sexta-feira, outubro 7, 2022

Gripen para o Brasil

Aeroflot e UAC assinam acordo para compra de 339 aeronaves fabricadas na Rússia

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

7 de setembro de 2022, Vladivostok. — Sergey Aleksandrovsky, Diretor Geral da PJSC Aeroflot e Yury Slyusar, Diretor Geral da United Aircraft Corporation (UAC) da Rostec State Corporation, assinaram um acordo de intenção de compra de 339 aeronaves russas. A cerimônia ocorreu durante o 7º Fórum Econômico do Leste.

O acordo prevê a entrega de 210 aeronaves MC-21, 89 aeronaves SSJ-NEW e 40 aeronaves Tu-214 ao Aeroflot Group em termos de arrendamento de 2023 a 2030. O documento afirma que o Grupo receberá as duas primeiras aeronaves Superjet-NEW em 2023, e a partir de 2024, estão previstas entregas das primeiras seis aeronaves MC-21 e das primeiras sete aeronaves Tu-214.

“Hoje assinamos o maior acordo de compra de aeronaves fabricadas na Rússia na história recente da Aeroflot. Este é um passo importante que define o estímulo e influencia as perspectivas futuras para o desenvolvimento da aviação civil na Rússia. A Aeroflot operou com sucesso e eficácia as melhores aeronaves domésticas ao longo de sua história de quase um século. A assinatura deste Acordo demonstra claramente ao mundo inteiro que a Rússia continua sendo uma grande potência da aviação com enorme potencial e rica experiência no campo da fabricação de aeronaves, capaz de produzir aeronaves confiáveis ​​e modernas”, disse Sergey Aleksandrovsky.

MC-21
Tu-214ON
Tu-214
Sukhoi Superjet 100

“Mudanças históricas estão chegando à aviação civil. As aeronaves Boeing e Airbus, que provavelmente nunca serão entregues à Rússia novamente, serão substituídas por aeronaves de passageiros fabricadas na Rússia. Das 339 aeronaves, quase 300 são aeronaves MC-21 e Superjet de nova geração. O Tu-214 se tornará um suporte confiável – esta aeronave foi fabricada anteriormente para clientes especiais e provou-se bem. O MC-21 será o carro-chefe da frota da Aeroflot, é o orgulho de nossa indústria aeronáutica, possui soluções de design inovadoras que, tenho certeza, serão apreciadas por pilotos e passageiros. Gostaria de observar que todas as aeronaves serão entregues com sistemas e componentes de bordo fabricados na Rússia”, comentou Sergey Chemezov, diretor geral da Rostec State Corporation.

“Através do Aeroflot Group, estamos obtendo um parceiro confiável para a entrada em serviço da nova geração de aviões de passageiros fabricados na Rússia. Dado o volume sem precedentes do contrato, sua execução se torna uma das principais prioridades da UAC para os próximos anos, pois a acessibilidade dos transportes das regiões russas e a mobilidade da população do nosso país dependem em grande parte. Dada a importância das tarefas que nos são confiadas, planejamos assinar os primeiros contatos firmes para a entrega de aeronaves em 2023-2025 antes do final deste ano”, disse Yury Slyusar.

МС-21 é uma aeronave de médio curso de nova geração com capacidade de 163 a 211 passageiros. O avião está focado no segmento mais de massa no transporte de passageiros. A aeronave é desenvolvida pelo Centro de Engenharia da Irkut Corporation e fabricada pela Irkutsk Aviation Plant. As principais vantagens do MC-21 são a aplicação de asa composta e ligas metálicas, juntamente com a introdução de sistemas de bordo de nova geração, aerodinâmica avançada e o mais novo motor PD-14.

O Superjet 100 é um jato regional de última geração que combina e incorpora tecnologia de ponta na produção de aeronaves. O SSJ100 oferece conforto excepcional para os passageiros, benefícios econômicos significativos para as transportadoras, conveniência para a tripulação e máxima amizade com o meio ambiente.

