Home Indústria Aeroespacial Saab apresenta soluções para defesa aérea tailandesa

Saab apresenta soluções para defesa aérea tailandesa

242
51

Em uma cerimônia realizada ontem em sua fábrica, na cidade de Linköping (Suécia), a Saab apresentou à Tailândia, sua cliente, o sistema de defesa aérea para o país. O evento celebrou a assinatura do contrato entre a Suécia e a Tailândia.

Muitos convidados importantes estiveram presentes na cerimônia, entre eles o Supremo Comandante da Real Força Aérea Tailandesa, ACM Itthaporn Subhawong; Gunnar Holmgen, o Diretor Geral da FMV (Försvarets Materialverk), a agência sueca encarregada da administração de material bélico; Sten Tolgfors, Ministro da Defesa da Suécia; e Åke Svensson, o CEO da Saab.

“Eu parabenizo a Saab e a FMV pelo ótimo trabalho. Estou realmente ansioso para ver o Gripen para a Tailândia voando em céu tailandês” disse o Supremo Comandante ACM Itthaporn Subhawong.

“Gostaria de dar os parabéns à Tailândia pelo excelente sistema de defesa aérea e espero ansiosamente pela continuidade da cooperação” disse Sten Tolgfors, Ministro da Defesa da Suécia.

A Real Força Aérea Tailandesa abriu uma licitação para a compra de um sistema de defesa aéreo integrado com caças Gripen C/D, com o sistema de alerta antecipado ERIEYE e com o sistema de Comando e Controle C2, o que inclui o sistema de comunicações por datalink. Esta solução completa, em associação com uma operação bilateral de cooperação visando, sobretudo, transferência de tecnologia, conferirá à Tailândia a base para um avançado sistema de defesa baseado em rede.

A Real Força Aérea Tailandesa receberá seis aeronaves de combate Gripen C/D com capacidade para múltiplos empregos, na última versão, a partir do início de 2011. Um sistema de radar ERIEYE montado em uma aeronave Saab 340 e uma outra aeronave do mesmo tipo Saab 340 serão entregues em dezembro deste ano. Um sistema de Comando e Controle C2, incluindo equipamentos para três instalações terrestres de rádio serão entregues em março de 2011.

O primeiro caça Gripen da Tailândia fez seu voo inaugural em 16 de setembro de 2009 e pilotos tailandeses, bem como técnicos e mecânicos de aviação, responsáveis pela manutenção e assistência à aeronave, já iniciaram seu treinamento, na Escola Técnica das Forças Armadas, em Halmstad e na base F7 de Såtenäs, na Suécia.

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
51 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Essa é a nossa parceira Saab…fica promovendo a plataforma Saab 340/Saab 2000, em concorrência com a plataforma EMB-145/Erieye…belos parceiros esses.

robert
robert
10 anos atrás

Marcelo disse:
19 de agosto de 2010 às 7:38

e desde quando turbo-hélice compete com avião a jato?

e quando que o Rafale vai ter uma festa assim de fechamento de contrato? 😀
oeaihoieahoaehoaeoehio

no máximo o rafale vai ter uma festa de encerramento de produção!

Paulo Henrique
Paulo Henrique
10 anos atrás

robert,

Exatamente…paga pelos franceses por eliminarem essa dor de cabeça!

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

Tem razão Marcelo, mas é covardia comparar o EMB-145 com esse avião da saab.Seria mais justo compara o bandeirantes com ele.

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

Corrigindo

Tem razão Marcelo, mas é covardia comparar o EMB-145 com esse avião da saab.Seria mais justo compara-lo com o bandeirantes.

Klevston kstonboner
Klevston kstonboner
10 anos atrás

A Saab está me surpreendendo, eles querem trabalhar e isso eu acho sensacional.

LATINO
10 anos atrás

e quando que o Rafale vai ter uma festa assim de fechamento de contrato?

hahahaha

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Alexandre disse: 19 de agosto de 2010 às 8:52 “Seria mais justo compara-lo com o bandeirantes.” Alexandre e Marcelo, A comparação não seria com o Brasília? Pelo que lembro (posso estar enganado), o projeto de AEW era, inicialmente, sobre as costas do Brasília, um turbo-hélice pressurizado para 30 (trinta) passageiros. Lembrando que o Bandeirantes não é pressurizado. Outro ponto: A opção brasileira, sugestão da Embraer (salvo engano), pelo ERJ-145 foi muito bem aceita em face das necessidades impostas pelas maiores distâncias nacionais, capacidade de levar mais controladores embarcados, maior velocidade de deslocamento e maior teto de serviço, que reflete no… Read more »

robert
robert
10 anos atrás

pq que a embraer abandonou o mercado de turbo helices? alguem sabe?

não existe venda pra eles ainda hoje? já que são bem mais baratos de manter e isso se reverte em economia pras empresas que operam?

