Home Sistemas de Armas Gripen na Suíça: testes de disparo do Mauser BK-27 em fotos e...

Gripen na Suíça: testes de disparo do Mauser BK-27 em fotos e vídeo

749
45

Testes de canhão do Gripen C - foto 2 Depto de Defesa da Suíça

O Departamento de Defesa da Suíça publicou fotos e vídeo sobre os testes com o canhão de 27mm do Gripen C realizados no campo de provas de Axalp, na área central montanhosa do país. O jornal suíço Tages Anzeiger, publicado em alemão, trouxe alguns detalhes sobre essa campanha de tiro que utiliza duas aeronaves da atual versão de um só lugar do Gripen.

Pela primeira vez, um piloto suíço está acionando o botão de disparo de um canhão de Gripen, nesta primeira vez em que o armamento do caça é testado na Suíça (outras visitas de jatos Gripen já foram realizadas ao país, incluindo o demonstrador do Gripen F, de nova geração, mas não envolveram emprego de armamento).

Testes de canhão do Gripen C - foto Depto de Defesa da Suíça

O canhão foi testado contra alvos no solo pelo chefe dos pilotos de teste da armasuisse (agência suíça responsável por aquisição e testes de armamentos), visando provar sua precisão, desempenho e confiabilidade na Suíça. Segundo o chefe de comunicação da armasuisse, Kaj-Gunnar Sievert, “os testes foram bem-sucedidos, embora ainda não tenhamos os resultados específicos” – vale dizer que se trata de um trabalho de pilotos de teste, examinando especificações técnicas. Certamente, não será por causa do desempenho do canhão que a aquisição dos caças não seria feita, conforme a reportagem do Tages Anzeiger.

Mauser BK-27 - foto Tages AnzeigerAinda segundo o jornal, o Gripen é equipado com um canhão Mauser BK-27, arma que foi desenvolvida no final da década de 1960 e que tem uma cadência de tiro de cerca de 1000 tiros por minuto (nota do editor: a arma pode disparar a uma cadência de 1700 tiros por minuto, conforme a seleção do piloto)

Tanto os testes com o canhão nos alvos no solo (que terá também seu emprego em missões de policiamento aéreo em caso de necessidade de abate de um invasor não cooperativo) quanto de bombas, num estágio mais à frente, respondem a uma necessidade da Força Aérea Suíça voltar a desempenhar missões ar-solo. A aquisição do Gripen visa retomar capacidades de ataque ao solo perdidas com a baixa dos jatos Hunter em 1994, já que os caças F/A-18 são usados primariamente para missões ar-ar. Mísseis ar-ar do Gripen deverão ser testados em áreas mais amplas, na Suécia.

Testes de canhão do Gripen C - foto 3 Depto de Defesa da Suíça

Também se espera recuperar a capacidade de reconhecimento aéreo, e um total de seis dos 22 jatos Gripen a serem adquiridos serão apropriadamente equipados, segundo a Força Aérea Suíça.

Clique na imagem abaixo para acessar vídeo, no site do Departamento de Defesa da Suíça, mostrando uma das passagens de tiro do Gripen C, vindo por entre as montanhas, sobre um alvo no solo.

Cena de vídeo de testes do canhão do Gripen C na Suíça - Depto de Defesa da Suíça

FONTES: Departamento de Defesa da Suíça e Tages Anzeiger (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em alemão)

FOTOS E VÍDEO: Departamento de Defesa da Suíça

VEJA TAMBÉM:

45
Deixe um comentário

avatar
43 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
16 Comment authors
Roberto F SantanajoseboscojrIvanRoberto F SantanaJustin Case Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Soyuz
Visitante
Soyuz

Vender avião de caça nestas épocas de guerra assimétrica e crise econômica tá tão duro que até disparo de canhão em teste / demonstração tá sendo divulgado com enfase por fabricantes e forças aéreas clientes.

Já tivemos épocas melhores onde este tipo de coisa era pura e simplesmente rotina e mal merecia uma nota de um paragrafo em revistas de defesa.

ricardo_recife
Visitante
Member
ricardo_recife

As imagens são muito bonitas.

