Gripen F em produção em abril de 2023. No estágio atual, os modelos biposto já receberam o canopy - Foto: Saab

Por Alexandre Galante*

A Saab organizou mais uma vez uma viagem de imprensa de dois dias (20 e 21 de maio) à Suécia, convidando as principais mídias especializadas da Europa e dos EUA.

O objetivo foi atualizar as informações sobre a divisão de Aeronáutica da empresa, visitar a linha de montagem dos caças Gripen e assistir a um treinamento da Força Aérea Sueca em operação de dispersão em rodovia. Como chegamos dois dias antes do evento, ainda conseguimos visitar o Museu da Força Aérea Sueca novamente.

O Poder Aéreo participou do evento, aproveitando a nossa sucursal em Portugal.

Na visita à linha de montagem, vimos os dois primeiros caças Gripen F (biposto) da Força Aérea Brasileira, com os números de fábrica 7001 e 7002. Os modelos F em produção já tinham recebido o canopy, deixando-os parecidos com o modelo D.

O 7002, segundo exemplar do Gripen F, estava realizando testes de pressão. O 7001 estava com a montagem bem adiantada. O primeiro voo do Gripen F está programado para 2025.

Vimos também dois Gripen E destinados à FAB, com os números 6037 e 6039. Os Gripen E suecos tinham os números de fábrica 6038, 6040 e 6045. Infelizmente, por questões de segurança derivadas do novo panorama internacional, não foi permitido fotografar as aeronaves desta vez.

Foi informado que os Gripen E da Força Aérea Sueca já estão sendo montados com os novos elevons, enquanto os brasileiros só deverão receber a modificação no Brasil.

Com relação às datas das próximas entregas de caças ao Brasil, foi dito que somente a FAB pode dar a informação.

Dados interessantes sobre a produção dos Gripen E: 35 km de cabos, 300 metros de tubulações e 17.000 partes! A linha tem capacidade máxima de produção de 20 a 25 aeronaves por ano.

Vamos apresentar em próximas publicações as principais informações e imagens obtidas durante esta Press Trip.


* O editor viajou à Suécia a convite da Saab.

Subscribe
Notify of
guest

151 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre Barros

Apesar dos contratempos, normais em contratos desta complexidade, aínda acredito que a parceria com a Suécia foi uma sabia escolha da FAB / Gov Brasileiro.

Elias E. Vargas

Se depender da Embraer, é a inauguração de uma NOVA ERA tecnológica.
Só depende do Brasil ter NOVA POLÍTICA empresarial, e não repetir erros do PASSADO.

AVISO DOS EDITORES:
4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar com os demais. As maiúsculas são de uso exclusivo dos editores para dar destaque às advertências nos comentários eventualmente editados ou apagados;
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Bueno

“Vimos também dois Gripen E destinados à FAB, com os números 6037 e 6039.” Interessante os números de matriculas na FAB são 4000 4001 …

BK117

Provavelmente números de série do fabricante. Perceba que o 6037 e 6039 são brasileiros, já o 6038, 6040 e 6045 são suecos. (de quem será os 41 a 44?).

Santamariense

Os números 6037, 6039, etc, são números de série, números dados pela fábrica àquela célula….tipo o número do chassi de um carro. Não tem a ver com as matrículas dadas pelas forças aéreas. E as matrículas dos Gripen brasileiros começam em 4100.

Last edited 1 mês atrás by Santamariense
Bueno

Veleu! entendi.
Numero de serie é do fabricante, rastreio, e numero de Matricula é do cliente usuário..

Santamariense

Exatamente!

BK117

“Foi informado que os Gripen E da Força Aérea Sueca já estão sendo montados com os novos elevons, enquanto os brasileiros só deverão receber a modificação no Brasil.”

Então o motivo do atraso da última entrega não se deve aos novos elevons… (riscando da lista)
Curioso…

Caro Galante, a restrição de fotografia se aplicou também aos F’s em construção ou somente às aeronaves prontas? Ansioso para as próximas publicações!

Alexandre Galante

A restrição se aplicou a todas as aeronaves. Vimos um Gripen E em voo ainda com o revestimento prime, todo amarelo, mas não sabemos se era da FAB ou da SwAF.

BK117

Caro Galante, que pena. Espero que soltem umas fotos do F em breve, fiquei curioso rsrsrsrs

Imagino que este em voo é dos com S/N entre 41-44 que não foram vistos. Pelo jeito a linha está a todo vapor. Isso também mostra que a questão das entregas também não é por lentidão da linha de produção… (também riscando da lista, sobraram poucas opções rsrsrsrs)

Abraços!

Sensato

Sua lista tem quantos itens além de dinheiro?

BK117

Alguns, caro Sensato, como falta de pilotos já qualificados ou questões logísticas. Dinheiro é a opção mais provável, mas a mais desagradável também, então, até saber o que de fato acontece, vamos excluindo opções.

Bueno

Infraestrutura na Base Área do Brasil para alocar todos os Caças.

Mudança de governo que acaba atrasando ou modificando contratos, lembrando que o atual governo teve denuncias de Lobby na operação Zelote, por trafico de influencia.

Eu acho, (tenho liberdade em achar) que os aditivos de +4 foi alterado para os +15 e que ainda não saiu , e deve ter esta questão recorrente desta administração… até que confirme grana na conta deles ficam amarrando o processo.
É lógico que os +15 é de interesse da FAB , mas entrou esta ADM nas negociações complica tudo.

Last edited 30 dias atrás by Bueno
Camargoer.