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

Marcelo disse:
19 de agosto de 2010 às 7:38
Essa é a nossa parceira Saab…fica promovendo a plataforma Saab 340/Saab 2000, em concorrência com a plataforma EMB-145/Erieye…belos parceiros esses.

Falou tudo! E o pior é que eles sabem que o EMB-145/Erieye é superior!
Baita parceria esses suecos…e ainda falam dos franceses…tsc…tsc…no mundo dos negócios não existe essa de parceiro…é cada um por si…o $ é deus maior…

Cláudio
Cláudio
10 anos atrás

O que mais me impressiona é que muitos Países estão se armando até os dentes (mesmo que seja de prateleira). O pior é que são pequenos. Suas FAs representam mais do que País representa à região ou ao mundo. O Brasil é um País de dimensões continentais, está somente teoricamente bem armado, mas na prática está muito obscuro, pois não aparece, e no momento em que se necessita das Forças Armadas nota-se uma grande falta de equipamentos, ou seja, elas não são operacionais. E quando são, é muito limitada. Para o bem da “integridade” do Território Brasileiro, torço para que… Read more »

Paulo Andrade
Paulo Andrade
10 anos atrás

Apenas uma colocação sobre “nossas” plataformas AEW e as plataformas suecas… Antes da fusão entre a Ericsson e a SAAB na questão dos radares, a EMBRAER efetuou a venda desses sistemas para a Grécia e o México. Após a referida fusão a EMBRAER não emplacou mais nenhuma venda externa do sistema. A venda que ocorreu depois da fusão foi para a Índia. Mas com um detalhe interessante. Vendemos apenas a plataforma e ajudaremos na integração dos sistemas que serão indianos e não suecos. É apenas um detalhe, mas creio que seja útil para mostrar que nenhum país é constituído de… Read more »

Ricardo_Recife
Ricardo_Recife
10 anos atrás

A plataforma Saab 340AEW, 340AEW-200, 340AEW-300 e SAAB 2000 é completamente diferente do EMB145/R-99, não competem porque estão em mercados diferentes. O EMB-145 e o SAAB 340 são apenas montados com o mesmo radar AESA de alerta aéreo antecipado, o ERYEYE. O SAAB é muito inferior ao EMB tanto na questão de ser jato como na solução operacional, o sistema sueco é muito mais dependente das estações em solo do que o da EMBRAER. Ivan tem razão em falar do Brasília. O SAAB 340 na versão civil pode levar 36 passageiros, o EMB-120 leva 6 passageiros a menos. Se a… Read more »

grifo
grifo
10 anos atrás

Somente para lembrar, a SAAB não fabrica mais aviões SAAB 340 nem SAAB 2000. A produção do SAAB 340 acabou já 12 anos.

Se o cliente quiser um avião novo, a opção oferecida pela SAAB será sempre o ERJ-145.

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Ricardo_Recife e Grifo, só umas correções: o Saab 340 não concorre com o EMB-145 como plataforma para o Erieye, mas o Saab 2000 sim (ele leva + ou – o mesmo número de operadores que o 145). Apesar de não ser mais fabricado, como este avião “encalhou” com a concorrência contra o 145 e o CRJ, várias plataformas civis ficaram paradas, sendo que a Saab Leasing comprou várias para reposicioná-las no mercado ou oferecer como plataforma para o Erieye, o Paquistão foi o último cliente, comprando montado no Saab 2000, então estão concorrendo ativamente com a Embraer sim. Talvez, caso… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Existe algum acordo oficial entre a SAAB e a EMBRAER sobre a plataforma do Erieye ou é mais vaporware da Net ?

