Home Aviação Comercial E a verdadeira preferência da FAB seria…

E a verdadeira preferência da FAB seria…

634
158

Hornets

… pelo Super Hornet, por causa do fator logístico

Enquanto as atenções se voltam para o Rafale (preferência do Governo no FX-2) e o Gripen (preferência da Embraer), o Boeing F/A-18E/F Super Hornet corre por fora, sendo defendido por alguns setores dentro da FAB.

O argumento a favor do Super Hornet seria a logística, fator determinante para a disponibilidade do Poder Aéreo. Sem uma boa logística (facilidade de manutenção e acesso a peças de reposição), os aviões não voam, a manutenção fica complicada e cara.

Nesse ponto, a FAB tem longa tradição e experiência com os equipamentos de origem americana e com sua logística, desde a Segunda Guerra Mundial.

As principais aeronaves da FAB sempre foram de origem americana e o  Northrop F-5E Tiger II é o caça mais numeroso e com maior disponibilidade na Força.

No quesito logística, o Super Hornet deixa os outros dois finalistas comendo poeira. O F/A-18E/F é produzido em quantidades muito maiores e tem uma cadeia logística mais farta e confiável, com as facilidades inerentes ao FMS (Foreign Military Sales).

Dentro do conceito de aquisição “Hi-low”, no qual a FAB acabaria adquirindo dois caças no FX-2, a compra do Super Hornet poderia ser feita diretamente, como a Austrália está fazendo, e o Gripen NG BR poderia ser produzido no Brasil pela Embraer. A vantagem seria que os dois aviões usam o mesmo motor.

Lembrando a proposta da Boeing para a FAB:

superhornet-cut

  • Fornecimento de 28 F/A-18E Super Hornet e 8 F/A-18F Super Hornet, 72 F414-GE-400 motores instalados, peças de reposição e armas por US$ 7 bilhões.
  • 4 motores F414-GE-400 para reposição
  • 36 radares AN/APG-79
  • 36 canhões M61A2 20mm
  • 36 RWR AN/ALR-67(V)
  • 144 lançadores LAU-127
  • 44 Joint Helmet Mounted Cueing Systems (JHMCS)
  • 28 mísseis AIM-120C-7 AMRAAM
  • 28 AIM-9M SIDEWINDER
  • 60 GBU-31/32 Joint Direct Attack Munitions (JDAM)
  • 36 AGM-154 Joint Standoff Weapons (JSOW)
  • 10 AGM-88B HARM Missiles
  • 36 Pods AN/ASQ-228 (V2) Advanced Targeting Forward-Looking Infrared (ATFLIR)
  • 36 AN/ALQ-214 Radio Frequency Countermeasures.
  • 40 AN/ALE-47 Electronic Warfare Countermeasures Systems
  • 112 decoys rebocados AN/ALE-50

NOTA DO BLOG: alguns dizem que a França faz pressão para que o Brasil compre o Rafale, dentro do escopo da Aliança Estratégica, que envolve a transferência de tecnologia para o casco do submarino nuclear brasileiro.

Mas lembramos que o Brasil já está pagando um preço altíssimo pela transferência da tecnologia de submarinos, pagando o “pedágio” de 4 submarinos convencionais “Scorpène”. Isso sem contar a compra dos helicópteros EC-725.

Ou seja, o Governo precisa pensar na possibilidade de desvincular o F-X2 da Aliança Estratégica e comprar os aviões que melhor se encaixam nos requisitos e realidade orçamentária da Força Aérea Brasileira e na preferência da Indústria Aeronáutica brasileira.

SAIBA MAIS:

158
Deixe um comentário

avatar
158 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
65 Comment authors
Cristiano GRO queridinho da Embraersaumel HenriqueDouglasAlecsander Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Paulo Renato
Visitante
Paulo Renato

Seria uma boa também os dois vetores….

Mas já está tudo fechado com a França, o Brasil vai comer no prato do Sarkozy e acho que não tem mas volta.
O próprio Sarkozy já falou isso… então não temos mas o que comentar.

FX2 já é passado

Abs.

welington
Visitante
welington

NOTA DO BLOG E a verdadeira preferência da FAB seria… Alguns dizem que a França faz pressão para que o Brasil compre o Rafale, dentro do escopo da Aliança Estratégica, que envolve a transferência de tecnologia para o casco do submarino nuclear brasileiro. Mas lembramos que o Brasil já está pagando um preço altíssimo pela transferência da tecnologia de submarinos, pagando o “pedágio” de 4 submarinos convencionais “Scorpène”. Isso sem contar a compra dos helicópteros EC-725. Ou seja, o Governo precisa pensar na possibilidade de desvincular o FX-2 da Aliança Estratégica e comprar os aviões que melhor se encaixam nos… Read more »

FN
Visitante

Nossa todo mundo tem uma preferência agora!!!!

