Home Noticiário Internacional Jobin: Acordo bilateral com os EUA passa por transferência de tecnologia

Jobin: Acordo bilateral com os EUA passa por transferência de tecnologia

86
0

O governo do Brasil avisou nesta quinta-feira ao dos Estados Unidos que haverá mudanças no relacionamento bilateral em termos de defesa nacional. E a principal diz respeito à transferência de tecnologia de equipamentos que os americanos vendam às Forças Armadas brasileiras: o país só fará compras caso haja transferência de tecnologia, que o governo repassaria ao setor privado.

A mensagem foi passada pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim em reunião no Pentágono com o secretário de Defesa, Robert Gates, que continuará nesse posto no governo de Barack Obama. Depois de dizer ao colega que “o patamar dos entendimentos do Brasil com os EUA vai ter que mudar”, Jobim explicou que isso se deve ao fato de que a reformulação na estrutura das tropas brasileiras – tanto Exército, quanto Marinha e Aeronáutica – a ser aprovada no próximo dia 11, tem como eixo a indústria nacional de defesa:

– Deixei claro que a capacitação nacional é fundamental. E que qualquer tipo de transação que pudesse vir a ser feita em termos de equipamentos que precisamos, passaria pela transferência de tecnologia. Se não tiver isso, não há conversa.

Até o fim da noite, o Pentágono não havia divulgado sua versão sobre a conversa. Segundo Jobim, Gates compreendeu a nova postura do Brasil. Jobim disse ter ficado satisfeito com o encontro porque pôde perceber em Gates uma nova postura do novo governo dos EUA:

– A percepção é a de que estávamos no mesmo nível. Eu disse que não era uma conversa entre alguém que tinha superioridade e alguém que estava suplicando alguma coisa.

Fonte: Globo.com

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Wolfpack
Wolfpack
12 anos atrás

O que eu ouvi é que os EUA estão reticentes na transferência de tecnologia. E volto a dizer nem a Mizuno fabrica aqui seu tênis de corrida mais modernos Wave 7,8 e 9. Imagine transferir tecnologia de defesa. Faz bem a Embraer e este é o caminho, se deseja captar tecnologia, que monte uma Fabrica e um Centro de R&D nos quintal dos caras, utilize suas Universidades e Laboratórios de Pesquisa e que estes Royalties de Conhecimento sejam um dia transferidos para os Centros localizados aqui. Este é um caminho inteligente, estratégico, evolutivo de crescimento. Minha opinião, os Americanos ouviram… Read more »

Rapha SC
Rapha SC
12 anos atrás

Será que o fim dos “contratos CARACÚ”?

Democracia
Democracia
12 anos atrás

Da neles Jobim !!!!

Viva a Republica !!!

Henrique
Henrique
12 anos atrás

Se o Brasil viesse com um projeto de aquisição de pelos menos uns 150 caças até mesmo com a construção de uma parte destes aqui no Brasil poderíamos ter algum contrato de transferência de tecnologia em alguma área do projeto (não na totalidade). Agora … falar em transferência de tecnologia para aquisição de apenas 36 caças e até 2015, é querer pedir demais não acham? O Congresso americano não permitiria isso jamais visto que são investimentos em tecnologia de defesa de décadas pagos pelos estado (contribuinte) americano e que não iriam de bandeja para qualquer país que fosse pela aquisição… Read more »

Raphael
Raphael
12 anos atrás

Henrique, o que falou eh muito sensato. Nunca vi disto. 36 cacas eh querem transferencia de tecnologia. Nenhum pais no mundo vai te dar transferencia de tecnologia importante nenhuma por 36 cacas. Mais o Brasil eh asim, todo mundo quer as coisas facil, ficar rico facil, fazer jatos cacas facil, virar potencia mundial facil e asim vai.

