segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

Esquadrões de F-5M da FAB treinam missões de ‘Combate Além do Alcance Visual’

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Militares da Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira (FAB) que operam a aeronave F-5M realizam, de 5 a 16 de julho, na Base Aérea de Santa Cruz (Ala 12), o Exercício Técnico de Combate F-5M (EXTEC CBT F-5).

O treinamento tem foco nas missões de “Combate Além do Alcance Visual” (em inglês, Beyond Visual Range – BVR), e conta com a participação dos Esquadrões: Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1° GAVCA – Senta a Púa); Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1° GDA – Jaguar); Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1°/14° GAV – Pampa); e Primeiro Esquadrão do Quarto Grupo de Aviação (1°/4° GAV – Pacau); sediados respectivamente em Santa Cruz (RJ), Anápolis (GO), Canoas (RS) e Manaus (AM).

O Comandante da Guarnição de Aeronáutica de Santa Cruz (GUARNAE-SC), Coronel-Aviador Marcelo da Costa Antunes, esteve presente na abertura do evento e desejou a todos os envolvidos um excelente exercício, sempre pautado na segurança. No mesmo dia, foi ministrado o briefing geral, o apronto operacional do exercício e a prova de conhecimentos teóricos.

“O treinamento de Combate BVR é fundamental e, quanto mais aeronaves e mais complexo o cenário de treinamento, mais preparado o piloto vai estar quando houver a necessidade do emprego da aviação de Caça”, destacou o Capitão-Aviador Eduardo Felipe França Cavalcanti, Chefe da Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAA) do 1° GAVCA.

O exercício e o elemento surpresa

O EXTEC CBT F-5M tem o objetivo de cumprir missões de manutenção e elevação operacional das equipagens dos Esquadrões Aéreos nas ações de Defesa Aérea, com foco nas missões de combate BVR em um cenário de guerra convencional, visando cumprir o PAOP (Projeto de Atividades Operacionais) 2021, utilizando a aeronave F-5M.

O combate com mísseis além do alcance visual exige dos pilotos uma preparação específica, em virtude dos aspectos relacionados à complexidade do ambiente operacional. Essa tecnologia proporciona aumento do elemento surpresa e maior segurança ao piloto, que consegue operar de uma distância maior, o que dificulta o contra-ataque.

Aeronaves de interceptação, ataque, reconhecimento, reabastecimento em voo e SAR (Busca e Salvamento) estiveram presentes nesta operação, além da participação ativa dos controladores de voo habilitados para conduzir este tipo de missão.

Aperfeiçoamento

Fundamental para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para isso, a doutrina e o treinamento são de responsabilidade do Comando de Preparo (COMPREP). Sendo assim, para atingir alto nível técnico e doutrinário, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares, a fim de agirem com a pronta resposta requerida na execução das ações.

Como Comando Operacional, o COMPREP é encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica. Além disso, coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

FONTE: Força Aérea Brasileira

- Advertisement -

39 Comments

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
M65

Muito bom !!!
O tráfego de aeronaves civis é intenso na região metropolitana do Rio, então onde é realizado este exercício?

Pedro EsiE

Sobre o mar.

ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA

Base Aérea de Santa Cruz. A informação está no texto.

Matheus

Existe uma Área de treinamento gigante que abrange o estado do Rio de Janeiro e uma parte de Minas Gerais.

Rinaldo Nery

Área Barreiro.

JuggerBR

Imagino os pilotos voando nos bicudos e sonhando com o Gripen… O quanto de evolução não terão no trabalho…

Saldanha da Gama

Então, são 2!!!!!!!!!!!

Solskhaer

Vida longa aos “TIGERS’ e vida próspera aos pilotos!
É isso aí… treinamento é essencial para a força!

Argos Carreiro

Acho que os Tigers já tiveram uma longa e próspera vida… Aguardando a chegada de todos os F39 para dar o descanso final e merecido a este combatente.

sub urbano

F-5 é o Fusca da aviação de caça brasileira. Se bem q o Fusca deve ser um pouquinho maior ainda.

Flanker

Maior em qual sentido?

Inimigo do Estado

F-5 em pleno 2021 é a cara do Brasil: pobre, atrasado, obsoleto.

Camargoer

Caro Inimigo. E o F39E/F seria a cara da Suécia?

Marcos 10

Não sei se o Gripen é a cara da Suécia. Sei que aqui tudo é atrasado. Pós segunda guerra, com boa parte dos países equipando suas FFAA com jatos, Brasil vai de P40. Quando o Mundo entra na segunda geração de jatos, vamos de Meteor. Pior: fomos até a década de 70 de Meteor e P80. Na década de 70 compramos dezoito Mirages e só. Sendo o resto complementado por F5 que logo irão fazer cinquenta anos de operação. Recebemos os AMX desdentados. Mal conseguimos modernizá-los. O programa FX já dura vinte anos, sem terem sido ainda entregues. Recusamos o… Read more »

Denis

Estava indo muito bem, até falar no F-35. Eu ia te dar meio like, mas não tem como. 🙂

Sensato

Felizmente não embarcamos na ideia de comprar F35! No cenário que temos em nosso TO o Gripen foi uma ótima escolha! Não que não se possa pensar futuramente em algo para aumentar a dissuasão.