Isso só pode se piada… mas já era, quere não é poder…

JP
Visitante
JP

Eu não entendo porque muitos insistem no seguinte argumento “encaixam nos requisitos e realidade orçamentária da Força Aérea Brasileira”… se algum dos 3 finalistas não atendesse esses critérios, ele não estaria na shorlit, pois foi a própria FAB que a elaborou.

[]´s

X-nobe
Visitante
X-nobe

Rá meu preferido, embora deva ser mesmo o Rafale enves do F-18, de qualquer forma é melhor um caça como o Rafale do que o Gripen NG.

JP
Visitante
JP

correção:

trecho citado: “que melhor se encaixam nos requisitos e realidade orçamentária da Força Aérea Brasileira ”

shortlist*

Erich Hartmann
Visitante

Bela proposta,mas…sidewinder 9M?

Alexandre Galante
Visitante

JP, os finalistas se encaixam nos requisitos operacionais, não necessariamente na realidade orçamentária da FAB.
A FAB diz para o Governo: o Rafale é ótimo, cumpre as missões, mas custa X de hora de voo. Vocês vão bancar? Os futuros governos irão?

Além de ter o custo de aquisição superior aos outros dois, o custo da hora de voo também é absurdo. Vamos ver como os franceses vão diminuir isso.

JP
Visitante
JP

Olá,

Mas Alexandre, a FAB está ciente de que o Rafale é o que apresenta o maior custo operacional. Porem, se elá permitiu que o Rafale fosse para o time dos finalistas é pq ela acredita que será capaz de opera-lo. se ficarmos presos no quesito realidade orçamentária, de que a situação de penuria atual não vai mudar, então o correto seria cancelar o FX-2 e adquirir F16 ou Gripen C/D, pois qualquer um dos finalistas vai ficar no chãos, todos os 36.

[]´s

Alexandre Galante
Visitante

Discordo, JP. É só comparar os custos operacionais dos três aviões.
A FAB é capaz de operá-lo, se houver dinheiro para tal.

O fato de um avião estar na short-list, não significa necessariamente a sua escolha. A concorrência permaneceria para todos os quesitos, inclusive o custo de hora de voo.

Flavio
Visitante
Flavio

Concordo com o JP.

Nunão
Visitante
Nunão

JP e Galante, Me intrometendo um pouco na discussão para acrescentar um detalhe importante: não só a FAB está ciente desse custo superior, mas o governo também, tanto que pediu para a Dassault melhorar o custo de aquisição e de operação, de forma a cumprir valores compatíveis com os do Armée de l´air. Não devemos esquecer que da fase em que a FAB fechou com três finalistas até agora, muito detalhamento foi feito, levando aos custos finais de cada finalista. E, provavelmente, comparado aos dos outros dois, o Rafale deve ter se saído pior nesse quesito, daí todas aquelas declarações… Read more »

Alexandre Galante
Visitante

Boa lembrança, Nunão.

JP
Visitante
JP

Sim, o fato de um avião estar na shortlist não significa que a sua escolha, mas implica que ele alcançou os critérios mínimos estabelecidos pela FAB. creio que nessa ultima fase o fator custo de operacional não seja ó primodial, mas a atenção deve estar nos armamentos e equipamentos.

ao meu ver, se o Rafale fosse absurdamente caro, a ponto de sua operação ser inviavel em um futuro próximo, ele teria dançado junto com o SU-35 e o EF-2000.

[]´s

Repsol
Visitante
Repsol

No quesito TT o Rafale ganha do f-18. No entanto o f18 ja perdeu, ja que esse é o principal argumento do governo para a aquisição dos aviões.

JP
Visitante
JP

Verdade, Nunão.

ToP GuN
Visitante
ToP GuN

“Repsol em 28 set, 2009 às 16:45
No quesito TT o Rafale ganha do f-18. No entanto o f18 ja perdeu, ja que esse é o principal argumento do governo para a aquisição dos aviões.”

O Kaleu já postou comentários pertinentes sobre a TT. Se por acaso quiser saber quais foram eu posto aqui.

Abraços

JP
Visitante
JP

detalhe importante: não devemos ficar presos ao custos de adquisição e operação… eles são importantes ?sim, claro. Porém diante do que o País pode ganhar a longo prazo, principalmente em relação a absorção de tecnologia, talvez justifique pagar mais caro por um determinado caça.

