sexta-feira, maio 14, 2021

Gripen para o Brasil

Míssil hipersônico AGM-183A (ARRW) vai voar este mês

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Força Aérea dos EUA fará o teste de voo do seu primeiro míssil hipersônico neste mês, disse o chefe de aquisição da USAF, Will Roper, em 14 de dezembro, no Fórum inaugural do Doolittle Leadership Center. Mas embora ter uma arma hipersônica seja uma conquista, Roper acrescentou, não é uma solução completa para os desafios colocados por adversários cada vez mais capazes.

A Arma de Resposta Rápida de Lançamento Aéreo AGM-183A (ARRW – Air-Launched Rapid Response Weapon) venceu a Hypersonic Conventional Strike Weapon à medida que a prototipagem progredia e completou o teste de transporte cativo no início deste ano. O primeiro voo de teste planejado é esperado para este mês, com a produção começando no ano que vem, disse Roper.

As capacidades hipersônicas darão à Força Aérea dos EUA uma opção valiosa de ataque stand-off, mas podem não ser tão cruciais para a estratégia de defesa dos EUA como foi para a China, disse Roper. Ele apontou para o desenvolvimento chinês para conter os sistemas de defesa antimísseis dos EUA, que não são projetados para enfrentar armas manobráveis ​​ultrarrápidas.

O desenvolvimento de armas hipersônicas “desafia fundamentalmente o princípio da defesa contra mísseis balísticos, tornando o míssil não balístico”, disse ele. Esses mísseis voam mais baixo, usando a curvatura da Terra e movimentos rápidos para cegar as defesas à sua aproximação.

Enquanto as armas furtivas fornecem aos EUA uma vantagem estratégica na penetração de defesas aéreas, a capacidade hipersônica permite que um bombardeiro B-52 convencional se mantenha à distância enquanto ataca um alvo bem defendido. Em conflito com um país como a China, essa combinação apresenta “um cenário de problemas”.

O ARRW foi testado este ano com o B-52H, e o Comando de Ataque Global da USAF espera também equipar o B-1B para carregá-lo. Roper disse no início deste ano que ele também poderia ser transportado no F-15.

O general Duque Z. Richardson, vice de Roper e oficial de aquisição uniformizado da USAF, disse em 3 de dezembro que o desenvolvimento do ARRW como um protótipo rápido significa que o míssil receberá capacidade operacional em 2022 – cinco anos antes do que se fosse um programa tradicional.

FONTE: Air Force Magazine

- Advertisement -

36 Comments

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
nonato

“O general Duque Z. Richardson, vice de Roper e oficial de aquisição uniformizado da USAF, disse em 3 de dezembro que o desenvolvimento do ARRW como um protótipo rápido significa que o míssil receberá capacidade operacional em 2022 – cinco anos antes do que se fosse um programa tradicional.” É isso que eu costumo defender aqui. Mais objetividade. Evitar de passar 5, 10 anos desenvolvendo determinadas armas, especialmente quem já tem expertise, como os Estados Unidos. O inimigo não fica esperando 10 anos para você desenvolver um novo míssil, um novo caça, especialmente quando Rússia e China já têm mísseis… Read more »

Last edited 4 meses atrás by nonato
Leandro Costa

Para quem escolheu não fazer esse tipo de armamento por força de tratado, tendo a maior parte da pesquisa já pronta, é realmente algo bem mais rápido de se fazer do que partir do zero.

Chris

É… Realmente estamos de volta a guerra fria !

Vendo Russia e China avançarem… Da pra perceber que os EUA tbem ja religaram os motores… O caça de 6a geracao parece estar bem mais perto do se imagina, e até armas a laser em avioes, em breve serao realidade !

Last edited 4 meses atrás by Chris
Nostra

I had said this more than a year ago here , that , USA Russia China are speeding up their hypersonic weapons programs so that once it is realised , they will form a exclusive club of 3 countries who can keep and develop hypersonic weapons. Count how many back room informal negotiations have taken place since last 3 year’s between the 3 countries. They will set up a technology denial club for other countries. Indian intelligence had warned the Indian government of the same and hence the DRDO tested its own hypersonic cruise vehicle this year with urgency. Also… Read more »

wind tunnel.jpeg
Nostra

Untill recently DRDO was using ISRO hypersonic wind tunnel facility which is the third largest in terms of size and simulation capability in the world.

images.jpeg
Chris

Consegue perceber que a própria noticia da conta de que os EUA apenas respeitavam os tratados militares firmados com a Russia ?

E pode apostar que eles evitam (Mas algumas coisas, não saem do papel da noite pro dia)… E a realidade é que a grande maioria das armas estao indo pro lixo, sem sequer serem usadas !

Kemen

Tem certeza que os paises respeitam os tratados militares? Eu acho que a grande maioria deles foi desrespeitada por um ou outro lado, a história é testemunha.

