Home Sistemas de Armas Diretor-Geral do DCTA acompanha o Projeto A-Darter na África do Sul

Diretor-Geral do DCTA acompanha o Projeto A-Darter na África do Sul

440
5

 

Acompanhar o andamento do Projeto A-Darter (míssil), com visitas ao Grupo de Acompanhamento e Controle na África do Sul (GAC-AFS) e às empresas do grupo DENEL, além de assinar um Memorando de Entendimento (MoU) com o Council for Scientific and Industrial Research (CSIR), foram os propósitos da missão à África do Sul do Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Ailton dos Santos Pohlmann, acompanhado pelo Chefe do Subdepartamento Técnico do DCTA, Brig Wander Almodóvar Golfetto, e pelo Chefe da Subdiretoria de Defesa do IAE, Tenente-Coronel-Aviador Marcelo Franchitto, que esteve naquele país no período de 5 a 9 de março.

Dentre as diversas atividades, a comitiva teve a oportunidade de conhecer as dependências do GAC-AFS, organização do DCTA subordinada à Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) que tem a missão de apoiar a gestão contratual e assessoria técnica relativa às atividades de transferência de tecnologia dos contratos entre o Comando da Aeronáutica e a empresa sul-africana Denel Dynamics. A comitiva também participou de reuniões com o efetivo do GAC-AFS, com oficiais generais e representantes do Armament Corporation of South Africa (ARMSCOR), órgão responsável pela aquisição de material de defesa do Ministério da Defesa Sul-africano, além do Directorate Air Force Acquisition (DAFA), órgão da estrutura daquele Ministério da Defesa.

Na ocasião, foi possível conhecer a metodologia de gerenciamento de projetos, aquisição de materiais de defesa e o processo do ciclo de vida dos produtos militares realizada pelo Ministério da Defesa sul-africano. Durante as visitas às dependências da empresa Denel Dynamics, houve a oportunidade de acompanhar as atividades das equipes de engenheiros do Comando da Aeronáutica e das empresas Mectron, Avibrás e Opto Eletrônica, que trabalham em parceria com a Denel Dynamics, no desenvolvimento do míssil A-Darter e nas atividades de transferência de tecnologia.

A comitiva ainda visitou o Council for Scientific and Industrial Research (CSIR), onde um importante Memorando de Entendimento (MoU) foi assinado entre o DCTA e o CSIR, o que representa uma maior aproximação entre pesquisadores das duas instituições em projetos de pesquisas de interesses comuns.

Conheça o projeto A-DARTER

O A-Darter é um míssil ar-ar de curto alcance, com imageamento infravermelho, de alta manobrabilidade e de quinta geração. O que confere características de visada do “seeker” de 180º, engajamento antes ou após o lançamento (LOAL/LOBL), designação pela aeronave (radar ou capacete) e contra-contra-medidas.

O Comando da Aeronáutica assinou o contrato de desenvolvimento com a ARMSCOR, em 2006, o que prevê a participação de engenheiros da FAB e empresas brasileiras (Avibras, Mectron e Opto Eletrônica). A ótima interação entre engenheiros brasileiros e sul-africanos é o fator-chave de sucesso para a conclusão do desenvolvimento deste projeto de muitos desafios tecnológicos, previsto para o final de 2013.

Pesquisa – Durante a visita, o DCTA assinou o Memorando de Entendimento (MoU) com o CSIR, documento que representa uma maior aproximação entre pesquisadores das duas instituições em projetos de pesquisas de interesses comuns. As principais áreas em cooperação de pesquisas, cobertas são:

  • Medidas e modelamento em infravermelho;
  • Medidas de assinatura infravermelho e aplicações;
  • Treinamento, workshop e cursos acadêmicos;
  • Calibração de sensores para aplicação em ensaio em vôo;
  • Treinamento em calibração de sensores de satélites;
  • Metodologia de medidas de assinatura espectral e padronização;
  • Treinamento em Sistemas de Informações Geográficas (GIS);
  • Cooperação em calibração e validação de alvos de referência;
  • Processamento hiperespectral e radar de abertura sintética (SAR); e
  • Análise aeroelástica.

Nas palavras do Chefe da Subdiretoria de Defesa do IAE, Tenente-Coronell Franchitto, o memorando de entendimento significa um marco após quase seis anos de tratativas entre pesquisadores de ambas as instituições, que identificaram pontos comuns nas pesquisas e benefícios mútuos para a colaboração. O documento significa que pesquisadores de ambas as instituições estão autorizados a detalhar projetos de cooperação em áreas pré-estabelecidas.

FONTE: FAB (ACS/DCTA)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick
Nick
8 anos atrás

Na torcida para que o bem sucedido programa do A-Darter renda outros projetos com desenvolvimento em conjunto com a África do Sul, por exemplo um BVR de próxima geração, Misseis SAM que poderiam ser derivados do A-Darter e do BVR, e um missil de cruzeiro furtivo anti-bunker ou anti-navio.

[]’s

Almeida
Almeida
8 anos atrás

Precisamos de mais projetos como esse e menos ufanismo!

Daglian
Daglian
8 anos atrás

Muito bom, que o projeto seja um sucesso!

HRotor
8 anos atrás

Isso é TOT legítima, o resto é conversinha fiada…!

joseboscojr
joseboscojr
8 anos atrás

Sem querer ser do contra e já sendo, rsrsrsrs, interessante que o Brasil resolveu participar do desenvolvimento de um SRAAM de quinta geração já dominando o de 4ªG e deixou de lado o MRAAM, que ainda não domina. Não que eu não ache interessante nossa participação no programa A-Darter, mas por que não no R-Darter? E aproveitando a deixa do Nick, os sul africanos (Denel) têm uma variedade interessante de mísseis. O Umkhonto e o Mokopa são bons exemplos de mísseis que nos faria muito bem obtê-los. O Umkhonto nem precisa de apresentações, quanto ao Mokopa, nos daria um míssil… Read more »