Camargoer

Caro Marcos. O programa FX, que previa a aquisição de um esquadrão de caças no limite de US$ 700 milhões. O FX2 que foi concluído com a escolha do F38 E/F previa a aquisição de 35 caças com fabricação de parte deles no Brasil. Acho que não pode confundir as duas coisas. Sobre o F35, que foi oferecido para a FAB fora do FX2, os EUA não dariam o acesso ao código-fonte, que era uma exigência da FAB tanto no FX quanto no FX2. Portanto, se ele tivesse sido oferecido no FX2 teria sido descartado já na avaliação da documentação.… Read more »

Inimigo do Estado

Seria a cara do pobre que come mortadela no almoço, mas com um Corolla na garagem. Coisa de Manolo sabe?

Vilela

Não consegui ver o capitão André Justo nem o Ramalho…
Parabéns, treinar com um vetor mais velho que eu não é para qualquer piloto! Parabéns principalmente para os mecânicos que mantém esse belo caça voando…

wilson

Quais os mísseis “usados” neste exercício (talvez o Derby)? Temos este míssil em estoque e integrado ao F-5M?

Last edited 16 dias atrás by wilson
Nunao

Wilson, é o míssil BVR Derby, integrado há cerca de quinze anos e em estoque. Nos treinamentos de combate o disparo dele é simulado pelo sistema das aeronaves.

Rinaldo Nery

O F-5 possui o AACMI (Air to Air Combat Manouver Instrumentation) para os debriefings e validação dos disparos.

Emmanuel

Mig-28.
O melhor mig já criado pela mãe Rússia.

Agnelo

Muito boa!!!! Kkkkk
E tem uma grande marca vitória/ derrota!!!
Abateu um F-14 e teve 4 abatidos…. Foi muito bem!!!

Andre

Foi muito melhor que os mig23 e os mig25 hhaahah

sergio

Se não me engano, botou outro fora de combate.

Rodrigo LD

A aeronave substituta já está chegando. Falta é definir um padrão de camuflagem decente. Esse padrão além de feio, não cumpre a finalidade para aeronave de superioridade aérea. Cada aviação, conforme seu emprego, deve ter um padrão específico. Padronizar camuflagem é ridículo. Como camuflar um helicóptero com o mesmo padrão de um caça, ou vice-versa? Não precisa ter muito discernimento para concluir isso.

Marcelo Andrade

Os F-39 terão o mesmo padrão da Suecia, cinza de superioridade aérea. Como o protótipo só que sem a bandeira na cauda.

Rinaldo Nery

Rosa Marikay!

Phenix

Esses treinamentos é puro dinheiro jogado fora… é o mesmo que a Ferrari usar a Ferrari do Nick Lauda de 40 anos atrás pra correr nos dias atuais. Na hora do vamos ver vai passar vergonha.

Last edited 16 dias atrás by Phenix
Nunao

Não Phenix, não é o mesmo.
O F-5EM (modernizado) de hoje, mesmo com suas evidentes limitações frente aos caças novos, nem se compara em efetividade ao F-5E de 40 anos atrás.

Pode até passar vergonha, conforme o cenário, mas não como passaria um F-5E de 1981 hoje.

E Lauda também não corria mais de Ferrari 40 anos atrás, ele estava prestes a voltar à categoria pela McLaren após passar alguns anos fora das pistas.

Marcelo Andrade

Dinheiro jogado fora é o seu custo de energia elétrica para ligar o computador e escrever uma besteira dessas!

Mk48

Muito boa essa !!!
.
🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Jodreski

Caramba amigo vc podia escrever tanta coisa mas escolheu só escrever asneira. Uma pena!

Luiz Trindade

É isso ae… Doutrina e treinamento é tudo quando não se tem ainda equipamento de ponta nas mãos.

Argos Carreiro

Quando se tem equipamento de ponta também! Ou a escola TOPGUN existe porque os EUA só voam com equipamento obsoleto? Até que retirem todos os pilotos do cockpit, treinamento é imprescindível.

Andre

Muito bom! Parabéns para FAB, mantendo as tripulações treinadas no aguardo do f39. Quando ele chegar, nossos céus estarão muito bem protegidos.

Sancadebem

Bem que eu reparei no silêncio nos céus de Canoas

Que façam muitos treinamentos

ALISON

Na ultima foto o militar de baixo parece o Obama. kkkkkkkkkkkkkkk

Últimas Notícias

Aeronave P-3AM Orion completa 10 anos de incorporação à FAB

A data marcou a modernização da Aviação de Patrulha, pois o modelo possibilitou a detecção, localização, identificação e, até...
- Advertisement -
- Advertisement -