A operação Zelotes, investigava a sonegação de impostos e a suposta edição de medidas provisórias para beneficiar empresas e setores… em 2015, o MPF concluiu que não havia fundamento na denúncias de tráfico de influência na compra dos Gripen. Nota do Procurador ANSELMO HENRIQUE CORDEIRO LOPES, Procuradoria da República no Distrito Federal, Núcleo de Combate à Corrupção: “Considerando que o procedimento é oriundo de notícia de imprensa, deixo de realizar a notificação de possível representante para apresentação de razões escritas contra o arquivamento. Comunique-se, de toda forma, o Exmo. Procurador da República Paulo José Rocha Júnior, o Exmo. Procurador-Geral do… Read more »

MMerlin

É bastante suspeita essa decisão bem como outras decisões dele envolvendo o governo em questão na época. Temos várias decisões, tanto do MP quanto do STF que claramente tem influência política. Entenda. Não existe partido santo. E não é uma canetada que limpa seu passado. Mas paramos por aqui. Não é o foco da matéria. @Bueno, referente ao que você comentou, realmente os gestores tem o péssimo hábito de querer desfazer o que antecessor fez (seja bom ou seja ruim). Mas a questão do aumento do número adicional de aeronaves está ligada à negociação com o KC-390. Alguns aqui discordam,… Read more »

Last edited 29 dias atrás by MMerlin
Sensato

Concordo com suas deduções, com a sensação de desagrado e com a abordagem pragmática de abordar a questão.

Bueno

Veleu! entendi.
Obrigado!

Last edited 30 dias atrás by Bueno
Sensato

Minha curiosidade sobre os elevons é sobre as razões para montar as aeronaves já destinadas a serem modificadas após a entrega. Estariam as peças já produzidas e aí vão montar com o que tem pra fabricar e instalar as peças novas aqui? Isso seria uma demanda visando economia de custos ou uma forma alguma carga de trabalho para as empresas envolvidas no projeto aqui? Enfim. Achei uma decisão curiosa.

BK117

Caro Sensato, meu chute é que estão certificando/testando a modificação, tanto estruturalmente quanto na mudança no controle da aeronave.

Como a Suécia pode esperar, colocam os novos. Como aqui temos urgência e já voam operacionalmente no esquadrão, nas nossas unidades mais próximas colocam os elevons que já estavam prontos, certificados e com os quais os pilotos se habituaram, e modificamos quando estiver tudo pronto. Tanto é que o único até onde me lembro que recebeu a atualização é o 4100 de testes.

Não sei se faz sentido.

Felipe S

A previsão era recebermos 3 unidades neste ano, já estão atrasados, a falta de transparência é gritante.

Fábio CDC

Contanto que venham, por mim tudo bem.

Felipe

Custava terem mais transparência? Somos nós contribuintes que pagamos.

Camargoer.

O relatório da FAB tem todos os dados do pagamento. e o Senado disponibiliza o relatório que aprovou a obtenção do financiamento.

Acho que já coloquei estes links aqui várias vezes…

Santamariense

Então, explique o motivo do atraso…tu sabe??

Leandro Costa

Acho que não tem motivo divulgado. Se está tudo sendo pago bonitinho, não há motivo que a gente possa supor com qualquer dose de precisão. Pode ser motivo técnico, logístico… não sei mesmo.

Já que a SAAB indicou ao Galante para perguntar à FAB, talvez esse atraso tenha partido do lado Brasileiro. Ainda não sabemos.

Estamos naquela de ter que aguardar que a FAB dê alguma explicação para isso. Até lá as mil teorias (que podem ser da conspiração ou não) vão surgir. Sacal isso.

BK117

Até lá as mil teorias (que podem ser da conspiração ou não) vão surgir.

Caro Leandro, vou contribuir com mais uma: imagine só se a FAB dilatou as entregas (e pagamentos) para comportar no orçamento um lote do tal “segundo caça” usado…

Credo, chega deu um arrepio aqui! rsrsrsrs

Leandro Costa

Estou respondendo enquanto bato na madeira, jogo sal por cima do ombro, dando três pulinhos, desviando de passar por baixo da escada e dei um bico no gato preto que estava pacificamente tentando passar na minha frente.

😛

Camargoer.

Olá. Não há informação da FAB ter assinado um aditivo com o Banco para dilatar os prazos do financiamento, ainda que isso seja possível.

Menos provável mas também possível é reduzir o tempo e encerrar a dúvida mais cedo.

O que sabemos é a negociação com a Saab para aumentar o número de caças do primeiro lote em cerca de 15 aeronaves.

Leandro Costa

Camargo, o BK estava brincando hehehehe

Eu sei que o monte de devaneios aqui deixa a gente meio incerto sobre isso, mas ele tem histórico de bom senso melhor que o meu 😛

BK117

Caro Leandro, quero ressaltar que estou 100% fechado com Gripen. Só temos a ganhar com a padronização, tanto com diminuição de custo unitário, melhores perspectivas de suporte e peças de reposição, eficiência de treinamento, e custo de operação. Ao meu ver, a FAB agora entende o mesmo. Na apresentação mais recente, em “Projetos Futuros” falaram até de KC-390 AWACS, “SH-X” e LORAD, mas nem menção de “outro caça” ou LIFT (como já afirmaram que estudavam). Edit: Nesse mesmo slide da FAB que citei acima, em “Novos Projetos”, consta “FX-2 (25%)”. Agora entendi que o “novo projeto” é o adicional de… Read more »

Last edited 29 dias atrás by BK117
Camargoer.

Olá Leandro…. pois é.

Acho que a dengue tirou todo meu humor… estou como naquele cartoon do Ziraldo.. “Só doi quanto eu rio”

comment image

Leandro Costa

Camargo, dengue é uma M*. Prontas melhoras, meu caro.

Fernando "Nunão" De Martini

Eita! Melhoras!
Justo agora que está saindo do forno uma matéria sobre o contrato do Gripen da FAB para ler e analisar.
Não vai adiantar colocar a culpa na dengue se a futura análise que você comentar, sobre a matéria, não agradar!

BK117

Melhoras, caro Camargoer! E lembre-se de beber bastante água!

Rommelqe

O meu caro professor , estimo a sua melhora e pronta recuperação. Forte abraço!

BK117

Caro Camargoer, obrigado pela informação!

