Interoperabilidade entre as Forças Armadas é tema de seminário em Brasília

    369
    2

    com_inter2

    Foi aberto, na manhã desta quarta-feira (20), o Seminário de Comando e Controle 2014. A cerimônia aconteceu no Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra), em Brasília (DF). O foco do evento, que prossegue até a próxima sexta-feira (22), é a interoperabilidade entre as Forças Armadas em ações desta natureza.

    O comandante-geral de Operações Aéreas, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato (foto acima), deu as boas-vindas aos presentes e ressaltou a temática do encontro. “A interoperabilidade é a razão de ser do Ministério da Defesa e o seminário é uma boa oportunidade para debater isso.”

    Em seguida, o chefe de Operações Conjuntas da Defesa, almirante Ademir Sobrinho (foto abaixo), realizou a abertura do primeiro dia de atividades. De acordo com ele, nos últimos 30 anos as Forças Armadas pelo mundo buscam aperfeiçoar os trabalhos em conjunto, pois sabem que o assunto demanda “eficácia e eficiência”.

    com_inter1

    O almirante destacou também que a Estratégia Nacional de Defesa aponta a interoperabilidade nas operações como uma das capacidades a ser alcançadas. “Eventos conjuntos nos ajudam a entender como as outras Forças agem e a economizar meios”, finalizou.

    O Seminário de Comando e Controle é destinado a civis e militares com envolvimento na temática e em atividades que demandem a interação entre Marinha, Exército e Aeronáutica. Ao longo da semana, os participantes irão assistir a palestras, entre elas uma da Força Aérea da Suécia para troca de experiências.

    FONTE: Ministério da Defesa

    Subscribe
    Notify of
    guest
    2 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Augusto
    Augusto
    6 anos atrás

    Leasing dos Gripen C/D teria sido cancelado: http://tecnodefesa.com.br/materia.php?materia=1896

    Carlos Alberto Soares
    Carlos Alberto Soares
    6 anos atrás

    “Segundo essa mesma fonte, a FAB decidiu redistribuir a frota de caças F-5EM\FM pelo país e usará os recursos que seriam destinados ao leasing do Gripen C\D para completar a modernização das 11 células de F-5E\F “jordanianos” já entregues a Embraer Defesa & Segurança (EDS) em Gavião Peixoto, e retomar nessa mesma fábrica a modernização dos caças bombardeiros Embraer A-1 AMX, cujos trabalhos foram interrompidos após a entrega de dois exemplares monoplaces ao 1º\16º GAV em Santa Cruz.”

    Menos mal ?