Home Exercício Uma vez radical, sempre radical

Uma vez radical, sempre radical

167
21

Jornalista critica versão em inglês do site da CRUZEX

 

SITE CRUZEX

O artigo abaixo foi extraído do blog do jornalista “Mauro Santayana”. Ele não reflete, necessariamente, a opinião do blog do Poder Aéreo.

vinheta-opiniao-aereoParabéns à FAB pela brilhante organização dos exercícios militares aéreos da Cruzex 2013 no Nordeste. Com todo o respeito pela nossa Força Aérea, faço, no entanto, duas observações: a recente inclusão dos EUA e do Canadá, países da OTAN, no evento, que é realizado desde 2002, eliminou a possibilidade de transformá-lo no primeiro projeto do embrião de um sistema de manobras militares conjuntas e periódicas, envolvendo um grande número de países da UNASUL e do Conselho de Defesa Sul-americano.

Esse fato abre a possibilidade de que outro país sul-americano o faça, se a FAB não estudar a inclusão em seu calendário de manobras, de um outro encontro, sem os EUA e o Canadá como participantes.

Em segundo lugar – o pessoal do Comando da Aeronáutica pode não ter percebido – a imperdoável ausência do espanhol – língua da grande maioria dos países convidados – do site oficial do evento, que tem como alternativas ser lido apenas em português ou em inglês, este último idioma assinalado com o absurdo – para o local e a circunstância – botão de uma bandeira dos Estados Unidos.

NOS DETALHES

Como dizia o professor da escola de homens-bomba, o diabo está nos detalhes, ou “os grandes problemas vêm em pequenos pacotes”.

A não ser que os EUA fossem co-organizadores do evento ou seus patrocinadores, o que não é o caso, a omissão representa, no mínimo, uma descortesia e um equívoco estratégico (que talvez ainda possam ser resolvidos a tempo) com países e clientes do Brasil, como a Força Aérea do Equador, que compareceu com seus novos Super-Tucanos.

Na pior das hipóteses, fica um recado de rasteira subordinação aos EUA (por que não uma bandeira do Canadá, país que também tem o inglês como língua, ou simplesmente as opções português/english por extenso?). E, como para bom entendedor um pingo é letra, uma mensagem que poderá ser interpretada por oficiais de forças áreas sul-americanas como: “olhaí, cucarachas… nós e nossos amiguinhos gringos estamos por cima, e vocês, por baixo”.

FONTE: Tribuna da Imprensa

VEJA TAMBÉM:

21 COMMENTS

  1. Póggio! Admiro e sou assíduo do PA, mas tchê, tu não devias dar espáço para este tipo de lixo publicado pór uma _____reprimida com auxilio do bolsa familia.
    Isto não passa de uma bost… recalcada que devia ir para para aquele lugar…
    Para este tipo de coisa tem lugar bem adequado, uma latrina esquerdopata da blogosfera, lá eles vão delirar, ter orgasmos múltiplos, toda aquel mequetrefagem que essa laia adora.

    Grande abraço

    EDITADO

  2. o jornalista se esqueceu que o exercicio originalmente era entre o Brasil, França e convidados, sempre foi portanto com um pais da NATO.

    Quanto a convidar os EUA, isto chama-se reciprocidade, uma vez que o Brasil participa de exercícios da NATO, nada mais natural do que convidar os paises da NATO nos nossos exercícios

    Quanto a fazer uma CRUZEX restrita a America Latina – isto empobreceria o exercicio.

  3. Concordo que deveria ter uma versão em espanhol e o botão pra tradução deveria estar com uma bandeira Inglesa. Questão de diplomacia e profissionalismo na confecção do site. Ocorre que militares não são diplomatas nem webdesigners.

    Justamente por isso, nenhuma razão para essas conclusões estapafúrdias por parte do Mauro Santayana. Perdeu uma ótima chance de ficar calado. Se fosse apenas uma sugestão ficaria ótimo mas com esse tom denuncista ficou péssimo.

  4. Mauro Santayana
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Mauro Santayana (Rio Grande do Sul, 1932) é um jornalista brasileiro.

    Embora tenha estudado apenas até o segundo ano do antigo primário, o equivalente ao atual terceiro ano do ensino fundamental……..

    Fazer o quê… Ele aprendeu a escrever….

