Home Noticiário Internacional IDEF 2017: Turquia revela mísseis ar-ar autóctones

IDEF 2017: Turquia revela mísseis ar-ar autóctones

3258
12

A Turquia apresentou dois programas nacionais de mísseis ar-ar na atual exposição de defesa IDEF em Istambul, na Turquia.

O míssil de curto alcance Gökdogan (Peregrino) para combates dentro do alcance visual WVR e o míssil Bozdogan (Merlin) para combates além do alcance visual (BVR) estão sendo desenvolvidos pelo governo com apoio da Tubitak SAGE.

O Bozdogan está equipado com um buscador de freqüência de rádio de estado sólido (RF) e tem um alcance de 65 km (40 milhas). O míssil possui recursos anti-contramedidas e um datalink para receber atualizações de destino em voo a partir da aeronave lançadora.

O Peregrino é um míssil guiado por calor com um alcance de até 30 km (20 milhas), equipado com um buscador de imagens por infravermelho de alta resolução e também tem recursos avançados anti-contramedidas.

O Peregrino é equipado com capacidade de vetorização de impulso para manobrabilidade superior e capacidade de lançamento fora da linha de visada (off-boresight). Ambos os mísseis usam propulsores sólidos sem fumaça.

O desenvolvimento dos mísseis começou em 2012 sob o Projeto Goktug. A Tubitak espera concluir testes de desenvolvimento e integração de plataforma dentro de dois anos.

O novo míssil ar-ar será introduzido pela primeira vez nos aviões de combate F-16 da Força Aérea Turca e também será integrado com o programa de caça TF-X turco em desenvolvimento.

12 COMMENTS

  1. Como assim?
    Acha que foi algo absurdo?
    Eu tenho a concepção de que desenvolver mísseis só exige conhecimentos mínimos básicos essenciais, a estrutura mínima para tal e mão de obra pensante, engenheiros capazes de sonhar e por a mão na massa.
    Não deveria custar tanto.
    Diferente de projetos americanos que costumam custar bilhões…

  2. Creio que o problema foi a Odebrecht, e nao a Mectron.
    Com relacao a materia, eh impressionante a quantidade de programas de defesa que a Turquia esta tocando. Parabens a eles.

  3. O problema sempre foi a Mectron e, provavelmente, alguns brigadeiros que levavam um café por fora. A Odebrecht chegou quando a festa já estava acontecendo. E chegou porque é festeira, todos sabemos disso.

  4. Olá.
    O cronograma parece ser bem curto. E as especificações indicam um bom desempenho também. Terá mercado internacional, com certeza.
    SDS.

  5. Pelo que li em fóruns turcos lá o esquema é muito parecido com aqui, o Erdogan só da contratos de defesa para amigos da família dele, aliás ultimamente várias empresas turcas que não tem vocação nenhuma na área de defesa estão entrando nesse mercado na Turquia justamente pelo dinheiro fácil que esta jorrando, isso é fácil de perceber pela quantidade de veículos blindados de empresas diferentes que foram expostos nessa idef. Um exemplo é o tanque que eles chamam de altay que não passa de uma versão do K2 Black Panther sul coreano com uma torre alemã da rheinmetall, a otokar foi quem “projetou” o tanque com o Coreanos, foi quem construiu e certificou os dois protótipos, e disse que estava pronta para começar a fabricar o tanque dois meses depois do contrato assinado, mas o Erdogan preferiu abrir uma licitação para ver quem vai fabricar o tanque, licitação essa que todo mundo sabe que a BMC vai ganhar, empresa em que o dono é casado com a filha dele e um dos filhos dele é sócio, hum esse tipo de modus operandi me lembra muito um certo país ao sul do equador, não a toa que ele era amigaço do “CARA” aquele mesmo que se comparou com Jesus Cristo e que disse que não tinha uma viva alma nesse país mais honesto que ele

  6. Jr, eu também acho que ainda é cedo para celebrar essa pujança tecnológica dos turcos. São poucas empresas e todas bem relacionadas com o atual governo.
    Tenho minhas dúvidas se isso vai durar, ainda mais se a trajetória de rompimento com o ocidente continuar.

  7. “Nonato 15 de maio de 2017 at 17:58
    Eu tenho a concepção de que desenvolver mísseis só exige conhecimentos mínimos básicos essenciais”
    .
    Pelo amor !!!
    Antes de escrever um absurdo desses… vc já deu uma pesquisada nos conceitos e tecnologias envolvidas ?
    Se fosse tão molinho assim, pq apenas meia duzia de paises domina esse conhecimento ? E quando digo DOMINA, é fabricar do inicio ao fim… e não apenas fabricar o seeker e comprar o booster dos EUA/Russia, e etc…

  8. Certamente os turcos conseguem levar adiante essa quantidade de recursos tecnológicos porque não tem por lá a corrupção sistêmica que há por aqui. Aqui não se salvam PT, PMDB e PSDB, todos tem figuras de peso em vias de serem presos. Pior que vivíamos um momento singular de boas expectativas, mas ainda de resultados incipientes, tudo isso acabou. Os índices da bolsa iam bem, mas agora tudo vai mal – os ativos subiram de valor: dólar, euro, ouro, esperem nova retração do mercado, e mais desemprego, mais arrocho salarial.

    No que toca aos turcos, tem muito que aprender, mas produziram um turbo hélice local similar a um SUPER TUCANO, embora inferior, agora estão às voltas com os mísseis. Se produzirem uma turbina local, radar de varredura passiva(AESA) e um IRST, terão um caça seja de 4ª ou de 5ª geração, como pretendem, mas acredito que deveriam começar por um treinador a jato, pois os humanos engatinham antes de andar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here