quarta-feira, abril 14, 2021

Gripen para o Brasil

Embraer é favorável à compra de caças suecos

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

gripen-demo

Virgínia Silveira
de São José dos Campos

vinheta-clippingA Embraer considera o caça sueco Gripen, do ponto de vista de transferência de tecnologia, a melhor opção para a empresa estabelecer uma parceria estratégica no contexto do programa F-X2. O contrato, que prevê a aquisição de 36 aeronaves de combate, no valor de US$ 2 bilhões, também é disputado pela francesa Dassault, com o caça Rafale, e pela americana Boeing, com o F-18 Super Hornet.

“Avaliamos as três propostas, a pedido da FAB e vimos que a oferta da empresa sueca Saab é a que vai assegurar ao Brasil o conhecimento e a agregação de tecnologia dentro da premissa “on the job doing”, ou seja, aprender fazendo”, disse o vice-presidente-executivo para o mercado de defesa da empresa, Orlando José Ferreira Neto.

O executivo parte do princípio de que o Gripen NG, versão mais avançada do Gripen C/D, e que ainda não foi fabricado, é o único que oferece oportunidade para o Brasil começar o desenvolvimento de um caça do zero. “Não estamos interessados em fabricar peças. Buscamos o domínio de conhecimento que ainda não temos e que nos será útil no desenvolvimento de futuras aeronaves.”

A afirmação de Ferreira Neto é compartilhada por grande parte das empresas que compõem a cadeia aeroespacial de São José dos Campos. “Sairemos da condição de pequenas empresas dependentes da Embraer para um grupo consolidado verticalmente, capaz de fornecer estruturas integradas complexas, não só para a Embraer como para o mercado externo”, afirma o diretor-executivo da Akaer, César Augusto da Silva.

A Akaer faz parte da holding T-1, que reúne as cinco empresas brasileiras envolvidas no projeto do novo caça sueco e será responsável pelo projeto e produção da fuselagem central, fuselagem traseira e asas. A fuselagem do Gripen, segundo Silva, é a mais complexa já feita no Brasil, pois envolve sistemas de alta tecnologia, como ligas de última geração e materiais avançados, do tipo composto. “O preço que iremos pagar pelos caças agora retornará para as empresas brasileiras em forma de empregos e de novas tecnologias.” Em cinco anos, segundo Silva, a T-1 estima que poderá exportar US$ 500 milhões e gerar 2.900 empregos diretos no Brasil.

Para a Embraer, o programa de um novo caça supersônico também irá trazer benefícios tecnológicos. “Temos interesse nas tecnologias envolvidas em um voo supersônico e na utilização de materiais avançados para fazer frente aos novos desafios que se impõem aos fabricantes de aeronaves”, disse Ferreira Neto.

A tecnologia dos radares de última geração, presente nos caças de combate, segundo Ferreira Neto, também pode ter aplicação na Aviação civil. Outra área de aprendizado é a de sistemas que otimizam consumo de combustível. “O programa F-X2 pode trazer informações de desenvolvimento importantes, que terão aplicação na aeronave cargueira KC-390, que estamos fazendo para a FAB.”

A capacitação da indústria nacional, segundo Ferreira Neto, é primordial para garantir a autonomia do país no futuro para fazer modificações nos aviões que a FAB vai adquirir e para construir um novo caça. “A proposta de transferência de tecnologia tem que estar baseada nesse tripé: autonomia, capacitação da indústria nacional e preparo para novos desafios.”

A proposta do francês Rafale e do americano F-18, na opinião do executivo da Embraer, é de fornecimento de aeronaves já prontas, o que limita a participação da indústria em atividades de desenvolvimento de novas tecnologias.

FONTE: Valor Econômico, via NOTIMP

NOTA DO BLOG: ontem num dos comentários, um leitor perguntou de onde o Poder Aéreo tirou que o Gripen tinha a preferência da FAB. Taí a resposta…

- Advertisement -

74 Comments

Subscribe
Notify of
guest
74 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Asterix

Será mais uma reviravolta nas negociações??
Acho que o Jobim dará a palavra final, e todo mundo aqui já sabe da preferência dele. Parece que a proposta sueca chegou tarde demais.

