domingo, abril 11, 2021

Gripen para o Brasil

Notícia bomba! Israel quer as JDAM-ER

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O jornal Jerusalém Post relata que Israel está considerando comprar a JDAM-ER, para que seus caças possam acertar  alvos em Beirute e Damasco, sem sair do espaço aéreo israelense.
O Estado judaico também está analisando a versão guiada a laser da JDAM.

- Advertisement -

36 Comments

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
J Mitchel

Nós precisavamos tb de umas JDAM-ER para atacar uma certa capital de um país vizinho nosso…. (rindo muito)
At
Joaca

camarada

Acho que FAB tb deveria comprar umas JDAM-ER caso precisasse assustar alguns populistas que estão ao nosso redor sem sair do nosso território!!! eh,eh

Tiago Jeronimo

O Irã que se cuide, Israel não vai deixar eles conseguirem a bomba sem nenhum ataque não.

Vassily Zaitsev

Tiago Jeronimo

Uma nova Osirak? Tal qual fizeram com a usina do Saddam Hussein?

LeoPaiva

Sou admirador desse tipo de sistema, não só pelo baixo custo de aquisição como pela praticidade, só não sei se o JDAM-ER continua a ser um kit para instalação em bombas burras do tipo Mk82/84, composto pelo sistema de voo e de direção, como o resto da família JDAM, ou se ele é um projeto completamente novo de bomba inteligente como as GBU-39 SDB, vou pesquisar. O preço não é restrição para compra do JDAM ( 20.000 Euros ), o que o torna uma boa opção para FAB, só não sei se o congresso americano libera com facilidade pra qualquer… Read more »

raphael

Nao tem como Israel atacar alvos no Iran sem ajuda americana.

rodrigo rauta

MOdernidade e praticidade dessas bombas a parte, eu gostei mesmo foi do titulo do post…ehehehehhe!!!

Tiago Jeronimo

Exato Vassily Zaitsev, uma nova Osirak.

É muito mais dificil para Israel conseguir êxito dessa vez, porque o Irã está mais preparado para repelir um ataque como esse do que estava o Iraque e por todas ou a maioria das instalações iranianas serem subterrâneas. Mas eu acho que os Israelenses vão tentar já que eles tem bem mais a perder se o Irã conseguir a bomba, as últimas compras de equipamentos dos Israelenses vem mostrando que pelo menos a idéia existe.

Corsario-DF

Seria uma excelente compra para a FAB, sem dúvida alguma, aumentaria sobremaneira nosso poder de fogo. Enquanto a Israel, é uma questão de sobrevivência ela atacar o Irã, caso esse ainda não possua a bomba nuclear, pois depois de obtê-la, com certeza eles vão fazer o teste em Israel, só para lembrar os senhores, antes da guerra do golfo em 91, o Iraque era o 3º maior exército do planeta, passando até mesmo o soviético que já estava se desmantelando, e mesmo assim em 81 eles atacaram Osirak com excelentes resultados. Tem que se frisar, que de qualquer forma as… Read more »

camarada

Antes de ser lançada, a bomba recebe as informações de altitude,vento e ângulo no qual deixará a aeronave.Uma vez separada do pilone ela voa a uma velocidade de aprox. mach 0.9 e em todo percurso rumo ao alvo pode comparar imagens geradas por seus sensores CCD-TV ou infra-red com cerca de 100 missões anteriores arquivadas em seu banco de dados(cada missão contendo um grande numero de imagens).O guiamento por GPS é uma espécie de sistema redundante para o caso de o sensor eletroótico não conseguir acoplar no alvo por alguma razão.Como o sinal GPS pode ser anulado ou enganado,o uso… Read more »

Bosco

O kit de asas escamoteáveis aumenta o alcance da bomba de uns 25/30 km quando disparada de uns 10.000 metros por um caça a mach 0,9 para uns 80/90 km.
Embora não tenha a precisão dos sistemas a laser e nem a dos sistemas de imagem (IIR e TV) ela possibilita lançamentos contra alvos múltiplos e sem intervenção humana após o disparo, o que multiplica os alvos atingidos em uma única sortida sem colocar a aeronave em risco. Além disso pode ser usada em qualquer condição atmosférica e devido ao sistema inercial, não é sensível à interferência eletrônica anti-GPS.

LeoPaiva

Colega Bosco,

Não achei muito lógica a informação de que esse sistema é imune a interferências no sistema GPS só porque é inercial, uma vez que o kit instalado deve prover ajustes no curso, mesmo sem propulsão.

Se puder explicar melhor eu agradeceria.

Sds.

