quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

Os F-16 de Israel

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

f-16i-block-52-sufa-1

Os ataques feitos por Israel contra Gaza, nos últimos dias, foram feitos por caças F-16. A Israel Defense Force/Air Force recebeu um total de 362 caças F-16, desde os primeiros F-16A/Bs em 1980/81, aos últimos F-16i, em 2003/09. Cinqüenta dessas aeronaves foram de excedentes da USAF, dadas a Israel pelos EUA, como pagamento pela sua não-interferência na Guerra do Golfo de 1991, apesar dos ataques de mísseis Scud. Todos os F-16 israelenses são equipados com eletrônica própria, algumas desconhecidas (ver foto abaixo).
Os F-16 israelitas foram amplamente utilizados em combate, e têm a seu favor 47 kills em combate aéreo. Eles também foram utilizados no ataque ao reator nuclear do Iraque, em Osirak. Na tabela a seguir, os programas de aquisição de F-16 de Israel.

f-16-israel-2

Program Model Block Qty. Serials Delivered
Peace Marble I F-16A Block 5 18 100/138 (Random nrs) 1980-1981
F-16B Block 5 8 001/017 (Random nrs) 1980-1981
F-16A Block 10 49 219/299 (Random nrs) 1980-1981
Peace Marble II F-16C Block 30 51 301/398 (Random nrs) 1986-1987
F-16D Block 30 24 020/088 (Random nrs) 1987-1988
Peace Marble III F-16C Block 40 30 502/558 (Random nrs) 1991-1993
F-16D Block 40 30 601/687 (Random nrs) 1991-1993
Peace Marble IV F-16A Block 1 3 700/799 (Random nrs) 1994
F-16B Block 1 2 900/999 (Random nrs) 1994
F-16A Block 5 1 700/799 (Random nrs) 1994
F-16B Block 5 7 900/999 (Random nrs) 1994
F-16A Block 10 32 700/799 (Random nrs) 1994
F-16B Block 10 5 900/999 (Random nrs) 1994
Peace Marble V F-16D Block 52 102 400/499 & 800/899 (Random nrs) 2003-2009

f-16-israel-3

Eletrônica desconhecida:
clique na imagem e descubra se for capaz

f-16-israel-eletronica

f-16-israel-4

NOTA DO BLOG: Não é estranho constatar que um pequeno país como Israel, possui 362 caças F-16, enquanto o Brasil, de dimensões continentais, tem uma dúzia de Mirage 2000, cerca de 50 F-5 e a mesma quantidade de AMX? Isso sem entrarmos na questão da eletrônica embarcada e na experiência de combate dos pilotos…

- Advertisement -

148 Comments

Subscribe
Notify of
guest
148 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lecen

Existe uma explicação bastante simples para isso:

Os israelenses estão cercados por países que explicitamente ou impliticamente querem destruí-los ou expulsá-los da região.

É um povo que sabe muito bem o valor da soberania e da defesa de um país.

O Brasil, por outro lado, acredita que guerras são coisas do passado, impossíveis de se acontecer, relegadas a filmes ou no máximo, imagens no noticiário.

Lecen

Aliás, segundo a wikipedia, Israel possui cerca de 30 F-15s e é o númeor máximo permitido pelo Congresso americano para exportações.

Alguém sabe me dizer se isso é reservado somente para os israelenses, tradicionais aliados dos norte-americanos ou o Brasil poderia vir a adquirir igual número de aviões?

Galante

Lecen, a Coréia do Sul tem 40 F-15, o limite deve ter sido ampliado então. Veja:
http://www.aereo.jor.br/?p=1229

Singapura comprou 24:

http://www.aereo.jor.br/?p=1665

Matheus Borges

Concordo com o amigo LECEN, se formos analisar, os conflitos Israelences existem desde a época de cristo, e acho que 2008 anos foram suficientes para saber que devem sempre estar prontos.