Lex

A cada dia eu tenho mais convicção de qe vamos ter 2 vetores na FAB!!!
36 Rafales e o resto de NGS

Douglas

A proposta sueca é a melhor.

Conjuga alguma transferência industrial, oportunidade real de associação, pois o avião está em franco desenvolvimento e sua operação tem custo mais baixo, o que é muito importante para a FAB.

Outro ponto, quem vai operar é a FAB, mas quem vai fabricar/montar é a industria brasileira, não são os militares, por isso é importante a posição da Embraer.

Francisco AMX

Bom para a EMBRAER? sim, se eles dizem… mas a perguta é: é o melhor para o Brasil? para a FAB como instituição de defesa? não creio! No “caso” AMX, a EMBRAER se beneficiou totalmente e a FAB? com um caça defasado, sem radar e sem capacidade de lançar uma arma inteligente e guiada sequer! até hoje é assim! os amigos tem que lembrar que a EMBRAER é uma empresa de capital privado! não é pq o negócio é melhor para ela que será para seu principal cliente, a FAB! Estou com o NJ sobre isso! chega de a EMBARER… Read more »

joel

Não sei pq paparicam tanto a embraer.

Se querem ter uma escolha que do que é melhor para a industria ao inves do que é melhor pra defesa da nação apresentem as propostas na FIESP ou ABINDE e não na FAB/MinDef

O grippen NG não existe exceto na prancheta de alguns engenheiros e temos urgencia dos novos caças, não podemos nos dar ao luxo de termos atraso por causa do projeto…

Abraços

Renato

Se o fundamental no programa FX-2, era o ganho na transferencia de tecnologia..esta ai a resposta. negocio fechado. Ganha a industria brasileira, ganha a FAB e economiza o governo…..o dificil vai ser o nosso presidente engolir o sapo da declaração irresponsavel que deu ao anunciar o RAFALE…

R. Delilian

É necessário responder pq paparicam tanto a Embraer, deve ser só pelo fato de ser a única industria consolidada no ramo aeroespacial do país, tbm pelo fato de ser a principal coluna do projeto Fx2, se nao dermos lado pra ela, vamos ouvir quem????

Cada comentário viu….

Em vista dos argumentos, acredito que escolha vá acabar sendo de dois vetores, os 36 Rafeles do contrato e o resto de caças suecos/brasileiros

alexandre

A cada dia eu tenho mais convicção de qe vamos ter 2 vetores na FAB!!!
36 Rafales e o resto de NGS.seria uma otima opçao,mas o que esta em jogo e o submarino nuclear.O brasil ja tem seu reator pronto,bastando montalo no casco,e ai que entra a frança(e os rafale).

Mauricio R.

Hummmm, saidinha essa Embraer, mordendo a mão petralha que lhe alimenta…

mane

Consta que hoje houve um telefonema desesperado do Ministério da Defesa para a presidência da Embraer, pedindo de qualquer jeito para “retificarem” a declaração… Vamos ver.

A batata do Rafale está assando. O relatório da FAB vai colocá-lo em último lugar. Ele vai ser literalmente destruído nos quesitos preço e transferência de tecnologia. O que o sr. Ministro da Defesa vai fazer?

karlus73

Boas pessoal. Até compreendo a lógica da Embraer, tendo em conta que vai participar num programa novo e em desenvolvimento, pois os outros concorrentes já têm o produto acabado. Para um país que tem o objectivo de desenvolver mais tarde o seu próprio caça tem cabimento o que o artigo refere. O problema disto tudo é o poder politico interferir numa solução que poderá ser vantajosa para o Brasil ou desastrosa. Agora encontrar uma balança para isto tudo é uma grande dor de cabeça. A Embraer está a ter uma visão empresarial da “coisa”, isso é saber olhar para o… Read more »

Junior

Venho torcendo por esse caça desde o começo, visando claro a tranferência de tecnologia.