Bosco

Leo,
o sistema inercial também provê ajustes no curso, corrigindo mudanças provocadas pelo vento, etc. É claro que há uma deterioração da precisão, mas como as distância percorridas não são tão grandes, a bomba continua efetiva.
Um ICBM tem uma precisão de 150 m após percorrer 13000 km. No caso as distâncias são bem inferiores. É claro também que o IMU de uma JDAM é muito menos sofisticado, mas coloquei apenas como ilustração.rs.rs….
Mas eu me corrijo. Talvez o melhor seja “é menos sensível à interferência anti-GPS”
Um abraço.

Bosco

Só complementando: Na realidade a grande vantagem do GPS nas bombas (em armas guiadas em geral) foi a versatilidade. Com ele se torna muito mais fácil endereçar uma bomba para um determinado ponto. Se não existisse o sistema GPS a bomba teria que ser “mirada” contra um alvo de maneira muito mais complexa. Não tem como simplesmente digitar coordenadas em armas guiadas por um sistema inercial de maneira simples como acontece com armas guiadas por GPS. No quesito precisão ele funciona como uma “sintonia fina”, mas quem realmente carrega o piano é o IMU (unidade de medição inercial). Tanto é… Read more »

LeoPaiva

Ops,

Pesquisei e já entendi a sua colocação, e você está corretíssimo, na verdade, o que ocorre no sistema inercial é um acúmulo de erro que aumenta de forma proporcional a distância a ser percorrida, para essa correção é utilizado em conjunto o sistema GPS apenas de forma auxiliar, no caso do JDAM,o CEP proporcionado pelo IMU é aceitável no caso das Mk84, o que realmente torna o GPS dispensável caso seja interferido, principalmente se essa interferência ocorrer próximo ao alvo.

Desconsidere o post anterior.

LeoPaiva

Ficou claro para mim agora, obrigado pela aula de hoje,rs rs.

Abraços.

Bosco

Sem gozação Leo!
Um abraço meu caro!

Leo

Corsário, O raciocínio israelense de ataques preventivos é uma das maiores causas de turbulência no mundo. O pior de tudo é o pessoal que fica pregando que os iranianos vão fazer a bomba testar a bomba em Israel. Isto é uma bobagem sem tamanho. Israel tem muito mais de 200 bombas termonucleares, portanto mais potentes que as bombas A, e num contra-ataque eliminaria o Iran da face da terra. O grande problema de atacar o Iran, é que além de não conseguir destruir todas as instalações, o país sairá do TNT e buscará o desenvolvimento de armas nucleares. Poderá fazê-lo… Read more »

J Mitchel

Nós precisavamos tb de umas JDAM-ER para atacar uma certa capital de um país vizinho nosso…. (rindo muito)
At
Joaca

camarada

Acho que FAB tb deveria comprar umas JDAM-ER caso precisasse assustar alguns populistas que estão ao nosso redor sem sair do nosso território!!! eh,eh

Tiago Jeronimo

O Irã que se cuide, Israel não vai deixar eles conseguirem a bomba sem nenhum ataque não.

Vassily Zaitsev

Tiago Jeronimo

Uma nova Osirak? Tal qual fizeram com a usina do Saddam Hussein?

LeoPaiva

Sou admirador desse tipo de sistema, não só pelo baixo custo de aquisição como pela praticidade, só não sei se o JDAM-ER continua a ser um kit para instalação em bombas burras do tipo Mk82/84, composto pelo sistema de voo e de direção, como o resto da família JDAM, ou se ele é um projeto completamente novo de bomba inteligente como as GBU-39 SDB, vou pesquisar. O preço não é restrição para compra do JDAM ( 20.000 Euros ), o que o torna uma boa opção para FAB, só não sei se o congresso americano libera com facilidade pra qualquer… Read more »

raphael

Nao tem como Israel atacar alvos no Iran sem ajuda americana.

rodrigo rauta

MOdernidade e praticidade dessas bombas a parte, eu gostei mesmo foi do titulo do post…ehehehehhe!!!

Tiago Jeronimo

Exato Vassily Zaitsev, uma nova Osirak.

É muito mais dificil para Israel conseguir êxito dessa vez, porque o Irã está mais preparado para repelir um ataque como esse do que estava o Iraque e por todas ou a maioria das instalações iranianas serem subterrâneas. Mas eu acho que os Israelenses vão tentar já que eles tem bem mais a perder se o Irã conseguir a bomba, as últimas compras de equipamentos dos Israelenses vem mostrando que pelo menos a idéia existe.