[]´s

ToP GuN
Visitante
ToP GuN

Eu achei a imagem do post animal! Sem palavras!! Olha a diferença do Super Hornet dos “Kestrels” em comparação aos 2 Hornets legacy. É outro avião mesmo!

Pilotos e mecanicos preferem o SH, ao invés do francês Rafale.

Aliás, o que vcs preferem? Rainhas do hangar ou um avião de verdade????

Abraços

URUTAU
Visitante
URUTAU

Caros senhores Me perdoem mas enquanto voces não se conscientizarem que a França e a Dassault DCNS e outras estão bancando as eleições de 2010 e de quebra algumas continhas em paraisos fiscais Que aqui no blog existem inumeros comentaristas que só escrevem se estiverem devidamente vestidos com camisetas vermelas com estrela Que correm boatos que o nome mais forte para o cargo de vice presidente uma certa candidatura de uma certa ex-guerrilheira é de um politico de iniciais NJ E que mediante todos estes fatos e muitos outros muito mais escabrosos e obscuros nem se o capitão Kirk oferecesse… Read more »

Paulo
Visitante
Paulo

A preferência da FAB é uma, a da Embraer é outra, a dos quilombolas é outra e a do site é outra…Mas como estamos em um regime presidencialista, sendo também o presidente o Chefe Supremo das Forças Armadas, vai dar o que o presidente quiser.
E parece, não sei, mas o Lula já determinou o vencedor.
Estamos só delongando o anuncio final pros ianques e pras suecas não chorarem muito…Mas findo o novo prazo de entrega de propostas todos nós ja sabemos o que vai ser anunciado: Rafale.

renato
Visitante
renato

Se não estiver enganado o proprio Saito pediu para que o programa FX-2 ficasse fora da Aliança. Engraçado e ver a preferncia da industria brasileira e da propria força aerea ser divergente do governo…..A não ser que o Sr Lula, Sr Jobim e ate o Sr Marcos Garcia viram expecialista em armas e guerra aerea

Alexandre Galante
Visitante

JP, as questões de transferência de tecnologia não são claras e não são irrestritas, para nenhuma dos fabricantes. Pagar qualquer preço por TT que pode não ser absorvida, já que nosso parque não está apto a receber todas as tecnologias envolvidas, é temerário. Ninguém ensina o pulo do gato. Lembrando que, segundo algumas fontes, o custo total do Programa do Rafale foi de € 28 bilhões (cerca de US$ 38 bilhões) e o desenvolvimento da versão de exportação, Rafale Mk.2, custou €1,3 bilhão! O Brasil comprando 36 aviões, vai ajudar a pagar o custo de desenvolvimento da versão de exportação… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Que interessante, ontem mesmo fiz uma pesquisa rápida na internet sobre o que a imprensa fala sobre a preferência da FAB e dos pilotos da FAB (a pesquisa está incompleta, ia terminar nessa semana, mas como o blog colocou este post, então vou colocá-la incompleta mesmo). A imprensa fala qualquer coisa. Não tem critério nenhum, nem estatístico e nem jornalístico. O único critério é: desde que não seja a mesma escolha do MD. A grande imprensa brasileira é perdidinha, tadinha! Entretanto, ela não é inocente, nem do ponto de vista político e nem do ponto de vista comercial (é bom… Read more »

Storm
Visitante

Vejam que dentro do conceito de aquisição “Hi-low”, Hornet e Gripen NG realmente seriam uma dupla do “barulho”.

Será que existem a possibilidade da Boeing e da Saab se urirem e apresentarem uma proposta única p/ aquisição e operação dos dois modelos pela FAB?

Isso seria a morte para o Ralale não?

Wilson Johann
Visitante
Wilson Johann

Essa história de “preferência de determinados setores, segundo alguns membros da Força”, já tá enchendo o saco. Que determinados setores ou membros da Força são esses? Pelo que se sabe, a Força Aérea nunca indicou um favorito e nem deixou claro uma preferência por um ou outro modelo. Apenas indicou as qualidades, vantagens e desvantagens de cada um, como, por exemplo, a informação de que tecnologicamente o Rafale é o mais avançado, assim como o fato de que, logisticamente, o Super Hornet é a melhor opção, bem como, em conhecimento para a Força Aérea, dado a opção de participar do… Read more »

Robson Br
Visitante
Robson Br

A PREFERÊNCIA DA FAB SERIA….SEGUNDO ALGUNS MEMBROS DA FORÇA.

A foto do Super hornet não combina com o título e o texto, pois “segundo alguns membros da força” não são todos. Acho o texto muito dirigido e irreal. O SH é o de menor independência. Não combina com o END. Tudo bem o Gripen, apesar dos ricos de partes americanas, mas o SH….HUMMM..tá cheirando mal.

