terça-feira, abril 13, 2021

Gripen para o Brasil

F-X2: Boeing marca reunião com fornecedores brasileiros

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Trechos de reportagem de Ana Paula Machado e Júlio Ottoboni, do jornal Gazeta Mercantil

Para se preparar para a licitação dos 36 caças militares promovida pelo governo brasileiro a Boeing iniciou as conversas com fornecedores nacionais para fabricação dos jatos F-18 Super Hornet. Segundo o vice-presidente do programa F-18 da Boeing, Bob Gower, hoje a empresa tem reunião marcada com 30 fornecedores brasileiros. “Já estamos estruturando uma rede de fornecedores, caso nossa proposta seja a escolhida no processo de licitação”, disse o executivo.

O processo brasileiro para a compra dos caças será feita pelo regime off set, onde haverá transferência de tecnologia e também obrigatoriedade de utilização de produtos e peças nacionais. “E uma grande oportunidade para trabalharmos com o Brasil sob o ponto de vista de mercado e também poder acessar a rede de fornecedores que há no país. Todo esse processo será alavancado para o benefício do Brasil. Nessa licitação temos que olhar três aspectos, o militar, em que acredito que nosso avião é um forte candidato, a relação entre governos e também a questão da indústria aeronáutica, se há empresas capacitadas para receber nossa tecnologia”, disse Gower. “Vai ser um processo político”.

A Boeing participará da licitação brasileira com o caça F-18 Super Hornet, e segundo Gower, as configurações do sistema operacional do avião já foram aprovadas pelo governo norte-americano. “Temos todo apoio do governo dos Estados Unidos para a venda dos caças para o Brasil. Já passamos pelo processo de aprovação da configuração dos jatos, já que teremos que transferir tecnologia. Somente a questão das armas que equiparão os jatos é que depende de aprovação do governo”, explicou. Segundo ele, o governo brasileiro publicará amanhã as especificações que deverá conter os jatos. “Queremos ter um cliente na América do Sul. Esta é a nossa meta”, disse Gower,

O governo brasileiro deverá comprar 36 jatos mas tem potencial para mais de 120. Está em jogo um contrato que, num primeiro momento, pode atingir um total de US$ 2,2 bilhões.

O fato de a indústria aeronáutica russa estar desenvolvendo um jato comercial na faixa dos 100 lugares, um futuro concorrente da Embraer, pesou contra a Sukhoi que está excluída do processo apesar de haver se aliado com a brasileira Avibras Indústria Aeroespacial. A Embraer também projetou a unidade de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, para tocar seus grandes projetos militares.

Fonte: Gazeta Mercantil, via Notimp

Foto: Boeing

- Advertisement -

240 Comments

Subscribe
Notify of
guest
240 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RL

Eu trabalho com a área comercial a 14 anos. Sei bem o que significa “Venda Consultiva”. Esse termo tem origem das grandes mentes americanas de se fazer negócios e que são aplicadas em suas empresas. Resumindo, realizar uma venda consultiva não é apenas perguntar ao cliente o que ele quer, e sim se adiantar em todos os aspectos do negócio visando o maior número de possibilidades em atender essas necessidades. E nesse campo, os americanos são imbativeis. Depois se perguntam o porque os EUA é a maior nação ecônomica do mundo com 10 trilhões de PIB anuais. Esta ai a… Read more »

Felipe

Esse “off-set” americano realmente não me cheira bem. Dúvido que eles estejam dispostos a liberar integração de armamentos, pois para tal são necessários os códigos fonte do sistema de armas.

paulo costa

Se for o SH,com radar Aesa,misseis BVR,e boa eletronica embarcada,
e com 36 unidades,otimo,estaremos muito bem equipados…

Douglas

30 fornecedores????????????????? quem?? sobre armas, os chilenos têm BVR nos F 16, acho que não haverá problemas. De qualquer modo temos Israel para fornecimento de mísseis e no futuro, o projeto do A Darter com a Africa do Sul. Por outro lado a FAB vai sondar, antes de adquirir qualquer avião, sobre a questão das armas.

