terça-feira, junho 15, 2021

Gripen para o Brasil

À espera dos caças

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Ana Carolina Dani

O Brasil é hoje o maior importador de armamentos da França -mesmo antes da definição do governo sobre a compra dos caças franceses Rafale-, segundo relatório divulgado anteontem pelo Ministério da Defesa francês.

Os números mostram pela primeira vez o impacto da aliança diplomática e militar firmada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu colega francês, Nicolas Sarkozy, nos últimos anos.

Os contratos assinados entre os dois países entre 2005 e 2009 já somam 5,5 bilhões (R$ 12,8 bilhões).

Com isso, entre os anos de 2008 e 2009, o Brasil passou do nono para o primeiro lugar do ranking mundial de importadores – batendo parceiros históricos da França, como Arábia Saudita e Índia.

As importações brasileiras de armas da França saltaram de 101 milhões, em 2005, para 3,8 bilhões, em 2009, salto de 3.700%.

O relatório francês revela que a predominância do Brasil se deu graças sobretudo à aquisição de submarinos do tipo Scopèrne.A parceria já vinha sendo delineada sob o governo Jacques Chirac (2006).

Mas chegou ao seu auge em 2009, quando o francês visitou o Brasil e selou contratos para a venda de quatro submarinos convencionais, por 415 milhões cada, e a montagem de uma embarcação com reator nuclear brasileiro ( 2 bilhões).

Também foi fechado um contrato de 1,8 bilhão para a aquisição de 50 helicópteros EC-725 de transporte.

A França aposta, agora, na decisão do governo brasileiro para fechar o primeiro contrato de exportação dos caças franceses Rafale, produzidos pela Dassault.

Estão na disputa também modelos de EUA e Suécia, mas o Ministério da Defesa brasileiro defende o acordo com os franceses para dar prosseguimento à parceria estratégica.

A decisão final é do presidente Lula, que, segundo o ministro Nelson Jobim (Defesa), irá tomá-la com seu sucessor, após novembro.

O Ministério do Desenvolvimento do Brasil não divulga valores de importação de armas estratégicas.

As compras de armas comuns (fuzis, bombas e artilharia) feitas pelo Brasil de diversos parceiros subiram de R$ 8,5 milhões em 2005 para R$ 46 milhões em 2009, um aumento de 440%.

A conta exclui equipamentos pesado, como submarinos e aviões.

O relatório mostra ainda que a França exportou, em 2009, 7,2% dos armamentos no mundo, somando 8,6 bilhões. Ficou atrás dos EUA, responsáveis por 52% das exportações mundiais, do Reino Unido, com 13,4%, e da Rússia, com 8,4%

FONTE: Folha de São Paulo, via Notimp

- Advertisement -

11 Comments

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Latino

Esses parceiros estrategicos que chamam nossos produtos agricolas de lixo-sulamericano .estão levando todos os contratos militares …

Verdadeira parceria CARACÚ .

Leandro

Fuzis, bombas e artilharias de quem?
Que eu saiba só rolou helicópteros, submarinos, tanques e aviões de transporte!

Paulo

Alguém poderia explicar do que trata esta “parceria estratégica”? Até agora não pude ver nada, apenas uma relação de comércio com uma possível tranferência de tecnologia, pela qual vamos pagar muito caro.

Joker

Deixa os franceses quietos, ngm mandou sermos burros de fazer esse tipo de negociata…

Sagran Carvalho

Srs, Me faço uma pergunta e extendo a todos colegas…. no intuito de encontrar uma resposta satisfatória… Quando definitivamente a tal “Aliança Estratégica” irá realmente ter inicio? Pois até o momento, cumprimos tudo que nos foi solicitado pelo vendedor francês….compramos submarinos e helicopteros, mas quando necessitamos de apoio do dito parceiro, não o obtevemos quanto a questão agrícola e muito menos na questão do “apoio” tresloucado ao governo iraniano? Dificil né….!!!! E o nosso “querido Bolivarian Goverment” ainda quer insistir nesta aliança… Para não dizer nada…..já que não tenho provas….é no minímo estranho tal posição. Se alguém tiver tal resposta,… Read more »

kaleu

Sagran Carvalho,

Nem desenhando dá pra entender !

