Home Nota Oficial O informe da FAB sobre o incidente de Tráfego Aéreo em Rio...

O informe da FAB sobre o incidente de Tráfego Aéreo em Rio Branco

266
0

A respeito de reportagem exibida no dia 14 de setembro (assistir ao vídeo), sobre incidente de tráfego aéreo em Rio Branco, o Comando da Aeronáutica prestou as seguintes informações sobre o assunto:

1. O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) recebeu reporte do piloto da FAB sobre a ocorrência em vôo e iniciou as ações previstas para esse tipo de situação, quais sejam: avaliou os procedimentos realizados e concluiu que ocorreram deficiências de procedimento por parte do profissional de controle de tráfego aéreo na coordenação da descida das aeronaves para o aeroporto de Rio Branco;

2. O piloto do avião comercial continuou no procedimento de descida, apesar do aviso de presença de outra aeronave indicada pelo sistema de TCAS (anticolisão) de sua aeronave. Vale destacar que, em nenhum momento, houve uma situação crítica de “quase colisão”, pois o TCAS não determinou qualquer comandamento de manobra evasiva ao piloto do avião comercial, que é o último estágio de alerta eletrônico oferecido pelo sistema.

3. No momento do incidente, apenas três aeronaves estavam sob o controle do serviço de tráfego aéreo naquela região. Na Torre de Controle de Rio Branco, em razão da baixa demanda de tráfego, a operação é coordenada de forma convencional, via rádio, atendendo aos requisitos estabelecidos pela norma vigente. Entretanto, é importante salientar que existe cobertura radar plena para aeronaves comerciais voando em rota naquela região.

4. Segundo o DECEA, há mais de dois anos o Destacamento de Proteção ao Vôo de Rio Branco não registrava incidente de tráfego aéreo na região.

5. A ocorrência relatada pelo piloto da FAB, via Relatório de Prevenção, resultou nas seguintes ações: realização de reunião com os controladores de tráfego aéreo da localidade para a divulgação do fato ocorrido, bem como instrução específica sobre procedimentos para esses profissionais.

Oportunamente, cabe informar que, mundialmente, os órgãos de controle de tráfego aéreo possuem ferramentas de monitoramento que têm como principal objetivo aperfeiçoar o serviço prestado e contribuir para a segurança do tráfego aéreo em geral.

É uma percepção equivocada acreditar que fato como o reportado só ocorre no Brasil e que, consequentemente, aponta uma falta de segurança do sistema brasileiro. Nesse aspecto, seria extremamente oportuno que a imprensa comparasse os indicadores brasileiros com os de outros países.

Em 2001 e 2002, por exemplo, os Estados Unidos registraram, em números absolutos, 2.082 incidentes de tráfego aéreo, de acordo com dados divulgados pelo órgão de aviação civil daquele país (FAA). Por
representar o espaço aéreo mais movimentado do mundo, a análise desses números, em termos estatísticos, seria mais adequada para se realizar comparações. Portanto, de cada 100 mil movimentos aéreos nos EUA, ocorreram (em rota) 1,59 casos de aproximação entre aeronaves em 2002 e 1,62 casos em 2001.

No período de 2003 a 2007, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) contabilizou no Brasil 482 incidentes de tráfego aéreo, o que representa 96,4 casos por ano, o que representa, em termos estatísticos, 1,37 casos por 100 mil movimentos, portanto, abaixo da média americana. Cabe esclarecer que os dados brasileiros reúnem todo o tipo de incidentes, em todas as áreas de controle, levando em conta, inclusive, casos em que aeronaves passaram a quilômetros de distância.

Não há relação entre o incidente e o acidente com o vôo 1907. A ocorrência em Rio Branco aconteceu em uma área terminal, espaço aéreo em que as aeronaves voam mais próximas. Além disso, o piloto do avião comercial manteve contato constante com a aeronave militar por meio do TCAS de sua aeronave. Na ocorrência do acidente do 1907, o vôo era em rota e o sistema TCAS de uma das aeronaves estava inoperante.

É oportuno esclarecer que o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) divulgou à imprensa, no mês passado, que “não se encontrou no acidente [1907] indicação de influência de cobertura radar, por ineficiência ou deficiência de equipamentos de comunicação e vigilância no controle de tráfego aéreo”.

Nos últimos dois anos, cerca de 600 novos profissionais foram capacitados para o controle de tráfego aéreo no país. Atualmente, cerca de 2.700 controladores integram o quadro do Comando da Aeronáutica, sem contar os demais que fazem parte da Infraero. Entre as melhorias implantadas, já previstas no planejamento do DECEA, merece destaque a inauguração do laboratório de simulação de controle de tráfego aéreo, no ano passado, em São José dos Campos (SP). Tal investimento ampliou a capacidade de treinamento avançado de controladores, de 100 para 400 profissionais/ano, bem como aprimorou a formação desses profissionais.

