numero de unidades necessárias para realizar uma mesma missão devido a sua maior capacidade de carga ele possui o menor custo em operações de médio e… Read more »

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Mauro, relex também meu caro amigo. Um grande abraço! Cleuber, tenho que concordar que o Gripen foi um dos primeiros caças de “quarta geração e meia”. Mas o F-16 foi o primeiro de quarta geração. O que determina a geração de um caça é a incorporação em um projeto de avanços significativos que trará um incremento substancial do ponto de vista operacional em relação aos projetos anteriores. Embora o Gripen seja um vetor de altíssima qualidade ele não trouxe no seu bojo nada absolutamente significativo a ponto de mudar o paradigma anterior. Sua evolução foi natural. O F-16 incorporou tecnologias… Read more »

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

“Não precisa se desculpar, seu texto melhorou muito nos últimos tempos”.
Isso sim é que é presunção mas temos que conviver com alguns brigadeiros do ar!Rrsssrrrssrrs

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Mauro e Clêuber, pelo visto estamos todos aguardando a largada e a vitória do Rubinho. Mauro, eu acho que a indústria nacional tem tudo para projetar e construir um caça. O problema maior seria fazê-lo competitivo no mercado internacional. Embora indo contra a tendência mundial eu acho que poderíamos fazer mesmo um AMX II, ou seja, um avião de ataque baseado no AMX que fosse mais avançado e capaz a princípio, e daí, através de parcerias internacionais partirmos para um caça de quinta geração. Mas creio que apenas em um futuro distante. O projeto e a construção de um avião… Read more »

welington
welington
11 anos atrás

Mauro em 29 mar, 2009 às 0:11 O custo de operação não é o menor. O que é menor é o custo das operações….rs. Ele é operacional, não é operacional em uma força aérea….rs. Precisa comentar? Não vale a pena…rs. Welington rsrs, os custos de operação do SU-35 BM já são conhecidos á muito tempo assim como o das suas versões anteriores e desde quando um caça precisa estar operacional em uma força aérea para se saber o custo de operação??????? Levando-se em conta os custos de vôo da aeronave seu alcance sua capacidade de carga e também levando em… Read more »

welington
welington
11 anos atrás

Que isso Mauro tenho maior respeito por você como pelos outros amigos do BLOG como o Hornet, Bosco, Marine, ETC, claro que pode me chamar de amigo, temos nossas discussões claro, mas já á algum tempo elas se tornaram saudáveis sem perder o foco principal das discussões o melhor para o país o que só abrilhantou nossas discussões como também o BLOG, como diz o Marine existem (13) pessoas que são a alma do BLOG e você esta entre elas. Concordo com a independência tecnológica, mas temos que ter parceiros para nos desenvolvermos, pois sozinhos demoraremos e gastaremos muito mais… Read more »

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

É um verdadeiro imortal da academia nacional de letras senão vejamos:gripén, desenvolvéssemos, substiruição, melhoru, impala! quase todos aqui cometem erros e assumem, mas existem os que assumem a condição de “imortais”.Fazer o que de quem elege Romário um filósofo! welington, concordo com vc.O sukhoi 35 BM foi eliminada por questões políticas e não técnicas!O comprometimento de governos como o do Brasil no campo da tomada de decisão com os EUA é muito grande.Esse comprometimento suplanta muitas vezes as reais necessidades da nação!Concordo também com vc, quando diz que o custo de operação do sukhoi-35 BM pois isso é um fato… Read more »

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

Completando: o custo de operação do sukhoi-35 BM é menor.

trackback
11 anos atrás

[…] a capacidade de ataque maciço aos alvos inimigos. Para essas missões, o F-22  leva duas bombas GBU-32 JDAM de 1.000lb (454kg) ou 8 bombas SDB (small diameter […]

trackback
10 anos atrás

[…] Paveway IV é a última da série e usa guiagem GPS/INS e laser, aumentando a capacidade de uso em qualquer […]

Giovani
Giovani
11 anos atrás

Quem dera se a FAB pudesse adiquir todas estas armas, ou pelo menos as Paveway II e III, JDAM e os Mavericks ja estaria de bom tamanho.
Se o F-18 for escolhido ha uma boa possibilidade de isso ocorrer.

