Os recentes testes climáticos realizados em Belém e Salinópolis expuseram o Gripen a condições quentes e úmidas, com temperaturas chegando a aproximadamente 35ºC e umidade de 85% ao nível do mar.

Por aproximadamente 20 dias, a aeronave Gripen E 4100, utilizada nas campanhas de desenvolvimento e certificação no Brasil, foi novamente submetida a condições climáticas extremas. Durante as avaliações, a aeronave voou aproximadamente 12 horas em 10 missões em condições quentes e úmidas, típicas da região Norte do Brasil.

“O Gripen ficou sediado na Base Aérea de Belém, onde estava o apoio de solo e as equipes da Saab e da Embraer. Após a decolagem, a aeronave seguia em direção a uma área de ensaios sobre o mar perto de Salinópolis, a cerca de 160 km de Belém. Nós montamos uma estação de telemetria naquele local para coletar todos os dados dos voos”, explicou Dalton Leite, engenheiro da Embraer responsável pela campanha.

Os testes foram realizados para avaliar o desempenho de todos os sistemas em condições extremamente quentes e úmidas, garantindo o resfriamento adequado dos equipamentos, o conforto do piloto e o comportamento geral da aeronave quando inserida naquele ambiente.

“Apesar das condições climáticas desafiadoras e a mudança repentina da meteorologia ao longo do dia, os resultados obtidos demonstram que o Gripen pode operar sem restrições de clima de qualquer local da região norte”, disse Martin Leijonhufvud, chefe do Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC) da Saab.

Durante a campanha, as responsabilidades foram atribuídas à Embraer como parte do programa de transferência de tecnologia, com o objetivo de aprimorar a expertise da empresa brasileira nessa área.

“Os testes envolveram o trabalho de aproximadamente 35 pessoas, divididas entre brasileiros e suecos, e foram fundamentais para fortalecer ainda mais a parceria entre a Saab e a Embraer. Também prepararam nossos técnicos e engenheiros para realizar esse tipo de trabalho sem a mentoria da Saab”, completou Leite.

Voo transônico e radar altímetro

A campanha também incluiu testes de voo em regime transônico* e a avaliação da funcionalidade do radar altímetro.

“Os voos transônicos foram realizados para avaliar o desempenho do caça e do motor em altitudes mais baixas, permitindo que a equipe medisse o aumento do calor e das tensões estruturais na aeronave”, explicou Jakob Högberg, piloto-chefe de testes da Saab.

Já o ensaio do radar altímetro tem impacto direto em vários sistemas da aeronave, incluindo o de alerta de proximidade do solo (GPWS), que é um equipamento anticolisão de precisão para voos a baixa altura.

O caça explorou as faixas de 200 metros a 500 metros de altitude sobre a floresta densa e úmida para permitir que a equipe validasse a precisão das medições do radar altímetro naquele ambiente.

Todos os ensaios realizados foram concluídos com sucesso, consolidando mais uma etapa na campanha global de desenvolvimento e certificação do Gripen E. Esses testes incluíram o transporte de uma variedade de configurações de cargas externas, como mísseis IRIS-T e Meteor, assim como tanques de combustível.

* Transônico é a faixa de transição da velocidade subsônica para a supersônica, de aproximadamente Mach 0,8 a Mach 1,2, ou 980 km/h a 1.470 km/h ao nível do mar.

Sobre a Saab

A Saab é uma empresa líder em defesa e segurança com uma missão de longo prazo: ajudar os países a manterem suas pessoas e sociedades em segurança. Com o apoio de seus 22.000 funcionários, a Saab vai além dos limites da tecnologia para criar um mundo mais seguro e sustentável. A Saab desenvolve, produz e mantém sistemas avançados, sejam eles aéreos, de armamentos, comando e controle, sensores e subaquáticos. A Saab está sediada na Suécia e possui operações importantes em todo o mundo. Os produtos e serviços da empresa fazem parte da capacidade de defesa de muitas nações.

A Saab mantém uma parceria de longo prazo com o Brasil e fornece diversas soluções avançadas para o país, tanto civis quanto militares. Com o Programa Gripen Brasileiro, a empresa estabeleceu uma ampla transferência de tecnologia que está beneficiando a indústria de defesa nacional.

DIVULGAÇÃO: Saab / AND, ALL

NOTA DO EDITOR: reparar, como menciona o texto, que  na imagem do alto a aeronave FAB 4100 está configurada com tanque externo central e mísseis ar-ar – no caso dos que estão na instalados em pilones sob as asas, vê-se que são , versões inertes do Meteor, identificados como exemplares de manejo pelas faixas azuis no corpo do míssil.

