quinta-feira, maio 6, 2021

Gripen para o Brasil

Índia planeja converter seis aeronaves A320 em AWACS

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

NOVA DELHI – Índia planeja lançar um grande projeto de Rs 10.500 crore para desenvolver de forma autóctone seis aeronaves com sistema de controle e alerta aerotransportado (AWACS), que atuam como poderosos “olhos no céu” para olhar profundamente no território inimigo na guerra moderna.

Fontes da defesa disseram que o projeto, que envolve a montagem de radares AESA (radar de varredura eletrônica ativa) de cobertura de 360 ​​graus em seis aeronaves adquiridas da Air India, está definido para obter em breve a aprovação inicial ou “aceitação de necessidade” pelo Rajnath Singh liderado pelo Conselho de Aquisições de Defesa.

O novo projeto, que envolverá a divisão de custos entre a IAF e a DRDO, é na verdade uma reformulação de um plano anterior de montar o radar AESA nativo em dois novos jatos Airbus A-330 de fuselagem larga, que estavam em espera nos últimos cinco anos.

No novo projeto, a DRDO irá adquirir seis variantes menores do A320 da frota existente da Air India, modificar as fuselagens e, em seguida, montar os radares nelas.

“Este projeto para seis aeronaves AWACS ou aeronaves AEW&C avançadas (controle e alerta antecipado aerotransportado) será muito mais econômico do que o anterior, de aquisição de dois novos A330s da empresa multinacional europeia. A DRDO prometeu entregar os seis AWACS em um período de quatro a sete anos”, disse uma fonte.

A IAF tem atualmente apenas três Phalcon AWACS israelenses montados aeronaves russas A-50, com alcance de 400 km e cobertura de radar de 360 ​​graus, e duas aeronaves nativas “Netra” AEW&C. Estes últimos possuem radares autóctones de cobertura de 240 graus, com alcance de 250 km, instalados em jatos brasileiros menores Embraer 145.

A necessidade operacional aguda de AWACS adicionais foi sentida durante os ataques de Balakot e a subsequente escaramuça aérea com os caças paquistaneses em fevereiro do ano passado. Foi ainda mais reforçado pelo confronto militar em curso com a China no leste de Ladakh.

Embora a IAF precise de pelo menos 10 AWACS, as repetidas tentativas de adquirir mais unidades ainda não frutificaram devido aos altos custos envolvidos. O caso da IAF há muito pendente por mais dois Phalcon israelenses, no valor de mais de US$ 1,5 bilhão, por exemplo, ainda está para ser aprovado pelo Comitê de Segurança do Gabinete.

O AWACS pode detectar caças, mísseis de cruzeiro e drones muito antes dos radares terrestres, dirigir caças aliados durante o combate aéreo com jatos inimigos e manter o controle sobre o acúmulo de tropas inimigas e navios de guerra.

Não apenas a China, mas até o Paquistão está à frente da Índia nessa área. O Paquistão tem de 8 a 10 Karakoram Eagle ZDK-03 AWACS chineses e Saab 2000 AEW&C suecos.

A China, por sua vez, possui cerca de 30 aeronaves, entre elas as Kong Jing 2000 “Mainring”, KJ-200 “Moth” e KJ-500.

A-50 com radar israelense Phalcon

EMB-145 AWACS da Força Aérea Indiana

FONTE: The Times of India

- Advertisement -

63 Comments

Subscribe
Notify of
guest
63 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Teropode

Vão sombrear os J20 Stealth chichen ,

Antunes 1980

Com o quarteto A320, EMB-145, SU-30 e Rafale, ficará complicado para a China e Paquistão conseguir alguma vantagem tática.
comment image
comment image

Last edited 4 meses atrás by Antunes 1980
Nostra

AFAIK these 6 new airborne surveillance platforms will be an extension of Netra AEW&CS ( ie beam type antenna ) program, but with 360 degree coverage like in Boeing wedgetail.

Previously few months back here, I had alluded that 6 more Netra might be purchased.