Fonte: CECOMSAER

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
André de POA
11 anos atrás

Até entendo uma política que tente preservar o serviço de controle de voo e até o nome de nosso pais lá fora. E tambem tem a idéia de não prejudicar a aviação civil com noticias nefastas ou inveridicas . Mas cá entre nós as vezes é um pouco irritante esses comunicados oficiais que não dizem nada, não assumem nada e prometem menos ainda. Creio que deveria existir algum tipo de ombudsman militar (mas de verdade, não de mentirinha) pois quando a sonegação de informações pode prejudicar pessoas os responsaveis pela “sonegação” deveriam ser alertados a mudar de comportamento. Cito como… Read more »

Manfred Von Richthofen
Manfred Von Richthofen
11 anos atrás

Se essa colisão entre o A-29 e o Boeing da Gol ocorresse, seria difícil para o Comando da Aeronáutica explicar o que teria acontecido, já que tivemos dois grandes acidentes aéreos em pouquíssimo intervalo de tempo.
A verdade é que havia algo de muito errado no sistema antes da colisão do jato da Gol e do Legacy da Embraer na Amazônia. Parece que a coisa melhorou um pouco, mas ainda não chegou no nível ideal.

Billy
Billy
11 anos atrás

Velhas mentalidades…A profissão de controlador de vôo é super-valorizada no mundo,profissionais a quem são dedicados altos investimentos na formação, capacitação, aperfeiçoamento,além de salários elevados e benefício inerentes aos desgastes da atividade. Ora, como coordenar tudo isto com………lembranças da Batalha da Inglaterra…deu para entender?

Meirelles
Meirelles
11 anos atrás

Sacanagem,né? na simulação aparece um boeing idêntico ao da gol mas no lugar dos supertucanos aparece um caça da 2° guerra.

Manfred Von Richthofen
Manfred Von Richthofen
11 anos atrás

O caça que aparece é Zero!

Fábio Max
11 anos atrás

O controlador militar de vôo no Brasil ganha no máximo 6000 reais.

Não são valorizados e sua remuneração é incompatível com o nível de stress e responsabilidade da função.

E não acho que o sistema melhorou, não. Não tenho visto investimentos relevantes em segurança aérea, preocupa-me outra tragédia…

André de POA
11 anos atrás

Se não me engano o controlador nos EUA ganha algo em torno de 7000 dolares. Mas lá embelezamento de aeroporto vem depois dos itens de segurança.

Radical_Nato
Radical_Nato
11 anos atrás

Aconteceu um caso semelhante.
Só que neste episódio, tudo por conta do piloto.
Veja só o vídio.
http://www.youtube.com/watch?v=AeU616jiUjM

Sds!

Felipp Bittencourt Frassetto - Joinville
Felipp Bittencourt Frassetto - Joinville
11 anos atrás

O Fábio Max falou e disse! Além do mais, “esquecemos”, na condição de interessados pelo assunto E de cidadãos brasileiros, de aspectos muito importantes: 1- A imprensa (leia-se Rede Globo, principalmente), infelizmente, pouco ou nada contribui. Não é por nada, não estou querendo “encontrar inimigos” pra justificar. Mas, devido à Ditadura, toda vez que ocorre algo com as FAs., por mínimo que seja, a imprensa adora “cair em cima”, polemizando ao máximo toda e qualquer repercussão. Como foi nesse caso. Ao invés de explicar com seriedade e imparcialidade, sempre colocam seus achismos e superdimensionam as possibilidades extremas, sob o pretexto… Read more »

AJS
AJS
11 anos atrás

À época da “crise”, sugeri, que paulatinamente, a função de controlador de vôo, enquanto a cargo da FAB, passasse a ser exercida por oficiais, com nível universitário, e, não mais por sargentos, com nível de ensino médio, a meu ver, a única forma de aumentar a remuneração, pois sendo um quadro militar, o subalterno não terá como auferir ganhos maiores que o superior.