Bosco

É uma pena que armas tão devastadoras sejam usadas impropriamente. Terrorismo é caso de polícia e deveria ser tratado pelas forças de inteligência e por organismos de anti e contra terrorismo apropriados aliado a uma política adequada. Ações mais severas tinham que ter aprovação da ONU e serem feitas por forças comandadas por ela. Tratar a “questão palestina” de modo militar só agrava o problema e se não legitima, pelo menos justifica uma reação por parte do “inimigo”. Infelizmente a ONU hoje não significa nada perante a comunidade internacional, tendo sido completamente desacreditada nessa década. A lei da selva voltou… Read more »

Galante

Bosco, quando a “lei da selva” deixou de existir nas relações internacionais? Por mais que empreguemos eufemismos, no final, quando acaba a diplomacia, só a força das armas pode resolver.
Na opinião de muitos, Israel usa as armas que pode para enfrentar atores não-estatais, que não querem mais o diálogo.

Excel

Galante, Não esquecer que a Coréia comprou mais 20 F-15K num segundo pedido e ainda ganhou mais 1 de presente só de mimo da Boeing (ao todo 21). Fora do assunto mas a KAI finalmente escolheu o radar que vai equipar o FA-50, e com isso foram definidos os armamentos que a aeronave carregará. Será um EL/M-2032 da ELTA em vez de um AESA (negado pelos EUA). O avião terá capacidade ar-ar e ar-terra e serão constuídos 142 unidades entre diversas configurações. Mais detalhes podem ser depreendidos nas fotos da página a seguir: http://bemil.chosun.com/brd/view.html?tb=BEMIL081&pn=1&num=45873 Uma pegunta de leigo: Existe muita… Read more »

Galante

Excel, para um avião como o FA-50, o radar 2032 tá ótimo, não precisa ser AESA. A diferença básica entre estes radares está na forma como eles varrem os céus. Nos mais antigos, a varredura é mecânica, a antena do radar tem atuadores que giram nos eixos horizontal e vertical. Nos AESA, a varredura é eletrônica, que traz muitas vantagens, mas não é imperativa. Com relação ao AMRAAM, a questão não é de hardware, mas de software. O Derby, por ser israelense, já possui uma interface para o Elta 2032. O AMRAAM tem alcance maior que o Derby, mas para… Read more »

Marco

Quem não quiser acreditar que não acredite .FELIZ É O PAÍS QUE APÓIA ISRAEL. Ezequiel CAP.38 ainda não se cumpriu.Leia o último verso 2 Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. 3 E dize: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; 4 E te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande… Read more »

Leandro Furlan

O número de aeronaves na IAF e na FAB nunca pode ser comparado.

O Estado de Israel já nascera em guerra e sempre fora ajudado pela ONU (criadora do Estado) e pelos EUA.

O Oriente Médio é um poço de munições com vários países jogando fósforos acesos dentro. Já a América Latina é uma região pacífica sendo que o último conflito fora ocasionado por um governo militar, que para justificar seus fracassos, inavdira uma ilha sem apelo político. A Inglaterra revidou e vimos a última guerra no continente.

É óbvio que Israel tem que ter mais caças.

Excel

Valeu Galante. Pelos teus comentários o projeto FA-50 está bem encaminhados então.
Agora quanto à primeira foto colocada neste post, o F-16 parece que ganhou um par de orelha a la “Spock”. Haja cotonete …

Bosco

Galante e Marco,

sem comentários!

jacubão

Meu caro Leandro, se não estiver enganado o último conflito armado na A. do Sul, foi entre o Peru e Equador, e tem algumas images no YOU TUBE, de caças Equatorianos derrubando Sukkoys Peruanos.

Ulisses

Marco

Concordo com você pois também leio a Bíblia e admiro muito estas lindas e sábias frases.Também vale ressaltar que Israel NUNCA SERÁ DESTRUÍDA,porque mesmo na bíblia diz que virão catástrofes para todo o mundo mas Israel NÃO terá o mesmo destino.

Um abraço.

Daniel

Aos ingênuos:

Todo mundo critica hipocritamente as ações de Israel, mas todos admiram sua valentia.
É o David contra os Golias que os cercam, mas não têm a determinação desse povo guerreiro que há milênios luta pra sobreviver.
Covardes são os Saddam, Hamas, Hezbolahs da vida que utilizam como escudos, casas do povo oprimido para montarems suas ‘guerras’.
Viva Israel!