Subscribe
Notify of
guest

83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Abner

Uma dúvida essa aeronave vai passar por alguma atualização após os testes serem concluídos para estar no padrão das outras ?

Fernando "Nunão" De Martini

Na verdade ela já passou por uma atualização antes das outras: trocou os elevons.

O que será feito, provavelmente, é a retirada da instrumentação de testes e, aproveitando, atualização conforme o padrão das que estiverem saindo da linha de produção na ocasião.

Matheus

Olá Nunão, acredito que o 4100 será sempre um “protótipo” para Embraer/FAB testar futuras atualizações e armamentos. Provavelmente ficará no IPEV. Assim como o KC002 PT-ZNJ.

Last edited 1 mês atrás by Matheus
Matheus R

Poderia acompanhar esse KC também em exposições e apresentações. Principalmente na América Latina.

Last edited 1 mês atrás by Matheus R
Santamariense

Eu acredito, como já disse várias vezes, que o 4100 NÃO É uma das 36 aeronaves operacionais, não estando portanto, entre as aeronaves que de fato irão operar nos esquadrões de caça da FAB. Ele seria o 37° exemplar do contrato. Sei que já discutimos muito isso por aqui, mas mantenho minha opinião até que saibamos o que irá acontecer de fato.

Antropólogo

Olá Fernando, boa noite! o que é instrumentação de testes? Obrigado!

Rinaldo Nery

São medidores/sensores utilizados somente para testes. Normalmente, são pintados na cor laranja. Não fazem parte da configuração do avião operacional.

Gilson

Vc, ganhou, 11, positivos que: entenderam o que é instrumentação de teste. Mas 3 te negativaram, será que: esses três genios, tem uma outra explicação melhor para instrumentação de teste. Deve estar de sacanagem ou são terra planista?

Rinaldo Nery

São só desafetos. Não me preocupam.

Mauro Cambuquira

Aqui não só temos algumas pérolas, mais também os contra, contrariados a sim mesmos.

Fernando "Nunão" De Martini

Olá Antropólogo, o Rinaldo já respondeu.
Além dos sensores, geralmente há sistemas de gravação/ transmissão dos dados desses medidores.

Antonio Neto

Trocou os elevons e os canards.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, ambos.

KarlBonfim

Por falar em atualização, quando vão chegar mais gripen’s da Suécia? Ou os próximos virão de Gavião Peixoto?

Franz A. Neeracher

Os próximos tb virão da Suécia….só não sei dizer quando.

Fëanor

É salutar ao Gripen ter um bom desempenho nesses testes.

Pois os Su-30 da Venezuela, aparentemente, estão bem adaptados nesse mesmo ambiente.

Henrique

“Pois os Su-30 da Venezuela, aparentemente, estão bem adaptados nesse mesmo ambiente.”

pior que não estão. esses Su30 ai tão apanhando pra umidade da região e condições do clima.

guest

fonte?

Henrique

quantas vezes ou quantas noticias você já viu sobre ele todos voando ou sobre a Venezuela recebendo manutenção deles… ou quantas vezes você já viu noticias sobre o treinamento dele se imagem deles voando… vc realmente acredita que u caça comprado de prateleira sem suporte logico decente feito pra Russia vai sobreviver na Venezuela?

se no Brasil que minimamente tem algum suporte os equipamentos já sofrem com humidade e falta de equipamentos adequados pra combater ela imagina um pais corrupto onde cara vende o almoço pra comprar a janta…

Rommelqe

Essa afirmação de que os SU-30 estejam bem adaptados nesse ambiente está baseada em algum dado/informação concreta? Olhando por diversos aspectos distintos, englobando desde de arrastos maiores até influência nas diversas instrumentações, condições de manutenção em terra, perfis de velocidade admissíveis para gradientes de velocidades de subida e descida, etc., tudo isso foi objeto de testes nas condições venezuelanas?
Qual é o indice de disponibilidade dos SU-30? Quais são as causas mais importantes de indisponibilidade? Quais sãoos itens mais críticos quanto à necessidade de reposição devido a obsolescência real? Similar aos MI da FAB?