The A330 with dome type ( 4 fixed ) antenna (s) is a seperate program in the future.

Last edited 4 meses atrás by Nostra
Nostra

This is the DRDO AWACS dome with 4 AESA radar panels built for fitment on A330.

EpXdJF7UUAETy-h.jpeg
Nostra

It provides 360 ° coverage and is non-rotating

Last edited 4 meses atrás by Nostra
Nostra

And this one of the 4 AESA radar panels

w7.png
Rinaldo Nery

Is this a classified information, don´t?

Nostra

No , not classified information

Joli Le Chat

Achei curioso como descreveram a modificação: “No novo projeto, a DRDO irá adquirir seis variantes menores do A320 da frota existente da Air India, modificar as fuselagens e, em seguida, montar os radares nelas.”

Tem que mudar leis de controle, projetar reforços nas asas e empenagens, programas de manutenção, etc. Talvez seja melhor pedir para a Airbus fazer o serviço.

Marcelo

Concordo com relacao a leis de controle, uma vez que sao aeronaves fly by wire. Mas reforcos estruturais podem fazer por eles mesmos, uma vez que serao para uso militar e nao precisarao certificado civil.

Rinaldo Nery

Lembrando que a tentativa deles de colocar uma antena num AVRO resultou em acidente fatal.

Alex Tiago Do Prado

Coronel que alcance e esse do radar do 145 ereye???240km??? O nosso nao foi elevado ao padrao proximo dos indianos e tem materia falando do alcance de mais de 700km???

Rinaldo Nery

Os indianos não usam o ERIEYE.

nonato

Seria mais barato comprar erieye novos.

Nostra

What about sovereignty of technology ?
Best to develop own and have peace of mind.

DRDO is now more or less sufficient in all kinds of radars.

Eg VLRTR radar has ranges greater than 3000 km and 2 units are already deployed and operated by NTRO ( civilian agency for technical intelligence ) for detection of space based threats.

This is different from similar radars ( LRTR , LRTR-2 , LRTR-3 ) currently deployed / under deployment for BMD and operated by IAF.

Last edited 4 meses atrás by Nostra
nonato

Se os nossos têm 700 km de alcance e o deles 240, eles não podem fazer a mesma modernização?

Rinaldo Nery

Vou repetir. A Índia NÃO usa o ERIEYE. O radar deles é de fabricação local.

Leandro Costa

Vou traduzir essa troca de mensagens:

“Boa tarde, eu gostaria de uma empada de frango.”
“Não temos empada, senhor”
“Ok… pode ser uma empada de queijo.”
“Não tem empada.”
“Tá bom, tudo bem, que seja empada de camarão”
“NÃO TEM EMPADA!!!!”

Hehehehehe

DrDoom

Correto, Cel! A turma vê o formato da antena e acha que o “recheio” é igual. A India comprou a aeronave da Embraer, preparada para receber a antena desenvolvida pelo DRDO. Após o famigerado acidente com o AVRO, em que morreram diversas pessoas chave do programa de desenvolvimento da antena, eles decidiram comprar a aeronave de um fornecedor que tinha experiência nesse tipo de modificação de plataforma. Poucos perceberão a nuance, mas notar que nem os “struts” que suportam a antena do EMB-145 India são iguais aos do EMB-145SA. A razão disso é que como a antena da India não… Read more »

Luis Carlos

As coisas pra Índia não é nada fácil ela tem “pedras” nos dois sapatos.

Matheus

Vai ser que nem o R-99 deles, vão tentar, sofrer e botar a culpa no fabricante.

Luiz Trindade

Como diz o ditado não tem cão caça com gato.

willhorv

Qual seria o tempo de patrulha de uma unidade assim modificada? Nos tempos de hoje, drones com estas capacidades não seria uma tendência?