Abs,

Ricardo

Latino dark
Visitante
Latino dark

Esses suecos realmente sabem construir uma caça ….

sds

Almeida
Visitante
Almeida

Realmente imagens belíssimas. E precisão cirúrgica.

Vader
Visitante

A imagem do Gripen atacando é espetacular.

Que caça…

virgilio
Visitante
virgilio

Lindo……
Espetacular….
Fantástico…..
De mais…..

Quando o Gripen chegar na Base de Santa Cruz irei correndo, abraça-lo, tirar foto e pedi um autografo rs..

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Mas ele faz isso antes ou depois de ser atingido por um manpads de 50.000 dólares? rssrss Se o alvo está no alcance de seu canhão quer dizer que a aeronave atacante também se coloca ao alcance de uma metralhadora ou canhão de calibre semelhante, operado por um sujeito qualquer que teve um treinamento relâmpago. Isso até podia ser muito bom na época em que caças eram construídos às dezenas de milhares e custavam alguns milhares de dólares, mesmo porque não havia nada mais preciso que o velho e bom canhão/metralhadora para bater um alvo pontual. Hoje, com um caça… Read more »

Soyuz
Visitante
Soyuz

Concordo com tudo que escreveu Bosco. Mas penso que o canhão esta para o caça assim como uma boa faca esta para um infante. Ele não espera “resolver” a situação com um uma faca, mas é um recurso a mais e parece que ninguém abre mão. Tem coisas que um canhão ainda é útil. Tiro de advertência em missões de interceptação por exemplo. Mesmo para atacar um alvo aéreo moderno ainda é válido se este alvo por um UAV ou uma aeronave que não for um caça manobrável, uma plataforma ELINT por exemplo. Nada impede que o alvo seja destruído… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Soyuz,

Concordo com vc, mas perca a esperança de convencer Mestre Bosco que um bom e leve canhão de tiro rápido ainda tem (e terá) valor em um caça moderno, não mais como arma principal, mas como último recurso ou ‘instrumento coercitivo e convincente de comunicação aérea’.

Faca? 🙂
Só para cortar a carne do churrasco e compor os talheres à mesa.

O professor é sofisticado demais (ka ka ka ka…), mas por sorte minha suporta o jeito rude deste antigo infante que jamais deixou de levar uma boa faca no campo.

Abç.,
Ivan, a oldinfantryman. 🙂

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Soyus, Ótimos argumentos, principalmente em relação aos alvos de oportunidade ar-ar tipo um UAV “perdido”. Quanto à aeronave ELINT geralmente está dentro do território inimigo e o seguro manda usar um míssil BVR pra fechar a escrita. Já um helicóptero tentando infiltrar um comando é um bom alvo de canhão, mesmo porque hoje alguns estão tão protegidos por contra-medidas que usar o canhão é uma garantia bem maior de sucesso. O problema é que levar um ou dois canhões,mais os acessórios e mais a munição é um peso considerável, além de ocupar espaço para outros sistemas mais úteis. Quanto a… Read more »

Nick
Visitante
Member
Nick

Acho que já sabemos a resposta caso perguntássemos para os pilotos de caça se preferem um caça com canhão e outro sem canhão…. 🙂

E se precisando de canhão, o melhor é que o mesmo seja orgânico. De preferência um Gatling de 7 canos e 30mm. 😀

Agora sério, o Soyuz explanou bem a utilidade dessa arma. Tiros de advertência, Tiros de oportunidade, e até mesmo alvos que não necessitem de um AIM9-X, por exemplo um monomotor turbohélice servindo ao narcotráfico no meio da Amazônia.

[]’s

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

No Atlântico Sul próximo aofim da aventura argentina, um C-130 da FAA foi interceptado pelos SHAR.
Ambos os Sidewinders disparados atingiram-no, explodiram, mas não lograram abate-lo.
A asa do ac argentino somente cedeu e se quebrou, atingida por disparos dos canhões Aden 30mm orgânicos do caça britânico.