Henrique

exato.. não se tem conhecimento de nenhum estado dos SU-30… se acha que se eles estivem bem sujeito na estava desfilando com eles pra todo lado.. ainda mais agora com esquizofrênica ideia de invadir o vizinho pq caiu no papinho tosco da russia

Last edited 30 dias atrás by Henrique
Rinaldo Nery

Acredito que os Gripen C/D tailandeses já forneceram alguns resultados de vôos em clima úmido e quente.

Clésio Luiz

Só 35°c e 85%? É para aliviar a barra dos suecos participando dos testes?

Tenho certeza que o norte do pais pode proporcionar números bem maiores que esses.

Last edited 1 mês atrás by Clésio Luiz
Rinaldo Nery

Esse é o normal lá. Já morei na Região

Camargoer.

Então…. A umidade absoluta depende da temperatura. Quanto mais quente maior é a pressão de vapor da água.

Assim, 100% de umidade em 25 graus é menor que 100% de umidade em 50 graus, por exemplo.

A umidade do ar abaixo de zero graus é zero também.

A umidade relativa é a quantidade de umidade em relação à umidade máxima naquela temperatura.

J.Neto

Essa é a média, com termohigrometro já medi mais de 90% de umidade na mata fechada,porém a temperatura nao chegava a 35°C , assim como já medi 42°C porén a umidade caiu p 70% ( período menos chuvoso) , então a media é essa mesma ai, talvez até o limite máximo dos 2 parametros juntos ( +- 3 para mais ou para menos)

Rommelqe

Exatamente J.Neto. Também ja medi muitas vezes dados metereológicos/hidrológicos e, em particular, em condições até mais rigorosas, la no Amapá. Lembrar que muitos testes em protótipos, em condições reais, servem como base para extrapolações, permitindo com que se faça uma avaliação em condições extremas.

Rommelqe

Meu caro Clésio, tudo bem contigo?
Veja que mesmo sendo as condições climáticas citadas próximas à média (suponho), embora já bastante rigorosas, logicamente podem ocorrer parâmetros mais extremos conforme vc mencionou.

De qualquer forma, testes assim possibilitam com que sejam realizadas extrapolações extremamente úteis para a avaliação da aeronave. É como comparar tensões mecânicas medidas em condições elásticas aceitáveis ao invés de impor colapso da estrutura para avaliar quando vai a ruptura…Assim são testes válidos e creio proveitosos. ABs

Wellington R. Soares

Ficar esperto com o nível de água do Radiador rsrr…

Amilton

Portal de quinta categoria. Nada sobre o f-35 no RJ aqui. Se fosse chinês o editor jogaria sua calcinha para o alto.

RESPOSTA DOS EDITORES:
SE VOCÊ FOSSE COMO OUTROS VISITANTES DE PRIMEIRA CATEGORIA, SABERIA PROCURAR NO PODER NAVAL, QUE COMO ESTE SITE, FAZ PARTE DA TRILOGIA FORÇAS DE DEFESA:

https://www.naval.com.br/blog/2024/05/20/caca-f-35c-lightning-il-faz-pouso-de-emergencia-na-base-aerea-naval-de-sao-pedro-de-aldeia-rj/

AGUARDAMOS SEU COMENTÁRIO NA MATÉRIA, DESDE QUE NÃO SEJA UM COMENTÁRIO DE QUINTA CATEGORIA. E SOLICITAMOS QUE NÃO TIRE A CALCINHA PARA COMENTAR.

Alisson Mariano

A resposta dos editores merece um print 🙂

Marcio Cosentino

Uma dos melhores respostas já vista por aqui. Parabéns Editores !

George

Tooooma!

Gilson

Que comentário desnecessário do senhor Amilton, em? poderia ter ficado na pergunta, sobre o pouso de emergência do F 35, muito mal educado

Rodrigo Maçolla

🤣 🤣 😂

TJLopes

Depois dessa, sugiro ao comentarista que procure o cartório mais próximo para mudar de nome e um cirurgião plástico pra trocar de cara.

Vai passar essa vergonha no crédito ou no débito?

Heverton Ribeiro

Estragou o velório.

Pablo

Agora vai para o sol se secar da mijada

Neto

Curtindo, a resposta do editor.

Funcionário da Petrobras

Olha o Meteoro aí gente.
Uma dúvida:
Na versão inerte do míssil ele pode ser disparado, porém não tem ogiva.
Ou nem isso?

Last edited 1 mês atrás by Funcionário da Petrobras

Depende do que é inerte, conforme as faixas.