Meu comentário foi mais para descontrair com essa história de “segundo caça” (especialmente usado). Não acho que, se a FAB tivesse tomado uma decisão dessa magnitude (e tomara que não tome), não já saberíamos (Apesar de que eu estou num estágio de não duvidar de mais nada rsrsrs).

Prefiro considerar causas mais “pé-no-chão”, como comentei um pouco acima.

Quanto ao financiamento, bem, creio que são muitas as possibilidades. Prefiro pensar nas positivas rsrsrs

Camargoer.

Olá BK.

Existem vários documentos públicos disponíveis na internet, inclusive documentos do Senado sobre o contrato de financiamento. Os relatorios de gestão da FAB também são uma boa fonte de informação, inclusive porque é possível ler os relatórios antigos e acompanhar o processo..

O problema é que ler tudo isso dá um trabalho…,

Depois da “Snow Ball Church”, penso que alguém fundou a “The First Fighting Falcon Church”… só isso explica a visão sebastianista do F16 vindo salvar a FAB.

comment image

Sensato

Entendo seu sentimento mas transparência total em contratos militares não é algo comum nem aqui nem em qualquer lugar.

Santamariense

Do F-35, é divulgado até o parafuso da rebimboca quando é produzido com defeito…

Leandro Costa

Cara isso é um tema interessante. Eu sei muito mais como operam USAF/USN/USMC, como se dá seu dia a dia, etc., do que sei sobre as Forças Brasileiras. Muito pouca coisa é escrita à respeito, em detalhes da operação e por aí vai. A gente tem um sentimento de desconexão.

Santamariense

Exatamente! Nossas Forças são fechadas sobre si mesmas. Parecem querer esconder tudo que podem. Isso afasta as pessoas e dá a sensação de que querem viver num mundo à parte. Tem exceções, mas na maioria das vezes, é assim.

MMerlin

Existe uma teoria (da conspiração) que só divulgam todos os defeitos porque existe uma aeronave secreta desenvolvida via orçamento secreto, rs.
Mas não deixa de ser raro o nível de transparência dos atrasos, aumentos de custo e falhas do projeto.
Independente de tudo isso, a aeronave continua impressionante.

Renato

Enquanto isso a Croácia recebe 12 Rafales esse ano.
Esse nosso cronograma tem algo muito errado..
Uma lentidão absurda.

Last edited 30 dias atrás by Renato
Luís Henrique

A Croácia adquiriu 12 Rafale usados da força aérea francesa. O contrato foi assinado no final de 2021, receberam 6 unidades recentemente e devem receber as outras 6 até o final do ano. Não tem como comparar com caças novos de fábrica. No nosso caso foi mais demorado porque quando compramos o Gripen E, o desenvolvimento ainda não estava concluído. A FAB decidiu comprar o caça que ofereceu o melhor pacote de tot e foi justamente o que estava em desenvolvimento. Caso tivesse adquirido um caça pronto, já teríamos recebido todos os 36, mas os benefícios de tot e participação… Read more »

Marcos Silva

” No nosso caso foi mais demorado porque quando compramos o Gripen E, o desenvolvimento ainda não estava concluído…”
Tá,tudo isso já sabemos. E agora,que a produção começou,porque continua a demora?

Luís Henrique

Acho que já foi divulgado que o Brasil atrasou pagamentos e o programa sofreu atrasos.
Parece que o cronograma alterado ficou 3 aeronaves em 2023, 3 em 2024, 2 em 2025, 11 em 2026 e 11 em 2027.

Marcos Silva

Essa questão do pagamento tá nebulosa. Não seria pra começar a pagar as aeronaves após o recebimento?

Camargoer.

Então… cada uma das três empresas selecionadas na lista final do Fx2 apresentou uma proposta final, que foi avaliada pela FAB. Eram vários pontos, como desempenho das aeronaves, offset, tecnologia, apoio logístico… etc.. acho que eram mais de 200 pontos. O governo escolheu o Gripen em 2013. Ao longo de 2014, o governo brasileiro e a Saab negociaram o contrato de venda. Ao mesmo tempo, o Ministério da Fazenda começou uma negociação com o banco sueco. Esta negociação de financiamento precisava ser aprovadas pelo Senado. A partir da aprovação do Senado, a Fazenda assinou o contrato de financiamento com o… Read more »

Camargoer.

Segundo o relatório da FAB, todos os pagamentos foram feitos de forma regular.

Luís Henrique
Camargoer.

Entao….
a matéria é de 2019.
o relatório de gestão da FAB mais recente é de 2023.

Last edited 30 dias atrás by Camargoer.
Cesar Santos

Caro Camargoer, primeiramente melhoras! Se não for pedir demais, poderia disponibilizar o link com os dados mais recentes novamente se tiver fácil ai? Grato

Last edited 29 dias atrás by Cesar Santos
Fernando "Nunão" De Martini
Renato

Ok, foi apenas um exemplo, mas se você pesquisar vai achar muitos outros programas de caças zero km, entregues muito, mas muito mais rápido.
Egito (Rafale) para citar apenas um..
Quanto a ToT nem vou comentar pois não acredito, quem quiser acreditar fique a vontade.
Resumindo, o cronograma está muito lento sim.

Last edited 30 dias atrás by Renato
Luís Henrique

Sim. Existem caças com vendas na casa das centenas e com linhas de produção bem maiores, com várias dezenas produzidas por ano. O Gripen E só possui 96 unidades encomendadas. Não é economicamente viável produzir todas estas unidades em poucos anos e em seguida fechar a linha de produção. Até para “ganhar tempo” para conseguir exportações, a SAAB deve espalhar a produção do Gripen E em vários anos. Para piorar o nosso contrato envolve produção no Brasil, o que é bom por um lado, porém como a encomenda é muito pequena (36 unidades e apenas 15 produzidas aqui), é economicamente… Read more »

Marcos Silva

E isso é triste pelo fato de pagarmos muito mais pelo tal TOT.
E um sombrio presságio vem a mente: TOT em alemão é morto…

Renato

Entendo sim o lado da empresa, mas esse “ganhar tempo” da SAAB não deveria nos envolver, que entreguem o que nos é devido e após isso que produzam 1 caça a cada 10 anos se quiserem, esse problema é deles não nosso (ou pelo menos não deveria ser..)
Estranho é o Brasil ter aceitado essas condições.