Leo
Leo
12 anos atrás

O Jobim já acordou para a vida ($$) faz tempo. Em Eurous…

Agora não precisava ficar fazendo papel de bobo nos EUA. Um pouco de humildade não faz mal a ninguém especialmente quando se vai a casa dos outros pedir tecnologia a troco de banana. Parece até que ele foi lá comprar 300 caças, pagando à vista. Francamente…

RL
RL
12 anos atrás

Eu sempre critico o governo. Más desta vez eu me rendo humildemente as atitudes deste homem que certamente projetou o mando de seu superior, nosso chamado “Molusco”. Neste caso, é fato de que eu reconheço essas atitudes como sendo benéficas ao país. Deveria ter sido assim, desde os primeiros contratos o que em épocas passadas era praticamente impossível por não termos um pátio fábril justificável. Hoje graças a Deus e aos empresarios do setor de defesa, dos responsáveis competentes das FA´s e de alguns pouquissimos porem louvaveis politicos, nós temos como bater no peito e posicionarmos para “Fazer negócios” em… Read more »

Francisco M. Xavier
Francisco M. Xavier
12 anos atrás

Começaram a cair na real? eu e o Wolfpack sempre dissemos que “almoço grátis não existe”! se vier tranferência de alguma coisa, nós vamos pagar!!!!!!!!! e caro! e neste ponto não estou sendo pessimista não, como de custume :), estou sendo realista! quer dizer…o Brasil expurga sua indústria de defesa, desde os tempos do Sarney e agora quer de mão beijada, com compra de 36 caças, tranferência???? acorda Brasil! Será que Israel, que fabrica variados armamentos tecnológicos não tentou isso? e a Inglaterra???? se eles tiveram alguma tecnologia repassada foi a custa de muito dinheiro e participação nos projetos! Agora… Read more »

Billy
Billy
12 anos atrás

É claro que repassarão a tecnologia deles… mas só se também estivermos preparados para entregar gratuitamente a nossa…por exemplo a de prospecção de petróleo em águas profundas (??)

Hornet
Hornet
12 anos atrás

Há diferentes formas de transferência de tecnologia, a saber: licenciamento exclusivo ou não; único licenciamento; joint venture e/ou licenciamento; compra e/ou licenciamento; suprimento de know-how tecnológico e informações classificadas, reservadas ou secretas; fornecimento de máquinas, componentes e materiais de produto; fornecimento de serviços técnicos e garantias em geral e testes de comportamento ou uso, dentre outras. Precisamos primeiro saber que tipo de transferência de tecnologia o Jobim e o Brasil estão querendo, para depois analisarmos se os EUA (França e Suécia) estão ou não dispostos a nos fornecer. Podemos definir a transferência de tecnologia como uma negociação econômica, política e… Read more »

kaleu
kaleu
12 anos atrás

Blogueiros, tá ridículo esse “joguinho de cena” do Jobim, alguém devia dizer pra ele que tranf de tecno não se negocia através da imprensa….

…pessoal esse imbecil do Jobim falando tá me lembrando muito os 3 porquinhos, Lugo, Evo e principalmente o Rafa, ESBRAVEJANDO ASNEIRAS ATRAVÉS DA IMPRENSA pra impressionar os seus rídiculos países….

…alguem aqui sabe se o Jobim está se candidatando?… MEU DEUS ESTES “CANHOTOS” SÃO RIDÍCULOS… e nem mesmo mudam sua “ridícula estratégia…

LAMENTÁVEL

Kaleu

kaleu
kaleu
12 anos atrás

ESSE JOBIM TÁ MAIS PRA MIN. DA DEFESA DA VENEZUELA… TA VERGONHOSO… DIGNO DO CHAVES…

KALEU

Storm
12 anos atrás

A atitude de Jobin de tentar negociar com os americanos de igual para igual é digna de nota. Pois não podemos ir para uma briga escolhendo como vamos perder é preciso ter um pouco de orgulho. Mas temos que ter os pés no chão, concordo com a maioria dos colegas que disseram que o Jobin tá querendo d+. Só 36 caças e ele quer a receita de como fazer o “bolo”? se for isso é muita pretenção mesmo. Achar que conhecimento se passa de mão beijada só porque nos somos os bonzinhos da Amérida do Sul. Mas há que se… Read more »

Invincible
Invincible
12 anos atrás

Olha! Uma coisa eu digo para vocês. Mesmo que os EUA, França ou Rússia venham para o Brasil e montem uma fábrica, ensinem a fazer um avião e contem todos os segredos do avião, mesmo assim!

Em uns 5 anos não saberíamos fazer mais nada. E não por incompetência, mas por que não haveria insentivo para tal. As tecnologias que o país desenvolve já se perdem imagina ganhando.