Bosco

Kemen, Russos e americanos sempre respeitaram os tratados nucleares e de mísseis. O que parece é que os russos chutaram o INF há uns 3 anos ( que probia russos, americanos e europeus de terem mísseis lançados de terra com alcance entre 500 e 5500 km) ao colocarem em campo o sistema Iskander K, capaz de lançar mísseis de cruzeiro que excede os 500 km de alcance permitido. Os americanos por sua vez se retiraram formalmente do tratado ABM em 2002 , tudo dentro das normas e os russos puderam fazer o mesmo. Vale salientar que enquanto os russos e… Read more »

Marcos10

Esse é aquele nosso que a FAB/ITA estava projetando? É esse?

Carlos Crispim

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Nilo

Em um país onde declarações obscuras e (RISOS OBSCUROS) se sobrepõe sobre a ciência, da gosto de ver uma pesquisa de ponta sendo feita, visto que não é uma área exatamente abundante de recursos e verbas.  IEAv  é o nome: Túnel de vento hipersônico pulsado, denominado T4; caminhada em busca do domínio do vôo hipersônico nacional.

sub urbano

Caminhada descalço no sol quente e ainda levando um saco de cimento nas costas. Vc acredita mesmo nisso?

Nilo

A duas coisas em que acredito caminhando descalço no sol e levando um saco de cimento nas costas.
Primeiro, em Deus e na Terra, na ciência em segundo.
E nunca, em declarações obscuras e (RISOS OBSCUROS).

Last edited 4 meses atrás by Nilo
Walter Baere

É muito parecido (externamente) ao que o IEAV-Instituto de Estds Avançados está projetando

Jmgboston

Se esse míssel fosse chinês lançado de uma cópia de um B52, no caso seria C52, ja haveria uns 200 comentários aqui.

Filipe Prestes

Apesar de estar consideravelmente á frente dos demais países da América Latina no que tange á mísseis de grande alcance/cruzeiro, ainda estamos atrasados nesse sentido se comparados aos países desenvolvidos e outros países como Índia e China. Necessitamos de mísseis hipersônicos se quisermos estar pelo menos á par dessas nações ao menos nesta área. Finalizado o MTC-300 e derivados, creio que é nisso que devem investir as três forças em matéria de armamentos para seus meios (caças, navios, lançadores de mísseis, etc.)

Chris

Bro… Tem softwares que simulam guerras… Mostrando que um unico porta-avioes americano, com Super Hornets… E um submarino nuclear… Destruiram toda a nossa FAB e Marinha (E até o Riachuelo estava la) em alguns minutos !

Estamos muito longe de chegar nesse nivel ! Mas muito mesmo…

Last edited 4 meses atrás by Chris
Rprosa

Qualquer carrier battle group americano, tem poder suficiente para aniquilar as forças armadas de 90% dos países, isto não é umae exclusividade brasileira. Acredito que temos de deixar de comparar nossas forças armadas com as forças americanas, pois se um dia conseguirmos investir 700 bilhões de dólares no orçamento militar ai sim devemos comparar, o que devemos questionar e como países como a Rússia, Índia, Paquistão, Arábia Saudita, Espanha, Itália, que tem um orcamento militar semelhante ao brasileiro conseguem envergar forças armadas tão poderosas, quem sabe quando nossos politicos aprenderem a gastar o dinheiro público de forma correta, investir onde… Read more »

Marcos10

Se algum dia as FFAA tiverem 700 bi de qquer coisa, seguramente 80% será gasto com pessoal, tendo como justificativas quaisquer coisas.

Vinicius Momesso

Com certeza teríamos Um Milhão de soldados na ativa, prestando serviços como capinagen e pinturas de muros e guias-de-sarjeta.

Luis felipe Castilho

Exatamente isso. O gasto público, com os poderes nefastos e correlatos, consomem mais de 1.5 trilhões de reais por ano. Se esse dinheiro fosse empregado nas forças armadas brasileiras, teríamos uma geração de brasileiros orgulhos. E não um bando de analfabetos funcionais, que admiram a China pelo estudo, mas aqui não querem estudar e não querem ir pra lá. hahahah. Não teríamos um bando de libertinos, herança maldita do ” qto pior melhor” procurando sempre desonrar nossa pátria.

Andre

Talvez você não tenha prestando bem atenção à simulação, mas não era um único porta aviões mais um sub nuc, era um único Carrier group, o que é bem diferente.

A grande pergunta é: quantos países no mundo são capazes de fazer frente a um Carrier group americano? Uns 15? Nenhum na am latina nem na África, uns 5 na Europa e uns 10 na Ásia?

Nostra

5 in Europe ? 10 in Asia ?

No country has the capability to go with conventional means against a US carrier group perse with reasonable probability of success.

