quarta-feira, abril 14, 2021

Gripen para o Brasil

Super Hornets da Austrália: por enquanto, o jogo está três a três

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

MSF09-0178-08

Super Hornet número 3 da encomenda australiana é entregue com 3 meses de antecedência

A Boeing informou nesta quinta-feira, 5 de novembro de 2009, que a terceira aeronave F/A-18F Block II Super Hornet, da encomenda australiana, foi entregue com três meses de antecedência, no último dia 30 de setembro. O caça foi montado na planta de St. Louis, EUA.

A primeira entrega de um Super Hornet para a RAAF (Royal Australian Air Force – Real Força Aérea Australiana) foi feita em 8 de julho deste ano, sendo que todas as três aeronaves já completadas (contando-se com esta última) foram entregues três meses antes do prazo.

No total, a Austrália encomendou 24 Super Hornets. Todos os demais exemplares da encomenda estão programados para serem entregues em 2011. O país tornou-se o primeiro cliente internacional da aeronave, com o anúncio de sua intenção de adquirir 24 exemplares em março de 2007.  A Boeing informou também que mais de  410 F/A-18E/Fs já foram entregues para a US Navy (Marinha dos EUA), todos dentro ou antes do prazo.

FONTE / FOTO: Boeing

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RodrigoMF

Todas as etapas de desenvolvimento do SH e as suas entregas aos operadores até agora foram antes do prazo.

E o Rafale F3+, de 2012 agora só em 2013.

Em 2013 já estará em produção, o SH Block II+ conhecido como Ultra-Hornet.

Ivan

É o peso da Boeing, respaldada por encomendas consistentes da USNavy. Fica difícil acompanhar a capacidade financeira deles. A SAAB que já percebeu que não consegue acompanhar o ritmo de investimento respaldada apenas na competente Força Aérea Sueca, já procura ‘parceiros’ para o projeto Gripen NG. Ela quer ser ‘coproprietária’ para poder crescer. Gosto da maneira da SAAB se posicionar, pois um caça de geração 4,5 como pretende está ficando muito caro para um único país como a Suécia, o que seria também muito caro para um país como o Brasil. Juntando as demandas dos 2 (dois) países… quem sabe?… Read more »

flaviodepaula

Isso é competência para produzir heim. que maravilha!!!Sem dúvida, é um ótimo caça

Ivan em 06 nov, 2009 às 12:36,

posso assinar onde? Comentário perfeito!

BRASIL!!!

Francisco AMX

Linda foto!

RodrigoMF, o que seria a diferença do Ultra Hornet para o SH? o Brasil não está cotando o UH, se ele vai estar em produção em 2013?

abraço

RodrigoMF

A base do programa do SH é que todos os exemplares construídos para todos os operadores serão idênticos, pois assim a Boeing manterá uma versão só. Isto que permite todas estas antecipações de prazos, se isto será feito na verdade eu não sei, eliminado vôos de ensaio em versões específicas. Caso o Brasil receba os aviões em 2014 já serão no Block II+, se for respeitada esta idéia do programa. Como aqui é o Brasil é capaz de quererem instalar um acendedor de cigarro nacional no painel e atrasar tudo. A diferença é que o Block II+ será substancialmente mais… Read more »

casag

Cada vez que ouço notícias do F-35 dizem que o cronograna está atrasado e que o preço do caça aumentou.
Deste jeito o SH vai até o block 8++.

Felipe Cps

É, e reza a lenda que os australianos estão seriamente tentados a trocar de vez o JSF pelo SH…

RodrigoMF

Para nós caso o Brasil opte pelo SH interessa que o F35 não entre em produção nunca.

A USN já está para encomendar mais para suprir a retirada dos Hornet C.

Combates Aéreos

J-11 x Gripen: novas informações sobre combates dissimilares na Tailândia

Um relatório do início de dezembro de 2019 de dentro da República Popular da China (RPC) revela detalhes técnicos...
- Advertisement -
- Advertisement -