  5. Vanos ser sinceros, o autor estah com toda razao; os americanos sao preconceituosos mesmos e merecem serem tratados com reciprocidade.

    Acho que jah contei aqui um caso explicito de preconceito que sofri nos EUA, mas irei contar novamente.

    Um dia DrCockroach estava tranquilamente na piscina do condominio fazendo o que todo mundo faz: xixi.

    Ai entao, o gerente do condominio, um americano racista, disse:

    – Hey!! Nao pode fazer xixi na piscina!!

    no qual respondi:

    – Por que nao posso fazer xixi na piscina? Vc soh diz isto p/ mim porque sou brasileiro, eh preconceito: TODO MUNDO faz xixi nas piscina!!!!

    e ele:

    – Mas nao do trampolim!!!

    Gotcha! 🙂

    []s!

  6. Em algum outro exercício semelhante que o Brasil tenha participado em outros países na AL havia um site semelhante e com opção em português?,

    Conforme noticiado recentemente, o jornalista “denunciaria” da mesma forma o novo programa do governo federal “Inglês Sem Fronteiras” que visa a construção de 59 laboratórios de línguas em universidades públicas antes mesmo de um programa “Espanhol Sem Fronteiras” ?!?!

    Queiramos ou não o inglês é o “esperanto” e a tentativa da tal língua universal já fracassou a muito tempo. O problema é que a todo momento, a esquerdopatia precisa gerar algum “movimento anti-imperialista” mas como li em algum outro lugar, esse movimento com que pensam de alguma forma restringir, diminuir, ofender, atacar a “língua americana” , na verdade ataca a “língua de William Shakespeare” ……

  7. A única coisa digna que ela mencionou foi a ausência de texto em espanhol, que seria uma cortesia.

    A presença de americanos e canadenses não atrapalha, pelo contrário, qualquer iniciativa “UNASUL”.

    O botão com a bandeira americana pode indicar que o texto teve em conta um rigor com o inglês norte americano, que possui pequenas diferenças em relação ao britânico. E não estou mencionando a pronúncia…

  8. outros detalhes – a FAB opera no padrão da NATO e acompanha as tradições da USAF, opera caças ou dos EUA ou da NATO, e a língua internacional da Aviação é o Ingles e nao o Espanhol.

  9. “a FAB opera no padrão da NATO e acompanha as tradições da USAF, opera caças ou dos EUA ou da NATO, e a língua internacional da Aviação é o Ingles e nao o Espanhol”.

    Algum dia o Portuguese será a lingua oficial no mundo.

    Brasil acima de tudo e de todos………..

  10. ldat 21 de novembro de 2013 at 11:11 #

    “a FAB opera no padrão da NATO e acompanha as tradições da USAF, opera caças ou dos EUA ou da NATO, e a língua internacional da Aviação é o Ingles e nao o Espanhol”.

    Algum dia o Portuguese será a lingua oficial no mundo.

    Brasil acima de tudo e de todos………..

    O “Portuguese” vai ser impossível, agora o “Portugues”pode até ser, mas primeiro o sargento Garcia vai ter que prender o Zorro, o Lula vai dizer que sabia de tudo, e o Zé Dirceu vai devolver toda a grana que mordeu em todas as estatais e ficar preso no presidio central de Porto alegre em uma cela com 30 presos, é…. vai ser dificil o portugues virar lingua universal.

    Grande abraço

  11. Apesar de a língua oficial das CRUZEX ser o inglês, realmente, uma versão do site em espanhol seria interessante. A CRUZEX é uma manobra no padrão OTAN (já participei de 3 CRUZEX). A doutrina da OTAN é toda norte americana. Quanto à bandeira dos EUA, talvez fosse mais elegante colocar a britânica, visto que referia-se à língua.

  12. Juro que se eu li tanta besteiras escritas num texto como esse eu me esqueci… Juro, foi de corar de vergonha até o Tiririca!!!! Minha nossa!!! Quanta asneira!! Quanta estupidez!! Quanta falta de informação, má vontade, mau caratismo, ignorancia, petulancia, arrogancia!!! Sobram adjetivos a esse cidadão!! Em pensar que esse tipo de pensamento esta se propagando pelo país, me dá calafrios… Que Deus nos proteja!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here