Cada uma das faixas indica o que é inerte ou ativo no míssil. Se tem faixa azul na área do sistema de guiagem, da carga explosiva e também do motor / propelente, como este da foto, significa que é totalmente inerte, apenas serve para treinar manejo das equipes e fazer as vezes do míssil real como carga externa (mesmo peso e arrasto).

Vitor Botafogo

E Nada de mais unidades chegando…

José Pereira

Off tópic – F35 fez um pouso de emergência no Brasil no último sábado no Rio de Janeiro.
https://tecnodefesa.com.br/f-35-lightning-ii-faz-pouso-de-emergencia-em-sao-pedro-da-aldeia/

Funcionário da Petrobras

Remeteu ao pouso do Avro em 1982, mas dessa vez não foram interceptados.
Claro, americano faz o que quer aqui e ainda aplaudimos.
Comentei isso lá na outra trilogia.

Franz A. Neeracher

Comparação esdrúxula. Nesse caso trata-se de manobras entre o Brasil e os EUA. Todas as possibilidades em caso de pane ou emergência são discutidas antecipadamente entre as nações envolvidas. Todos os procedimentos discutidos e esclarecidos…..com militares brasileiros a bordo do PA americano….aeroportos e bases aéreas na região tb são informados. Como foi um caso de pane, talvez o F-35 estava mais perto de São Pedro D`Aldeia do que do PA, decidiu-se por posar…..problema resolvido e decolou novamente. Coisa normal que acontece frequentemente ao redor do mundo. Não tem nada a ver com imperialistas malvados americanos…..o mesmo procedimento teria acontecido com… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Franz A. Neeracher
Funcionário da Petrobras

Remeter, segundo Michaelis, dentre outros significados diz respeito à menção, que lembra algo ou alguma coisa, neste caso com o episódio do Avro durante a Guerra das Malvinas.
Cada um classifica como quiser, sendo uma comparação esdrúxula ou outra coisa que valha, mas recomendo conhecer antes algumas palavras da língua portuguesa e seus significados.
Quanto ao procedimento de pouso de emergência, é sabido que isso pode ocorrer com qualquer nação, o que é inegável é fato de muitas nações ser curvarem aos tais imperalistas malvados que você os classificou.

Funcionário,

Os significados e motivações para emprego de uma palavra, conforme esta é usada num texto, também remetem ao todo do texto, somando-se aos significados estritos da palavra vista isoladamente no dicionário.

E o todo do seu texto remete justamente à interpretação feita pelo Franz, que tenho certeza de que conhece os significados estritos do verbo remeter e também sabe interpretar textos.

A resposta que ele lhe deu é correta e eu a subscrevo, dado que seu comentário foi dirigido inicialmente para mim.

Santamariense

Claro, americano faz o que quer aqui e ainda aplaudimos.”

Essa sua frase, do comentário anterior, põe por terra tudo que você quis escrever nesse comentário acima.

André Sávio Craveiro Bueno

De fato.
No caso do Avro Vulcan em 1982, havia uma situação de guerra e o referido avião rumou para o Rio [“de repente” e por conta do baixo nível de combustível] acompanhado, até certo ponto, por um [ou mais um] Handley Page Victor, aeronave de reabastecimento. Como as autoridades competentes interpretariam essa aproximação? Pense rápido! A coisa começou a ser esclarecida após contato entre a aeronave e o Controle do Galeão, apesar das dificuldades de comunicação. E o Victor retornou a Ascensão. A interceptação veio e o resto já sabemos.

Franz A. Neeracher

Agora me lembrei daquele caso de 2 C-130 da Líbia carregados de armas para a Nicarágua, se não me engano, que foram obrigados a pousar em Recife e em Manaus.

André Sávio Craveiro Bueno

Sim, também lembro mas nem tanto dos detalhes.

Funcionário da Petrobras

Desse episódio não sabia.
Como se deu a reparação?
Ficou muito tempo parado em Recife?

Rinaldo Nery

Como era um “F-14 imperialista”, queríamos ficar com ele. Mas não deu.

MMerlin

Se eu fosse o responsável pela BARF não tinha devolvido, rs.

Nei

Na verdade, como era um F-14 dos “malvados imperialistas”, não devolvemos e está no museu anti americano que fica na cabeça de uns aqui.

Neto

Foto maravilhosa.

Marcelo Baptista

Oh dó! Mas eu não devolvia o brinquedo, eheheh.

Santamariense

Outra trilogia? Qual seria?

Funcionário da Petrobras

F-35 e seus problemas.