Alexandre Cardoso

Na minha ignorância de leigo do assunto, diria que depende …
1 – Características de missões para quais ele será usado;
2 – Como essas missões deverão ser executadas;
3 – etc …
Tudo, requisitos que a IAF já deve ter definido, e que essa plataforma será moldada para atender ao planejado. Certamente, se drones atendessem aos requisitos, o projeto usaria uma plataforma Drone para isso … Enfim, como eu disse, na minha ignorância de leigo, do assunto …

Last edited 4 meses atrás by Alexandre Cardoso
Rinaldo Nery

Nem sempre a missão pode ser comandada do solo, por meio de downlink das imagens radar. Por vezes (na maioria delas), o comando deve estar a bordo, em contato constante com o Battle Staff Director. Quando falo em comando, me refiro ao gerenciamento da batalha aérea.

Marcos10

Não iam ser os Embraer 190 modificados para patrulha marítima também?

Leandro Costa

Já mudaram do A330 para os A320, que são menores, mais baratos e adquiridos usados da Air India. Algo me diz que estão tentando economizar na aeronave. Já o governo Brasileiro deveria conversar com a EMBRAER e oferecer alguma coisa mais vantajosa. Quem sabe até unidades para a própria FAB, apesar de termos o programa de modernização dos E-99 em pleno andamento, o tempo que isso deve levar para ficar pronto pode fazer com que valha à pena. O que eu achei estranho foi o alcance do radar indiano que foi instalado nos EMB-145 AEW&C. Parece bem menor do que… Read more »

Rinaldo Nery

O segundo E-99M foi entregue.

nonato

Não seria melhor a Embraer oferecer uns 10 145?
Ou 195?

nonato

Sendo em quantidade maior, pode valer a pena a Embraer desenvolver e ser agressiva na oferta.
Oferecer 10 a 20 com 700 km de alcance do radar.

nonato

Se for mais barato poderiam oferecer com E 190 1 usados .

Caio Andrade Garcia

Esse projeto é da Marinha do Paquistão. Usar o Lineage (possui um alcance maior que o 190), é o projeto “Sea Sultan” para substituir os P3. A marinha da Índia já conta com os novos Boeing Poseindon.

sub urbano

Mais um petardo em cima daqueles que acreditam que “a India vai conter a China”… os indianos estão bem armados mas a China é uma superpotência. Se a China for botar a jirimpoca pra piar mesmo será impossível contê-la. Eles tem população, organização e unidade nacional. A mesma unidade nacional que Trump implodiu nos USA.

Leandro Costa

O que discordo é que o Trump tenha implodido a unidade nacional Americana. Isso o Obama já havia feito. O Trump só continuou com isso. Podemos torcer que o Biden ajude à remendar esse abismo, mas por enquanto ainda acredito que ele vai continuar aumentando esse abismo. É viver para crer.

Rinaldo Nery

Biden? O Suplicy norte americano, e sua vice ¨Marielle yankee¨? Mais fácil o Palmeiras ganhar um Mundial…

Leandro Costa

Podia ser pior…. podia ser o Al Gore hehehehehe

Jota Ká

Trampista derrotado detected! 😊

Rinaldo Nery

E…?

Leandro Costa

E…?²

Kemen

Só falta soltar faiscas pelos olhos e gritar, foi roubo, foi roubo… Isso é coisa de egocentrico! kkkkkkkk

A vontade da maioria prevaleceu, ai sim é democracia.

Last edited 4 meses atrás by Kemen
Elias

Não adianta querer impor , houve falcatrua na eleição, país democrático é assim se tem coisa errada tem que investigar, não é impor ideologia do tipo os fins justificam os meios,

Turu

A Índia tem mais da metade de sua população de mais de 1 bilhão de pessoas ainda vivendo no campo, todo esse povo vai ter que ir para cidades nas próximas décadas, produzir produtos e construir infraestruturas.
Sabe que país tinha uma situação parecida cerca de 25 anos atrás?, ela sim, a China.
A Índia vai passar pelo mesmo processo que tornou seu vizinho uma superpotência, é só esperar.