To achando a Dassault muito calada…… tem lobby forte por tras, os franceses estão contando com a visita do presidente em dezembro.

joao

vamos ser realista eu nao acredito que os frances vao transferir tecnologia de ponta. olha o exemplo helibras esta no mercado com a frança ha 10 anos nao chega a 30% .

welington

O SU-35 BM era a única aeronave capaz de cobrir todo o nosso território e que atendia e ate superava algumas especificações, os Russos tinham o melhor pacote de transferência tecnológica, pois já nos ajudam no programa VLS alem de tudo o mais importante, é o 2º melhor caça da atualidade ficando atrás do F-22 Raptor que é de geração diferente e custa 5 vezes mais, a decisão foi e será política, “política” políticos comprados. A SAAB não vai poder nos transferir muita tecnologia pois os motores são de uma empresa americana os computadores e muitas outras peças o que… Read more »

welington

Em relação ao comentário do Douglas é só os EUA piscarem para Israel e eles cortão o nosso fornecimento de mísseis, precisamos é integrar mísseis fabricados nacionalmente caso do A DARTER absorver tecnologia para não dependermos de potencias que podem nos controlar embargando a venda de armas.

Ulisses

São 36 caças no inicio e serão um total de 120,certo.Se o Super Hornet for escolhido,acho que os primeiros 36 virão antes de 2014,por que se fosse o Gripen ou o Rafale eles viriam la pra 2014,15.É o que eu acho.

Se a crise apertar,o PIB americano vai abaixar?

Thiago

Eu acho que que vai levar essa é o Super Hornet.Porque o Refale é um elefante branco se o Brasil adquirir corre risco de só ele e a França adquirir o gripen eu não acho que o Tio Sam liberaria tecnologia americana se ele vencesse. Bom por isso eu acho que o Super Hornet vence.

welington

Boa Thiago tinha esquecido de dizer que o Rafale não venceu nenhuma concorrência que participou e pelo jeito não vai ganhar muitas ou até nenhuma se ele perder o FX2BR. A FAB disse que quer uma plataforma testada o Rafale foi pro Afeganistão só pra fazer nome o F-18 foi testado em diversas situações no Iraque mais sou receoso com os americanos acho que eles vão perder pelo quesito transferência tecnológica, o melhor vetor sem duvidas era o SU-35 BM essa transferência tecnológica Russa englobaria a Embraer, Avibras, ELEB, ATECH e varias outras empresas alem de nos ajudar em vários… Read more »

Lecen

Não entendo essa tara pelos russos que muitos brasileiros possuem. Parecem esquecer que a Rússia é um país extremamente conturbado, volátil e pouco confiável.

Quando se pensa em realizar um investimento desse tamanho (e trata-se sim de um investimento), não se trata somente de comprar aviões militares, mas sim de relações bilaterais a longo prazo. E nesse caso, a Rússia, de todos os países, é o menos confiável.

AMX

Bla bla bla bla bla bla bla… Rafale e SF18 na briga. E eu aposto no Hornet.

Bosco

Eu acho que isto tudo é uma grande lorota. Nos vamos é pegar mais uns 12 Mirage e mais alguns mísseis R530D, só para criarmos doutrina, fazer a integração da tecnologia, deixarmos nossos rapazes bem treinados, bla, bla, bla, ….. Afinal faltam ainda uns 200 anos para existirem caças tipo interesetelares e perigoso mesmo são os ETs da Galáxia de Andrômeda. Aí sim vamos dar um basta, parar com esta estória de criar doutrina, porque já estaremos preparados e vamos adquirir uns 120 destas belezuras dotados de motores de dobra no programa através do programa FX36, porque ninguém é de… Read more »

welington

Não concordo Lecen a Rússia faz varias parcerias com vários países como China e Índia eles compram produtos e fazem parcerias de curto, médio e longo prazo e não tem nenhum problema como no caso do programa PAK FA T-50 que a Índia esta participando ou do programa de transferência tecnológica do Flanker para a China, hoje ele fabricam o J-11 que é derivado do flanker e não tem restrições de armas e cumprem seus acordos, pois a índia encomendou mais MIGs, eles são mais confiáveis que os americanos e franceses que podem ter sabotado o VLS, já os Russos… Read more »