Sobre a Aeroflot

Em 2021, a Aeroflot transportou 21,4 milhões de passageiros (45,8 milhões de passageiros como Aeroflot Group, incluindo subsidiárias).

A Aeroflot é a maior companhia aérea da Rússia. Fundada há 99 anos, é uma das companhias aéreas mais antigas do mundo e uma das marcas russas mais reconhecidas. Foi nomeada a marca de companhia aérea mais forte do mundo por cinco anos consecutivos, de acordo com a consultoria de estratégia de marca Brand Finance.

A Aeroflot foi uma das 3 principais companhias aéreas mais pontuais do mundo em 2021, de acordo com a On-Time Performance Review da Cirium.

A Aeroflot desempenha um papel ativo na sociedade fornecendo apoio contínuo a projetos socialmente importantes, a transportadora implementa seu próprio programa de tarifa fixa em voos para o Extremo Oriente russo, Kaliningrado e Simferopol, a companhia aérea participa dos programas de transporte aéreo subsidiados pelo governo.

A Aeroflot é uma das líderes globais da indústria em qualidade de atendimento ao cliente. A companhia aérea muitas vezes recebeu alto reconhecimento de acordo com as classificações internacionais mais autorizadas.

Sobre a United Aircraft Corporation

A PJSC UAC (parte da Rostec State Corporation) foi criada em 2006 para a proteção e desenvolvimento do potencial científico e industrial da indústria aeronáutica russa e a concentração de recursos intelectuais, industriais e financeiros para implementar programas de aviação de longo prazo. As empresas dentro da estrutura da Corporação detêm os direitos de marcas mundialmente famosas como “Sukhoi”, “MiG”, “IL”, “Tu”, “Yak”, “Beriev”, bem como as novas SSJ 100 e MS- 21 marcas. As áreas de atividade prioritárias da Corporação são o projeto, produção, teste, operação, garantia e manutenção de serviço de aeronaves. O Diretor Geral do PJSC UAC é Yury Slyusar.

A Rosteс State Corporation é a maior empresa de manufatura da Rússia. Está comemorando seu 15º aniversário em 2022. Reúne cerca de 800 organizações científicas e industriais em 60 regiões do país. Seus principais negócios incluem engenharia de aeronaves, radioeletrônica, tecnologias médicas, materiais inovadores, etc. A empresa fornece seus produtos para mais de 100 países em todo o mundo. As vendas de exportação de alta tecnologia representam quase um terço das receitas da Rostec.

FONTE: Aeroflot

- Advertisement -

77 Comments

Subscribe
Notify of
guest

77 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Emmanuel

Daqui a pouco começam as conversações para que Boeing e Airbus vendam essas aeronaves para Rússia.
Mais de 300 aeronaves não é pouca coisa.

Mirade1969

Parabéns para os russos que estão dando um grande incentivo à sua indústria nativa deixando de importar aeronaves que dão emprego em outros países.

Rui Chapéu

Mais um passo atrás pros russos.

Luis Carlos

Essa aeronave é mais moderna que a da Boeing e tem a vantagem de não cair toda hora.
Logo, a Boeing vai perder o que restar do mercado chinês.
A Airbus ainda vai continuar.
Continue assim, Biden!

Rui Chapéu

Antes da guerra, quando a Russia fazia comércio com todo o mundo, tentou vender o seu Sukhoi Superjet 100 pra tudo que é lado.

Todos os operadores ocidentais devolveram e param de usar pq era ruim.

Inclusive os próprios operadores russos tipo Yamal Airlines.

Isso antes do Putin soltar a franga na ucrania.

Agora tu vem querer falar que essas aeronaves serão melhores que Boeing, Airbus, Embraer e afins??

Vc não acha que tu força a amizade demais nessas conversas não?