Wladimir

Realmente não podemos esquecer a ajuda dos Yankes. Israel, além de receber bubunfa $, compra equipamentos a um custo menor do que nós. Enquanto um F-16 aqui sai por no mínimo U$ 50 milhões, para eles, NÃO DUVIDO, que saia até pela metade do preço.

Hornet

Nada contra Israel, nada contra a Palestina…mas num sei, não…acho que feliz é o país que está longe de Israel e de toda essa confusão. Por falar em Bíblia, a minha veio com defeito: só consigo achar mesagens de paz, solidariedade e compreensão entre os homens neste belo e poético livro…mesmo no caso da Torá, também dá pra se fazer uma leitura bem menos agressiva do que essa história toda de “quem não está a nosso favor está contra nós”, “olho por olho, dente por dente” e demais leituras, digamos, alucinadas e um tanto quanto irracionais e mesquinhas…O mesmo se… Read more »

Radical_Nato

E quanto a eletrônica desconhecida???

SDS!

Tiago Jeronimo

Estranho é querer comparar Israel com o Brazil, isso sim é estranho.

Bosco

Daniel, quem você considera mais covarde? Quem se esconde atrás do que você mesmo reconhece como inocentes oprimidos (que ao contrário dos israelenses são cidadãos livres em um país que tem seus líderes eleitos democraticamente, se tornando co-responsáveis pelas suas atitudes) ou aqueles que sabendo que os mesmos foram feitos de “escudo humano”, atiram? Não vejo valentia de nenhum dos lados meu caro. Hornet, sua bíblia não veio com defeito não meu caro. Dela se pode pinçar o que quiser e dar a conotação que se deseja no momento que se achar oportuno. Tem pra todos os gostos! Como você… Read more »

Bosco

Desculpem-me!
Apertei de novo uma m—— de uma tecla e enviei sem querer uma mensagem incompleta. Acho que é a pressa em digitar.

jacubão

Não esquenta não, isso já aconteceu comigo. rsrsrsrsr

Gonzales

Israel é um pais chave,no oriente medio,para os EUA e esta é uma das razões que levam os americanos do norte a doarem mais de $1 bilhão de dólares anuais as forças armadas israelenses, assim até eu.As nossas forças armadas estão depauperadas, porque temos um congresso revanchista e corrupto(alguns), que no tocante ao aumento de seus proprios vencimento é muito generoso.

Bosco

Israel ganhou 2 submarinos dos alemães como indenização por eles terem ajudado os iraquianos a produzirem armas químicas que não chegaram a ser usadas contra os israelenses, e 50 F-16 dos americanos por não terem entrado na guerra em 91.
Puxa!
Será que o Brasil não tem como “deixar de fazer algo” pra ver se ganha alguma coisinha também?

Almeida

Infeliz a nota do blog, a realidade de Israel eh COMPLETAMENTE diferente da nossa, sob quaisquer aspectos. Estao repetindo o erro do blog naval e comparando maças com laranjas.

jacubão

É simples. O Brasil baba o ovo dos EUA e ganha uns dois sub Gupie, quatro Kinox, dois J. F. Kenedy, uns quarenta M41, uns doze Republic F-105 e uns vinte F-104.

Bosco

jacubão,
não pensou em nada mais novo não, tipo F-4 e nas fragatas OHP?
Tinha que ser Knox, M41 e F105?
KKKKkkkkkkkkkkk;;;;;;;,,,,,,…….
Um abraço.

henrique

O Brasil possui equipamento de menos e pessoal demais. Uma das iniciativas seria a redução de pessoal e com a econonomia gerada, fazer as aquisições de material. O governo joga dinheiro do contribuinte no ralo, com as forças armadas no estado em que estão.
Para se ter um parâmetro, o Canadá, maior em extenção que o Brasil, possui uma força aérea com 180 F18 e aproximadamente 20 mil integrantes na Força Aérea. A força aérea israelense também é pouco numerosa em integrantes. Temos 60 mil numa força aérea capenga. Melhor ter uma força aérea menos numerosa e mais capaz.

rodrigo rauta

Bosco
Mas ja que é pra ser um poquinho mais novo pq não uns f-14 e alguns spruace???
abraços!