ToP GuN
Visitante
ToP GuN

Só os armamentos oferecido pelos americanos já põe a proposta francesa no chão.

Abraços

JP
Visitante
JP

Alexandre,

Obviamente que as tecnologias que solicitaremos serão aquelas que temos a capacidade de absorver, a FAB não cometeria um erro primário de pagar caro por um conhecimento que acabaria sendo perdido com o tempo.

Agora, acreditar que teremos toda a tecnolgia do Rafale é pura ilusão, como vc bem lembrou, mesmo que fossemos comprar centenas de aviões.

[]´s

Democracia
Visitante
Democracia

Ja se:
Por que não compramos todos, assim todo mundo fica feliz. Mas quando digo todos quero dizer: dos AMX( para agradar os saudosistas), dos Gripens(para agradar a embraer), dos Hornets(para agradar a Fab), e de Rafales(para agradar o LULA), e claro, Sukhois( para agradar a vovódka) e P-51s porque eu gosto muito deste avião.

E aposto que a Vovódka comcorda com migo.

Mas só assim mesmo.

Viva a República !!!

Alexandre Galante
Visitante

Pessoal, esse post nasceu de uma conversa minha com um amigo, que tem contatos dentro da FAB. Eu mesmo tenho contato com pilotos, que não posso dar detalhes para não comprometer essas pessoas, já que há uma concorrência em andamento e há muito em jogo. Resolvi fazer o post para levantar a questão da LOGÍSTICA, que é um ponto considerado por muitos na FAB como crucial. Esse é justamente o ponto fraco dos dois favoritos na concorrência, pela reduzida quantidade de aeronaves produzidas em comparação com o Super Hornet. Desculpem se o post encheu o saco de alguns, mas se… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Hornet em 28 set, 2009 às 17:02,

Hornet, só pra relembrar uma coisa:o Blog não se limita a fontes da imprensa.

Saudações!

Nunão
Visitante
Nunão

Ops! coloquei o comentário e o Galante também estava escrevendo literalmente a mesma coisa…

Enfim, fica mais explicado então.

Saudações a todos!

Joaca
Visitante
Joaca

Eu fiz uma pesquisa, aqui no bar do mané (esquina da Rua do Paraíso com a Maestro Cardim) e descobri que o preferido é a Horiginal, apesar de setores gostarem de Brahma, Skool e Itaipava.
pelo visto, este assunto já acabou, esperamos somente o anuncio oficial (o real)de qual cerveja o mané vai comprar.
at
Joaca

renato
Visitante
renato

Alexandre…mantenha seu perfil e sua posição…!!! que relamente gosta de um debate aberto, alem de tudo sincero entende bem oq ue vc faz e apoia !!!

renato
Visitante
renato

perdão…”realmente”

Jonas Rafael
Visitante
Jonas Rafael

Essa história de que pagamos “pedágio” de 4 Scorpenes é enganosa. A Marinha já divulgou várias notas explicando o processo todo. Adquirimos 4 Scorpenes porque é do interesse da Marinha ter os dois tipos de submarinos e porque os franceses atenderam todos os requisitos técnicos e de transferência de tecnologia. Assim, até por uma questão de logística (não é esse o argumento a favor do Hornet?) faz mais sentido escolhermos um projeto francês de sub convencional. Quanto ao F/A-18, a (forte) possibilidade de restrições legais quanto à liberade de operação futuramente a meu ver anula qualquer vantagem logística que ele… Read more »

Alexandre Galante
Visitante

Mauro, o LM foi autorizado temporariamente pela MB a fazer declarações no Poder Naval, mas agora foi proibido.

A MB só o liberou enquanto a questão dos submarinos não estava definida. Resolveu-se a questão favorável à Marinha, o LM foi proibido.

E se eu tivesse contato com um piloto de provas que testou um dos caças do short-list? Não poderia dizer o nome dele, somente o que dissesse (se dissesse algo).

Hornet
Visitante
Hornet

Nunão, no caso, o blog pode alimentar a imprensa…ou se retroalimentarem. O que chamo a atenção é para o seguinte: a FAB é uma instituição e, como tal, só seu comandante pode falar por ela. Se o Saito vier a público e disser: a FAB prefere o caça X…então é o caça X o preferido pela FAB. Caso contrário, é só lenha na fogueira da especulação e que ajuda nisso que falei: colocar a FAB contra o MD. Cada amigo do vizinho que tem um primo casado com a sobrinha do irmão de um piloto da FAB vai dar uma… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Hornet, entendo seu ponto de vista, por isso o Blog procura ser bastante criterioso quanto às fontes que consulta e o que publica.