Luiz

O problema principal do SuperJet 100 é o motor. A parte quente é fabricado na França. Os russos já tão fabricando um motor substituto de fabricação domestica.

Mirade1969

Quem esta perdendo são as indústrias ocidentais pois esta perdendo um grande mercado que é o russo e em breve vão perder o mercado chinês, o africano eles nem consideram logo pode ser mais um mercado para a Russia e a China. Este negocio de aviação qualquer venda conta e a Boieng e Airbus não se podem dar ao luxo de deixar de vender mais de 300 aeronaves por baixo.

Leonardo Cardeal

faz favor…… pelamordedeus

Nuk77

O mercado russo acabou para Airbus e Boeing; a médio prazo idem o chinês… O Irã também, entra na lista. Só para começar.

Só fazer conta de padaria para ver o óbvio…

Já aqui no braZil qualquer iniciativa nacional de países soberanos é difamada superficialmente pelos brasicanos.

Exemplo é o braZil, neoliberal neocolônia dos EUA, que sequer fabrica uma bicicleta nacional atualmente…

Heli

Foi a primeira tentativa russa, pós USSR, de vender no mercado civil, e isso contra dois players já bem estabelecidos, Embraer e Bombardier, e pra piorar num mercado meio que saturado, o dos regionais com menos de 100 assentos. maior mercado mundial são, ou eram, os USA, que obviamente não iriam comprar um avião russo, sendo que o mercado chines regional, ainda em consolidação, tinha seu projeto ARJ21….
Além do mais todo primeiro projeto é um aprendizado. Foi assim com o Bandeirantes, Brasilia e ERJ, e com o Airbus A300.

Nuk77

O Sukhoi Superjet 100 foi prejudicado pelas sanções, nada mais que isso.

Mas o bom de aeronave ocidental, sobretudo do amado EUA (como 737 MAX e 787), é que não dá problema né não?

O Sukhoi Superjet Neo, sem equipamentos ocidentais já está em avançado processo desenvolvimento para resolver de vez o problemas de depender do ocidente colônia dos EUA.

Hertz

Cheirou, Galvão.

Alan Santos

Não cai toda hora ,cai no teste de venda com os compradores dentro . Ou você esqueceu o acidente em 2012 na Indonésia ?

0 avião Superjet 100, primeiro jato de passageiros lançado pela Rússia após o fim da União Soviética e concorrente da Embraer, transportava empresários indonésios, funcionários da embaixada russa e jornalistas.”

Luis Carlos

Não estou preocupado com um avião que caiu em 2012, mas com os que caíram recentemente por falha do projeto.
E o projeto é o mesmo.
Não entro em um 737-MAX nem se ganhar a passagem.
Se descobrir que a Companhia Aérea usa esse avião troco na hora.

Mirade1969

Ainda mais sabendo que a fabricante omitia dados e poderia ter melhorado o modelo antes de ocorrer duas tragédias.

Mirade1969

Aeronaves não caiem a toda hora e acidentes tem varias causas e não uma somente, a Airbus também perdeu um avião durante uma apresentação para a imprensa e mesmo assim ele foi e é vendido com sucesso.

Luiz

Esse acidente foi pura e exclusiva culpa do piloto. Voando baixo numa região montanhosa da Indonésia. A estreia do A320 em 1988 também teve acidente com mortes. 2 acidentes por falha humana.

Nuk77

É, só avião soviético/russo cai…

Ainda bem que no ocidente tem o 737 MAX como opção…

Cassini

Independência tecnológica, aquisição de aeronaves modernas para o mercado doméstico e substituição de aviões antigos é “passo para trás”?

Não força…

EduardoSP

Não são aeronaves no mesmo nível das ocidentais. Consomem mais combustível, tem manutenção mais cara, com pior suporte pós-venda e menor escala de produção.
A compra está sendo subsidiada pelo governo, que vai capitalizar a empresa de leasing que vai viabilizar a operação.
Pode parecer bacana, mas é ineficiente.