grifo
grifo
10 anos atrás

só umas correções: o Saab 340 não concorre com o EMB-145 como plataforma para o Erieye, mas o Saab 2000 sim (ele leva + ou – o mesmo número de operadores que o 145). Caro Marcelo, o negócio da SAAB é fabricar radares, e a plataforma a ser usada depende dos requisitos do cliente. Se puder, me parece óbvio que a SAAB vai querer usar os aviões que ela fabricou, porque ela faria tudo in house e ainda daria suporte sem necessidade de terceiros. Se não puder, ela usa a plataforma da sua parceira Embraer e não da Bombardier por… Read more »

Nelson Lima
Nelson Lima
10 anos atrás

Seria uma solução interessante para a Argentina. Alguns Gripen de segunda mão e o 340 para AEW

Ricardo_Recife
Ricardo_Recife
10 anos atrás

Caro Marcelo,

Acrescentando ao que disse Grifo. Não dá para comparar o SAAB (do 340 ao 2000) como o EMB 145, se fosse assim teria que colocar no mesmo barco o CASA 293/295, bombardier DHC-8, ATR-42, etc… o radar ERYEYE pode ser acoplado a maioria dos turboélices e jatos regionais.

O desempenho dos dois modelos é bem diferente. O turboélice, não importa se da SAAB ou outro, não tem como receber os mesmos sistemas de comunicação do EMB -145, eles são bastante dependentes da comunicação em terra.

Joel
Joel
10 anos atrás

Sabe por que não da pra comparar o SAAB AEW como o EMB145 ? Porque em materia de FX suexos e franceses as analises são passionais é obvio que as aeronaves AEW competem entre si, mesmo que sejam turboelice a jato ou com motores de dobra da entreprise. A venda para a Tailandia é da Suecia, as contrapartidas oferecidas pela compra são da suecia e até o eventual suborno pago foi da suecia, porque eles deixariam de vender o avião AEW deles para oferecer o nosso. Pelas mulatas? Por amor a nossa patria? Não vemos isso em mais da metade… Read more »

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

Nelson Lima disse:
19 de agosto de 2010 às 11:09
Seria uma solução interessante para a Argentina. Alguns Gripen de segunda mão e o 340 para AEW

Tá louco?! Não dá idéia! Os hermanos de gripen? e nós? de M2000 e Mike´s?

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

Sem duvida uma dupla e tanto para a Tailandia, o ganho operacional será sensível, pelo tamanho do país será perfeito.

Abraços,

Alexandre GRS
Alexandre GRS
10 anos atrás

Prezados,

Ao que parece, a utilização do EMBRAER EMB – 120 como plataforma de utilização do sistema ERYEYE, não aconteceu devido a uma forte limitação da célula quando da sua conversão para plataforma AEW.
Logo, a EMBRAER vislumbrou a utilização da plataforma EMB- 145 que começa a sair das linhas de produção e contava com uma carteira de pedidos que a tornavam muito interessante.
Acertada escolha essa.

Sds.

Fernando_MG
Fernando_MG
10 anos atrás

Parceria é sempre caminho de mão dupla. Todo mundo aqui criticando os suecos por venderem um radar que eles desenvolveram com tecnologia e verbas próprias, (não lembro do Brasil ter participado do desenvolvimento do sistema) e os brasileiros ainda não compraram o avião sueco (Gripen) e talvez nem o façam. É bom lembrar que compramos o radar e no contrato constava a instalação e integração no Brasilía. Quem ajudou os brasileiros na integração ao ERJ foram os suecos. Os engenheiros e oficiais da Embraer ficaram impressionados com a colaboração e a franca atitude dos suecos ao fornecerem todas as informações… Read more »

rodrigo ds
rodrigo ds
10 anos atrás

Fernando_MG disse: 19 de agosto de 2010 às 13:02 Concordo com que o Fernando disse e ainda digo mais, não sei se foi nesse bloq que li, que a Embraer e a FAB ficou assustado (no bom sentido) com o tratamento dos suecos, quando precisavam de peças de reposição do radar, os suecos entregavam o mais rápido possível e não tivesse dimdim disponivel, eles faziam fiado mesmo, na base da confiança, não embargaram as vendas da Embraer, como fez os EUA com os supertucanos para a Venezuela, por isso defendo o Gripen como o caça para o Brasil, não pode… Read more »

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Concordo com praticamente tudo que o Fernando falou…. Eu não sei se existe algum tipo de parceria real entre a EMBRAER com o 145 AEW e os suecos. Eles possuem a dupla necessária, avião/radar, nós não. Como bem lembrado, nós compramos um produto deles e fomos muito bem acessorados de como usar o mesmo. ponto. eles tem seus aviões, porque não vendê-los? não acho justo culpá-los por isso. Aliás no sentido inverso do pensamento, então a EMBRAER não poderia fornecer as aeronaves para a INdia, que não vai usar o sistema sueco pois o Paquistão já o usa. Acredito que… Read more »

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Fernando_MG,

Parabéns pela sensatez.
Como nosso Ministro da Defesa, Dr. Nelson Jobim, gosta de referências jurídicas, é bom lembrar que os Suecos tem bons precedentes.