O Grande malvado do norte tem seus céus “riscados” por milhares … sim … milhares de aviões made-in-Brazil … e o “nosso” PARCEIRO ESTRATÉGICO … faz oposição aberta até mesmo em comprar produtos agricolas do Brasil …

Deve haver algum benefício oculto … bota oculto nisso … nessa tal “parceria” caracu by NJ …

abc
kaleu

Luis

Vejo três possíveis saídas para o FX-2: 1) Comprarmos o Boeing F-18E/F Super Hornet (36 ou +) com o pacote que foi oferecido pelo fabricante e entrarmos no projeto do Gripen NG, usando o motor GE F414; 2) Comprarmos o Eurofighter Typhoon EF-2000 Tranche 1 (36 ou +) usados da Itália e Inglaterra e entrarmos no projeto do Gripen NG, usando o motor EJ200; 3) Entrarmos no projeto do Gripen NG e usarmos os Gripen A/B/C/D estocados na Suécia até os E/F ficarem prontos (motor a definir). Na verdade, existem outras saídas, mas algumas podem não nos levar a lugar… Read more »

Livre pensador

A saida meu caro esta nas nossas mãos dia 31 de outubro de 2010.Só assim acabamos com esta tremenda palhaçada.

Moussa

Bom senhores, esta questão, a meu ponto de vista, é mais uma mancada por parte do nosso querido Itamaraty. Tudo sempre pensando na tão cobiçada e adorada e sonhada cadeira permanente no conselho de segurança da ONU. Falo isso porque a verdadeira “parceria estratégica” seria um apoio da França para cm a demanda tupiniquim da cadeira no conselho. Fica um tanto obvio que os EUA não vão dar esse “apoio” de forma facil assim, apenas com a venda de alguns F-18, mesmo porque isso não faz parte da politica deles, ainda mais com um governo anti-americano como o nosso, e,… Read more »

kaleu

Olá Moussa, Acho que esses discursos do Sarkozy indicando uma cadeira permanente ao Brasil no CS ONU … é puro teatro … sem absolutamente nenhum resultado prático … Importante ressaltar que para modificar o atual “desenho” do CS permanente deve haver UNANIMIDADE … EEUU, França, China, Inglaterra e Russia … ou seja, qual a possibilidade dos EEUU votarem a favor do Brasil, considerando nossa postura em relação ao Irã de Ahmadinejad ???? … ZERO !!! Isto posto, qual é o impacto do “discurso” do Sarkô ??? … ZERO à esquerda … é absolutamente inócou … Em resumo, na “parceria” francesa… Read more »

Edmar

Caros Amigos Kaleu, Rodrigo, Vader, Alex Galante, Póggio, Nunão e demais amigos do Blog.: Os Submarinos e os Helicópteros da França são bons e foi uma boa aquisição do Brasil…, mas, a aquisição dos caças “Dassault Rafale” seriam um erro por parte do Brasil por causa do seu alto custo. Na situação do Brasil o melhor avião seria mesmo e sem sombra de dúvidas o “Saab Gripen NG” por ser mais barato e ter custos menores. Veja: É mais barato o Brasil operar 60 caças (50 monoposto e 10 biposto) “Saab Gripen NG” do que operar 36 caças (28 monoposto… Read more »

Reportagens especiais

Commemorative Air Force apresenta ‘Wings Over Dallas’

Dallas, Texas - A Força Aérea Comemorativa (Commemorative Air Force - CAF) realizou neste fim de semana o show aéreo...
- Advertisement -
- Advertisement -