ALISON

O que importa e que voa ze ruela… e agora nao vai depender do ocidente.

Nuk77

Mesmo nível? Pra quem? Os novos motores russos em desenvolvimentos não devem nada para os ocidentais. Mas para quem só acompanha Boeing e Airbus… Não sabem nem quem fabrica o MC-21…

São aeronaves nacionais. Anos-luz de certos países que se vangloriam de terem “indústrias” aeronáuticas (praticamente só projeto, fuselagem e integração, o resto todo, tudo crítico, é importado…).

Boeing e Airbus não são subsidiadas pelos governos (ESTADO) dos EUA e Europeus? Por favor…

Mirade1969

Não me parece que isso é o caso, eles estão usando turbofans que são economicos, os aviões tem fly by wire, glass cockpit como qualquer avião ocidental ou do mundo. Lógico que o governo quer vender para o mercado nativo o que é um bom negócio afinal ele foi projetado para isso mesmo. Acredito que você não seria a pessoa mais indicada para fazer uma analise tão superficial como esta.

Nuk77

Aeronaves russas para companhia aéreas russas.

Çertu tá o braZil… Aeronaves estrangeiras para companhias aéreas estrangeiras…

Luis Carlos

Já não era tempo.
Era impensável russos ficarem dando dinheiro para os americanos e europeus ocidentais comprando aviões da Boeing e Airbus.
Decisão acertada.

claudio rodrigues do couto

vamos ver se terão permissão para sobrevoar países com espaço aéreo com segurança lavada a sério…

Luis Carlos

Com a economia mundial de orientando para a Ásia, não creio que o uso político de certificações aeronáuticas fará muito efeito.
Ou seja, poderá ser proibido de sobrevoar a Dinamarca, mas poderá sobrevoar a Turquia, Irã, Vietnã e por aí vai.

Mirade1969

E na Russia não é??? este argumento muito pobre de que a Russia não leva à serio ainda mais levando se em conta que a grande frota de aviões da Russia e ou China são ocidentais, logo com os mesmo parâmetros usados nos EUA ou UE.

Z Renato Vilhena Z

Os Russos não haverão de querer sobrevoar o espaço aéreo dos países ocidentais, porque se pousarem pode ser que não haja combustível suficiente para encher o tanque e poder decolar novamente.

Nuk77

Segurança como do 737 MAX?

Joanderson

A Rússia nunca desisti de ser autossuficiente.
Nao tiro a razão, msm que os aviões ainda não sejam do msm nivel dis da Boeing e Airbus a Rússia está no caminho certo em desenvolver seus próprios produtos, oq não da é para ficar parado no tempo so exportando comodites para sempre.

EduardoSP

Vão continuar exportando commodoties. Esses aviões não estão no nível de qualidade e eficiência dos aparelhos ocidentais. Somente empresas russas ou de países sob sanções irão adquirí-los, e será por pura falta de opção.
Economias fechadas levam a ineficiências generalizadas.

Cassini

Continuarão a exportar commodities e produtos de alto valor agregado.

suTERMINATOR

Boeing e Airbus não utilizam tecnologia 100% deles, 80% são de vários países.

Nuk77

É um lego…

Qualquer um que conheça minimamente esses projetos sabe bem disso…

A Rússia estão desenvolvendo novos projetos e revisam outros sem componentes ocidentais.

Serão imunes a política criminal de sanções dos EUA e seus capachos europeus.

Nuk77

Comentário esperado…

É, nesse mundo brasicano o MC-21 é um Tupolev Tu-104..

Hcosta

E isso que resultado teve no passado? O colapso e uma maior dependência da exportação das matérias primas…

OJFL

Com embargo de componentes e aviônica vai ser interessante como eles farão para que os aviões possam voar em curto prazo. De volta aos Ilyushin e Tupolev.