O maior inimigo do Brasil é a falta de vontade.

welington
welington
12 anos atrás

A duas explicações para os EUA nos transferirem alguma tecnologias do F-18 SH, 1º eles não querem ver a Rússia e outros países europeus com forte influencia sobre o nosso país, 2º que o F-18 SH não é um F-22 o melhor caça do mundo atualmente e o melhor vetor americano, ele é um caça tampão ate a chegado do F-35 em números aceitáveis, e estarem operacionais naquela força com certa doutrina, por este motivo não seria problema algum para os EUA nos transferirem algumas de suas tecnologias desta ótima aeronave, como radar, motor, estrutura e alguns outros aniônicos, e… Read more »

kaleu
kaleu
12 anos atrás

Welington é verdade, os USA tem bons motivos para firmarem uma parceria com o Brasil, além do q vc abordou, ainda existe as questões de segurança energética e alimentar, essenciais para os EEUU, além, claro, da condição econômica (os EEUU não estão em posição de “perder” contratos de vendas), certamente há forte interesse dos yankees nesse negócio, mesmo lhes custando transf de tecno. Somente não concordo com a abordagem adotada pelo Min. Jobim, esbravejando asneiras através da imprensa, essa postura não é condisente com o representante de um país sério, que REALMENTE está disposto a uma aliança estratégica com o… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Kaleu! agora concordo em gênero, número e grau contigo! vamos pegar o Jobin na saída?! 🙂
Abraço
Francisco

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Comprem logo 200 unidades com 3 radares de reserva, uns 1000 mísseis BVR e uns 5000 IR, pneus, 3 motores, todos os componentes x3…e só exijam manipulação do código fonte! 🙂 vai custar mais barato! garanto! he he

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Além do mais, quando eles ficarem bem velhinhos, a gente contrata Israel par modernizarem os bixinhos, só neste tempo deve correr uns 50 anos… 😉

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Será possível meu Deus que tem gente aqui que não entende nada ou não acredita!!!

36 é a encomenda INICIAL dos caças,se alguém quer saber o que significa INICIAL,é que 36 caças viram em 2014(apesar de que eu acho que o SH vem mais cedo)assim no outro ano,ou seja,2015 virão mais,2016,vem mais,e assim em diante.

Se for Rafale,36 Rafale em 2014 até completar os 120 Rafales.Isto serve para qualquer um dos três finalistas.E outra,está no plano a fabricação desses caças aqui mesmo no Brasil!

Deu para entender ou terei que soletrar isto?!

Billy
Billy
12 anos atrás

Algum especialista pode explicar: O que quer dizer nosso governo com REPASSAR TECNOLOGIA? Capacidade de manutenir os caças aqui no Brasil, até que nivel? Ter os códigos para o uso do armamento,que armas: Americanas, Israelenses,Nacionais;ou Russas?? Monta-los aqui e fabricar partes no Brasil e aplicar o conhecimento n’um futuro caça nacional ou copiar o produto americano e depois revendê-lo a sérios países como venezuela e cuba? Se pensams em compartilhar tecnologia, porque não aderimos ao JSF?

Henrique
Henrique
12 anos atrás

Caro Ulisses, encomenda inicial…. se esta novela está se arrastando por quase dez anos para comprar os primeiros 36 caças imagine 120. Intenção de comprar não significa “contrato com termo de compromisso” para a compra total de 120 caças e aí que está o problema. Num país aonde cada governo que entra muda tudo, quem garente que o Brasil continuará tendo a “intenção” de comprar com o ganhador do FXII após a entrega destes 36 aparelhos? Contratos na área de defesa é “preto no branco” e até para fornecer o know-how para construção de um parafuso é preciso que as… Read more »

Ivan
Ivan
12 anos atrás

Henrique,
Jobim pode ser o plano B sim. B de PMDB.