Last edited 30 dias atrás by Renato
Sensato

Sim. Também é nosso. A Embraer tem basicamente o mesmo problema que a Saab nesse aspecto e tanto pra eles quanto para nós, interessa manter a linha de produção aberta tanto quanto possível.

Renato

Então é a Embraer que deve pensar nesse imbróglio e agir de forma a evita-lo com a cadência que julgar apropriada ou que conste em contrato.
.
Quanto a SAAB (a qual me referi) repito, cabe nos entregar o que foi acordado.
Além disso tem 60 ou mais (se não me engano) para produzir localmente a conta gotas, como queira.

Last edited 30 dias atrás by Renato
Sensato

Vamos ler a matéria de hoje sobre o contrato e ver o quanto da demora é culpa da Saab…

Sensato

Obrigado pela paciência de explicar de novo.

Angus

Acredito que a escolha pelo Gripen E foi um acerto da FAB, considerando toda a conjuntura do momento (já muito debatida) e o salto de qualidade que está proporcionando. O que começa a me deixar cético, quanto ao futuro do programa, é o atraso considerável nas entregas, a falta da compra de um segundo lote e nenhuma venda além das (60 Suécia + 36 Brasil). Até o A-1 teve mais unidades produzidas e se revelou “um pesadelo” logístico. Espero, sinceramente, que consiga mais um ou dois clientes ou a FAB vai estar com um abacaxi nas mãos logo ali. Nem… Read more »

Gilson

Eu, sinceramente na época, da escolha, eu, estava torcendo pelo Rafale, mas hoje, vendo todo esse processo em andamento mesmo que lento, acredito também que foi a escolha certa da FAB.

Marcos Silva

Na verdade o problema todo não está no caça. Qualquer um que fosse escolhido estaria sofrendo do mesmo mal,a eterna falta de verbas.

Rafael Coimbra

Vamos acabar com alguns F-16 usados voando nas cores da FAB por mais tempo que os Gripen E… pode printar….

Toro

Desculpem, mas esses aviões não seriam feitos no Brasil originalmente?

Fernando "Nunão" De Martini

Isso foi renegociado alguns anos atrás. Os 15 aviões com montagem final e integração na Embraer, que seriam divididos entre E e F, passaram a ser unicamente E para otimizar custos.

Dudu

Engraçado: O cancelamento da produção do Gripen devido à ideia de “otimizar os custos” dos suecos, se deu nove dias depois deles anunciarem o seu desejo oficial de ingressar na OTAN.

Foi mesmo isso, ou um aceno na época para os seu futuro chefe, que nunca quis que o Gripen F fosse fabricado no Brasil, por receio de que vinhesse a ser preparado para outro tipo missão , além das divulgadas?

Fernando "Nunão" De Martini

Dudu,

Se você acha que os dois fatos estão relacionados, pesquise a respeito.

Repetir sua suposição nos comentários não vai tornar sua hipótese um fato, apenas uma pesquisa séria dará conta. Bom trabalho pra você.

Orivaldo

Os Funcionários são Brasileiros ?

Baschera

Boa Noite !
Considero um bom vetor e adeguado ao nosso mísero orçamento…mas convenhamos que 36 und (ou mesmo 4 ou cinco adicionais) é um pingo d’água.
Pagou-se um valor contratual muito alto para incluir determinadas absorções tecnológicas e vamos “montar” uma “dúzia” apenas na EMB ?? Sim…pois já se especula sobre um novo e diferente vetor…adquirido pronto, seja novo ou usado.
Mais uma vez, a meu ver, erramos…
Sds.

Last edited 1 mês atrás by Baschera
Toro

Pois é… nem os “F” serão. E ao que parece vamos fazer o serviço de substituição dos Elevons no Brasil.

Honestamente não há “ganho” nenhum com esse tipo de coisa. Até o PAMA GL sabe fazer essas coisas.

Tem coisas que são dificeis de entender.

Last edited 1 mês atrás by Toro
Marcos Silva

Sempre disse isso e vou dizer de novo: é o AMX 2.0! Esse programa não será realizado como todos os outros.
Alguém já vai argumentar: mas a Embraer vai usar esse conhecimento nos seu produtos comerciais.
O objetivo não é esse! O AMX não rendeu um jato militar brasileiro,nem caça nem avião de ataque.
E será assim novamente com o Gripen. Não teremos um caça nacional. Isso vai na contramão da tendência mundial,ou seja,unir forças pra economizar,onde todos ganham.
Esqueçam isso de caça nacional de sexta geração.
Essa piada de mau gosto já deu o que tinha que dar.

Last edited 1 mês atrás by Marcos Silva
Felipe

Se vier o adicional de 15 aviões creio que serão montados na Embraer , com partes fabricadas no Brasil, somadas as já contratadas seriam 30 aviões produzidos na Embraer. E sabemos que a meta são até 70 caças, então calma , paciência, que as compras são pingadas mesmo.

Luís Henrique

Pois é. Eu acho que o máximo que vamos conseguir de Gripen E será aquele adicional de +14, totalizando 50 unidades ou talvez nem isso.
Li uma matéria dizendo que os AMX serão aposentados até 2025 e que a FAB precisa de um substituto urgente. A matéria indica o M346 FA como a melhor opção e diz que brigadeiros da reserva querem o F-16 (provavelmente usados MLU).

Eu prefiro os F-16 MLU, muito mais capazes que M346 e mais baratos.

Marcos Silva

Pessoal torce o nariz e esperneia,mas a fab vai acabar tendo que recorrer aos F-16.

Dworkin

E o pior (ou melhor) é que caso os AMX sejam substituídos por f-16 a FAB ganha em capacidade. Mas a ideia não era substituir tudo por gripen ?

Marcos Silva

Seria. Mas…

Camargoer.

A ideia é unificar a frota de caças da FAB com o Gripem E/F

Santamariense

Não diga?! E daí??

Sensato

Não houve nenhuma declaração oficial que leve a crer que não continua sendo

Marcos Silva

Bom,tem uma fala aí do comandante da fab dizendo que poderemos complementar a frota com mais Gripens ou “outra aeronave”.
Ou seja,nem a faba sabe o que quer,ou pode ter…

Sensato

A FAB sabe perfeitamente o que quer. Já saber sobre o que pode é bem mais complexo pois depende de políticos e aí sabemos que as coisas deixam de ser tão previsíveis.

GuiBeck

Pergunto: será que existem ainda F16 usados em bom estado para serem adquiridos?

Camargoer.

Sempre tem F16 de segunda mão em algum lugar.. o que não existe é interesse da FAB neles.

Marcos Silva

Será que não????

Camargoer.

Então é o segredo militar mais bem guardado das forças armadas brasileiras.

Marcos Silva

Mas é possível! Lembre-se da fala do comandante: mais Gripens ou ” outra aeronave”.
Quer dizer que o plano(???) de equipar todos os esquadrões com um único tipo de aeronave subiu no telhado.
Mas esteja livre pra acreditar no que quiser. Até em planejamento da FA’s brasileiras…

Camargoer.

Existem coisas possíveis e coisas impossíveis. Entre as possíveis, existem coisas prováveis e coisas improváveis.

Crer é um ato de fé. Ninguém precisa de permissão para acreditar. Isso é algo de for íntimo… ainda que a Santa Inquisição tenha se esforçado muito para que isso fosse diferente.

Pobres bruxa de Salém.

comment image.webp

Last edited 29 dias atrás by Camargoer.
Santamariense

A Inquisição foi uma serie de crimes e perseguições bárbaros, postos em prática pela Igreja Católica. Entretanto, o julgamento e execução das bruxas de Salem, ainda que muito semelhante à Inquisição nos métodos e penas, e insuflado e influenciado por reverendos da Igreja Batista, foi realizado pelo sistema judiciário, com membros nomeados pelo governador de Massachusetts. Resumindo, os julgamentos de Salem não foram realizados pela Inquisição.

Fernando "Nunão" De Martini

Camargo e Santamariense, por favor, voltem ao tema da matéria (ou até mesmo da discussão sobre ser plausível F-16 na FAB) antes que apareçam malucos por aqui querendo discutir somente bruxaria e inquisição.

Sugiro darem uma pausa nesse debate de vocês e assistirem os episódios de Salem da Feiticeira. Pelo menos tem a excelente atuação da belíssima e saudosa Elizabeth Montgomery.

Santamariense

Tá bem. Entendido, Nunão.

MMerlin

Deu sorte Nunão.
Já estudei esta época discrepante da história.
Ia entrar fácil na discussão, rs.

GuiBeck

Quem falou em interesse da fab não fui eu, perguntei apenas sobre células usadas disponíveis.

Luís Henrique

A Ucrânia recebeu promessa de 85 F-16. Caso cheguem a um acordo de paz, talvez parte destes 85 possam ser vendidos para outros países, em vez de doados para a Ucrânia.

Mas além destes acho que deve ter mais, o F-16 foi o caça mais produzido dos últimos anos e boa parte dos países estão comprando F-35.

Rinaldo Nery

Quem seriam esses ¨brigadeiros da reserva¨? Conheço vários.

Luís Henrique
Bernardo Santos

Esse site aí não aparenta ser tão confiável como muita gente acha. esse mesmo site soltou uma matéria que a própria Suécia teve que vim a público negar as informações e sempre tem matérias relacionadas ao gripen negativas como se fosse um de nós insatisfeito com o programa e comentando teorias sem comprovação, o que não deve ser feito já que o responsável do site deveria checar as informações antes de publicar.

Rinaldo Nery

Viagem na maionese desse editor.

Felipe

Acredito que virá o adicional de 14 unidades ou 15. Basta a Suécia comprar o KC390 para acelerar as coisas. Mas depois é possível sim que adquiramos caças F-16 MLU usados para a região Sul.

Marcos Silva

Não existe isso de comprar um avião pelo outro. Pelamordedeus…parem com isso.

Camargoer.

Felipe. Uma coisa de cada vez. A FAB tem interesse em uma frota de 50~70 Gripen desde a sua escolha em 2013. Como sempre acontece, estas aquisições são feitas em lotes. A FAB está recebendo os aviões do primeiro lote. Talvez a FAB fique com apenas 36 caças. Possível e menos provável; Talvez seja contratado um aditivo do primeiro lote. Possível e o mais provável neste momneto Talvez a FAB assine um outro contrato para um segundo lote. Possível e menos provável neste momento Talvez a FAB escolha F16 de segunda mão, vendendo todos os 36 Gripens para a Ucrãncia… Read more »

Nei

O que precisamos, indiferente da Suécia comprar algum C-290 é de mais unidades do Gripen. Comprar C-290 se acontecer, será uma ajuda somente.

curioso

Quantos Gripen E estão em montagem na Embraer Gavião Peixoto?
Alguma informação sobre novas unidades iniciadas, depois de baterem o bumbo na inauguração da linha de montagem brasileira?

Alexandre Galante

Em breve teremos respostas às suas perguntas.

curioso

Obrigado. A propósito, reforço também (abusando um pouco da boa vontade de vocês), as perguntas de Fábio Araújo sobre a previsão atual para o primeiro voo e a primeira entrega à FAB do Gripen F made in Suecia.

Santamariense

Que eu saiba, tem 2 (dois) F-39E em montagem na linha de GPX.

Santamariense

comment image

Last edited 30 dias atrás by Santamariense
curioso

Obrigado. Você saberia dizer p/favor se tem datas previstas para primeiro voo e entrega desses dois monoposstos?

Santamariense

Isso eu não sei como está hoje, mas já li que a entrega do primeiro “brasileiro” seria para 2025.

Rodrigo

Nada a ver com o tópico, mais só pra vocês verem como os especialistas de tiktok distorcem e espalham desinformação hoje eu vi um jovem falando que o Brasil conseguiria afundas um NaE americano com o astros 2, falando que nós tínhamos AAe de longo alcance e que o AV MT 300 já estava em escala de produção, e quando fui argumentar eu saí como o louco kkkkkk

Fernando Vieira

Mas também você quer debater coisa séria numa rede de vídeos curtos de dancinhas.

Fabio Araujo

O primeiro vôo do Gripen F será ano que vem e a entrega será em 2026?

Vitor Botafogo

Quando repassam o comentário das entregas para a FAB, é porque tem culpa no cartório. Ou seja, atraso de pagamentos… Só recebe se pagar…

Vitor Botafogo

Em tempo, parabéns ao poder aéreo pela reportagem!

Alecs

“Em tempo” Tinha um comentarista aqui que gostava desse termo. Será? Vitor, fico feliz por você ser Botafogo também! Sobre a matéria, parabéns Galante! Já estava sentindo falta de notícias do F.

Renato

Tenho lido muita especulação nesse sentido aqui nos comentários, mas todas sem nenhuma fonte.
Ai vira aquela conversa de uma mentira repetida mil vezes que acaba se passando por uma verdade..
Até alguma confirmação oficial, vamos ter cuidado com isso.

Camargoer.

Então.,… o Gripen foi escolhido no fim de 2013 e o contrato com a Saab foi assinado em 2014. O contrato de financiamento foi assinado em 2015. Desde então, o Brasil vem pagando as parcelas diretamente ao Banco, semestralmente, algo em torno de R$ 1,5 bilhão por ano. Este contrato já recebeu alguns aditivos, inclusive reduzindo o valor total. Pelo que lembro, mas posso estar errado, os pagamentos irão até 2028. Funciona assim… o Brasil paga as parcelas do financiamento ao banco, já incluído os juros do contrato. Enquanto isso, o banco faz os aportes à Saab em função do… Read more »

Rommelqe

Prezado Camargoer: uma dúvida que sempre me ocorre mas nunca tive “coragem” para perguntar a respeito. Temos a dívida com a SAAB mas, alem disso, com a EMBRAER e outros fornecedores em geral. Os valores declarados pela midia especializada, e mesmo a leiga, normalmente se referem ao pagamento para a SAAB, mas ela se encarregaria de repassar aos montantes contratados com os demais? Por exemplo, as instalações de Gavião Peixoto não são pagas em Reais em valores não inclusos no montante destinado à SAAB? No inicio os valores contratados eram declarados com parte em moeda sueca e parte em moeda… Read more »

Camargoer.

Olá R. A dívida é com o Banco Sueco por isso a FAB paga as parcelas ao Banco nas condições do contrato de financiamento. A FAB paga as parcelas ao banco. O banco faz os aportes na Saab seguindo o cronograma físico de fabricação. Este cronograma físico e acertado entre a FAB e a Saab. Se o cronograma adiantar, o banco faz mais aportes. Se o cronograma atrasar, o banco posterga os aportes. O cronograma de pagamento ao banco não tem relação com o cronograma de fabricação dos caças. O contrato de aquisição dos aviões é com a Saab, que… Read more »

Santamariense

Acho que isso é lógico. O Brasil comprou o avião, entregue no Brasil. Pagamos por isso. Quem tem que fazer os pagamentos aos fornecedores é parceiros tem que ser o contratado principal. O Brasil contratou a SAAB para lhe fornecer 36 Gripen. O que a SAAB vai fazer para entregar as aeronaves é responsabilidade e problema dela. Se não for assim, tem algo de muito errado …

Rommelqe

Prezados Santamariense (Flanker…) e Camargo (ER): concordo em geral com seus comentários e sempre considerei essa mesma base de raciocínio. Mas, por outro lado, fora do contrato direto com a SAAB/Governo Sueco, há uma série de outros investimentos necessários que me parecem não estar no contrato com a SAAB. Por exemplo, enquanto que as instalações fabris da SAAB no Brasil fazem parte, de certa forma, das contrapartidas (excelente, por sinal, para o BRASIL) seus custos estão englobados no contrato principal; por outro lado, investimentos na fabrica EMBRAER de Gavião Peixoto não estão, ao que me parece, inclusos entre os itens… Read more »

Santamariense

Tu sempre repete isso aqui…sempre!! Se fosse tudo essas mil maravilhas, não teria atraso de cronograma, como já teve , tanto que mudaram o cronograma original, e agora o cronograma atual também está atrasado! E, se os pagamentos do Brasil ao banco não tem a ver com as entregas dos aviões, o que impede as entregas? O projeto tem problemas? E se for para fazer essa triangulação entre governo brasileiro, banco e SAAB, da maneira que tu colocou, faço a pergunta mais simples: pra que o banco nessa história???? Se os pagamentos do Brasil ao banco vão se encerrar praticamente… Read more »

Rommelqe

Meu caro Santamariense: realmente, concordo que na teoria a prática é outra (e vice versa). Entendo que um programa/contrato de fornecimento tão complexo acaba sendo de certa forma, muito difícil de gerenciar. Compensações tecnico/comerciais não necessariamente são facilmente quantificáveis/identificáveis (em seus limites razoáveis) e fazem com que a gestão de recursos seja muito difícil mesmo. Sou certificado no PMI e já trabalhei em vários contratos de fornecimento envolvendo empresas internacionais em volumes financeiros da mesma ordem de grandeza. Não é facil até para profissionais….

Santamariense

Justamente, caro Rommelqe. Querer dizer que está tudo ok com o contrato, sem termos acesso ao mesmo, é simplificar demais algo que é complicadíssimo por natureza. Isso de que “o Brasil paga ao banco que paga à SAAB” é muuuuito simplismo … ou querer passar pano … e isso não escrevo pra ti! Abraço.

william Coelho

Não consigo entender o porque que dos GRIPENS BR que estão linha de montagem não saírem já com os novos elevons, e o porque da troca somente no Brasil, se já estão na linha de montagem, já deveriam sair com os novos. Brasil sendo Brasil.

Rommelqe

Prezado William, entendo que a dúvida sua tem certa razão de ser, mas a explicação do porque de se postergar a instalação dos novos elevons (e canards!) nas unidades destinadas ao BRASIL podem, eventualmente, ser explicadas por algumas questões razoavelmente suportadas e bem específicas. Por exemplo, o retrabalho de itens que ja estavam em estágios mais avançados de fabricação onera não só o avanço físico da linha de montagem de cada vetor em si (ja bastante complicada para atender o cronograma real…), como também faz com que tenhamos mais atrazos nos demais…Ao postergar para faze-lo no BRASIL possivelmente estamos agilizando… Read more »

Bernardo Santos

Porque os jornalistas Brasileiros não foram convidados se o Brasil é o único que comprou esse caça? os jornalistas Brasileiros deveriam ter certo prestígio não?

Fernando "Nunão" De Martini

Bernardo,

Jornalistas brasileiros já foram convidados e realizaram visitas de imprensa diversas vezes.

O Poder Aéreo, por exemplo, já foi em três ou quatro press-trips a partir do Brasil e há dezenas de matérias aqui resultantes destas visitas.

Esta é que foi específica para jornalistas baseados na Europa e EUA.

Dudu

Uma andorinha me contou que a Saab foi pressionada pelo seu novo chefe a desistir de deixar o Gripen F ser fabricado no Brasil, depois que a FAB oficialmente admitiu está trabalhando no desenvolvimento da versão aérea do AV MTC 300, o MICLA ( Míssil de Cruzeiro de longo alcance). Uma vez fabricado no Brasil, pela Embraer, o Gripen F poderia ser preparado para missões de dissuasão nuclear.

Mesmo sendo fabricado na Suécia, o Gripen F é feito com a participação de engenheiros e técnicos da Embraer.

Rinaldo Nery

Não parece plausível.

Last edited 29 dias atrás by Rinaldo Nery
Dudu

Em 15 de Maio de 2022, a Suécia anunciou o seu desejo oficial de ingressar na OTAN. Nove dias depois, a FAB anunciou que o Gripen F não seria mais fábricado no Brasil.

Um aceno claro de agrado dos suecos aos seus futuros patrões.

Só não vê quem não quer….

Leandro Costa

comment image

Rommelqe

Entendo que pelo menos um mas, mais provavelmente, todos os dois exemplares vistos em fabricação, são protótipos para desenvolvimento da variante biplace JAS-39F. Assim, nenhum dos dois seria entregue à FAB. Este foi um dos principais fatores, na minha opinião, para a FAB renunciar à montagem/fabricação no Brasil, pois desta forma há uma redução substancial de custos (dispensa de grande parte dos custos de desenvolvimento fisico em prototipo, etc…) . Essa suposição é correta, caro Alexandre Galante? Parabéns por mais esta excelente reportagem

Rommelqe

Os que negativaram minha pergunta a respeito de protótipo(s) de desenvolvimento entendem que um biplace não tenha que passar por desenvolvimento e aferição/otimização de conceito e desempenho? Parabéns pelo seu conhecimento técnico elevadíssimo!!!!

Dudu

Só rindo mesmo pra não chorar com tanta inocência. Depois de gastar a fortuna que foi gasta, você acha mesmo que para economizar algumas dezenas de milhões de dólares, a FAB iria abrir mão de dominar a fabricação no Brasil da variante mais complexa e sofistiada da máquina? Desde o projeto F-X, a versão de dois lugares estava prevista. Quando o Gripen NG ganhou o F-X em 2013, ainda estava em desenvolvimento. Quando abordados sobre a versão F, exclusiva do Brasil, os suecos queriam apenas puxar um lugar atrás na cabine, sem mexer nas dimensões do caça, às custas da… Read more »

Last edited 29 dias atrás by Dudu
Fernando "Nunão" De Martini

“Quando abordados sobre a versão F, exclusiva do Brasil, os suecos queriam apenas puxar um lugar atrás na cabine, sem mexer nas dimensões do caça, às custas da redução de capacidade de transportar combustível e armas. A FAB rejeitou. Pediu para a aeronave ser alongada, para ter espaço para um segundo tripulante e seus suprimentos de vida, sem ser preciso reduzir as capacidades de armazenar combustivel e transportar armas” Dudu, O biposto F, em relação ao E, segue esquema semelhante ao D em relação ao C: comprimento alongado para instalar o segundo posto de pilotagem e redução na capacidade de… Read more »

Santamariense

Pois é! Além da questão do tamanho da versão bi em relação ao monoposto, que já é totalmente descabida, o argumento de que o F será a “variante mais complexa e sofisticada” me parece puro devaneio! Mais complexa e sofisticada em qual sentido? Quem disse que o F seria para transportar o MICLA? O E também pode, ora! Qual a capacidade exclusiva para transportar um míssil desses? Ah, querem fazer uma versão SEAD/EW, tipo o EA-18? Bom, aí é outra história, não é o Gripen F.