Mirade1969

Ela tem uma industria que produz de trem de pouso passando por avionicos e motores em outras palavras ela domina o ciclo completo da montagem de aviões sendo auto suficiente nisso.

OJFL

Me desculpe, mas não domina, não. Os aviônicos não podem ser produzidos por falta de componentes, e a Rússia não possui indústria de componentes. A menos que eles façam aviões sem tecnologia eletrônica, não vão conseguir.

Mirade1969

Como não produz, se na URSS ja se fabricava o chip e semicondutores? ou vc acha que em plena guerra fria ela importava do japão? caso seja necessário importar algum item de eletronica ela buscaria a China que é aliada dela ou faria em casa pois tem competência para isso. Eles não são o Brasil.

OJFL

Continuo dizendo que a Rússia não tem indústria de semicondutores. E vale lembrar que a China investiu bilhões de dólares numa indústria nacional de semicondutores que ainda não teve frutos.

https://foreignpolicy.com/2020/12/14/china-technology-sanctions-huawei-chips-semiconductors/

https://blogs.lse.ac.uk/cff/2022/09/01/is-chinas-semiconductor-strategy-working/

https://thediplomat.com/2022/08/whats-driving-chinas-chip-sector-crackdown/

OJFL

Vou postar um comentário com links sobre a indústria da China que vai esperar aprovação. Mas nem a Rússia, nem a China possuem indústria nativa de semicondutores para fazer frente ao Ocidente. E mesmo que importem os que existem na China vai demorar muito para projetarem aviônicos e controladores baseados nesses.

Luís Henrique

A indústria aeroespacial russa pode não conseguir entregar as melhores aeronaves comerciais sozinha, sofrendo embargos e sanções, eles não terão acesso à motores, aviônicos e componentes americanos ou europeus, mas deve ser um orgulho para os russos, conseguiram produzir aeronaves “boas”, ainda que possam ser inferiores aos melhores Boeing e Airbus em certos aspectos, é um grande feito da Rússia conseguir produzir aeronaves comerciais de variados tamanhos, sem depender do resto do mundo.

Luis Carlos

A Boeing ficou para trás nessa corrida, principalmente em relação à Airbus.
A qualidade do modelo europeu é indiscutivelmente superior e este fato se traduz na quantidade de encomendas de cada empresa.
Paralelo a isso, a Boeing está parada na década de 1970/80 quando o assunto é aviação militar.
Até a LM a ultrapassou como maior empresa americana do setor.
Mais ventos esperam a Boeing.
Não preciso dizer que suas ações despencaram e têm dificuldades em se recuperar.

Hcosta

Sim mas é a Rússia que, de repente, vai alcançar um novo nível tecnológico para ultrapassar a Boeing. Aquilo que em mais de 50 anos nunca conseguiu e com melhores condições do que as atuais…

Last edited 28 dias atrás by Hcosta
Mirade1969

Interessante que o avião russo tem asas de material composito, os motores, avionicos e outros sistemas são de fabricação russa e ainda existe um grande parque industrial da industria aeroespacial russa e ainda tem gente que pensa que a Russia não consegue produzir um avião coisa que ela já fabrica a quase cem anos. É difícil acreditar nisso…

Hcosta

Pode produzir mas fica difícil acreditar que vai ultrapassar a Boeing. E tem outros exemplos, as turbinas para navios, chips, drones, etc… Até mesmo a produção de carros. Conseguem fazer mas fica ao preço de um ocidental e algumas gerações de atraso. Não é por acaso que importaram drones do Irão. Basta ver os componentes nos seus drones para perceber que têm várias lacunas na sua produção, principalmente nas questões que requerem um grande desenvolvimento tecnológico. Eles têm um economia fechada não porque querem ser independentes mas porque não conseguem competir com outras economias. E uma economia dirigida por um… Read more »

Nuk77

A Rússia produz e estão desenvolvendo todas tecnologias críticas, militares e civis (duais), necessárias para defender sua Soberania.

