segunda-feira, outubro 25, 2021

Gripen para o Brasil

GE vai montar centro de serviços no país

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A GE anunciou ontem a construção de uma nova unidade no município da região serrana do Rio de Janeiro. Será um centro de serviços de manutenção de turbinas aeroderivadas, utilizadas em usinas termelétricas e em plataformas de petróleo, na geração de energia elétrica ou no acionamento mecânico, com gás ou outros combustíveis, como o etanol. O grupo de empresas GE planeja investir US$ 250 milhões no país até 2012. Inclui um centro de pesquisas, mas o Estado ainda não foi definido.

A multinacional já tem na cidade a GE Celma, especializada na manutenção de turbinas de avião. O investimento inicial na nova unidade será de US$ 10 milhões. Segundo a empresa, a proposta é atender além da demanda brasileira, clientes na América Latina. Hoje, esses serviços estão sendo realizados em pela GE no exterior. O início da operação está previsto para 2011 com a contratação de 30 técnicos e engenheiros de alta qualificação.

Em janeiro, a GE e a Petrobras firmaram contrato para o uso do etanol de cana-de-açúcar em um sistema de turbina a gás para a produção de energia elétrica em escala comercial na Usina Termelétrica de Juiz de Fora. A GE tem a perspectiva de que a demanda por eletricidade dobre nos próximos 20 anos. Assim sendo, vai aumentar a procura por combustíveis não convencionais, especialmente aqueles que ajudam a controlar as emissões de gases na atmosfera.

As turbinas aeroderivadas da GE estão presentes em várias das termelétricas do Brasil e em plataformas de petróleo. São mais de 3,6 mil delas instaladas em todo mundo. E segundo a GE a escolha do Brasil é apenas um primeiro passo nessa área uma vez que o país oferece outras oportunidades.

Em comunicado à imprensa, Darryl Wilson, vice-presidente de Turbinas a Gás Aeroderivadas para a GE Power & Water informou que o objetivo é ganhar em eficiência. “O novo centro cortará o tempo de serviço pela metade, eliminando altos custos de transporte, reduzindo o tempo dos clientes com o equipamento parado e diminuindo o prazo de entrega”, afirmou.

No ano passado, a GE/Celma fechou contrato de US$ 1 bilhão com a Azul para manutenção de turbinas de aeronaves Embraer 190 e 195. O serviço começa a ser prestado em 2011 e tem duração de dez anos. Em 2009 firmou memorando de entendimento com a TAM para manutenção, reparo e inspeção de sua frota Boeing 777 equipada com turbinas GE por 12 anos. O acordo foi de US$ 345 milhões.

A GE Celma é um dos principais centros globais de serviços de aviação da companhia. Emprega cerca de mil profissionais em Petrópolis. A decisão da empresa pelo novo investimento no município, segundo a GE, leva em conta a infraestrutura já existente na região e a qualificação técnica da mão de obra. A nova instalação estará localizada num terreno de 7,9 mil metros quadrados. A proposta é também prestar serviços para máquinas movidas a gás natural, combustíveis líquidos ou etanol de cana de açúcar.

A Celma foi fundada na década de 1950. Produzia ventiladores e peças de carro. Depois, transformou-se em centro de manutenção de motores da Panair. Com o fim da companhia Aérea, acabou sendo absorvida pela Força Aérea Brasileira e continuou atuando como oficina de turbinas. No início dos anos 1990, frente a dificuldades financeiras, foi privatizada. A GE formava o consórcio vencedor.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

LEIA TAMBÉM:

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
roberto bozzo

sei não, tem algo acontecendo longe dos holofotes….a Saab anuncia investimentos em um centro de desenvolvimentos, a GE também em um centro de pesquisas e no centro de manutenção de motores… a Dassault esta incrivelmente calada… ao que tudo parece, a decisão caminha para o Gripen; o Saito já disse que as entregas começariam em 2016 e tanto a Boeing quanto a Dassault poderiam iniciar estas entregas antes, então…

Bruno Rocha

Isso tem cara de que não teremos uma industria ancional aerea. A Embraer é uma motadora. Nosso sonho de fabricar nosso próprio motor para aviões está indo para o ralo.
Trabalho numa empresa e aprendi que é assim que se acaba com os prováveis futuros co correntes.