Foxtrot

Parabéns a Índia Cansei de escrever aqui que precisamos de uma plataforma maior para nossos AWAC-C.
Quem sabe o E-190 ou outra da Embraer maior ainda.
Uma plataforma maior caracteriza-se em maior espaço interno, que se traduz em maior conforto para tripulação, maior tripulação, maior turno de trabalho, maior permanência na missão, mais equipamentos etc.
Enquanto o mundo cada vez mais criam e ampliam suas forças aéreas, nos brincamos de “aviãozinho”
Que falta nos faz uma DRDO ou DARPA, e acima de tudo uma verdadeira experiência de combate.

Fernando Turatti

Não adianta nada ter 200 awacs se não temos defesas antiaéreas pra abater os mísseis que ele enxerga, nem caças para irem em busca dos aviões inimigos.
Na lista de prioridades eu diria que vem antes: 1 – defesa aa de médio e longo alcance e 2 – um número bem maior de caças do que os 36 gripens. Até termos isso, 5 E-99 estão MAIS que o bastante.

Kemen

5 E-99, tudo bem, mas para monitorar o que? Sukhoi, F-16, sei lá mais o que… Teremos mais F-39 em breve e com AESA, mais F-39 seriam bem vindos, defesas aéreas terrestres de médio e longo alcance sim, estas precisamos urgentemente, já temos uma rede integrada de radares terrestres.

Foxtrot

kkkkkk viaja amigo! Você realmente acredita que terão mais encomendas da Gripe sueca (Gripen)? Você é mesmo muito otimista. Na melhor das hipóteses chegaremos as 36 unidades, ai quando o projeto ficar mais ultrapassado do que já é, irão comprar outro novinho com T.O.T. Mesma coisa que aconteceu com AMX, Xavantes etc (apesar que no caso Xavantes, compramos e fabricamos muitas unidades). Se o Brasil aprendesse alguma coisa, já teríamos um caça nacional vindo da evolução do Xavantes, depois evolução do AMX. Assim como o Japão está fazendo com a evolução do J-2 que é o T.O.T do F-16 americano,… Read more »

Rinaldo Nery

Os radares terrestres não enxergam abaixo de determinado nível. E seu deslocamento exige infraestrutura e pessoal. O AWACS supre essas lacunas (enxerga pra baixo e vai pra qualquer lugar).

Luís Henrique

Concordo.
Da para adquirir 90 Gripen, 5 esquadrões com 18 e ainda teríamos 1 E-99 para cada esquadrão.

Os 5 E-99M são excelentes para o tamanho da nossa frota de caças.
É o que a FAB tem de melhor, em termos de qualidade e quantidade é a aviação de alerta antecipado.

Quando o Brasil decidir virar um país sério, e aumentarmos nossa frota de caças para 200 ou 300 caças, ai pensamos em 10 ou 15 AEW.

Fernando Turatti

Eu iria além e diria: os E-99M são o que de melhor todas as FAs brasileiras tem, tanto em quantidade e qualidade. Eles são bons o suficiente e tem em quantidade decente. Não existe mais nada que atenda a esses dois quesitos em nenhuma das forças, nem previsão de o ter.

Kemen

O pais que não tem 200 ou 300 caças não é um pais sério? Jura?

E vivam os alertas antecipados, abdiquemos dos Gripen e vamos de E-99… uns 70 estariam bem?

O que tem uma coisa a ver com a outra…

Fernando Turatti

Tem absolutamente tudo a ver com a outra. Não adianta nada avião de alerta sem ter alguém de prontidão pra fazer algo, esse é todo o ponto: 5 estão ÓTIMOS em relação ao que temos… Ou melhor: ao que não temos.
E não, país com top 15 orçamento sem 100-200 caças não é um país sério.

Foxtrot

Outro otimista!

Foxtrot

Neste caso sou obrigado a concorda com você.
Porém me refiro ao futuro, quando da necessidade de substituição dos E-99.
A FAB já deveria está estudando o substituto dos E-99 e sistemas do mesmo (quem sabe até o desenvolvimento de um radar aéreo nacional).
Para quando se apresentar a necessidade, não terem que comprar de fora com a balela de T.O.T.
Quem sabe até lá, essas prioridades descritas por você já não terão sido atendidas?