Está claro, desde 2014, o que ganhou depender (tentar se integrar) com os EUA e capachos europeus de Washington.

Acabou o mercado russo para Airbus e Boeing. Soberania não tem preço.

Slava Ukraina! (Com a conta de energia na frente do espelho)!

Mirade1969

Acredito que primeiro eles querem é suprir suas necessidades e não concorrer diretamente com a Boieng ou Airbus. Não adianta ficar torcendo contra pois isso é fanboyismo seu. Aliás que país é esse tal de Irão? ou vc tá conjugando o verbo ir no futuro?

Anfibio

Lingua Portuguesa falada na Europa…

Nuk77

Nível tecnológico do 737 MAX?

Nuk77

A Boeing só não faliu e irá falir porque será sempre socorrida pelos Estado dos EUA.

Hcosta

Que grande orgulho. Como Cuba ou Venezuela.
É preciso haver outro colapso, como o de 1989, para perceberem que este caminho nunca resultou? Grande feito é desenvolver o país e não regressar aos tempos da União Soviética.

Mirade1969

Interessante que ela é bem mais desenvolvida que o nosso país que parou no tempo, pois tem gente que ainda pensa que a URSS existe.

Hcosta

Sim e uma dessa pessoas é Putin.

Se refere ao Brasil, compare o PIB dos dois países…

Nuk77

O Putin devolveu a Rússia Soberania Nacional, ponto.

Já as ex-Repúblicas soviéticas e países do Pacto de Varsóvia que aderiram a UE/OTAN apenas se tornaram satélites e buchas de canhão da Política de Estado de Washington como o resto da Europa Ocidental.

Anfibio

O Reino Unido achou que ia se dar bem indo pelo mesmo caminho: “recuperar uma soberania que nunca havia perdido”, agora ve-se a os paises vizinhos abrindo novas rotas, estreitando lacos comerciais e desenvolvendo solucoes que compensam com vantagem a sua ausencia… queriam ser grandes sozinhos e acabaram pequenos e isolados…

Mirade1969

Vamos comparar outras coisa como acesso a universidades? Premios Nobel quantos o Brasil tem? Analfabetismo? Forças armadas?Desenvolvimento IDH? o Brasil vai perder de lavada, quisera que nosso país fosse desenvolvido como eles, mas ainda não é.

Nuk77

Para os brasicanos e defensores da OTAN ser neoliberal capacho e bucha de canhão dos EUA é o exemplo a seguir…

Hoje, no braZil, sequer fabricamos uma bicicleta nacional!

Os mesmos que bateram palmas para a destruição da engenharia nacional via quinta coluna braZileira e Departamento de Estado/”Justiça” dos EUA…

Luís Henrique

Qual país conseguiria produzir aeronaves comerciais pequenas, médias e grandes sofrendo embargo e sanções mundiais, sem comprar motores e avionicos em outros países?
Nem o Brasil com a Embraer que é a 3a maior fabricante de aeronaves comerciais, não conseguiria tal feito.

Hcosta

E acha que a Rússia consegue? Provavelmente vai buscar componentes a outros países “aliados” ou em terceira ou quarta mão…

Em pouco tempo vai conseguir criar uma cadeia de fornecimento desde a extração até ao produto final de centenas de milhares, ou mais, de componentes?

Vão injetar muito dinheiro, com muito dinheiro desperdiçado por tentativa e erro, corrupção, etc… e vão acabar com um produto desfasado, que se vai manter assim por muito tempo porque não há concorrência nem vontade em melhorar.

É sempre a mesma história.

Nuk77

Comentário esperado…

Cuba e Venezuela são países soberanos.

Já a Europa da OTAN (= colônias e buchas de canhão dos EUA).

Conta de energia chegando… (Slava Ukraina!).