Wladimir

Ficou feio o F-16 com os tanques conformais. Estragaram com o bichinho! De esbelto passou a gordo e rechonchudo! Fazer o que…

Estes dias vi uma reportagem onde dizia que a cada R$ 4,00 para as FFAA, R$ 3,00 eram para pagar pessoal e que desses, R$ 2,40 são destinados aos INATIVOS!!! Ou seja, pagamento de pensão! É meus amigos, a vida não é fácil. Conheço um Gereral que ganha a bagatela de R$ 50 mil por mês! Conheço não, meu pai conhece…

Hornet

Bosco, Agora tive a certeza que temos muito mais em comum que a especialização que fizemos na Universidade de Klingon sobre as armas miniaturizantes…também sei que minha Bíblia não veio com defeito…sei bem que são as outras que vieram com problemas de tradução… e agradeço de montão suas palavras…. um abração meu caro ps. Um filósofo judeu e alemão (entre outros atributos) disse o seguinte: “A exigência que Auschwitz não se repita é a primeira de todas para a educação… Qualquer debate acerca de metas educacionais carece de significado e importância frente a essa meta: que Auschwitz não se repita!… Read more »

Hornet

Bosco,

Aliás, aquele curso foi ótimo, não? E aquela tenente Lia, hein? Aquela que serviu com o Alte. Kirk, que gata, não?…pena que as orelhas eram muito pontudas…

mas eu conheço um jeito de eliminar esse problema…hehehehe

abração

Cinquini

Hornet e sua tara pelas Tenentes!!!
Como eu estou indo ver o meu pai, só volto o ano que vem!!!!

FELIZ ANO NOVO!!!!!

Hornet

Ah! as tenentes…hehehehe

valeu Cinquini.

inté 2009.

Hornet

Eu gosto deste assunto, é bem minha praia… Mas uma coisa que precisamos pensar: nação na antiguidade não é a mesma coisa que nação na modernidade. vejamos uma frase como essa, citada da Bíblia: “mas aquela terra foi tirada dentre as nações, e todas elas habitarão seguramente”. Isso aí não tem nada que ver com o mundo moderno. Nação na antiguidade se referia a povos e tribos calcados em elos familiares (quem já leu a Biblia sabe do que estou falando: filho de Davi, sobrinho de não sei quem, neto de não sei o quê…e assim vai…o Genêsis é um… Read more »

Hornet

E “família” na antiguidade também não tem nada que ver com o conceito de família que usamos hoje, na modernidade…mas deixemos isso de lado. Mas a questão é: não tem nada desta história de “povo escolhido”…isso é balela…embora, aceita pela recém-criada ONU, equivocadamente (mas fazer o quê? Agora também, não dá pra voltar atrás), no pós II guerra, e que gerou o conflito. Mais ainda, precisamos relativisar e entender dentro do contexto o que seria um “fim da diplomacia”, que justificasse a barbárie (não importa de que lado), neste conflito. Não dá pra usar conceitos modernos – como é o… Read more »

jacubão

Meu caro Bosco, eu penso mesmo é em equipamento de última geração, o que eu quiz dizer é que o Brasil acita qualquer m… dos Estados Unidos, senão eu falaria em Ticonderoga, O.H.Perry, M1 Abrans, A-10 e f-16A.

Hornet

Bem, e respondendo a questão formulada pela “nota do blog”: não, não é estranho.

Graças aos céus podemos ter o privilégio de ter uma dúzia de Mirages 2000 e nos sentir em segurança e não termos a necessidade de ter 362 caças F-16 e sempre nos sentirmos ameaçados. Isso é um privilégio, uma benção (já que o caminho aqui foi nessa direção), e não uma falha.

abs.

Lecen

Hornet, A razão pelo qual o Brsil não é “ameaçado” é devido a todas as guerras pelo qual participou quando era uma monarquia no século XIX. Estou falando de três conflitos armados internacionais: – Guerra da Cisplatina (1825-28) – Guerra do Prata (1851-52) – Guerra do Paraguai (1864-70) Somente após três guerras, onde o Império impediu que a Argentina reanexasse o Paraguai, Uruguai e Bolívia para ressuscitar o Vice-Reino do Prata, é quea região se tornou carente de “ameaças”. A política do Império de jogar os vizinhos um contra os outros, enfraquecendo-os, possibilitou a “paz” que o Brasil passou pelo… Read more »

Storm

Pergunto: O que seriam aquelas “corcovas laterais no F-16 na primeira foto? Tanques extras de combustivel ? ou espaço p/ mais aviônicos?

se forem tanques extras, haja querosene pois o F-16 já esta com três tanques extras dois debaixos das asas, um no “ventre” Alem é claro dos internos !!!…

Bonifácio

Lecen, Os brasileiros de hoje não imaginam o quanto devem ao Império. Não é por acaso que foi no princípio da república que a Argentina(Questão das Missões), a Inglaterra(Questão do Pirara) e até os banqueiros internacionais(Questão do Acre) aproveitaram para reivindicar territórios brasileiros. Sob o império, tinhamos uma frota que se situou entre a segunda e quarta do mundo e fabricávamos os nossos navios e até os torpedos. Tudo acabou com a república, em especial após a 2ª revolta da armada, reprimida de forma covarde por Floriano Peixoto, um fã dos fuzilamentos. Este apelou para a ajuda material americana e… Read more »

Radical_Nato

E quanto a eletrônica desconhecida??? ( parte 2 )

SDS!

MARSP

Sobre Israel só posso dizer uma coisa, o Brasil hoje não seria nada em termos de força aérea se não fosse os Israelenses, com a sua aviônica. Realmente o Brasil deve muito a eles, e também tem obrigação de apoiá-los.

Bosco

Hornet,
com certeza temos muito em comum e pra mim essa constatação é uma honra.
Um forte abraço “miniaturizante” meu caro amigo, e felicidades nessa “data estelar” que se avizinha.

Storm,
são tanques extras. Pelo jeito o cara ta querendo jogar aquelas duas LGB de 2000 libras a uns 1.500 km. La na caso do ….. Ayatolá. rs.rs.rs…

jacubão,
eu entendi sua brincadeira. Apenas fiz outra em cima.
Um abraço.

pedro

MARSP, se não fosse um brasileiro na ONU hoje não existiria o “estado de israel”…
No mais o rabino/bispo/mulá hornet matou a pau em sua explicação.
Confundir ensinamentos biblicos para fundamentar ataques de israel, ou de palestinos, ou de americanos, ou de muçulmanos é o mesmo que confundir a grande obra do mestre picasso com o grande p… do mestre de obras…..

Wladimir

Ninguém comentou sobre a ELETRONICA DESCONHECIDA porque ela é DESCONHECIDA 😉 hehehe

Ao escrever sobre isso, me surgiu uma dúvida: para colocar estes extras no avião, qualquer país têm que ter autorização para mexer no projeto da aeronave, correto? Sei que Israel produziu sob autorização, mas refiro-me a outros casos.

Bosco

Os eletrônicos desconhecidos sem dúvida são relativos ao RWR, interferidores (ECM), sistema de alerta de mísseis, antenas de comunicação, sistema IFF, etc.
Mas daí pra saber onde tá cada coisa só dando uma boa pesquisada.
Deixo a bola pra vocês.
Mas agora eu fiquei curioso….
Rs.rs.rs…..

jacubão

Outro abraço para você meu caro Bosco.

madvad

pela mor de Deus…parem de citar frases da Biblía como se fossem a verdade absoluta.

Hornet

Bosco,

a honra é toda minha.

E uma feliz data estelar pra vc também.

abração

Reportagens especiais

John Boyd, o piloto de caça que mudou a arte do combate aéreo – parte 3

Depois do caça F-86, os projetistas americanos desenvolveram uma crescente fascinação pela sofisticação nos caças, pela incorporação do avanço...
- Advertisement -
- Advertisement -