Carlos Augusto

Quantos anos essa GE esta no Brasil? Agora que o Brasil começa ver uma luz no fim do tunel (TR-3500) projetada e construida pelo ITA, vem a GE querendo oferecer turbina para a Petrobras e talvés até para Embraer, esses americanos sempre tão “bonzinhos”, que turminha mais legal. Melhor matar no nascedouro, não vamos deixar eles colocarem a cabeça para funcionar e tentar construir uma Embraer das turbinas, não isso pode dar dor de cabeça…

Paulo

Nada mais natural que empresas estrangeiras, quando pensam em Hemisfério Sul e lucros, pensem no Brasil. Quem ao Sul do Equador (a linha e não o país) possui em PIB como o nosso? Uma indústria como a nossa? Uma frota aérea, marítima e terrestre como a nossa? Li nalgum lugar que a frota de helicópteros de SP já superou a de NY. A exportação de commodities e agora o pré-sal agitaram a construção naval e o uso principalmente de helicópteros. Serão novos ganhos para o País. Fatalmente vai exigir, com o crescimento do Brasil, mais investimentos em infraestrutura, como rodovias,… Read more »

Mauricio R.

E até parece que essa TR-3500, está em alguma posição de competir no mercado, c/ a CF-34 que equipam os ERJ…

Daniel Rosa

A TR-3500 obviamente não tem condições de competir com nenhuma das turbinas existentes no mercado. Qualquer um sabe que ela é vista como parte de um turbo-hélice, a ser usado em UAVs. Ocorre que ela é o primeiro passo, assim como o foi o Bandeirante… O que vc diz Carlos, é correto! Ela é pontapé inicial para algo bem maior, se o governo aplicar os recursos necessários. Quanto a Celma, bom seria se ela montasse a turbina do futuro FX-2, que espero, seja o Gripen NG! Talvez com alguma tranferência de tecnologia, que poderia ser revertida em beneficio de uma… Read more »

Carlos Augusto

Daniel, no meu modo de ver o governo deve proteger e incentivar o inicio deste empreendimento TR-3500, foi desta maneira que America é o que é hoje, assim a China, a Índia e outros países estão fazendo, felizmente nem todo brasileiro é tapado. Comparar algo que esta começando a ser feito aqui com uma turbina fabricado por uma industria que já tem no mínimo 40 anos de existência, graças a Deus, que aquela turminha de jovens universitários do ITA estão começando a por em prática tudo que eles estão apreendendo, e assim o Brasil vai poder brilhar num futuro bem… Read more »

Daniel Rosa

Concordo com cada linha sua Carlos! Como vc bem o disse, algumas pessoas não conseguem enchergar um palmo a frente do focinho! Talvez demoremos um pouco para chegar a uma turbina nacional, mas assim foi na aviação, assim foi com o MAA-1 Piranha, assim sempre é com o brasileiro, tudo mais lento e mais difícel… mas no final acabamos sempre chegando lá! Que a molecada do ITA e de outros institutos, universidades, metam mesmo a mão na massa! Nosso futuro depende deles…
Um abraço e bom final de semana.

Rodrigo

Carlos Augusto disse: 8 de outubro de 2010 às 22:55 Como sempre os camisas vermelhas procuram no inimigo americano a culpa dos problemas do Brasil, desviando o foco da nossa inépcia em desenvolver P&D constantemente e com o devido fluxo financeiro. Esta opinião não é exclusividade sua, já vi muito “entendidão” falando a mesma coisa. A TR-3500 é um embrião muito inicial de um protótipo de motor funcional, nada mais do que isto. Quem for aguardar o seu desenvolvimento, vai ficar sem motor ainda por décadas. Devemos agradecer a GE, R&R, Snecma e quem mais quiser se instalar aqui com… Read more »

Mauricio R.