Last edited 27 dias atrás by Nuk77
Thiago A.

Não é orgulho, é necessidade mesmo. Vão ter que se virar com o que há em casa , possívelmente bancar e subsidiar projetos engavetados e obrigar o mercado interno para que adote essas soluções por falta de alternativas. Uma das tantas dificuldades, nessa situação, é o cobertor que começa a ficar curto para bancar vários projetos ao mesmo tempo, os tempos de desenvolvimento se dilatam causando atrasos após atrasos e a sua indústria não consegue acompanhar o ritmo . Falta de concorrência no mercado interno, zero incentivo para acompanhar o mercado internacional e pouco acesso ao que os demais estão… Read more »

Luís Henrique

Thiago, orgulho porque podem não conseguir produzir os melhores aviões comerciais do mundo, mas conseguimos produzir bons aviões, que cumprem as missões e de maneira independente.
Eles possuem tecnologias para produzir os motores sozinhos, os avionicos sozinhos, as estruturas e tudo que é preciso.
O Brasil que tem a Embraer (3a maior fabricante de aviões comerciais do mundo) não conseguiria esse feito em tão pouco tempo, porque dependemos de muitas tecnologias de outros países, principalmente os motores…

Anfibio

Ainda tem uma rede de empresarios amigos do atual sistema que banca a ‘soberania’, tipo os que compraram e re-estabeleceram o McDonalds e Starbucks…
Alias, parece que ‘soberania’ é a palavra mais usada aqui… eu só não sei pra que que serve…

Nuk77

A Rússia desenvolve todas essas tecnologias; processo já iniciado há anos!

Bispo

Dizem que o motor PD-14 é 10% mais eficiente que os “ocidentais”.

Com base no PD-14 estão desenvolvendo o PD-35 para aviões comercias(parceria com a China) de grande porte.

Luiz

E também o PD-8 pra o SuperJet 100.

Heli

Jamais. Li sobre isso no Airliners, onde tem uns engenheiros lá, e em outros sites que com uma razao de bypass de 8,5:1 (além de câmaras de combustão de formato convencional) fica muito difícil para o PD-14 ser mais econômico que o PW1000 ou um CFM Leaf que tem razão de bypass aproximadamente de 11:1

Carlos Campos

acredito que é um passo importante para a Rússia, não acredito que seja tão bom quanto um Embraer ou Airbus mas deve ser o suficiente.

Nilton L Junior

Quem tem soberania não precisa pedir penico.

Nuk77

Soberania Nacional não existe no vocabulário de brasicanos e europeus defensores da OTAN (= colônia e bucha de canhão da Política de Estado dos EUA).

Filipe Prestes

Independente da origem da OEM eu sou bastante entusiasta que surjam sempre novos produtos de novos ou velhos fabricantes. O MS 21 tá muito bonito, gostava de saber mais detalhes sobre o seu interior, em especial a cabine.

Januário

Isso é deveria ser feito ainda antes da crise pós conflito que resultaram nas sanções contra a Rússia.

Quem foi que disse que uma companhia da dimensão da Aeroflot secundária o MC – 21, com todas as qualidades que possui? Aliás, essa transação dá segurança aos futuros interessados pela aeronave.

SANTANA

POR LIVRE ESPOTANEA PRESSAO DO PUTIM…CLARO,MAS E BOM PRA INCENTIVAR A INDUSTRIA,UMA VEZ QUE ESSA GUERRA QUE OS EUROPEUS INCENTIVARAM ESTA VIRANDO UMA BAITA DOR DE CABEÇA E RECESSAO,BEM FEITO

Alexandre Galante

Santana, favor não escrever em maiúsculas. Obrigado!

Últimas Notícias

Embraer avança na produção do primeiro KC-390 Millennium para a Hungria

Hungria é o segundo cliente internacional do programa KC-390 Entregas estão programadas para começar em 2024 Gavião Peixoto –...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -