Segundo o site Zona Militar, o Chefe do Gabinete de Ministros da Argentina, Nicolás Jose Posse, confirmou que a Fuerza Aerea Argentina (FAA) está em discussões para a aquisição de KC-135 dos Estados Unidos.

Os atuais KC-130H da FAA com seu sistema de cestos são incompatíveis para essas operações com os caças F-16, sendo necessária uma nova plataforma equipada com o sistema “flying boom”.

Segundo Nicolás Jose Posse, estão sendo feitos estudos e esforços para a compra de aeronaves Boeing KC-135, sem especificar versões. As negociações, englobadas na compra de aviões de combate e armas com os Estados Unidos, são discretas.

O KC-135 Stratotanker é uma aeronave de reabastecimento aéreo desenvolvida pela Boeing e operada principalmente pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF). Desde seu primeiro voo em 1956, o KC-135 tem sido um componente fundamental para a capacidade de projeção de força dos Estados Unidos e de seus aliados, permitindo a realização de operações aéreas de longo alcance sem a necessidade de pousos frequentes para reabastecimento.

A primeira unidade de produção, o KC-135A, fez seu voo inaugural em agosto de 1956 e entrou em serviço em 1957. No total, 732 KC-135s foram construídos entre 1954 e 1965, destacando-se como a espinha dorsal das operações de reabastecimento aéreo da USAF.

Veja abaixo, os perfis do operadores atuais de KC-135.

FONTE: www.zona-militar.com

Subscribe
Notify of
guest

74 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sérgio Cintra

Acho justo terem a capacidade, muito embora colocarão as “barbas de molho” de chilenos, brasileiros e ….. Ingleses.
Todos esses também tem seus meios e recursos e equilibrando o jogo.

Eduardo

Não são páreos para nenhum dos citados.

Rinaldo Nery

Brasileiros? Temos alguma crise com a Argentina?

Nilo

Como disse um certo general sobre a Argentina, no momento não, amanhã não se sabe.

Last edited 2 dias atrás by Nilo
Macgaren

Venceram a copa america em pleno brasil.

Imperdoável

Sergio Cintra

Cel. não tem crise nenhuma , maaas pôr as “Barbas de molho” é o mesmo de ter-se o 1/14 na Baco, os A-1 Basm e as toneladas de guarnições do Exército na região de Santa Maria. Qual o sentido disso então? Acho que é para proteger dos “Catarinenses” invasores. kkkk – O Sr. debandou, não conta. Ah! e agora dos também “guerrilheiros ” paraguaios que ameaçam aos brasileiros invasores. Isso é a vontade deles, se acontecerá? eles fazem seus revos com os 130 e A4 e nem sei se os Pampa possuem sonda. Só acho justo pleitearem, aproveitando o momento… Read more »

Rinaldo Nery

Todo mundo sabe que os F-5 do Pampa possuem probe. Bem como os A-1 de Santa Maria. Desde a Segunda Guerra mundial, quando Peron se inclinou pro lado dos alemães (com partido nazista em Buenos Aires e noutras províncias), o Brasil, aliado dos EUA, atentou-se à ameaça Argentina. E depois da guerra, os argentinos continuaram belicosos e pouco confiáveis. Por isso, o EB concentrou blindados na região sul. Por ocasião da construção de Itaipu, quase houve conflito. Por isso, nos anos 70, a construção da BASM. Hoje, vivemos noutra época e situação.

Fernando "Nunão" De Martini

Só um aparte: acho que ele se referiu aos jatos IA-63 Pampa da Argentina, de treinamento e ataque leve, pois fez referência a “Pampas” logo depois da menção a missões de Revo entre C-130 e A-4.

(PS: desconheço sistema REVO nos jatos IA-63 Pampa, até mesmo em protótipos).

Sergio Cintra

isso

Diego Lima

Até onde eu sei os blindados são concentrados na região sul por causa do terreno

Rinaldo Nery

Nada a ver

Marcos

Existem grandes planícies no Norte de Minas, Oeste da Bahia e em todo o Centro Oeste. Totalmente planas e desmatadas. Extremamente propicias ao uso de blindados. Mas não possuem essas guarnições nesses locais. O motivo da concentração no sul é dissuadir a Argentina.