Only Russia has the conventional means to try it but success or failure is best left to probability . No one will know for sure untill the conflict actually happens.

With nuclear weapons things will be different but then it will be like committing harakiri ( suicide ).

Andre

O belive that France, Uk, Italy, Spain, and Russia até capable tô deal with a singles strike group. Thouse would be the 5 european. China, North and south Korea, Japan, Índia, pakistan, Israel….considering that the strike come close tô the shore in range of land base planes and subs.

Of course this would never happens as most of them are Allied and usa would never use a singles strike group.

Sérgio Luís

A velocidade que é bom saber nada!

Corcel

Aham,vai esperando que eles vão fornecer todos os dados do míssil.

JuggerBR

E o velho BUFF troca os dentes pra seguir relevante no TO do presente e futuro…

Munhoz

Na verdade eu convido os caros colegas a pesquisarem e imaginarem as possibilidades da nave Starship, pois os EUA não estão fazendo muito alarde sobre isto, pelo contrario saiu recentemente até um filme de comedia sobre a Força Espacial recentemente criada. Daqui a menos de uma década não vão falar de outra coisa neste e em outros blogs, pois esta nave é a porta de entrada para o espaço, ela muda todo o jogo de poder militar atual, representa praticamente a reinvenção da V 2, vai ser mais barato viajar através do espaço do que em voos comerciais, então imagina… Read more »

Foxtrot

Mais uma importante utilização para bombardeiros estratégicos.

Bosco

Uma míssil cruise subsônico stealth consegue penetrar nas defesas tão bem ou melhor que uma arma hipersônica de longo alcance , seja propulsado por scramjet seja do tipo planadora. Se ambas fazem o serviço por que esse oba oba dos americanos com a tecnologia hipersônica? A resposta é que os americanos querem poder atacar alvos de tempo crítico. Alvos de tempo crítico são alvos que têm uma janela de vulnerabilidade muito curta. Eles se escondem facilmente. Por exemplo, para se atingir o Congresso Nacional na Praça dos Três Poderes em Brasília um míssil subsônico faz o serviço. Se for stealth… Read more »

Kemen

Muito bom, o equilibrio militar é o que mantém a paz. Os E.U.A.N. já estavam desenvolvendo esse missil até comentei tempos atrás, sairam atrasados, mas sendo um desenvolvimento um pouco mais atual quem sabe se não é melhor que os seus semelhantes. Um missil para poucos, cade o frances, o britanico e o indiano, acredito que em alguns anos não deverão demorar a aparecer mais desenvolvimentos.

Bosco

Kemen Na verdade os americanos saíram na frente com o desenvolvimento da tecnologia hipersônica. Há relatos de testes com sucesso há mais de 10 anos. O que não existia era a necessidade de desenvolver tal capacidade e o programa seguia a passo de tartaruga. A bem da verdade até hoje os americanos não sabem o que fazer direito com “mísseis hipersônicos” já que seus mísseis subsônicos convencionais dão conta de 99% dos cenários e os outros 1% que eles não dão conta são difíceis de ser implementados com sucesso na prática, salvo se forem usados recursos tecnológicos altamente sensíveis. Em… Read more »

Léo Neves

Mestre Bosco
Viu já os 3 testes do míssil zircon? O que achou? Lembro que você sempre dizia que os russos falavam muito do zircon que ele sim seria um míssil hipersonico realmente impressionante pois seria scramjet . Será que conseguiram por um radar funcional nele para detectar os alvos na fase final do vôo?

Bosco

Léo,
Só vi um onde mostraram pouco há uns 3 meses. Vou procurar.

Antunes 1980

Com a classe política que temos, que invariavelmente só pensa em restaurantes caros, garotas de programa de luxo e viagens internacionais.
Questões como bomba atômica e misseis de cruzeiro de longo alcance , para eles são a maior perca de tempo.
O Brasil como um todo não tem coragem de se organizar e cobrar dos governantes ações para aumentar nosso poder de dissuasão.
A mídia irá taxar eles de bolsonaristas e nazifacistas e a esquerda jamais iria buscar este caminho para a nossa soberania.
Resumindo, a mídia não quer, e a pauta é extremanente impopular para a classe politica.

Last edited 4 meses atrás by Antunes 1980
Bispo

Russos já estão desenvolvendo armas anti-hipersonicas… o próprio S-500 e versões modificadas do S-350 / 400 … e claro o Laser Peresvet(não destruirá o míssil e sim “cegá-lo …. Run, Forrest, Run! – 🙂

Reportagens especiais

Poder Aéreo nos Estados Unidos: Fort Worth Aviation Museum – última parte

No Fort Worth Aviation Museum tivemos também a oportunidade de conhecer a área de restauração de aeronaves. Nela estavam os clássicos Republic...
- Advertisement -
- Advertisement -