BraZil

Bom dia. Duas questões: Levando-se em consideração o clima quente predominante em boa parte de nosso território, testes assim não deveriam ter sido feitos antes? e segunda: serão uma indicação de que teremos JAS na Amazônia no médio prazo (dois anos) ?

Rinaldo Nery

Teremos F-39 desdobrados lá sempre que for necessário. Em 2008 realizamos a Operação Poraquê, em Manaus e Boa Vista, com a participação de F-5, Mirage 2000 e A-1. Controlando um Mirage 2000 contra um F-5, de E-99, quase fui abatido pelo F-5.

BraZil

Obrigado Rinaldo, mas não me refiro a desdobramentos e sim a lotação permanente. Afinal, deveríamos ter Esquadrões de interdição em vários pontos estratégicos do país e o sétimo Comando é cada vez, mais estratégico. resumindo, será que teremos a reativação de defesa aérea a jato permanente no VII COMAR? espero que sim.

Rinaldo Nery

Também concordo, mas o EMAER não decidiu isso, ainda. Vai depender do número de F-39 a serem adquiridos.

Felipe

50, 66 ou 70, afinal qual a meta de F-39 no momento?

BraZil

Felipe, eu diria que mudou e não houve anúncio oficial ainda. As incertezas com relação ao JAS 39 e o projeto de aquisição de uma nova aeronave de combate a jato, que amadurece cada vez mais, deverão reduzir essa projeção de aquisições.de Gripen.

Rinaldo Nery

Não sei.

André Sávio Craveiro Bueno

Roberto, lembro-me de ter visto em um programa na TV, possivelmente um Globo Repórter, cujo tema não me recordo mas que certamente era sobre aviação. Em um voo de F-5 houve uma colisão com um urubu. O animal atravessou o para-brisa e atingiu o capacete do piloto. O mesmo conseguiu pousar a aeronave mas teve o rosto muito machucado e perdeu uma visão.

André Sávio Craveiro Bueno

Creio que a minha estória é mais recente mas lembro-me desta de Guaratinguetá. No caso de Guará a aeronave havia sido recebida recentemente.

Rinaldo Nery

A pista da BASC estava sendo ampliada e foram operar, sabe Deus porque, na minúscula pista de Guará. Briga do COMAT com o COMDA, e por isso não foram pra Anápolis. Brig Quírico contou essa história aqui. Força Aérea tupiniquim. Fui do COMAT quando servi na 2a ELO.

Fernando "Nunão" De Martini

Pois é.

Esta história do COMAT x COMDA é uma das mais lamentáveis da FAB. Típica briga de prestígio entre estrelados, só que deu em prejuízo humano e material.

Precisa sempre ser lembrada para gerações atuais não repetirem a atitude.

André Bueno

Obrigado

Santamariense

Infelizmente, ocorreram vários casos de choques entre urubus e caças da FAB.

ICARO

Pergunta: E se desse problema com a umidade e/ou temperatura? Não operaria nestas condições? Trocaria-se os aviônicos, ou já se sabia que não haveria problemas e todos os testes foram protocolares?

Fabiano

E o Oitavo avião que chegaria em Fevereiro e nada até agora? Noticias de novas entregas?

Orivaldo

Pilotos Brasileiros ?

Rinaldo Nery

Brasileiros e suecos.

Gilson

Alguem sabe informar se vai ter F39, GRIPEN, vindo da fábrica da Suécia, este ano de 2024?

Fernando "Nunão" De Martini

Há pelo menos 3 caças com entregas programadas para este ano, conforme relatório recente ao qual tivemos acesso, mas infelizmente ainda não fomos informados sobre os meses previstos para o envio.

Gilson

O brigado por responder, confesso que: estava, quase ligando pra alguém lá em Anápolis. kkk ( base aérea )

Rafael M. F.

Quer testar em alta temperatura? Só deixar lá em Bangu, no campo do Bangu Atlético Clube.

Quem é do Rio de Janeiro sabe do falo…

Bernardo Santos

Calor de rachar o crânio 😂

Diego

Gripen é um grande avião, torço por futuros lotes, pelo menos mais 2. A marinha em vez de ficar com aquele museu do a4 skyhawk, deveria se juntar a força aérea eu uma futura aquisição e adiquirir 6/12 aeronaves com míssil RBS15, assim teria um vetor de combate de verdade, no futuro se pagar pelo sea gripen, esses vetores poderiam voltar para força aérea.