Agora se vamos ter dois vetores ,seria perfeito!!!

jose adelino

O que adianta 36 raphales no chão sem peças p/ manutenção????esqueceram do contingenciamento de verbas pelo governo??? Não adianta termos um avião hiper sofisticado e não termos $$$ para mante-lo. o Grippen é o mais barato p/ comprar e manter e a EMBRAER é uma das maiores fabricantes mundiais de aviões. Deve entender alguma coisa do ramo, né??

Nunão

Prezados leitores,

Acho importante ressaltar um detalhe do texto, de modo a embasar os comentários:

“Avaliamos as três propostas, a pedido da FAB e vimos que…”

Saudações!

CADU

Francisco AMX em 28 set, 2009 às 15:02 Perfeito seus comentários. Francisco AMX em 28 set, 2009 às 15:15 “Daqui a pouco a EMBRAER vai mandar no Brasil! tem cabimento esta declaração?” Francisco, isto foi uma consulta da FAB, e ela só espressou a sua opinião enquanto empresa PRIVADA (melhor ganho sem investimentos) “Tomara que o NJ mantenha a palavra agora! que venham os RAFALES com ou sem a EMBRAER!” NJ não, foi o LULA, o NJ só colocou a sua preferência, concordo com você sobre os RAFALE, agora, com ou sem EMBRAER, não entendi ???, quem iria deter a… Read more »

Nunão

Cadu,

A palavra “culhão” não está exatamente entre as “editáveis” do Blog, pode usar sem medo.

Saudações!

Mauricio R.

“…de investir POR CONTA PRÓPRIA na compra da SAAB para produzir o GRIPEN NG,”

Esse hoax, ainda persiste…

alexandre

opção Rafale é ruim do ponto de vista técnico, operacional e tático. É um mau negócio. E a melhor alternativa seria o caça americano, desde que o pacote de transferência de tecnologia fosse bem negociado. Se não, o Gripen. O Rafale ficaria em terceiro. Mas, para além do marketing político forte que a França fez, com sucesso, a verdade é que tudo – preço, modelo – é menos importante que a cereja do bolo do acordo: o submarino nuclear. O grau de dificuldade de se construir um submarino nuclear é muito superior ao da incorporação de tecnologia dos caças. E… Read more »

welington

“Avaliamos as três propostas, a pedido da FAB e vimos que a oferta da empresa sueca Saab é a que vai assegurar ao Brasil o conhecimento e a agregação de tecnologia dentro da premissa “on the job doing”, ou seja, aprender fazendo”, disse o vice-presidente-executivo para o mercado de defesa da empresa, Orlando José Ferreira Neto. Vejo isto como independência tecnológica em longo prazo. Após a FAB a principal beneficiada deve ser a indústria nacional, o Gripen NG que gerara as futuras versões E/F atende todas as expectativas da FAB e com um valor de aquisição, manutenção e operação bem… Read more »

Francisco AMX

Vamos fazer força para a EMBRAER se associar a SAAB, e daí termos os 36 Rafales e 72 Gripens dentro de 25 anos!

dream team!

bulldog

A Embraer é uma empresa privada, apesar de não parecer… pode fecha a parceria que quiser… se o governo quer Rafale..Rafale será…a empresa que feche parceria e produza Gripen NG pra vender a quem quiser… se for um projeto de 5ª geração (agregando capacidades de manobra, novo radar e discrição de assinatura radar) pode oferecer ao Brasil tmb, oras… por que não?
Que se compre os 36 Rafales, absorva a tecnologia que vier e faça o Gripen com os suecos…se eles querem tanto a parceria com a embraer…ótimo…teremos duas fontes de tecnologia…mas sem compromisso de compra pela FAB…ai quero ver…

Mauricio R.

Salvo algum comentário aqui do blog, que eu não lí, esse reator do ARAMAR mas nem a pau está cabendo naquilo que a MB pensa ser o nosso submarino nuclear, tem mto ainda que miniaturizar.