Giovani

Pelo visto o quesito Armas é que ainda não foi definido pelo governo americano, e Bob Gower dá a entender no artigo que a configuração da aeronave em si já teria sido aprovada, ou seja, o tipo de configuração que seria a interessante para eles vender e repassar a tecnologia. Porém o mesmo não diz que armas vão vir no pacote e como será essa venda.(Quantidade, tipo, etc) O que de certeza a Boeing deve saber é que o Brasil não aceita os termos impostos ao Chile na venda dos F-16, com relação a mísseis do tipo BVR. Mas claro… Read more »

Tiago Jeronimo

Eu acho o mesmo Bosco, mas o que diabos é OPU? Organização dos Paises Unidos?

Ainda tem viúva chorando pelo SU-35BM? LOL

O que mais me chamou atenção na matéria foi o seguinte “Somente a questão das armas que equiparão os jatos é que depende de aprovação do governo” Então já sei o que vai acontecer´, teremos F/A-18E/F com radar AESA armados de MAA-1 Piranha e AIM-9L! Supimpa!

welington

Otimo comentario Bosco to rindo até agora!:>))

welington

Seria organização do planeta unido? RSRSRS.

Bosco

OPU: ORGANIZAÇÃO DOS PLANETAS UNIDOS
Seu braço armado será a “FROTA ESTELAR”

Vida Longa e Prosperidade!

Vassily Zaitsev

Bosco,

Pelo amor de God, nem fala uma coisa dessa, pois não duvido nada que possa ocorrer. Do jeito que essa crise tá braba, mais 12 Mirages enterrarão de uma vez por todas o FX-2.

Se, ao menos fossem modernizados para a versão 2000-5MK2, com radar RDY, míssil MICA, não seria 100% prejuízo……….. seria uns 95%.

Só nos resta esperar e ver no que dá!!!!!!!!!!!!!!

AJS

Não esqueço, quando na década de 70, os armazéns do porto de Santos estavam abarrotados de milho para a URSS, o preço lá fora caiu e eles mandaram o Brasil se virar com o milho.
Quem comprou?
Tio Sam.

Vassily Zaitsev

OPU??????????????? rsrsrsrs, muito boa.

E naves interplanetárias do Brasil??? se chamariam “Enterprise”???? ou ” Batlle Star Galláctica”???????????????????

joao

vamos ser real foi atraves da russia que a china e india consiguiram produzir armas nucleares e tecnologia de ponta se depender da frança e eua estamos fritos.

Bosco

Ontem o Mantega já falou que a crise vem braba.
Agora, tudo vai ser a tal “CRIIIISE”.
A “CRISE” vai papar nosso SubNuc e nossos FX2, e vão deixar o pato pro próximo governo pagar.
É a velha política do “deixa como é que ta pra ver como é que fica”.
Como já dizia a velha e sábia Regina Duarte: Tô com medo!

welington

KKKKKKKKKKKKKK po galera não paro de rir OPU ao infinito e alem!
Se em 2014 chegar os 36 caças de 4º geração a venesuela já vai estar encomendando os PAK FA’S SU-50 e ter uns 120 (4.5 geração) SU-35 BM armados com R-77 NG ( ta na moda) e com umas 4 aeronaves de alerta antecipado, será em que posição nossa força aérea vai ficar com esses novos vetores?
É política é Fo.., pêra ai nossos políticos é que são uns filhos .. ….

Vassily Zaitsev

Bosco,

O próximo “des-governo”, pelo que o Molusco pretende, será a Dilma Russef, certo??????????