Sds,
Ivan.

Vinicius
Vinicius
10 anos atrás

Fugindo um pouco da discussão,o radar ERYEYE poderia ser adaptado aos Trackers que a marinha estava a comprar para missão AEW?

Darkman
Darkman
10 anos atrás

Boa Fernando_MG,
Suas palavras dizem tudo os Franceses são um lixo quando se precisam deles !!!!

Abs.

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Darkman, Lixo não, por favor. Quando se usa expressões extremadas ou se rotula esse ou aquele grupo de pessoas, nação ou povo, o argumento que se pretende defender se perde, em face da construção passional da frase. O Fernando_MG (será que o MG é de Minas Gerais?) foi habilidoso com as palavras, fazendo elogios e críticas firmes, mas sem dar espaço ao emocional, que só iria embotar a argumentação. Em momento algum se-referiu aos produtos franceses como lixo, até porque não são, muito pelo contrário. A crítica foi ao pós-venda, mas sem usar expressões grosseiras. Melhor seria dizer que os… Read more »

Vader
Vader
10 anos atrás

Marcelo disse:
19 de agosto de 2010 às 7:38

“Essa é a nossa parceira Saab”

Nananinanaum, os suecos não são nossos parceiros. “Parceiros estratégicos” nós só temos um, aqueles mesmos que nos apoiaram nas negociações quanto ao Irão nuclear no CS da ONU; aqueles mesmo que liberaram o livre-comércio entre Mercosul e União Européia; aqueles mesmos que aceitaram derrubar seus subsídios agrícolas.

Sds.

celso
celso
10 anos atrás

Marcelo,

______________________

Parabens Vader, Ivan , Fernando MG e outros mais .

PS; tenho um gde amigo Belga do lado francologo. Apesar do mesmo idioma e alguns costumes, ele nao confia e muito menos elogia eventuais parcerias com os mesmos ( empresas e empresarios ) pqe sera hemmm…hehehehehe

SDS

EDITADO: COMENTÁRIO DEPRECIATIVO SOBRE OUTRO PARTICIPANTE

Marcelo M
Marcelo M
10 anos atrás

Bem, após o comentario do Celso só me resta me retirar.
Boa sorte Xará
abçs a todos
MM

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Caro amigo Celso, são as minhas opiniões e tenho o direito de expressá-las. Acho que errei ao dizer que a Saab é nossa parceira, relamente não é, quem era, era a Ericsson. Obrigado aos colegas que postaram suas opiniões. No entanto, a plataforma Saab 2000 é sim concorrente da plataforma EMB-145, e depois que a Saab adquiriu a Ericsson radares, realmente eles deixaram de oferecer a opção EMB-145, por isso não foi vendido mais com o 145. Sinto muito que o que eu escrevo não te agrada, mas também não vou deixar de escrever por causa disso, espero que você… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“…o radar ERYEYE poderia ser adaptado aos Trackers que a marinha estava a comprar para missão AEW?”

Não pois interferiria c/ a dobradura das asas, que é por sobre a fuselagem.

MatheusTS
MatheusTS
10 anos atrás

bem contra o irã mesmo quem éra “Parceiro estratégico” jamais tentaria ter entrado contra o mundo porcausa de um pais quem entro pra mim ali não foi agente e sim o Lula pra arrumar um carguinho.. PS: Me desculpem por falar disto perto das votações…. agora antes os Suécos do que os franceses que se alguem achar 3 parcerias JA FEITAS… A Saab ja achei varias desde carros a foguetes espaciais principalmente com a SAAB tivemos parcerias. Não se esqueçam que a Akaer ja esta no progeto sem ou com a compra do NG….. Bem só pra encrementar não tenho… Read more »

Nick
Nick
10 anos atrás

O SAAB340 e EMB145/R99 apesar de terem a mesma função e radar(Erieye) tem algumas características que diferem um do outro obviamente. Dependendo do país/território ser vigiado por essas plataformas, e da capacidade financeira a escolha pode recair sobre um ou outro. E ambos com certeza se integram facilmente com os Gripens.