Edmar

Caros Amigos.: A FAB poderia sim ter 2 vetores: O “Dassault Rafale F-3″ para maior alcance e o “Saab Gripen NG” para curto alcance. Poderia ser dividido assim.: Eu imagino, 48 caças “Dassault Rafale F-3″ divididos em 12 para Pelotas RS, 12 para Santa Cruz RJ, 12 para Anápolis GO e 12 para Manaus AM. Eu imagino, 72 caças “Saab Gripen NG” divididos em 12 para Natal RN, 12 para Campo Grande MS, 12 para Porto Velho RO, 12 para Boa Vista RR, 12 para Belém PA e 12 para Salvador BA. Ainda poderia ter 12 “Dassault Rafale F-1″ para… Read more »

Walderson

Caro Francisco AMX, vc não deixa de ter razão ao dizer que a EMBRAER é uma empresa privada e poderia associar-se quando quiser e a quem quiser, mas esqueceu-se do detalhe acima colocado pelo Nunão: a análise foi feita a pedido da FAB. Ela deu opinião dela. Normal isso. Eu prefiro o Rafale, mas não posso deixar de fazer uma análise imparcial e, pra mim, a oferta da SAAB é a melhor em diversos quesitos. Um deles e muito importante é o fato de que o avião não está pronto como os outros dois. Em termos de aprendizado, isso é… Read more »

flavio

É uma vergonha que os fãs do RAFALE cheguem ao ponto de praticamente dizerem: que se dane a Embraer! Isso é muita ignorância, é não saber que a Embraer traz bilhões para o País e precisa de toda ajuda para não “ficar para trás” no mercado mundial, que é extremamente competitivo. A Embraer produzindo o Gripen NG em parceria com a SAAB daria um enorme salto, trazendo para o País algo que jamais tivemos e que, principalmente, não teremos com o Rafale. Que ninguém se iluda!

CADU

Nunão em 28 set, 2009 às 15:48
Não sei se você entendeu a proposta francesa de TT, mas pelo que entendi, eles vão fazer os 6 primeiros caças, depois os outros 30 seram montados aqui no BRASIL, como se dará esta transferência ao BRASIL se não vamos fabricar as peças aqui ???, seria bom fazer um post para elucidar esta questão.
Saudações e obrigado pela liberação da espressão “CULHÕES”, rsrsrs

CADU

espressão = expressão

X-nobe

Cara o Brasil merece coisa muito melhor do que o Gripen, deixa este caça para a Bolivia, Peru e Argentina, para o Brasil vamos de Rafale ou de F-18.

Nunão

Cadu,

Eu liberei a expressão “culhão”, não “culhões”. Mas tudo bem, dessa vez passa…

O que se tem sobre a proposta francesa é o que foi detalhado aqui no Blog, e que está no próprio site do Rafale no Brasil.

Já o que andou sendo veiculado sobre as últimas versões da proposta da Dassault, é que a fabricação dos componentes no Brasil se daria após as 36 primeiras unidades. As 30 montadas aqui seriam com peças francesas. Isso não impede a transferência de tecnologia, apenas ela se dá de forma diferente (softwares, dados técnicos, de integração etc).

Francisco AMX

As amigos defensores deste “papo” da EMBRAER, hoje, agora, faço uma pergunta: no FX-1 muitos diziam e dizem que o Gripen venceu! e vcs foram as lágrimas de emoção certo? certo! porém a EMBRAER já tinha se associado a Dassault para ofertar o M2000 MK-5BR, não é? para a EMBRAER o M2000 era a melhor escolha! estranho não! agora tudo mudou? nada! só mudaram os time de lado! só isso! a SAAB propôs algo muito bom para a EMBRAER para tentar virar o jogo! só isso! negócios! mas defesa é defesa! não adianta misturar demais! Quero ver o que a… Read more »

Francisco AMX

é isso que falo Bulldog!