Questão: Ela já não foi guerrilheira lá das Épocas do Araguaia???????? guerrilheiros não gosta nem de ouvir falar em FFAA, quanto mais liberar grana para a classe.

welington

Como o João disse foi atraves da Russia que a China e a India conseguirão produzir armas nucleares e armamentos com tecnologia de ponta, já com os EUA e a França ja li que avia suspeitas de que a França e os EUA tinham sabotado o progama VLS pois o lançamento de cargas para o espaço será um mercado muito rentável e como nossa base esta situada na linha do equador e com clima tropical que fica bom para lançamento o ano todo eles não queriam mais um concorrente e com essas qualidades com isso nos iríamos ficar atrasados uns… Read more »

Bosco

Teremos apenas dois Cruzadore Estelares (fora os 120 caças estelares) que se chamarão “Pedro Álvares Cabral” (vulgo Carmanguião) e “Presidente Lula” (vulgo Chevetão), que diga-se de passagem, ficarão sempre docados para manutenção no porto de Marte, só para não perdemos o costume.

welington

Mais um ótimo comentário Bosco kkkkkkkkkkk, mas acho que a Dilma não vai governar acho que vai ser o Aécio Neves palpite ele se preocupa muito com segurança a PM de minas é muito bem equipada viaturas novas médios bons salários ele é ate um ótimo político salvo na área dos servidores públicos tirando os policiais, acho que vai ser ele, imaginem mangabeira para presidente pêra ai deixa eu parar de sonhar.

Zorann

Pode ser até que os americanos vençam, mas ainda acho os GRIPPEN a melhor escolha. Se a FAB for levar em conta o melhor custo-benefício o GRIPPEN-NG ganha disparado. -Excelente motor -Menores custos de aquisição e manutenção. -Radar AESA -Maior integração de armas, sendo hoje a aeronave com mais armas já integradas, incluindo o futuro A-DARTER (África do Sul já encomendou a aeronave) -Já existem parcerias com a Embraer e a Ericson no R-99 -Como disse um dos diretores da SAAB “a Embraer e a SAAB se completam”. A Embraer domina ocomércio de aeronaves regionais e a SAAB tem a… Read more »

Luiz Marcelo

Não vejo a possibilidade de montagem de uma aeronave da Boeing ou SAAB Aero em plantas da EMBRAER. Caso se decida por um destas, a FAB deve escolher outra Empresa parceira, Avibras, Helibras, Petrobras, sei lá… A relação entre Embraer, Dassault e Governo Francês é mais sólida do que com a própria FAB, vide o primeiro round FX1 e o Mirage 2000BR que micou, pois a FAB ficou de bico que a Embraer escolheu seu parceiro sem consultá-la. F/A18 EF está descartado nestas condições. O Gripen é uma aeronave que não acrescentará, não mudará a situação atual dos vetores da… Read more »

welington

Acho o Gripen um excelente vetor mas para países de dimensões pequenas caso Suécia, suíça, França, Alemanha, áfrica do sul países europeus e africanos de pequeno e médio porte, para países de dimensões continentais como o Brasil , Rússia, China, Índia o Flanker seria a melhor opção para um ataque com um Su-35 BM a 1500 km teremos que utilizar 4 Gripens pois ele leva menos armas que o Flanker e 1 REVO o que colocaria 5 aeronaves em risco ao invés de 1 com o SU-35 BM alem das vidas em risco dos pilotos o Flanker é a única… Read more »

welington

Quem sabe a eliminação do Flanker não foi propina como na decisão da África do sul??????

Francisco M. Xavier

É, o João falou em um ponto importante, e verdadeiro (penso eu), queira, os anti-russos, ou não, – salvo Inglaterra e alguns 2 ou 3 países Europeus e Israel e Japão, e mesmo assim sob total controle do TioSam e com baixo índice de transferencia (não vou entrar no mérito se o TioSam ta certo ou errado, até pq eu não sei! : ))- somente países que negociaram transferência tecnológica com Moskow, estão em nível de igualdade com seus “tutores”, e a China já supera os Russos em muitas áreas…, acho que deveríamos debater sobre as verdades disso, que acho,… Read more »

Raphael

wellington, ainda este ano foram para russia discutir este contrato uma comitiva importante liderada pelo minstro Jobim. Nao eh que eles nao chegaram a acordo nenhum e que os Russos falaram que nao iriam nem transferir a tecnologia que o Brasil quer, nem oferecer um programa de off-sets (sem contar a tecnologia) como o Brasil quer.