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Nick, Pelo visto os projetistas não levaram em consideração a opinião dos pilotos da USN e nem da USMC quando projetaram o F-35 B e C.rrsrsrs Quando digo que não me convence um canhão interno me refiro a caças de pelo menos 4ªG. Estes em geral não lidam com teco teco de traficante e se tiver que derrubar um nem precisa gastar a munição do canhão, basta passar raspando a Mach 0.9 que o bicho despenca. Não tenho nada contra as duas metralhadoras do ST. Acho até que deveriam ser quatro. Como todos os caças de 4ª e 4,5ª G… Read more »

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Maurição, Entendi o raciocínio, mas só lembrando que no caso do Harrie/Sea Harrier, os canhões não são orgânicos (embora reconheço que eram praticamente padrão) e as aeronaves em questão não eram caças de verdade e usavam tecnologia da década de 60. Pessoal, Daqui a pouco vão achar que eu sou contra os canhões do AC-130.rrrsss Eu não sou contra nada, muito menos canhões em aeronaves. Eu só acho questionável a real vantagem em se ter um canhão orgânico e a relação de custo x benefício de um canhão instalado em um caça em estado da arte e de custo astronômico,… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Nick,

É possível encontrar um canhão equilibrado, com apenas um cano, porém algumas câmaras para dar volume de fogo.

Veja o interessante artigo (mas desconfio que vc já conhece):
http://sistemasdearmas.com.br/ca/canhoesnaguerraaerea.html

Para um caça moderno o Mauser BK-27 com 1 (um) cano e 5 (cinco) câmaras, cadência de 1.700 RPM, calibre 27 x 145 mm e mais poderoso que o confiável 30 mm do ADEN/DEFA está bom demais. Um pouco menor que o demais no mercado, conserva poder de fogo suficiente para uma arma que não será mais a principal.

Abç.,
Ivan.

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Bosco, Acredito que os Veteranos do Vietnam devem ter soltado um PQP quando souberam que os F-35 não vão ter canhões orgânicos, mas pelos remediaram com a opção dos mesmos serem instalados em PODs. 🙂 No meu entender não colocar o canhão orgânico foi mais uma decisão econômica. Devem ter pensado: Canhão “praque”? Com nossos misseis de última geração, bombas inteligentes, etc. Canhão é coisa da 2ª guerra…. A USAF foi conservadora. Já a USNavy e os Marines dentro dos cenários imaginados, devem ter pensado: Se precisar, colocamos o Pod. Mas imagine uma situação de uma missão onde não… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Em tempo:
O Mauser BK-27 pesa 100 kg.

Soyuz
Visitante
Soyuz

Uma das vantagens mal compreendidas do canhão é a sua baixa penalidade para o caça. Seja em massa seja em arrasto. Em massa Um Gripen pesa vazio 6800Kg, seu peso máximo de decolagem é de 14.000Kg. Vamos arbitrar que ele esta em combate pesando algo como 11.000Kg. Seu canhão de 27mm pesa 100Kg, seus 120 cartuchos pesam 31,2Kg. O canhão totalmente armado pesa 1,19% do peso do caça. Não é uma massa significativa. Em arrasto O maior ganho é que com ou sem canhão o custo de arrasto aerodinâmico é praticamente o mesmo e próximo e muito baixo quase nulo… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Nick,

Pelo que tenho lido o F-35 A, versão CTOL, terá canhão orgânico.
o GAU-22/A de 4 (quatro) canos no calibre 25mm.

Abç.,
Ivan.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Uma rápida visão do GAU-22/A no site do fabricante:

http://www.gdatp.com/factsheets/A118_GAU22.pdf

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Nick, Sem dúvida não havendo um canhão ou havendo um, mas sem munição, o piloto iria preferir estar em um caça que tivesse um canhão ou em um com mais munição. Mas se na época do F-4 o uso do canhão era obrigatório, os caças de 4,5ªG e de 5ª G combinado com alguns armamentos modernos, estão fazendo o canhão um item opcional, de uso esporádico. O problema é que caças hoje custam, não raro, mais de um décimo de BILHÃO de dólares e um canhão soma ao caça um peso nada desprezível, além de ocupar um espaço cada vez… Read more »

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Soyus,
Tudo bem que o canhão pesa apenas 100 kg, mas quanto mais deve ser acrescentado à estrutura do caça para que ele possa suportar o canhão?
E quanto mais pesa o cofre, e as “passadeiras”, o motor elétrico que faz funcionar o tambor giratório, o sistema de ejeção de estojos?
E quanto à munição, creio que se equivocou. Trinta e um quilos são referentes apenas aos 120 projéteis em si e não aos cartuchos, pesam mais que o dobro disso.
Mudo meu nome pra Nabuco se um canhão não somar pelo menos 1 tonelada ao peso do caça.