Fernando "Nunão" De Martini

Há unidades com blindados sobre lagartas no centro-oeste, mais próximo às fronteiras.

Chris

Realmente ! Mas é fato que os paises da America do Sul vivem uma dança de cadeiras entre direita e esquerda radicais.

Ou seja, tbem não é possível afirmar de que em algum momento no futuro não haja problemas!

Pelo que percebemos… A Venezuela só não atacou a Guiana… Pelo “recado” de que Reino Unido e EUA iriam intervir !

Last edited 1 dia atrás by Chris
Marcelo Tatsch

As únicas invasões brasileiras que conheço ao país da Argentina são o turismo gastronômico em Buenos Aires (comida boa demais), e a invasão brasileira de viajantes em sua motos e Motorhomes até Ushuaia. O resto é imaginação da turma.

Last edited 13 horas atrás by Marcelo Tatsch
Rosi

Os KC135 estão voando muito no leste Europeu… O que deve ser disponibilizado para venda vai ter poucas horas disponíveis ou seja ; vao fazer uma justo par com os velhos F16 adquiridos da Dinamarca

Filipe Prestes

Por que nós? Se você se refere ao fato de terem que adquirir KC-135 ao invés de KC-390, isso era óbvio que aconteceria. Eles não tem permissão para o KC-390 devido ao embargo britânico e a própria aeronave não tem flying boom. Aos argentinos resta ir de KC-135 ou não farão REVO.

BLACKRIVER

A extensão territorial do país vizinho exige capacidade REVO uma vez que à Argentina 🇦🇷 vai operar uno máximo dois esquadrões de F16, acredito que um baseado na capital é outro em Córdoba….
Todos nós sabemos que autonomia não é um ponto forte do F16.

Embraer tem um princípio de conversa com a L3 para

Thunder

Melhor aguardar a “provável” desativação dos kc767 do Japão ou o KC-46 da Itália.

Marcelo Tatsch

Esta é a melhor opção para a Argentina.

Pedro Fullback

Pras FFAA, o Milei está sendo um bom presidente. Não adianta nada comprar um MRTT A330 novos de fábrica se os argentinos perderam todas as suas doutrinas.

MMerlin

Não adianta nada também comprar dois A330, falar que vai converter em MRTT, e depois segurar o contrato de conversão devido à decisões externas.

Quero ver agora conseguir orçamento para tal.

Henrique

Esse projeto ja morreu.
se era pra comprar dois avião de linha pra usar ele como aviões de linha aérea deveriam ter comprado no inicio da pandemia… 747/777/ou similares tavam pelo preço la no chão

Sensato

Por mais barato que estivesse o 747, não valeria a pena pelos custos operacionais. Fora isso, não era esse o objetivo e com a mudança de comando e o olho grande pra desviar a função do vetor, o projeto miou

César Augusto

– Pra que invadir as Malvinas se podemos bombardear Londres? Disse Milei “El loco”…

Willber Rodrigues

Achei que pelo menos um desses já estava incluso no “pacote” dos F-16…

EduardoSP

Com a entrada em operação dos KC-46 creio que os argentinos terão facilidade em adquirir alguns KC-135.
Acho que valeria a pena eles darem uma olhada nos KC-767 do Japão e Itália. Com a entrada em operação dos KC-46 nessas forças aéreas esses aparelhos podem ficar disponíveis.

Eduardo

Desculpem a ignorância, mas seria tão ruim para o Brasil tentar vender os KC-390? Poxa, a argentina já fabrica peças dele e estava no programa. Seria uma questão de honra até.

Gabriel

Certamente alguém na FAB/Embraer já deve ter ofertado aos hermanos, ao menos informalmente

Porém, há de se notar que:
1 – o KC é mais cargueiro que tanker, então teria outro foco;
2 – risco de embargo britânico (acho que tem componente deles) por conta das Malvinas (sim, ainda tem isso)
3 – Milei e Lula não são exatamente “parças”, logo a diplomacia teria que pisar em ovos pra dar certo
4 – uma venda pra Índia/Arábia Saudita/Coreia é mais provável e lucrativa, então naturalmente o esforço vai ser pra isso

Rinaldo Nery

Tem o sistema fly boom?

Marcos R

Está em desenvolvimento com a L3 Harris

Marcos Silva

Até onde se sabe é apenas um conceito.