Fernando Turatti

Não há um só dia que eu não torça pra isso. Aposto, aliás, que os E-99 serão bem substituídos, uma vez que são aeronaves com uma função “civil” interessante: guiar super tucanos pra apreenderem aviões de tráfico. É fácil convencer o governo a liberar verba pra esses brinquedos!

Kemen

Como de praxe a India com sua enorme mistura de modêlos, essa diversificação deve sair operacionalmente mais cara, apesar da possivel economia na compra

Luís Henrique

Todas as 3 superpotencias militares possuem grande diversificação de meios.
A Índia é a 4a maior potência militar. E segue a mesma diversificação. A diferença é que ainda não possui indústria própria que dê conta de tudo, por isso importa muita coisa e diversifica os fornecedores.

Vejam a Rússia, por exemplo:
MiG-29, MiG-35, MiG-31, Su-24, Su-25, Su-34, Su-27, Su-30, Su-35, Yak-130, Su-57 (em breve), MiG-29K e Su-33.

13 tipos de caças e aeronaves de ataque, sem contar os bombardeiros mais pesados como os Tu-22, Tu-95 e Tu-160.

Kemen

Quem negativa deve achar que sai mais barato! kkkkk

Kemen

A principal razão na compra dos E-99 foi dar refôrço ao alcance dos radares dos F-5 via link, tornando essas aeronaves com maior alcance radar, com a chegada dos radares AESA dos F-39 os próprios radares são suficientes para qualquer cenario latino americano, entretanto os E-99 continuam sendo úteis pois ainda tem radares de maior alcance e em determinadas operações poderiam ser uteis tambem. Eu acho que a maior carência em defesa aérea continua sendo a defesa terrestre de médio e longo alcance que ainda não temos, atuando em conjunto com nossos radares terrestres, bem como com as nossas aeronaves… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Kemen
Fernando Turatti

Quanto à carência de defesa aa, você está plenamente correto. Quanto à utilidade do E-99, não.
Pra explicar de maneira simples, o E-99 com seus olhos enormes, pode ligar o radar “sem medo”, afinal, não vão atingi-lo a tal distância. O gripen, por outro lado, de radar ligado vira uma árvore de Natal com a perna não tão longa.
O ideal é usar os E-99 ligados e Gripen em modos passivos, ligando o radar apenas por breves períodos, “mirando” onde o E-99 manda… Isso se não puderem atirar iluminados pelo E-99 mesmo.

Rinaldo Nery

Eu acho que a PRINCIPAL RAZÃO de aquisição dos E-99 não tem nada a ver com os F-5… Mas, acho que, sendo um dos fundadores do 2°/6° não entendo muito…

Nilton L Junior

Quer bancar cachorro grande então tem que saber morder, mas como se trata dos Indus é preciso esperar sempre um pouco mais para ver o que vão fazer.

JuggerBR

Quando o assunto é India, sempre pergunto sobre o treinamento. Trocentas aeronaves de origem diferentes, com zero comunalidade. Atualmente não sei se tem havido acidentes, mas o histórico é de muitas mortes de pilotos durante o voo…

Nostra

I am ( nor is anyone ) in no position to access the quality of IAF pilot training or any other airforce in a comparative basis. It is a exercise in futility and hence opinions regarding the same don’t hold water due to obvious reasons.

But this much I can state that the annual flying hours clocked by IAF pilots is one of the highest in the world , second only to USAF pilots .

Last edited 4 meses atrás by Nostra

Reportagens especiais

Mock-up do AMX, fabricado pela empresa Aermacchi em 1984, apodrece em ferro velho em São Paulo

O fotógrafo Anderson Kindermann registrou ontem imagens do "mock-up" do jato de ataque AMX, fabricado pela empresa AerMacchi em...
- Advertisement -
- Advertisement -