Dudu

“O biposto F, em relação ao E, segue esquema semelhante ao D em relação ao C: comprimento alongado para instalar o segundo posto de pilotagem e redução na capacidade de combustível em relação ao monoposto. Não existe essa história do biposto ter o mesmo comprimento do monoposto, isso desde as versões A e B.” Assisti o relato disso em uma live do Caiafa. Inicialmente, os suecos queriam apenas puxar um lugar atrás, do Gripen E, para acomodar o segundo tripulante e o seus suprimentos de vida, em detrimento da capacidade de armazenar combustível e transportar armas. A FAB não aceitou:… Read more »

Last edited 29 dias atrás by Dudu
Fernando "Nunão" De Martini

Dudu, O Gripen F foi desenvolvido em conjunto por brasileiros e suecos. A montagem final e integração, que seria na Embraer em Gavião Peixoto, mudou para a Saab em Linkoping. Só isso. O trabalho de montagem final e integração do F em relação ao E não traz mais desafios do que trouxe o desenvolvimento (sobre o qual já escrevi). É apenas mais caro e mais demorado. Essa história de fazer o F no mesmo comprimento do E não se sustenta. Ou alguém falou besteira a respeito ou você entendeu errado. O resto eu nem vou perder tempo respondendo, a não… Read more »

Dudu

“A montagem final e integração, que seria na Embraer em Gavião Peixoto, mudou para a Saab em Linkoping. Só isso.”

Você só esqueceu de citar que “mudou” sete dias após a Suecia oficialmente pedir para ingressar na OTAN. E que desde o início do projeto, o plano era que O Gripen F fosse projetado no Brasil por brasileiros com auxilio sueco e também fabricado no Brasil e que desde que a FAB anunciou o desenvolvimento do MICLA, por pedido externo, os suecos colocaram o desenvolvimento da variante F em modo tartaruga.

Só isso que voce esqueceu de falar.

Fernando "Nunão" De Martini

E que desde o início do projeto, o plano era que O Gripen F fosse projetado no Brasil por brasileiros com auxilio sueco”

Não me esqueci de mencionar isso, mesmo porque esse compromisso foi devidamente cumprido.

O resto que você escreveu é teoria da conspiração. Para deixar de ser apenas hipótese, você terá que agregar fatos e provas. É assim que funciona.

Dudu

Não. Não foi não porque o avião foi projetado e está sendo desenvolvido lá por suecos e brasileiros. É diferente. Se estivesse sendo feito aqui, todo o ecossistema de fornecedores do Gripen E estaria mobilizado para atender as demandas da variante F, assim como muitos detalhes construtivos poderiam ser solucionados aqui, nos dando independência na capacidade de pensar, projetar e desenvolver avioes do tipo e ampliando o portfólio da EDS. Você não querer admitir certas verdades duras de serem digeridas ao cidadao comum, por ética profissional é uma coisa. Agora querer tachar tais verdades de “teorias conspiratorias” para desacredita-las é… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Não foi não porque o avião foi projetado e está sendo desenvolvido lá por suecos e brasileiros.” O desenvolvimento foi iniciado na Suécia (onde conversei pessoalmenre com engenheiros da Embraer envolvidos) e prosseguiu no GDDN – Gripen Design and Development Network / Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen, em Gavião Peixoto (SP/Brasil), conectado diretamente às instalações da Saab na Suécia. “Você não querer admitir certas verdades duras de serem digeridas ao cidadao comum, por ética profissional é uma coisa. Agora querer tachar tais verdades de “teorias conspiratorias” para desacredita-las é outra, amigo.” Não é questão de ética profissional, é… Read more »

Dudu

“O desenvolvimento foi iniciado na Suécia (onde conversei pessoalmenre com engenheiros da Embraer envolvidos) e prosseguiu no GDDN – Gripen Design and Development Network / Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen, em Gavião Peixoto (SP/Brasil), conectado diretamente às instalações da Saab na Suécia” Como diria Seu Madruga: “Não me diga” Tá bom: vamos acreditar que o motivo da Saab ter cancelado a produção do Gripen F no Brasil foi a pequena ( 8 unidades) quantidade de aeronaves, que não justificam uma linha para tal. Existe possibilidade de adicionar até 14 unidades as 36 já encomendadas. Suponhamos que a FAB… Read more »

Last edited 28 dias atrás by Dudu
FernandoEMB

Esse Dudu é pura paranóia.

Cria um intrincado mundo de relações nefastas, conchavos, etc, etc… distorce a realidade para caber na sua teoria.

Fecho com o Nunão, que é conhecedor do assunto e esse sim, se baseia em fatos.

Páre de assistir tanto filme da NetFlix, já está achando que é tudo como nos filmes. kkk

Fernando "Nunão" De Martini

Todo mundo tem direito a criar sua teoria da conspiração… Mas ela precisa ter pelo menos um pingo de fatos para tentar se levantar, e um monte deles para pelo menos parar em pé. A premissa inicial, de sugestão sueca de Gripen F com o mesmo comprimento do Gripen E, é totalmente fora da realidade dos fatos. As demais premissas que tentam fazer uma conexão entre desenvolvimento do Gripen F e emprego de míssil de cruzeiro nacional, também não param em pé, pois o código-fonte para integração de armamento não é exclusivo do Gripen F, é também do Gripen E.… Read more »

Rommelqe

Prezados Nunão e Fernando EMB: gostaria de falar um pouco mais em relação aos custos e investimentos necessários ao desenvolvimento e produção da nova aeronave biposta contemplada no programa GRIPEN. Se utilizarmos como referência o desenvolvimento das diversas variantes do GRIPEN, entendo que foram produzidos pelo menos sete protótipos para dar suporte físico à produção da  variante JAS 39E, nenhum deles destinados a serem integrados à operação militar das respectivas forças aéreas (vide,por exemplo, o “nosso” 4000 e Os caças a jato da Saab – JAS 39 Gripen – Poder Aéreo – Aviação, Forças Aéreas, Indústria Aeroespacial e de Defesa… Read more »

Rommelqe

Espero que voce ria bastante meu caro Dudu. É melhor do que chorar olhando no espelho diante de tanta sabedoria. Abraços.

marcus mendes

Capacidade de produção baixa, 20 a 25 aeronaves por ano. Qual será a capacidade de produção da Embraer para o F39?

Sérgio Luís

A questão é será um ou dois Micla-BR nos cabides!?