Mas discordo totalmente da metáfora do “amigo do vizinho que tem um primo casado com a sobrinha do irmão de um piloto da FAB vai dar uma informação diferente.” Essa pessoa não atenderia aos critérios do Blog.

Alexandre Galante
Visitante

Hornet, sou jornalista, tenho muitos coleguinhas na imprensa. Nós trocamos informações, como é de praxe na profissão. Mas como sou considerado especialista em Defesa por eles, sou mais procurado do que os procuro para obter alguma informação. Mas, por incrível que pareça, algumas vezes os coleguinhas “não-especializados” conseguem algumas informações em off muito preciosas para nós. Não somos levianos nos Blogs de Defesa para afirmar algo sem algum respaldo, até porque atingimos uma credibilidade que não queremos perder. Estamos até pensando em parar de reproduzir matérias de jornais e simplesmente fazer posts nossos com comentários e análises sobre elas. Assim… Read more »

Azul&branco
Visitante
Azul&branco

Não precisa ser especialista para ver isto, o F-18 E/F é a melhor escolha, até por compra direta, e depois o F-35. Ainda seria possível participar do programa de alguma forma? Ao menos a FAB parece não infectada pelo estupidez anti-americana petista.

Harry
Visitante
Harry

Caros Concordo com o comentário do blog, não deveria o Brasil deixar a França vincular o F-X2 a Aliança Estratégica, e se a memoria não falha me parece que no contexto de aliança estrategica França/Brasil só leva em consideração o ProSub. Fica agora uma questão, levando em consideração o apoio politico da França a pretenção geopolitica do Brasil de uma cadeira no Conselho de Segurançao como fica agora o apoio da França? Quando pensamos na postura do Brasil no Caso Honduras e Irã que parece estamos numa situação delicada, é se o governo não tiver a altura a fritura será… Read more »

kaleu
Visitante
kaleu

Galante … excelente matéria ! … dispensa comentários …

abc
Kaleu

gerson ( fronteira sul)
Visitante
gerson ( fronteira sul)

é uma pena que isso ai ja ta tudo decidido.
mas que da oque pensar isso da.
por essas e outras é que defendo o F-18E/F.
acredito que a fab e os pilotos sabem oque estão falando, porque é ela que vai usar os caças.
tudo aqui no brasil é assim. vai ver daqui uns 8 a 10 anos. quantos rafales vão estar voando.

falta verba………pra isso e pra aquilo.

Alexandre Galante
Visitante

Mauro, o título pareceria tendencioso se nós só publicássemos matérias da Boeing no Poder Aéreo, o que não é o caso. O Poder Aéreo e o Naval já foram acusados várias vezes de serem tendenciosos, por títulos e por matérias. Cada um dos editores do Poder Aéreo tem seus caças preferidos, que não são os mesmos e publicamos matérias de todos eles (Rafale, Gripen e Super Hornet). O Blog poderia ser acusado de ser tendencioso pelo nome Rafale aparecer enorme na nuvem de tags? ou pela matéria do Rafale ser a mais lida do Blog? Infelizmente vejo pessoas procurando cabelo… Read more »

evandro
Visitante
evandro

Eu tô escrevendo isso aqui já algum tempo. Que o F18 E/f é a melhor opção para a FAB. O Super Hornet é muito superior aos outros dois concorrentes. Ainda bem que a FAB sabe disso. E eu Também sei!!hehehe!!

zaca
Visitante

Como o F-18 E/F é a melhor escolha se nem na usaf ele participa.Lá quem sempre mandou foram os F-15 e F-16 esses sim super caças usados em varias frentes de batalha por diversos paises!E por falar em caças que tal o F-15 Silent Eagle?

Alexandre Galante
Visitante

Zaca, O F/A-18E/F foi desenvolvido para a US Navy. A USAF tem seus próprios caças.
O F-15 Silent Eagle é uma avião ainda em desenvolvimento e com preço provavelmente superior ao do Rafale e não teria como participar do FX-2.

Alexandre Galante
Visitante

Mauro, aceitamos todas as críticas, porque não somos donos da verdade, nem infalíveis.
Estamos todos aqui aprendendo, fazendo juntos um espaço novo na área de Defesa.

Procuramos sempre fazer os posts com bastante carinho e cuidado, principalmente os títulos, que quando são nossos, demandam algum tempo para pensar. Fazer um bom título é uma arte, talvez não tenha sido feliz nesse post.

Sobre a minha preferência, só revelo depois da decisão final do MD e FAB… 😉