Ivan
Ivan
12 anos atrás

Mas amigos, o mais importante é que estamos negociando. Antes nem isto era feito. O Nelson Jobim é muitas vezes arrogante, como o foi ao recusar a proposta americana do F-35, colocando o Saito numa “saia justa”. Mas este mérito ele tem. Chamou o assunto defesa para o alto nível, está impondo regras para negociar e, um sonho que sempre acalentei, vem criando um conceito para compras unificadas das forças armadas. Fui infante e sempre achei estranho o EB de FAL, a FAB de HK33 e os Fuzileiros de M-16. Só para falar do básico. Temos que dar uma chance… Read more »

Ivan
Ivan
12 anos atrás

De qualquer forma insisto, como já comentei em outro post, que observemos o exemplo de Israel.
Os aviões da Força Aérea de Israel usam boa parte dos avionicos fabricados em casa, ou adaptados em casa. Isto é essencial.

Henrique
Henrique
12 anos atrás

Caro Ivan, vc está certo! A falta de padronização e estratégia fez com que nossas forças armadas se tornassem além de obsoletas, quase que incompatíveis entre si e é realmente mérito do cidadão em questão falar em plano estratégico e unificação de compras militares.
O problema em questão é a pirotecnia junto à imprensa com muito falatório, muita exigência e imposição etc…etc.., criando uma exposição desnecessária (daí deixa de ser estratégia), quando sequer estamos conseguindo manter os meios atuais (vide situação da MB e EB) e isto, países como os EUA sabem bem como tirar proveito.
Abraço.

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Henrique,uma coisa é FX-1 outra coisa é FX-2. FX-1:Vimos o fracasso internacional que foi este plano,não houve vontade política para,tal.Mas, o plano de 120 caças já existia naquela época. FX-2:O plano foi tirado da gaveta em 2006.O que está sendo negociado para pelo menos inicio de 2009.Está claramente dito desde o inicio do FX-2 que,”tal plano prevê uma encomenda inicial de 36 caças,mas para o lote completo de 120 caças de tal aeronave escolhida e,ainda mais,a compra só será concluída com TOTAL transferência de tecnologia e se tal empresa permitir a construção das aeronaves no Brasil” isto está sendo citado… Read more »

Henrique
Henrique
12 anos atrás

Caro Ulisses, Obviamente o FX 2 é diferente do 1 mas isto não tira o fato que são dez anos de indecisão de um projeto (que encalhou num governo e reiciou no outro) . Agora as coisas estão se acelerando visto não só o estado crítico de nossas FAAs mas também aliado ao reaparelhamento de nossos vizinhos. O fato do projeto ter a intenção de 120 caças ao total não quer dizer que será estabelecido no contrato, nada foi assinado ou pré-acordado ainda… por enquanto são 36 caças apenas senão estariam então falando num contrato de 120 caças! Outro detalhe… Read more »

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Esta bem,Henrique,mas eu continuo com minha opinião.Vamos ver no que tudo isso vai dar.Agora ser cancelado NUNCA.

Um forte abraço.

Wolfpack
Wolfpack
12 anos atrás

Srs. só existe a tão falada transferência de tecnologia quando os dois lados estão em um mesmo nível e caminho de evolução, como o Brasil e a África do Sul no programa de um novo míssil ar-ar. Ai sim o ganho é enorme se somadas as forças, mas não acredito em uma trasnferência de tecnologia Norte-Sul motivada por questões comerciais. Bom seria, assim, se colocaria um preço ao conhecimento adquirido e se transfere de uma só vez todo o conhecimento sobre um processo, uma técnica. Como em Matrix, o filme. A vida real é um pouco diferente. Israel apostou em… Read more »

Viper
12 anos atrás

Vcs queriam o q? Para um governo que toma relaçôes diplomáticas por relações de amizades ideológicas, que tem como conselheiro supremo a BESTA do marco aurélio garcia (Henry Kissinger de 5 categoria), não se poderiam, esperar devaneios menores. Se eu fosse o governo americano dava um chega pra lá. Imaginem peger décadas de pesquisa e desenvolvimento, horas de trabalho duro, noites perdidas em claro, queimando neurônios e entregar ao Auriverde Brasil, terra do Samba e do futebol só pelos lindos olhos do Jobim. Nem em enrredo de escola de samba se viu tanta fantasia. ACORDA BRASIL PS. E com os… Read more »

Henrique
Henrique
12 anos atrás

Caro Ulisses… cancelar JAMAIS poisa daí perderíamos totalmente a credibilidade externa!
Espero estar errado em meu ponto de vista e que coisas realmente boas venham a acontecer em nossa indústria de defesa !
Abraço.