Francisco AMX

Daqui a pouco a EMBRAER vai mandar no Brasil! tem cabimento esta declaração? tomara que o NJ mantenha a palavra agora! que venham os RAFALES com ou sem a EMBRAER! E QUE VENHAM OS NGs SE ELA TIVER CULHÃO, pois capacidade ela tem de fazer!

adriano

Com certeza,há algo de podre no reino da Dinamarca,especialistas franceses já afirmaram que quando entrar em serviço o já escolhido Rafale F3,não será o mais moderno dos Rafales,ficando a França com a cereja do bolo.Porque o Brasil não escolhe o mais moderno Gripen E/F ou NG que terá super-cruise,radar AESA nova versão,armamento totalmente compatível com inventário da fab,e é claro um fantástico sistema data-link que os suécos são mestres;sem citar a questão de economia de manutenção e possibilidades de exportação.

Nunão

Esqueci de acrescentar, Cadu,

Sobre fazer um post a respeito do que vc pediu, eu pelo menos não vejo necessidade no momento já que esse aspecto do Rafale já foi bastante tratado em diversos outros, no limite das informações disponíveis. Surgindo novas informações, certamente colocaremos aqui.

joel

R. Delilian,

muito me espanta é o seu comentario, assumindo que o interesse PRIVADO de uma empresa deve ser mais importante que o interesse da NAÇÃO.

O Brasil ja esta investindo, pesado, no kc 390 , não precisa dizer amem para tudo o que a embraer diz,

Da mesma forma no FX original os franceses compraram um pedaço da embraer, quando viram que não ia dar em nada venderam…

Abraços

CorsarioDF

Pessoal, apesar da Embraer ser uma industria privada, ela e a FAB são quase sinonimos, pois uma não existiria sem a outra!!! A Embraer é uma filha prodigiosa da FAB, que alcançou vôos mais altos… Como o Nunão disse, a Embraer foi questionada a respeito e emitiu um parecer sobre a matéria, se os senhores tem competência e habilidades para questionar o que os engenheiros da Embraer disseram, então redijam uma Nota Técnica sobre o tema e encaminhem ao MD urgentemente, pois eles podem estar sendo enganados por essa empresa “privada”!!! Eu sou fã declarado do Sukhoy, e também acho… Read more »

Alexandre Galante

Pessoal, lembrando que a EMBRAER não é uma empresa privada qualquer, ela é uma empresa ESTRATÉGICA para o Brasil.

CADU

Nunão em 28 set, 2009 às 16:28
Não tinha lido sobre a França só passar a fabricação ao Brasil, se comprar o restante dos caças, onde leio isto ???
Coloquei isto pois acredito ser não só uma dúvida minha quanto a de alguns colegas aqui do site.
Agradeceria pelo repasse das informações.
Cordialmente.
CADU

Mabill

A FAB que vai usar parece ter escolhido o Gripen, as empresas que participarão do projeto escolheram também o caça Sueco, então é lamentável a arrogancia e prepotência do SrºJobim e outros do governo, que, querem forçar a todo custo uma situação favorável aos franceses, independente da torcida que fazemos como leitores do Blog acho que a escolha deve ser técnica, quando a esfera de decisão é política a pergunta não é “o que o país vai ganhar” e sim “quanto cada um vai ganhar”, não me importo mais qual dos tres vai ser o vencedor somente gostaria que fosse… Read more »

Alfredo Orlando

fatos relevantes da EMBRAER… -Criação do caça AMX: quando foi decidido de que iriamos participar de um consorcio para a criação do AMX estava claro que o objetivo maior não era a venda em quantidades esorbitantes de aeronaves mau aparelhadas para FAB, mas fazer com que a estatal EMBRAER entrasse para o “roll” de construtora e detentora de tecnologia de aviões de caça, aviões a jato e ocupar uma lacuna de aeronave que estava escasso nos países ocidentais(vivíamos no fim da guerra fria). Esse era o objetivo do governo e estratégia daquela época, esse projeto não teve o sucesso esperado… Read more »

eduardo

Só lembrando que a Dassault diz que o Brasil poderá comercializar o Rafale na América Latina. Pergunto, que país na Amperica Latina tem cash suficiente para bancar o Rafale? Se nem nós estamos com essa bola toda, que dirá Bolívia, Colômbia, Peru e outros. Já a venda do Gripen tem alguma chance de prosperar, pelo menos nos países mais ricos, Argentina (se sobreviver às suas crises), Colômbia e México. Lembro que a África do Sul comprou o Gripen e sua indúsria de equipamentos aeronáuticos é parceira no desenvolvimento do aparelho. O Gripen abre algumas possibilidades de aprofundar a interação com… Read more »