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Ivan, No exemplo que citei, foi digamos, um exagero. Citei o GAU-7 Avenger do A-10 Thunderbolt…. hehehehehe 🙂 E se o F-35 CTOL tiver canhão orgânico é porque os veteranos do Vietnam devem ter xingado muito e os que estiverem na ativa devem ser almirantes agora… rsss. O que indica que o F-35B não terá o orgânico por causa do seu sistema de empuxo vetorado, que ocupa bastante espaço interno. Caro Bosco, Acredito que dificilmente veríamos um F-35 fazendo uso do canhão em missão ar-solo. Mas, se fizesse seria mais ou menos como na demonstração do Gripen. Sem ameaças… Read more »

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Nick,
O F-35C da USN para operação CATOBAR/CTOL e o STOVL F-35B do USMC não terão um canhão orgânico.
Só o CTOL F-35A da USAF é que terá um canhão orgânico.
Ou seja, no caso dos Marines pode-se dar a desculpa que o sistema de vôo vertical não permitiu, mas não há desculpas para o pessoal da USN.
Um abraço.

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Bosco,

Realmente me confundi com a informação do Ivan.

Quando li “CTOL” entendi logo de cara a versão “C”.

[]’s

Vader
Visitante

O canhão está para o caça de alta performance como a baioneta para o fuzil.

Melhor não precisar usar. Mas se precisar, é melhor tê-la à mão e afiada.

Lyw
Visitante
Lyw

Achei que apenas o F-35B não teria canhão orgânico!

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Posso ter exagerado no “uma tonelada”, mas não fica muito longe não. Só pra citar um exemplo, o A-10 tem peso vazio de 11,3 t, o GAU-8 tem peso de 280 kg, mas ele acrescenta no avião 1830 kg com uma carga completa de 1150 projéteis. Se pensarmos que o canhão BK-27 pesa 100 kg e leva uma carga de 120 projéteis e que o Gripen pesa vazio 6,8 toneladas, podemos chegar a alguma conclusões interessantes tendo em vista que o nível de recuo dos dois canhões é semelhante. O A-10 pesa o dobro do Gripen e o GAU-8 pesa… Read more »

Groo
Visitante
Member
Groo
Justin Case
Visitante
Justin Case

Amigos,

Bela imagem.
É interessante lembrar que, para um observador no solo, a cada tiro dado são ouvidos três “bangs”. O do disparo do canhão, a onda de choque na trajetória do projetil e o impacto no solo.
Abraços,

Justin

Justin Case
Visitante
Justin Case

Amigos, Ainda sobre o evento, algumas observações: 1. Como se trata do Gripen C/D, é de se esperar que o canhão já esteja homologado e qualificado no Gripen há muito. Se foi feito um processo de certificação lá na Suécia, ele deveria ser automaticamente reconhecido pela Suíça sem testes adicionais. 2. Não ouvi falar de qualquer contrato assinado pelos Suíços até agora. Assim, não creio que eles tenham requerido ou pago este “ensaio”, pois estariam tecnicamente impedidos de fazê-lo. Então, isso só pode estar sendo patrocinado pelo setor comercial da SAAB, utilizando também meios cedidos pelas forças suecas. 3. No… Read more »

Roberto F Santana
Visitante
Roberto F Santana

Prezado Justin Case,

O segundo som, um tanto desagradável aos ouvidos, não é o da onda de choque dos projéteis, é o som dos gases dos cartuchos que se acumulam nas portas dos escapes dos canhões (tubos traseiros nos canhões), e saem com pressão fazendo esse característico som.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Nick,
Vc sabe, mas vou registrar para os amigos que iniciam agora no AEREO:
CTOL é um acrónimo para o inglês Conventional Take-off and Landing, ou seja, decolagem e aterragem convencional.