RECRUTA
RECRUTA
11 anos atrás

Será que os americanos vão colaborar com a campanha do PT em 2010, como os franceses fizeram na compra dos helicópteros e a Sadia na compra dos HIND 35 ????????????

Wolfpack
Wolfpack
12 anos atrás

O que eu ouvi é que os EUA estão reticentes na transferência de tecnologia. E volto a dizer nem a Mizuno fabrica aqui seu tênis de corrida mais modernos Wave 7,8 e 9. Imagine transferir tecnologia de defesa. Faz bem a Embraer e este é o caminho, se deseja captar tecnologia, que monte uma Fabrica e um Centro de R&D nos quintal dos caras, utilize suas Universidades e Laboratórios de Pesquisa e que estes Royalties de Conhecimento sejam um dia transferidos para os Centros localizados aqui. Este é um caminho inteligente, estratégico, evolutivo de crescimento. Minha opinião, os Americanos ouviram… Read more »

Rapha SC
Rapha SC
12 anos atrás

Será que o fim dos “contratos CARACÚ”?

Democracia
Democracia
12 anos atrás

Da neles Jobim !!!!

Viva a Republica !!!

Henrique
Henrique
12 anos atrás

Se o Brasil viesse com um projeto de aquisição de pelos menos uns 150 caças até mesmo com a construção de uma parte destes aqui no Brasil poderíamos ter algum contrato de transferência de tecnologia em alguma área do projeto (não na totalidade). Agora … falar em transferência de tecnologia para aquisição de apenas 36 caças e até 2015, é querer pedir demais não acham? O Congresso americano não permitiria isso jamais visto que são investimentos em tecnologia de defesa de décadas pagos pelos estado (contribuinte) americano e que não iriam de bandeja para qualquer país que fosse pela aquisição… Read more »

Raphael
Raphael
12 anos atrás

Henrique, o que falou eh muito sensato. Nunca vi disto. 36 cacas eh querem transferencia de tecnologia. Nenhum pais no mundo vai te dar transferencia de tecnologia importante nenhuma por 36 cacas. Mais o Brasil eh asim, todo mundo quer as coisas facil, ficar rico facil, fazer jatos cacas facil, virar potencia mundial facil e asim vai.

Leo
Leo
12 anos atrás

O Jobim já acordou para a vida ($$) faz tempo. Em Eurous…

Agora não precisava ficar fazendo papel de bobo nos EUA. Um pouco de humildade não faz mal a ninguém especialmente quando se vai a casa dos outros pedir tecnologia a troco de banana. Parece até que ele foi lá comprar 300 caças, pagando à vista. Francamente…

RL
RL
12 anos atrás

Eu sempre critico o governo. Más desta vez eu me rendo humildemente as atitudes deste homem que certamente projetou o mando de seu superior, nosso chamado “Molusco”. Neste caso, é fato de que eu reconheço essas atitudes como sendo benéficas ao país. Deveria ter sido assim, desde os primeiros contratos o que em épocas passadas era praticamente impossível por não termos um pátio fábril justificável. Hoje graças a Deus e aos empresarios do setor de defesa, dos responsáveis competentes das FA´s e de alguns pouquissimos porem louvaveis politicos, nós temos como bater no peito e posicionarmos para “Fazer negócios” em… Read more »

Francisco M. Xavier
Francisco M. Xavier
12 anos atrás

Começaram a cair na real? eu e o Wolfpack sempre dissemos que “almoço grátis não existe”! se vier tranferência de alguma coisa, nós vamos pagar!!!!!!!!! e caro! e neste ponto não estou sendo pessimista não, como de custume :), estou sendo realista! quer dizer…o Brasil expurga sua indústria de defesa, desde os tempos do Sarney e agora quer de mão beijada, com compra de 36 caças, tranferência???? acorda Brasil! Será que Israel, que fabrica variados armamentos tecnológicos não tentou isso? e a Inglaterra???? se eles tiveram alguma tecnologia repassada foi a custa de muito dinheiro e participação nos projetos! Agora… Read more »

Billy
Billy
12 anos atrás

É claro que repassarão a tecnologia deles… mas só se também estivermos preparados para entregar gratuitamente a nossa…por exemplo a de prospecção de petróleo em águas profundas (??)