Corsario-DF

Seria uma excelente compra para a FAB, sem dúvida alguma, aumentaria sobremaneira nosso poder de fogo. Enquanto a Israel, é uma questão de sobrevivência ela atacar o Irã, caso esse ainda não possua a bomba nuclear, pois depois de obtê-la, com certeza eles vão fazer o teste em Israel, só para lembrar os senhores, antes da guerra do golfo em 91, o Iraque era o 3º maior exército do planeta, passando até mesmo o soviético que já estava se desmantelando, e mesmo assim em 81 eles atacaram Osirak com excelentes resultados. Tem que se frisar, que de qualquer forma as… Read more »

camarada

Antes de ser lançada, a bomba recebe as informações de altitude,vento e ângulo no qual deixará a aeronave.Uma vez separada do pilone ela voa a uma velocidade de aprox. mach 0.9 e em todo percurso rumo ao alvo pode comparar imagens geradas por seus sensores CCD-TV ou infra-red com cerca de 100 missões anteriores arquivadas em seu banco de dados(cada missão contendo um grande numero de imagens).O guiamento por GPS é uma espécie de sistema redundante para o caso de o sensor eletroótico não conseguir acoplar no alvo por alguma razão.Como o sinal GPS pode ser anulado ou enganado,o uso… Read more »

Bosco

O kit de asas escamoteáveis aumenta o alcance da bomba de uns 25/30 km quando disparada de uns 10.000 metros por um caça a mach 0,9 para uns 80/90 km.
Embora não tenha a precisão dos sistemas a laser e nem a dos sistemas de imagem (IIR e TV) ela possibilita lançamentos contra alvos múltiplos e sem intervenção humana após o disparo, o que multiplica os alvos atingidos em uma única sortida sem colocar a aeronave em risco. Além disso pode ser usada em qualquer condição atmosférica e devido ao sistema inercial, não é sensível à interferência eletrônica anti-GPS.

LeoPaiva

Colega Bosco,

Não achei muito lógica a informação de que esse sistema é imune a interferências no sistema GPS só porque é inercial, uma vez que o kit instalado deve prover ajustes no curso, mesmo sem propulsão.

Se puder explicar melhor eu agradeceria.

Sds.

Bosco

Leo,
o sistema inercial também provê ajustes no curso, corrigindo mudanças provocadas pelo vento, etc. É claro que há uma deterioração da precisão, mas como as distância percorridas não são tão grandes, a bomba continua efetiva.
Um ICBM tem uma precisão de 150 m após percorrer 13000 km. No caso as distâncias são bem inferiores. É claro também que o IMU de uma JDAM é muito menos sofisticado, mas coloquei apenas como ilustração.rs.rs….
Mas eu me corrijo. Talvez o melhor seja “é menos sensível à interferência anti-GPS”
Um abraço.

Bosco

Só complementando: Na realidade a grande vantagem do GPS nas bombas (em armas guiadas em geral) foi a versatilidade. Com ele se torna muito mais fácil endereçar uma bomba para um determinado ponto. Se não existisse o sistema GPS a bomba teria que ser “mirada” contra um alvo de maneira muito mais complexa. Não tem como simplesmente digitar coordenadas em armas guiadas por um sistema inercial de maneira simples como acontece com armas guiadas por GPS. No quesito precisão ele funciona como uma “sintonia fina”, mas quem realmente carrega o piano é o IMU (unidade de medição inercial). Tanto é… Read more »

LeoPaiva

Ops,

Pesquisei e já entendi a sua colocação, e você está corretíssimo, na verdade, o que ocorre no sistema inercial é um acúmulo de erro que aumenta de forma proporcional a distância a ser percorrida, para essa correção é utilizado em conjunto o sistema GPS apenas de forma auxiliar, no caso do JDAM,o CEP proporcionado pelo IMU é aceitável no caso das Mk84, o que realmente torna o GPS dispensável caso seja interferido, principalmente se essa interferência ocorrer próximo ao alvo.

Desconsidere o post anterior.

LeoPaiva

Ficou claro para mim agora, obrigado pela aula de hoje,rs rs.

Abraços.

Bosco

Sem gozação Leo!
Um abraço meu caro!

Leo

Corsário, O raciocínio israelense de ataques preventivos é uma das maiores causas de turbulência no mundo. O pior de tudo é o pessoal que fica pregando que os iranianos vão fazer a bomba testar a bomba em Israel. Isto é uma bobagem sem tamanho. Israel tem muito mais de 200 bombas termonucleares, portanto mais potentes que as bombas A, e num contra-ataque eliminaria o Iran da face da terra. O grande problema de atacar o Iran, é que além de não conseguir destruir todas as instalações, o país sairá do TNT e buscará o desenvolvimento de armas nucleares. Poderá fazê-lo… Read more »

Combates Aéreos

Como a Força Aérea Iraquiana foi destruída na Guerra do Golfo em 1991?

Por Alexandre Galante Quando o Irã e o Iraque encerraram uma brutal guerra de 8 anos em 1988, a Força...
- Advertisement -
- Advertisement -