brazilwolfpack
brazilwolfpack
11 anos atrás

Giovani,se os EUA venderem o F-18,provavelmente como semprem fazem. Mandam o aviao sem radar moderno,e com municoes inferiores. Olhe o que acaba de acontecer com a India,por exemplo. Ou o Chile,que comprou F-16,mas teve que deixar os misseis la com o Tio Sam,e so pode usar-los com o visto de Washington. No blog naval justamente acaba de sair uma materia discutindo o caso da India. O Brasil,decima economia mudial,tem e que partir para a producao de suas proprias municoes avancadas,e nao ficar esperando que os EUA tenham a boa vontade de nos passar tudo de mao beijada.

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

brazilwolfpack O Chile já recebeu sua munição. A ideia da FAB é desenvolver sua própria munição o que só vai ocorrer plenamente quando estes caças alcançarem a MLU (meia vida), enquanto isso as plataformas de ensaio serão os velhos F5 e os A1. A única arma nova a ser incorporada a esse caça será o A-Darter. Esses novos caças virão com armamento e mesmo que não forem de última geração serão bem superiores aos usados pelos F5M, A1 e os outros da América Latina. Provavelmente os caças serão os SH F18, pois é o único caça plenamente operacional. O gripen… Read more »

Bosco
Bosco
11 anos atrás

É claro que não foi intenção do post citar todas as armas ar-sup americanas, já que inclui as guiadas e as não guiadas, convencionais e as nucleares, etc, ma só no sentido de colaborar ai vai mais algumas “guiadas” que não foram citadas:
Míssil anti-navio: Harpoon
Mísseis cruise: SLAM-ER e CALCM
Mísseis anti-radar: HARM e AARGM (AGM-88E)
Bombas de fragmentação: WCMD e WCMD-ER
Bombas guiadas: LJDAM
Bomba “gigante”: MOAB
Mísseis ar-sup tático: Hellfire II

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Já estaríamos bem se tivéssemos no inventário da FAB bombas guiadas à laser como as PW II de 500 e 1000 lbs, mísseis anti-radiação como o MAR-1, mísseis anti-navios como o Exocet AM-39 e um míssil tático como o Maverick.

Bagatini
11 anos atrás

Seria interessante colocar no blog as armas da FAB, TANTO AR TERRA, COMO AR-AR

Clêuber
Clêuber
11 anos atrás

Sei que o tema aqui são as munições americanas mas essa não dá pra deixar passar!Dizer que os Sukhoi-35 bm são velhos????Ele tem caracteristicas muito mais avançados do que os F-18 sh inclusive o IRST que só agora passará a integrar uma de suas versões.E quanto a disponibilidade de peças gostaria de lembrar que a Russia encomendou 130 sukhoi-35 bm e outros paises como a China, India e outros são potênciais compradores.O que faz alguem pensar que faltará peças para eles???????????????????Gostaria de lembrar que F-18 sh será em um ou dois anos um caça de SEGUNDA LINHA e o F-35… Read more »

Mirage
Mirage
11 anos atrás

A FAB male mal tem bombinha de são joão pra assustar passarinhos nas cabeceiras das pistas.

rssss

Marcos T.
Marcos T.
11 anos atrás

Na minha opinião,em qualquer das opções: Rafale, Gripen ou F18, o Brasil vai acabar levando ferro em algum aspecto.

Esse é o preço que se paga quando se depende dos outros e não se investe em P&D.

Erich Hartmann
11 anos atrás

Nossa pessoal desculpem o off topic que vou cometer…

Como essa aeronave (F-15E) é Bela tanto “estéticamente” quanto em versatilidade(vetor impressionante em quantidade e capacidade de carga superior a um quadrimotor Avro Lancaster da RAF na WWII!)e eficiência comprovada…um dia se Deus quiser chegaremos lá.

( para mim junto com o Spitfire MKI a MKIX das belas aeronaves esteticamente falando da História da aviação).

Jacubão
11 anos atrás

C… babei outra vez o teclado e… vixi… deu curto!!!!

Bandeira
11 anos atrás

Cleuber,como afirmar, que o sukhoi é melhor, se só existem 05
protótipos, e se for por encomendas o futuro cargueiro da Embraer,já tem um monte, e não há como negar que o projeto Russo é velho, basta ver o desenho.