Hornet
Hornet
12 anos atrás

Há diferentes formas de transferência de tecnologia, a saber: licenciamento exclusivo ou não; único licenciamento; joint venture e/ou licenciamento; compra e/ou licenciamento; suprimento de know-how tecnológico e informações classificadas, reservadas ou secretas; fornecimento de máquinas, componentes e materiais de produto; fornecimento de serviços técnicos e garantias em geral e testes de comportamento ou uso, dentre outras. Precisamos primeiro saber que tipo de transferência de tecnologia o Jobim e o Brasil estão querendo, para depois analisarmos se os EUA (França e Suécia) estão ou não dispostos a nos fornecer. Podemos definir a transferência de tecnologia como uma negociação econômica, política e… Read more »

kaleu
kaleu
12 anos atrás

Blogueiros, tá ridículo esse “joguinho de cena” do Jobim, alguém devia dizer pra ele que tranf de tecno não se negocia através da imprensa….

…pessoal esse imbecil do Jobim falando tá me lembrando muito os 3 porquinhos, Lugo, Evo e principalmente o Rafa, ESBRAVEJANDO ASNEIRAS ATRAVÉS DA IMPRENSA pra impressionar os seus rídiculos países….

…alguem aqui sabe se o Jobim está se candidatando?… MEU DEUS ESTES “CANHOTOS” SÃO RIDÍCULOS… e nem mesmo mudam sua “ridícula estratégia…

LAMENTÁVEL

Kaleu

kaleu
kaleu
12 anos atrás

ESSE JOBIM TÁ MAIS PRA MIN. DA DEFESA DA VENEZUELA… TA VERGONHOSO… DIGNO DO CHAVES…

KALEU

Storm
12 anos atrás

A atitude de Jobin de tentar negociar com os americanos de igual para igual é digna de nota. Pois não podemos ir para uma briga escolhendo como vamos perder é preciso ter um pouco de orgulho. Mas temos que ter os pés no chão, concordo com a maioria dos colegas que disseram que o Jobin tá querendo d+. Só 36 caças e ele quer a receita de como fazer o “bolo”? se for isso é muita pretenção mesmo. Achar que conhecimento se passa de mão beijada só porque nos somos os bonzinhos da Amérida do Sul. Mas há que se… Read more »

Invincible
Invincible
12 anos atrás

Olha! Uma coisa eu digo para vocês. Mesmo que os EUA, França ou Rússia venham para o Brasil e montem uma fábrica, ensinem a fazer um avião e contem todos os segredos do avião, mesmo assim!

Em uns 5 anos não saberíamos fazer mais nada. E não por incompetência, mas por que não haveria insentivo para tal. As tecnologias que o país desenvolve já se perdem imagina ganhando.

O maior inimigo do Brasil é a falta de vontade.

welington
welington
12 anos atrás

A duas explicações para os EUA nos transferirem alguma tecnologias do F-18 SH, 1º eles não querem ver a Rússia e outros países europeus com forte influencia sobre o nosso país, 2º que o F-18 SH não é um F-22 o melhor caça do mundo atualmente e o melhor vetor americano, ele é um caça tampão ate a chegado do F-35 em números aceitáveis, e estarem operacionais naquela força com certa doutrina, por este motivo não seria problema algum para os EUA nos transferirem algumas de suas tecnologias desta ótima aeronave, como radar, motor, estrutura e alguns outros aniônicos, e… Read more »

kaleu
kaleu
12 anos atrás

Welington é verdade, os USA tem bons motivos para firmarem uma parceria com o Brasil, além do q vc abordou, ainda existe as questões de segurança energética e alimentar, essenciais para os EEUU, além, claro, da condição econômica (os EEUU não estão em posição de “perder” contratos de vendas), certamente há forte interesse dos yankees nesse negócio, mesmo lhes custando transf de tecno. Somente não concordo com a abordagem adotada pelo Min. Jobim, esbravejando asneiras através da imprensa, essa postura não é condisente com o representante de um país sério, que REALMENTE está disposto a uma aliança estratégica com o… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Kaleu! agora concordo em gênero, número e grau contigo! vamos pegar o Jobin na saída?! 🙂
Abraço
Francisco