Home Aviação de Transporte Nota oficial sobre transporte de órgãos a bordo de aeronaves da FAB

Nota oficial sobre transporte de órgãos a bordo de aeronaves da FAB

3051
15

C-99A 2524 na AFA em 120512 decolando sob chuva - foto Poder Aereo - Poggio

A Força Aérea Brasileira (FAB) mantém de sobreaviso pelo menos uma aeronave adequada para missões de transporte de órgãos em todo o território nacional.

Tal medida foi adotada para atender ao Decreto N° 8.783, de 6 de junho de 2016. Também foi criado um plantão de tripulações de forma que seja possível atender, com a maior celeridade possível, às demandas de transporte aéreo da Central Nacional de Transplantes (CNT), organização vinculada ao Ministério da Saúde.

Vale salientar, contudo, que missões deste gênero fazem parte das atribuições de muitos dos nossos esquadrões. Entre 2013 e 2015, foram 68 órgãos transportados de maneira efetiva pela Força Aérea, voos realizados em caráter complementar, mesmo sem uma determinação legal.

Broa Fly-In 22-06-12 bandeirante modernizado taxiando - foto poder aereo poggio

Em outros 48 casos houve o acionamento das aeronaves e tripulações, contudo a missão foi computada como “não atendida” por conta de fatores alheios à Força Aérea, como falta de tempo hábil, meteorologia desfavorável, falta de infraestrutura aeroportuária e indisponibilidade de equipe médica, dentre outros motivos.

Cabe observar que a divulgação do tema levou muitos a relacionar o transporte de órgãos ao transporte de autoridades, missões de natureza distintas. Enquanto a primeira era realizada em caráter auxiliar ao sistema de saúde, a segunda já era determinada pelo Decreto Presidencial N° 4.244/2002. Criou-se uma comparação potencializadora de conclusões negativas, muitas de maneira precipitada.

VC-2 - GTE - foto Nunão - Poder Aéreo

Inicialmente, ressalta-se que essas são apenas duas das inúmeras missões realizadas diariamente pela Força Aérea Brasileira, todas de interesse da sociedade, como a de defender o espaço aéreo, realizar busca e salvamento, integrar o País por meio da Aviação de Transporte e patrulhar fronteiras terrestres e marítimas.

Além disso, a Força Aérea realiza atividades complementares. Ano após ano, aviões e helicópteros transportam vacinas para comunidades isoladas, pacientes em estado grave, urnas eletrônicas para todos os rincões do país; auxiliam vítimas de acidentes naturais e apoiam órgãos públicos em regiões de fronteira, entre outras missões de caráter social.

Essas missões continuarão sendo realizadas. Mas no caso específico do transporte de órgãos, os voos em prol do sistema de saúde nacional ocorrerão, a partir de agora, não mais por uma exclusiva responsabilidade do Comando da Aeronáutica, mas contando também com o indispensável apoio do Ministério da Saúde.

domingo aereo AFA 2015 C-98 Caravan - foto poggio

De fato, é de grande relevância observar que garantir a saúde da população, desde o atendimento básico até transplantes, é uma obrigação de todo o Estado brasileiro. Certamente, a percepção pública da necessidade dessas missões de transporte aéreo de órgãos significará uma nova compreensão sobre o papel de cada instituição envolvida.

Em paralelo, a Força Aérea continua a exercer o outro aspecto de forte relevância para a saúde, já prevista no Acordo de Cooperação Técnica assinado em dezembro de 2013 entre a FAB e o Ministério da Saúde: por meio de uma gestão eficaz do controle de tráfego aéreo, prioriza voos relacionados ao transporte de órgãos.

Aeronaves de matrículas civis, inclusive estrangeiras, que estejam no espaço aéreo brasileiro em quaisquer situações nas quais vidas humanas possam ser salvas, têm todo o apoio dos profissionais de controle de tráfego para tornar seus voos mais curtos.

Agora, a Força Aérea Brasileira estará ainda mais próxima do Ministério da Saúde para realizar o transporte aéreo de órgãos, com o patriotismo, o profissionalismo e o sentimento de ajudar o próximo que caracterizam os homens e mulheres da FAB.

Cumpriremos mais essa missão, com orgulho de estarmos presentes na vida dos brasileiros.

Brasília, 10 de junho de 2016.
Brigadeiro do Ar Ary Soares Mesquita
Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

FOTOS em caráter meramente ilustrativo

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mateus
Mateus
4 anos atrás

Muito bom! Parabéns a FAB por mais essa!

Guizmo
Guizmo
4 anos atrás

Parabéns à Fab. Atividades como estas descritas acima me emocionam, são umas das únicas coisas que atualmente me dão orgulho do Brasil.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

A imprensa é sensacionalista.
Ficam procurando alguma coisa para dar ibope.
Transporte de órgãos não é a maior prioridade no Brasil.
É importante, mas em um país com cobertor curto isso é só enganação.
Milhares de pessoas morrem diariamente por falta de assistência médica de qualidade, especialmente, mas não unicamente, no interior.
O quê a FAB tem a ver com isso? Nada.
A não ser que queiram transformá-la, também, em ambulância aérea do SUS.

Marcelo
4 anos atrás

o lado bom é que esse decreto regulamenta esta missão e os meios deverão ser priorizados para ela.

Franco Ferreira
Franco Ferreira
4 anos atrás

Duas situações: 1- O órgão vai; 2- o paciente vem. Para o órgão ir não precisa de nada especial, só a rapidez da tripulação de QUALQUER avião (Só não pode F-5E. e aquele caça-bombardeiro da EMBRAER; O F-5F pode). A diagonal mexe um pouquinho mas o serviço sai, sem dor nenhuma e sem atrapalhar o cronograma de instrução da unidade aérea.