Luís Henrique

Acho que a questão não é nem essa. Os KC-135 foram produzidos na década de 60. Os EUA estão substituindo com Kc-46 Pegasus.
O Kc-390 é uma aeronave nova. Os argentinos querem Kc-135 usados que devem vir “quase” de graça. Ou pelo menos, bem mais baratos que um Kc-390 novo.

José de Souza

Duas palavras: Flying boom.

MMerlin

A Argentina fabrica os motores do Guarani, fez testes durante 30 dias, aprovou o veículo e agora está para adquirir o Striker.
O nome disso é lobby. Prática na qual, em se tratando de defesa, somos praticamente ineficientes.

Nilo

Negocios com Argentina seja com aviões ou ….outro equipamento bélico já temos experiências que diz, cuidado terreno pantanoso, “olha a faca”.

Marcelo Tatsch

Acredito que fomos eficientes, quando o Brasil foi lá na China, voar o F-7M, enquanto os americanos não queriam nos vender o segundo lote de F-5 (ex agressors). Conseguimos os F-5.
Matéria interessante deste portal sobre os F-7M: Mais informações sobre o interesse da FAB no F-7M – Poder Aéreo – Aviação, Forças Aéreas, Indústria Aeroespacial e de Defesa (aereo.jor.br)

Last edited 14 horas atrás by Marcelo Tatsch
Jefferson B

Qualquer tipo de fortalecimento militar argentino deve ser visto com atenção pelo Brasil.
É um país que faz fronteira com o Brasil e pode querer questionar as nossas fronteiras e tentar invadir o sul do Brasil.
Eu acho excelente a Argentina continuar com as forças armadas destruída, assim o Brasil não corre riscos fronteiriços.
Para quem acha que eu sou louco, pergunte a um cidadão ucraniano ou um sírio…qualquer discurso nacionalista expansionista é um risco e a Argentina tem muito disso.

MMerlin

Seguindo essa linha de pensamento, os EUA veriam tanto México quanto Canadá como possíveis futuras nações adversárias e deixaria de comercializar equipamentos militares com ambos os países. Principalmente o primeiro. E os países da Europa então, que durante séculos lutaram entre si e hoje, com a União Europeia mais Reino Unido são uma potência mundial que possuem produtos militares em praticamente todos os países. Incluindo China e Argentina. Sabendo vender ganha-se um aliado e cliente. É preciso parar com esse pensamento pequeno em relação aos nossos vizinhos e fomentar a indústria de defesa nacional vendendo, inclusive, para países do Mercosul… Read more »

Marcos

Tem cada coisa louca passando na cabeça do povo aqui…

Fernando "Nunão" De Martini

Só um aparte, sem querer polemizar: solicitamos que não generalize, por favor. A grande maioria dos comentaristas não é radical.

Cristiano marques

Quem são mesmo os possíveis inimigos da Argentina, nada como comprar equipamentos deles e quando precisar usar perguntar para eles,é não tem café de graça, compra caças de 40 anos baratinho, só que que tem comprar isso, isso, isso é isso de nós kkkkk,isso sim é soberania.

Santana

Coitada da Argentina….só com conseguem equipamentos de segunda mão e antigos, imagina a manutenção desses equipamentos, quadrimotor

Leandro Costa

De KC-135? Mole mole.

Nilo

Que efetive a compra, a Argentina tem um mar e um território a protejer.

Leandro Costa

Não me posicionei nem contra, nem à favor, mas sim que acredito que a manutenção dos KC-135 não será tão difícil assim.

Nilo

Correto.

Nilo

…proteger…

lucena

O quê que falta para haver tormentas no cone sul … em um futuro bem próximo?
.
Rússia diz ter descoberto reserva de petróleo na Antártica.
.
Estimativa é a de que a região tenha 511 bilhões de barris, o equivalente a 32 vezes o tamanho das jazidas do Brasil; região é reivindicada por Argentina e Chile…A área é classificada pelo Reino Unido como parte do seu território ultramarino.
.
(*) fonte : https://www.poder360.com.br/poder-energia/russia-descobre-reserva-gigante-de-petroleo-na-antartica/#:~:text=A%20R%C3%BAssia%20disse%20ter%20descoberto,15%2C8%20bilh%C3%B5es%20de%20barris.

lucena

Olha que nem estou falando da questão entre a Suriname e a Venezuela .