Bob
Bob
11 anos atrás

É isso mesmo que o Fellip Bittencourt falou. A imprensa adora sentar o pau nas FFAA. É o caso dos sargentos gays, por exemplo. O cara sumiu do quartel por mais de 8 dias, é deserção, crime. Ele foi preso por isso, e a imprensa tenta colocar na cabeça das pessoas que foi preconceito. Bom, voltando ao assunto. A imprensa agora diz que faltam equipamentos nessa regiao. É uma besteira sem tamanho. Rio Branco recebe pouquíssimos tráfegos. Em qualquer lugar do mundo, uma terminal com essa baixa demanda nao teria radar, como nao tem em Rio Branco. Nao é falta… Read more »

André de POA
11 anos atrás

Até entendo uma política que tente preservar o serviço de controle de voo e até o nome de nosso pais lá fora. E tambem tem a idéia de não prejudicar a aviação civil com noticias nefastas ou inveridicas . Mas cá entre nós as vezes é um pouco irritante esses comunicados oficiais que não dizem nada, não assumem nada e prometem menos ainda. Creio que deveria existir algum tipo de ombudsman militar (mas de verdade, não de mentirinha) pois quando a sonegação de informações pode prejudicar pessoas os responsaveis pela “sonegação” deveriam ser alertados a mudar de comportamento. Cito como… Read more »

Manfred Von Richthofen
Manfred Von Richthofen
11 anos atrás

Se essa colisão entre o A-29 e o Boeing da Gol ocorresse, seria difícil para o Comando da Aeronáutica explicar o que teria acontecido, já que tivemos dois grandes acidentes aéreos em pouquíssimo intervalo de tempo.
A verdade é que havia algo de muito errado no sistema antes da colisão do jato da Gol e do Legacy da Embraer na Amazônia. Parece que a coisa melhorou um pouco, mas ainda não chegou no nível ideal.

Billy
Billy
11 anos atrás

Velhas mentalidades…A profissão de controlador de vôo é super-valorizada no mundo,profissionais a quem são dedicados altos investimentos na formação, capacitação, aperfeiçoamento,além de salários elevados e benefício inerentes aos desgastes da atividade. Ora, como coordenar tudo isto com………lembranças da Batalha da Inglaterra…deu para entender?

Meirelles
Meirelles
11 anos atrás

Sacanagem,né? na simulação aparece um boeing idêntico ao da gol mas no lugar dos supertucanos aparece um caça da 2° guerra.

Manfred Von Richthofen
Manfred Von Richthofen
11 anos atrás

O caça que aparece é Zero!

AJS
AJS
11 anos atrás

À época da “crise”, sugeri, que paulatinamente, a função de controlador de vôo, enquanto a cargo da FAB, passasse a ser exercida por oficiais, com nível universitário, e, não mais por sargentos, com nível de ensino médio, a meu ver, a única forma de aumentar a remuneração, pois sendo um quadro militar, o subalterno não terá como auferir ganhos maiores que o superior.

Fábio Max
11 anos atrás

O controlador militar de vôo no Brasil ganha no máximo 6000 reais.

Não são valorizados e sua remuneração é incompatível com o nível de stress e responsabilidade da função.

E não acho que o sistema melhorou, não. Não tenho visto investimentos relevantes em segurança aérea, preocupa-me outra tragédia…

André de POA
11 anos atrás

Se não me engano o controlador nos EUA ganha algo em torno de 7000 dolares. Mas lá embelezamento de aeroporto vem depois dos itens de segurança.

Radical_Nato
Radical_Nato
11 anos atrás

Aconteceu um caso semelhante.
Só que neste episódio, tudo por conta do piloto.
Veja só o vídio.
http://www.youtube.com/watch?v=AeU616jiUjM

Sds!

Felipp Bittencourt Frassetto - Joinville
Felipp Bittencourt Frassetto - Joinville
11 anos atrás

O Fábio Max falou e disse! Além do mais, “esquecemos”, na condição de interessados pelo assunto E de cidadãos brasileiros, de aspectos muito importantes: 1- A imprensa (leia-se Rede Globo, principalmente), infelizmente, pouco ou nada contribui. Não é por nada, não estou querendo “encontrar inimigos” pra justificar. Mas, devido à Ditadura, toda vez que ocorre algo com as FAs., por mínimo que seja, a imprensa adora “cair em cima”, polemizando ao máximo toda e qualquer repercussão. Como foi nesse caso. Ao invés de explicar com seriedade e imparcialidade, sempre colocam seus achismos e superdimensionam as possibilidades extremas, sob o pretexto… Read more »

Bob
Bob
11 anos atrás

É isso mesmo que o Fellip Bittencourt falou. A imprensa adora sentar o pau nas FFAA. É o caso dos sargentos gays, por exemplo. O cara sumiu do quartel por mais de 8 dias, é deserção, crime. Ele foi preso por isso, e a imprensa tenta colocar na cabeça das pessoas que foi preconceito. Bom, voltando ao assunto. A imprensa agora diz que faltam equipamentos nessa regiao. É uma besteira sem tamanho. Rio Branco recebe pouquíssimos tráfegos. Em qualquer lugar do mundo, uma terminal com essa baixa demanda nao teria radar, como nao tem em Rio Branco. Nao é falta… Read more »