Levar o paciente ao órgão, ai então fica um pouco mais difícil.

O importante é lembrar, SEMPRE: 4 horas – Este é o limite!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bille
Bille
4 anos atrás

Bem dito pelo Franco ferreira. Se bem me lembro de um caso, o 4Comar foi acionado para acionar uma missão de transporte de órgãos, que consequentemente acionou o 4 ETA. A equipe deu o pronto rapidamente. Ao passar o pronto pra “quem pediu”, foram informados que o coração seguia de SP pra Porto Velho, e a equipe médica não estava pronta. Aí cai no caso da missão não sair porque jamais chegaria em 4h em PV. E detalhe: é 4h de quando se retira até estar implantado. Seria impossível (nem com F5) daria pra cumprir esse tempo, considerando que o… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Bem postado, Bille. É isso aí. É como o caso do estupro da menina no Rio. Esqueceram de dizer que aos 13 ela engravidou de um traficante, que está morto, e havia saído drogada de um baile funk com dois “amigos” que a levaram pro abatedouro, a convite dela própria. É só denunciou na delegacia não porque foi estuprada, mas porque levaram o celular dela. Mas a imprensa só divulga o que interessa e vende.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 anos atrás

Concordo Rinaldo…

Entretanto o que fica difícil entender na força são suas prioridades com orçamentos sempre apertados… a notícia é antiga, mas…

http://www.thenews.coop/34178/news/co-operatives/aeronáutica-novo-hotel-de-transito-em-salvador/

Jorge F.
Jorge F.
4 anos atrás

Sou ignorante no assunto, mas o transporte de órgãos entre as capitais das regiões mais desenvolvidas do Brasil poderia ser feito dentro dos contratos de concessão com as empresas aéreas, aproveitando as linhas já consolidadas, atribuindo o transporte de enfermos e órgãos, para ou das localidades mais distantes, à FAB e outros órgãos federais. Como nosso país é continental, o transporte de órgãos entre localidades cuja distância constitui fator que inviabiliza o aproveitamento dos mesmos deveria ser simplesmente desconsiderado (nunca vou culpar os órgãos públicos de Goiás por não estarem preparados para maremotos). Quanto ao hotel de trânsito de Salvador,… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Luiz, o prédio era antiga sede do COMCOS (Comando Costeiro), e estava desativado. Passível de ocupações ilegais. A FAB resolveu transformá-lo em centro de convenções e hotel. Lembrando que hotel é pago, não é gratuito, mesmo pra militares. A instalação se mantém. O centro de convenções é utilizado para uma série de atividades da FAB: cursos, seminários etc.

Walfrido Strobel
4 anos atrás

Luis Fernando, o CEMCOHA é um espaço realmente lindo feito na parte alta do terreno onde era o Comando Costeiro que antes integrava as unidades que usavam o Albatroz, B-17SAR, Catalina, P-15 e P-16. O espaço tem alugado o auditório e salão de festas para terceiros, conheço o Cel. Int. RR Murilo citado na reportagem e foi a pessoa certa para chefiar o CEMHOHA na sua implantação. Vejam item “fotos” do site que indiquei abaixo que é um lindo espaço. Foi uma obra que aproveitou a modernização da BASV para receber o P-3AM, melhorando a capacidade de Salvador em receber… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
4 anos atrás

Boa notícia, formalmente atribuíndo a missão à FAB.
.
Mas agora vem aquela coisa que ninguém gosta de falar, mas é importante. Aumentou oficialmente as atribuições da FAB, e mesmo que ela já o fizesse antes, agora acredito que não poderia ter recusa, teria que ter meios em prontidão, etc., que poderiam estar sendo utilizados em outras missões. Aumentarão os números de meios e de combustível? Bem, claro que não, né?

Walfrido Strobel
4 anos atrás

O EB tambem o seu local para hospedagem e eventos, é na praia de Amaralina em um grande terreno que abrigava uma unidade costeira do EB, é uma área linda onde está situado o Centro Gerontológico de Amaralina(CGA), hotel e clube. De vez em quando um vereador quer criar problema com o final da praia de Amaralina, onde a partir de um ponto é proibido passar, tem uma placa de Área Militar e tem a prainha exclusiva do EB. Mas como é realmente uma area militar federal a briga não deu em nada. Algumas fotos do local https://kekanto.com.br/biz/clube-do-quartel-de-amaralina/fotos Vídeo postado… Read more »

Walfrido Strobel
4 anos atrás

Encerrando meu off topic sobre áreas privativas das Forças Armadas em Salvador, nada mais bonito que a Praia de Inema da Base Naval de Aratu. Engraçado nesta reportagem é que o jornalista reclama da diferença em relação a limpeza da área destinada ao povão e a área exclusiva da Marinha, que culpe a Prefeitura de Salvador.
De vez em quando algum político ou jornalista reclama querendo abrir Inema ao público, mas é área militar federal.
https://m.youtube.com/watch?v=mObXX0wbZ7M

Farias Cardoso
4 anos atrás

Na falta de alguma notícia boa para a FAB, tal como liberação de verbas, o governo Temer cria um factoide.

NOTA DOS EDITORES: FARIAS CARDOSO, VOCÊ JÁ FOI ADVERTIDO DIVERSAS VEZES SOBRE SUA CONDUTA DE LEVAR PRATICAMENTE TODOS OS SEUS COMENTÁRIOS PARA A DISCUSSÃO POLÍTICO-PARTIDÁRIA RASTEIRA. QUER SER SUSPENSO? NÃO TESTE A PACIÊNCIA DOS EDITORES.