Nilo

Nenhuma novidade, mas lembrando a presença do Brasil que está localizado na América do Sul tem uma presença histórica pífia, em comparação com Argentina, Chile e paises europeus.

Tisso Pazei

Eu não sei como é que Argentina está com a economia num fiasco absurdo e está gastando um absurdo com caças F16 e agora KC-130, será que esse montante não vai levar os argentinos a Bancarrota?

Afonso

Daqui a pouco aparece uma bomba atômica lá. Milei é doidão.

Tisso Pazei

Acho que você está certo, Ninguém deve duvidar de nada desses doidos da política mundial kkk

Heinz

absurdo? eles pagaram foi barato. Vocês falam como se quisessem as coisas de graça, qualquer equipamento militar hoje vale milhões.

Nilo

Lembrando a Argentina, deve, não paga, as vezes paga, pediu emprestado, mas está comprando, certo ou tô errado.

Nemo

Não, a Argentina não será levada à bancarrota. A Argentina está na bancarrota há anos.

Tisso Pazei

Você tem razão a Argentina está no meio do atoleiro financeira e acho que estão maquiando as contas públicas da Argentina para enganar a opinião pública, o maluco tinha que diversificar os países para fazer negócios porque querer parceria só com os EUA não irá dar certo porque cedo ou tarde vai está igual a Venezuela cheio de sansões, tinha que diversificar parceiros comerciais em todos os países igual o Brasil está fazendo agora, A extrema direita só enxerga os Estados Unidos e mais nada nesse mundo affs.

Leo

Como se um avião velho fosse quebrar um país…

Luís Henrique

U$ 600 mi não levam um país bancarrota. Ainda mais um país de porte médio como a Argentina que é a 2a maior economia da América do Sul.

O Messi poderia pagar a conta, mas aí sim ele poderia ficar apertado.

Parece que o Messi está ganhando U$ 130 mi por ano. Se parcelarem em 5 anos, ele paga sozinho e continua rico. Kkkkk

Luís Henrique

O governo argentino arrecada cerca de U$ 200 bi por ano.
U$ 600 mi representa 0,3% do total.
Ou seja, sobram 99,7% do orçamento.

A compra será parcialmente financiada pelos EUA, então não chega nem nisso.

Tisso Pazei

Certo kkk 🤜🏿🤛

Augusto José de Souza

Argentina está avançando muito com a sua força aérea e me pergunto quando os nossos KC-30 serão convertidos em MRTT e a FAB adquirir mais.

Leo

Pra quem não tem nada qualquer coisa é muito

Henrique

“me pergunto quando os nossos KC-30 serão convertidos em MRTT”

o prazo pra mandar eles pra Espanha ja passou, agora o Brasil ta na fila de espera… pode jogar ai pra depois de 2028 sendo otimista que o projeto não morreu

Augusto José de Souza

Vamos ver,pagando pode até agilizar o processo e já converter até outras aeronaves novas.

Marcos Silva

O Chile não opera KC-135?

Plinio Jr

Sim, senão me engano opera 03 unidades

Tio Velho Comuna

Não há problema algum em querer comprar as coisas! Eu mesmo gostaria muito de comprar um Bugatti W16 Mistral, mas o problema é que não tem oficina especializada aqui em Nazaré das Farinhas. Só uma dúvida: esse kc-135 não tem componentes ingleses???

Rinaldo Nery

Não tem. São da Boeing.

Santamariense

Nada mais lógico e esperado. Par utilizar o F-16 em sua plenitude, o avião reabastecedor é fundamental. E não é nada que fá causar preocupação para ninguém.

Sensato

Não duvido que exista uma negociação mas não creio em uma conclusão breve a não ser que alguém queira passar a aeronave pra eles a troco de fazer a manutenção ou algo similar. Recuperar a capacidade de caça é uma coisa, reabastecer é a próxima. Ainda nem concluíram a primeira, já avançarão para a segunda. Aguardarei sem muita ansiedade.

Atirador

Vai ficar faltando o AWACS

Fabio Araujo

Vai precisar para fazer Revo dos F-16, os EUA não colocaram no pacote?