MiLord Vader,
Nada como um infante para entender outro.

José Nabuco Bosco Jr., 🙂
Estou recuperando a esperança que meu amigo e mestre um dia entenda a importância de uma segunda arma de curto alcance, mas apenas de forma teórica, obviamente.

Abraço a todos,
Ivan, a oldinfantryman.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Nunão,

Com que armas um caça suíço em patrulha aérea de combate poderia abater um intruso voando baixo é rápido por entre os Alpes?

Será que um míssil BVR guiado por radar ativo ou mesmo semi-ativo teria condição de travar e manter-se no alvo neste relevo?

Será que um míssil WVR guiado por infra-vermelho poderia perder o alvo em uma curva por trás de uma montanha?

São dúvidas sinceras.

Sds.,
Ivan.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Nunão,

Certamente seria uma excessão a regra do combate aéreo,
mas estas coisas podem acontecer.

Olhando e disparando ‘de cima p’ra baixo’, o tal “look down – shot down”,
guiados pelo radar (ativo ou não), o risco seria o míssil perder a visada do intruso por trás de um acidente do terreno. No disparo WVR-IR acredito que o caçador teria que entrar no meio das montanhas, mas teria que esperar um espaço mais aberto.

Contudo, ao menos aparentemente, o uso do “bom e velho canhão” pode ser necessário em uma patrulha aérea de combate através dos Alpes.

Se lembrar do artigo, por favor, conta p’ra gente.

Abç.,
Ivan.

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Ivan,

Realmente eu sei que CTOL significa pouso e decolagem convencional. 🙂

Talvez eu tenha me confundido por causa que usualmente falamos de CTOL para diferenciar dos STOVL. Acabei associando automaticamente as coisas… hehehehe.

[]’s

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Nick,
Foi apenas uma oportunidade para ajudar os ‘novatos’ que estão chegando agora ao PA… he he he… pois há coisas simples que nos ‘empulham’ quando começamos a ler sobre qualquer assunto.
Abraço,
Ivan, dos antigos, mas com muuuuuuuuito o que aprender.
(Graças à Deus)

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Ivan,
Minha questão em relação ao canhão em caças não é preferência ou torcida.
Eu até gosto deles!
É mais uma impressão minha, como se fosse uma previsão. rsrsrs
Não vejo lugar para eles no futuro em caças de alto desempenho.
Quem sabe um ou dois “canhões” laser não farão o mesmo trabalho?
Um abraço.
Nabuc…Ops! Bosco.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

José Nabuco Bosco Jr.,

Com tranquilidade troco ‘meu’ fuzil automático por um novíssimo fuzil laser ‘na hora’, sem ‘piscar’. Mas quero com baioneta e não abro mão da minha faca.

Posso levar uma pistola como backup também???

Abraço,
Ivan, a oldinfantryman.

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

Ontem de noite, sem absolutamente nada melhor pra fazer, fui dar uma pesquisada sobre canhões automáticos e vi que havia me equivocado sobre o BK-27, que não possui um motor elétrico, ao contrário do que havia dito. Embora alguns canhões revólveres tenham esse “acessório” (como o Giat 30) não é o caso da maioria e dentre eles o BK-27, que usa para iniciar seu ciclo de funcionamento uma “pyrotechnic cocking charge” e depois usa a energia vinda da detonação do propelente de cada cartucho. De modo geral apenas os canhões Gatling (há exceções) e “corrente” (chain gun) usam uma fonte… Read more »

joseboscojr
Visitante
Member
joseboscojr

propelente = carga de projeção

Roberto F Santana
Visitante
Roberto F Santana

Prezado Justin Case,

Um reparo meu. Em 15 de abril de 2013 at 10:05, no seu comentario, creio que voce tenha mesmo razao.
O som parece ser mesmo (e so pode ser!) de algum efeito sonoro.