Foi isto que acabou com os russos, alem deles ter uma historia de prometerem a nao cumprir.

Serio mesmo, o Su eh leite deramado, agua em baixo da ponte, etc…

welington

Ta Raphael, mas me lembro que quando a comitiva voltou da Rússia tinham passado pela França e estava claro que seria parceria aérea com a Rússia e naval com a França depois a historia mudou do nada e noticiou que iríamos ficar com parceria total com os franceses não acho que foi decidido na viagem e sim depois aqui no Brasil com pressão francesa para vitoria dos mesmos e pressão dos EUA para derrota dos Russos, claro eles não queriam influencia Russa na America do sul continuo achando que a decisão foi política!

Francisco M. Xavier

Me desculpe Raphael, mas os Russos transferem tecnologia com mais facilidade que qualquer país! este papo e conversa fiada, é político sim, tomara que não seja nefasto! Abraço
Francisco

Cinquini

Olha, tenho algumas considerações: Depois da eliminação do SU-35 (podem me chamar de viuva di Super-Flanker) eu acrediatava que a melhor escolha era o Rafale, e depois de conversar com alguns amigos da FAB, cheguei a conclusão que de fato o F/A-18E Super Hornet é melhor. Por quê? Os EUA nao trabalham com uma única empresa fornecedora de peças, por exemplo, se ´recisarmos de uma peça da turbina tem umas 4 empresas que fazem e vendem ela lá nos EUA, já os Franceses é uma só, a explicação é que no conjunto final ficaremos presos aos franceses pois é “venda… Read more »

Luiz Marcelo

Eu acredito em parte desta história de decisão política. Acredito sim em uma decisão comercial, vindo antes até da decisão técnica. A FAB opera aeronaves francesas desde quando? Qual o nosso principal parceiro comercial, e não vale los Hermanos Argentinos? Quais os negócios que o Brasil têm com a Rússia fora frango, porco e soja? Quantos aviões brasileiros da Embraer voam na Rússia, aceito até EMB120 Brasília, Bandeirantes, Xingu, Tucano, etc.? Senhores, esta crise atual mostra uma única e exclusiva situação. O Mundo depende demais, mas muito mesmo, da saúde da economia Americana, e coloco neste saco, todo mundo, inclusive… Read more »

Iuri Korolev

Caro Luiz Marcelo

Mas por que excluir o Sukhoi antes de negociar com os americanos e franceses ?
Não seria jogar fora de cara um trunfo importante ?
Sds
iuri

welington

Repito a Sukhoi tem o melhor pacote de transferência tecnológica a decisão foi política!
Se o SU-35 BM fosse escolhido ele seria montado no Brasil pela Embraer e Pela avibras que claro tem fabricas uma ao lado da outra em são Jose dos campos SP.
Bom a Embraer recebeu certificação do BEM 145 para voar na Rússia esse ano acho que vão ter varias encomendas o mundo esta mudando temos que fazer parcerias com que quer nos ajudar e não com quem só quer nos atrapalhar.

Vovódka

Camaradas viúvas do Flanker: vamos nos unir e torcer para a crise pegar de vez e pôr um fim no F-X2!!! Quem sabe no F-X3 o SU35 consegue levar!!! Skafurska!!!!!