URUTAU

Caros senhores Me perdoem mas enquanto voces não se conscientizarem que a França e a Dassault DCNS e outras estão bancando as eleições de 2010 e de quebra algumas continhas em paraisos fiscais Que aqui no blog existem inumeros comentaristas que só escrevem se estiverem devidamente vestidos com camisetas vermelas com estrela Que correm boatos que o nome mais forte para o cargo de vice presidente uma certa candidatura de uma certa ex-guerrilheira é de um politico de iniciais NJ E que mediante todos estes fatos e muitos outros muito mais escabrosos e obscuros nem se o capitão Kirk oferecesse… Read more »

Nunão

Putz, Cadu…

Depois de toda essa enxurrada de notícias sobre Rafale e F-X2, o que posso sugerir pra você é a mesma coisa que eu teria que fazer, para achar exatamente todos os lugares onde saiu a informação de fabricação de peças brasileiras só depois de 36 unidades:

Digitar Rafale no campo busca, canto superior direito da página…

Boa procura!

Nunão

Cadu,

Para poupar sua busca, acabei de lembrar de onde a informação que você procura saiu da última vez. E foi de fonte que pode ser considerada de credibilidade nesse sentido…

http://www.aereo.jor.br/?p=13565

CADU

Nunão e Galante
Uma sugestão, vocês deveriam criar um site de política, rsrsrs, pois o que este pessoal sai do assunto e fala de politicagem, não esta no gibi, assim eles poderiam se degladiar por lá e nos falariamos sobre os assuntos pertinentes aqui.
Abração.

CADU

Nunão em 28 set, 2009 às 16:58
Obrigado pela dica.

Nunão em 28 set, 2009 às 17:03
Melhorou, rsrsrs, desculpe-me pela surra, rsrs
Abração

maranhão

Camaradas brasileiros patriotas! Acredito q existe muito mais por trás dessa negociação “Aliança estratégica” com a França q nossa simples analise possa perceber! Nesse final de semana estávamos conversando com alguns colegas professores da cadeira de geopolítica da nossa UNB, alguns inclusive consultores… E esse pensamento é partilhado pela maioria: A França está sobre ataque anglo americano há algum tempo, e se intensificou, sobretudo depois da invasão do Iraque. A negativa dá França em apoiar incondicionalmente os EUA e seus aliados “Inglaterra, Alemanha…etc” desencadeou uma perseguição a mesma em todas as frentes por parte dos EUA e seus aliados, a… Read more »

CADU

Nunão
Obrigado mais uma vez, já tinha lido esta matéria mais não tinha atentado para este detalhe importante. Então pelo que entendi a proposta de TT da SAAB, e muito melhor que a francesa, pois vamos ter a tecnologia de cara, e ainda vamos aprender botando a mão na massa aqui no Brasil com acompanhamento dos técnicos suecos, já com a França, só depois dos 36 caças, que não sabemos nem se vamos ter realmente, pois ainda não tem contrato para isto. Aprender na sala de aula ou vendo os outros fazerem é muito complicado de se absorver tecnologia.
Saudações.

Mauricio R.

“…A Dassault fazer parte de um consorcio europeu de defesa e por sua vez era proprietária da EMBRAER, logo nenhuma…”

O consórcio em questão, detinha somente 20% da participação acionária da empresa á época.

Nunão

Mauro,

“Adoraria ver quanto tempo a EMBRAER dura sem os financiamentos do BNDES…”

Creio que duraria tanto tempo quanto suas concorrentes do resto do mundo sem os seus financiamentos similares para exportações.

Saudações!

Combates Aéreos

Constant Peg, o programa secreto da USAF que usava aviões russos para treinamento

A Força Aérea dos EUA revelou em 2006 uma parte da complexa série de programas que obtiveram, testaram e...
- Advertisement -
- Advertisement -