“…mas assim foi na aviação, assim foi com o MAA-1 Piranha,…” E o que há de tão sensacional no MAA-1 Piranha??? O quase quarto de século que este levou p/ ser desenvolvido??? Veja bem, nesse período nossos sócios sul africanos desenvolveram, produziram e empregaram em combate o míssil Kukri, e isto apesar de um embargo a venda de materiais de defesa, imposto pela ONU. E parece que o Brasil aprendeu algo c/ isso, pois está pagando pelo desenvolvimento do A-Darter, ora em curso na África do Sul. Qnto a TR-3500, ela não tem assim um focinho de RR Viper??? Ví… Read more »

Daniel Rosa

“E o que há de tão sensacional no MAA-1 Piranha??? O quase quarto de século que este levou p/ ser desenvolvido???” …é justamente sobre isso a que me referia! O que há de tão sensacional? Um pais que não passava de exportador de bananas, que nunca teve um pátio industrial a sua altura, uns poucos metem a mão na massa quase que sem apoio do governo, e chegam a um missel que pouco fica a dever a versão L do Sidwinder??? E vc ainda pergunta? Dele já derivou o MAA-1B! O que ha de excepcional nele? Pesquise. Quanto ao projeto… Read more »

Daniel Rosa

Rodrigo disse:
10 de outubro de 2010 às 9:30

Acho que temos que atacar nas duas frentes. Continuar com o desenvolvimento de uma familia da TR-3500, a fim de chegar em um turbofan totalmente nacional, e isso não será nada facil. E acho que devemos usar uma empresa nacional, no caso a Celma, para sim, montar aqui turbofans como os usados no Gripen NG e SH, com todos os benefícios de aquisição de tecnologia que eles trouxerem.
Empregar o que se aprendeu para aperfeiçoar uma familia de turbofans nacional, e um dia, quem sabe, chegar a independência neste campo.

Rodrigo

Mauricio R. disse: 10 de outubro de 2010 às 12:40 É justamente isto… A R&R Viper, para quem não sabe é um motor da década de 50! Temos somente 60 anos de atraso… O Brasil não pode esperar o desenvolvimento deste motor até ele alcançar o nível dos atuais, então temos mais que agradecer a grandes empresas do setor verem o nosso país como um mercado atraente e virem se instalar aqui. Vamos ganhar uma massa de pessoas aptas a trabalhar com este tipo de motor e quem sabe acelerar o desenvolvimento do nosso, que obrigatóriamente terá que receber investimentos… Read more »

Rodrigo

É 50% off.. Feito por particulares… http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/812971-espaconave-comercial-para-turistas-faz-primeiro-voo-solo.shtml Ai eu pergunto… Se tivessemos a devida facilidade para obter empréstimos e taxas de juros aceitáveis no nosso país quantos “Burt Ratans” e “Scaled Composities” teríamos por aqui ? Não acredito que o Sr. Rutan, a quem sou fã desde o início da minha adolescência, seja o único gênio aeronáutico do mundo ao fazer projetos com tecnologia e designers avançadíssimos e grande parte deles vendidos em kits. Observação: É bom lembrar que este projeto não tem um tostão de dinheiro do Governo. O que temos nos países do primeiro mundo e em especial… Read more »

Daniel Rosa

E deve inejá-los mesmo! Só não podemos esquecer que o que temos a frente de nosso pais são pessoas que nós mesmos colocamos lá, fora os da época da ditadura, claro! Para tudo há de se ter um início. Se vamos começar com a TR-3500, então vamos lá! Se dela vamos chegar a voos mais altos, ai é outra história! Infelizmente nem tudo depende das pessoas que frequentam estas páginas! Tem gente aqui metido a ser chegado de pessoas do MD, gente metida a ter contatos… essas pessoas deveriam pegar as oponiões postadas aqui e levar a conhecimento dos caras… Read more »

Últimas Notícias

IMAGENS: Cerimônia do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira

Por André Magalhães Aconteceu na manhã do dia 22 de outubro, na ALA 1, em Brasília (DF), a cerimônia alusiva...
- Advertisement -
- Advertisement -