Iuri Korolev

Caro Wellington 1) A Avibras (eu a conheço bem) não tem padrão tecnológico nem para montar teco-teco, quanto mais um caça de última geração. 2) Os russos (embora eu os admire em certas coisas) não são confiáveis nos contratos. Seria um tiro no escuro entrar em um contrato de longo prazo com eles. 3) A escolha da Avibras pela Sukhoi (no FX-1) demonstra a sua falta de honestidade. Eu conheço bem o modo de pensar russo: “Faça tudo na Rússia e aparafuse no Brasil” Pelo bem do Brasil (infelizmente pois é um bom avião): JOGA FORA NO LIXO ! Sds… Read more »

kaleu

Srs. boa noite !! Frequento, como leitor, vários foruns como este que tratam sobre o FX-2, e, invariávelmente leio o “rio de lamentações” sobre a eliminação do SU-35 Flanker, além disso, lemos todas as fantasias possíveis dos Foristas, sobre esse vetor: o SU é o máximo, imbatível, detecta o F22 e o confronta, radar de 400 kMs, misseis alcances estratosféricos o alcance da aeronave é tão grande que ele vai ao espaço e volta à atimosfera pra combater outros caças, navios, sam´s, etc, emfim, como disse o Bosco é praticamente uma nave inter-estelar. Sinceramente, não sei de onde tiraram tantas… Read more »

kaleu

há !!! esqueci,

a India, que fabrica Flanker´s SU-30MK, está em adiantadas negociações com a Boeing para aquisição de 76 aeronaves (vide site oficial da Boeing), se os SUs são tão imbatíveis assim, porque será que a India quer adquirir Super Hornet´s ??

Atenção A INDIA FABRICA FLANKER´S

pensem nisso !

abraços
Kaleu

Storm

Ou a FAB corre e compra logo esses S.Hornet ou ficaremos sem nada.
A grande desculpa da vez é a FX-CRISE INTERNACIONAL-2

Abre o olho Saito e bota pressão

edilson

Caro nunão, gostaria de chamar a atenção para um trecho da matéria na qual o jornalista diz:
“O Programa FX começou a ser articulado em 1995 devido a necessidade de substituição dos caças Mirage 3, considerados totalmente obsoletos. O Ministério da Defesa optou por comprar 12 jatos Mirage 2000-C usados, fabricados na década de 80 e de uso da força aérea de Israel, num custo de € 80 milhões. A medida paliativa foi adotada devido a urgência em reaparelhar a Força Aérea Brasileira (FAB) enquanto a concorrência era constituída.”
não creio totalmente que ele saiba do que está falando…

Nunão

Edilson, justamente por causa dessas imprecisões no texto da matéria original, como pelo fato de que, para a maioria dos freqüentadores deste Blog, a novela do “F-X1” é bastante conhecida e, finalmente, pela extensão do texto, optamos por selecionar alguns trechos (apenas seleção, mantendo o contexto e o conteúdo, sem alterar uma vírgula sequer dos trechos selecionados, como é política deste Blog). Mas os trechos selecionados privilegiam declarações do próprio representante da Boeing, o que lhes traz um frescor e uma precisão maior como fonte de reflexão do que o histórico levantado, o qual normalmente traz falhas quando se trata… Read more »

Pedro

Senhores, nada no mercado mundial é feito gratuitamente. Assim, analisando a conjuntura internacional, a crise galopante, a necessidade de um aporte à economia americana (por meio de uma injeção de ânimo em sua industria pesada, novamente) e a movimentação ocorrida ontem de troca direta de dólares por reais entre EUA e Brasil na ordem, de US$ 30 bi, sem precedentes na história, afirmo sem qualquer sombra de dúvidas que o vencedor do fx 2 é o Super hornet. Ainda que alinhado ideologicamente mais à França não vejo como ser realizada tal operação econômica sem quaisquer contrapartidas. Em tempo: já estamos… Read more »

konner

[” Pedro em 30 out, 2008 às 9:24 “]

Comentário INTERESSANE, Pedro !!!

Combates Aéreos

Dogfight: F-16 Block 52 turco e Mirage 2000-5 grego

 O vídeo acima mostra parte de um 'dogfight' entre um caça F-16 Block 52 turco e um Mirage 2000-5...
- Advertisement -
- Advertisement -