Essa dupla Gripen C/Saab 340 cairiam como uma luva para los hermanos Argentinos. Sinceramente não quero ver eles com essa dupla.

[]’s

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

A SAAB vende e monta o radar Erieye na plataforma que ela bem entender, é seu produto e não da Embraer. Ao montá-lo em uma plataforma própria, agrega valor, maximizando seu lucro, infelizmente p/ a SAAB há poucas das suas plataformas no mercado. Outra coisa é achar que a versão do Erieye instalada nos R-99 da FAB, é algo assim do outro mundo. É somente velha, pois há pelo menos 6 versões do radar Erieye no mercado, sendo a mais nova aquela fornecida ao Paquistão. Outro erro crasso é achar sabe-se lá pq, somente a configuração usada pela FAB permite… Read more »

Fabio
Fabio
10 anos atrás

Na opinião de vocês, qual o melhor tipo de radar para AEW? Os “cumpridos” ou os “redondos”?

Yasser
Yasser
10 anos atrás

Esse teco-teco ai ficou feio…. o ERJ modificado com o radar da Ericsson ficava mais bonito!

ouragan
ouragan
10 anos atrás

Ora era o que faltava… Brasileiro em posição de pedantismo com os Franceses. É de rir muito alto!!!!!!!! somos um país medíocre, com um povo desonesto, vagal e com uma cultura por questionável… e tem gente que diz que tudo o que vem da França é lixo??? A dá licença… claro adoro o meu país, mas não sou idiota não… a França tem sim muito a nos ensinar… olha tem vezes que brasileiro tem que tomar na cabeça mesmo viu?… só falando assim mesmo…

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

A despeito da qualidade questionável do produto francês. Esta postura do GF de que a França tem muito a nos ensinar é meio estranha de um ponto de vista prático. A França é uma potência média, que não vai demorar muito será ultrapassada pelo Brasil tecnologicamente falando. Qual o interesse da França no desenvolvimento tecnológico do Brasil e criar um competidor direto ? Qual o interesse da França em que o Brasil se torne independente dos seus produtos ? Eu substituiria este “tem muito a nos ensinar”, por “tem muito que nos tirar”. Neste ponto eu vejo muita complacência com… Read more »

ouragan
ouragan
10 anos atrás

É simplesmente patético o discurso que temos que ler/ouvir… mas como vivemos num país livre… que assim seja.
Logo logo seremos a grande potencia mundial e viveremos num mar de rosas…. tudo isso sem revolução sem guerra sem nada. Apenas com o maravilhoso carater do povo brasileiro…
Seria engraçado se não fosse triste…

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Seremos a grande potência mundial ?!?!?!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Este discurso do ________________________

Quem quer ser potência investe em educação, amiguinho.

Não se limita a comprar produto meia-boca de fornecedor picareta.

COMENTÁRIO EDITADO POR ENTRAR NA ÁREA DA PROPAGANDA POLÍTICA

ouragan
ouragan
10 anos atrás

“PS; tenho um gde amigo Belga do lado francologo. Apesar do mesmo idioma e alguns costumes, ele nao confia e muito menos elogia eventuais parcerias com os mesmos ( empresas e empresarios ) pqe sera hemmm…hehehehehe”

Vocês sabem como os Belgas são conhecidos na Europa?
O mesmo que os portugueses para nós no que se refere a inteligência…

Eu escolheria melhor as minhas amizades hehehe.

ouragan
ouragan
10 anos atrás

cidãdão não percebeu que eu fui irônico?
isso só corrobora a minha fala hehehee

Vader
10 anos atrás

Please, don´t feed it… 🙂

Fabio
Fabio
10 anos atrás

Minha pergunta responder ninguém quer!!!!!!!

Vader
Vader
10 anos atrás

Prezado Fábio:

[mode Yoda on]:

“Sua pergunta responder poucos podem, jovem padawan. Para resposta, profundo conhecimento do Lado Sombrio necessário é”

[mode Yoda off] 🙂

Sds.

Fabio
Fabio
10 anos atrás

Vader, na hora charada você matou.