O Mirage suíço, o rancho, o roqueiro e o aniversariante

    267
    23

    Há vinte anos, um jovem saxofonista e estudante de comunicação social seguia, pela rodovia Anhanguera, com os outros músicos de uma banda de rock paulistana para um show em Pirassununga (SP), na semana de seu aniversário de vinte e um anos de idade.

    Numa parada em Leme, no Rancho Empyreo (ainda existente, famoso por sua cozinha suíça), percebeu vários quadros velhos e já meio desbotados, com fotos da Suíça, pendurados nas paredes do restaurante. Entre eles, destacava-se o quadro de um belo e prateado Mirage III suíço, voando em meio aos Alpes.

    O jovem músico, que na adolescência gostava muito de aeronaves e até montava maquetes, achou curiosa a foto, com o caça levando sob a fuselagem um míssil que ele não se lembrava de ter visto em Mirages. Mas a fase de colecionar maquetes e informações de aviões tinha dado lugar àquele trio de atividades que termina com Rock and Roll, e a imagem do caça suíço ficou apenas na memória. Uma memória revisitada de vez em quando, naqueles anos repletos de shows em Pirassununga e outras cidades do circuito universitário do interior paulista, onde aquele rancho da rodovia Anhanguera era um dos frequentes pontos de parada do caminho.

    O tempo passou, as “turnês” deram lugar a outras visitas, quem diria, à mesma Pirassununga, mas por motivos pessoais. E a foto do Mirage suíço continuava lá no caminho, como que dizendo “decifra-me ou te devoro”, embora gostoso mesmo fosse devorar as tortas de maçã do rancho. Anos mais tarde, até por necessidade dos donos redecorarem o local, os velhos quadros desbotados sumiram. Ao mesmo tempo, aquela curiosidade sobre aeronaves e coisas afins voltava.

    As visitas a Pirassununga também passaram a ter como alvo a Academia da Força Aérea da FAB, e um dia aquele roqueiro, já quarentão, encontrou na internet exatamente a foto daquele Mirage do quadro desbotado. Decifrou o “mistério” daquela versão suíça, que adotava sistemas de armas de origem norte-americana ao invés dos armamentos franceses, com o míssil Falcon sob a fuselagem e dois Sidewinders sob as asas.

    E resolveu então compartilhar aquela mesma imagem de vinte anos antes com os leitores do Poder Aéreo, no dia do seu aniversário. E, aproveitando, vem pedir um singelo “presente”: se algum leitor tiver a sorte encontrar essa mesma imagem acima em resolução maior (se possível, acima de 1.000 pixels de largura), mande para o e-mail nunao@aereo.jor.br. O velho roqueiro agradece!

    Subscribe
    Notify of
    guest
    23 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Alexandre Galante
    8 anos atrás

    Parabéns, Nunão! Quando você vier ao Rio, vamos comemorar.

    Estou procurando a imagem que você pediu, mas acabei encontrando muitas outras coisas legais.

    Vamos ver se encontro a que você quer. Grande abraço e vida longa e próspera!

    Guilherme Poggio
    Editor
    8 anos atrás

    Eu escutei essa história faz lagum tempo diretamente do protagonista.

    Parabéns Nunão!

    Ozawa
    Ozawa
    8 anos atrás

    Vida longa e próspera Nunão !

    Um Mirage prateado tendo ao fundo os alpes suícos…, um ícone da aviação relevado por um ícone da natureza…, realmente essa imagem a gente nunca esquece mesmo após 20 anos !

    Clésio Luiz
    Clésio Luiz
    8 anos atrás

    Como a imagem que o Galante postou, o Falcon não fica no pilone central, mas em um dos dois pontos dures traseiros, muito semelhantes em posição aos que aparecem no Kfir e no Mirage 2000. O Mirage suíço pode levar 2 mísseis Falcon, mas é comum achar fotos com apenas 1 instalado.

    Clésio Luiz
    Clésio Luiz
    8 anos atrás

    Não achei a foto que você queria, mas tem um pendurado com os dois mísseis, em exposição:
    http://www.airliners.net/photo/Switzerland—Air/F+W-Emmen-Mirage/0543121/L/&sid=448cac4ffdeaa85a080e392110a99cab

    ivanildotavares
    ivanildotavares
    8 anos atrás

    Esta pintura lembra bem os nossos primeiros Mirage IIIBr, quando do recebimento pela FAB.

    Parabéns, Nunão!

    Vader
    8 anos atrás

    Grande Nunão, parabéns parceiro.

    Luiz Padilha
    Luiz Padilha
    8 anos atrás

    Feliz Aniversário Nunão. Meus parabéns!

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    8 anos atrás

    Parabéns, Nunão!!!

    Valdo
    Valdo
    8 anos atrás

    Nunão, feliz aniversário….
    Sabe que a gente não fica velho…. a gente acumula experiência…
    Parabéns….

    DrCockroach
    DrCockroach
    8 anos atrás

    Parabens Nunao pelo aniversario e as otimas materias no Blog.

    http://www.youtube.com/watch?v=q9LUDjhLVUA&feature=related

    Um grande abraco!

    ricardo_recife
    ricardo_recife
    8 anos atrás

    Nunão, parabéns e feliz aniversário.

    MIrage III S voando: http://www.youtube.com/watch?v=p1PYiDIIZ1U

    Clésio Luiz
    Clésio Luiz
    8 anos atrás

    As configurações de armamento da família Mirage III dá um livro dos bons. É o que você falou Nunão, esse suportes apareceram primeiro nesse Mirage suíço. Desconheço outro operador que tenha esses suportes operacionais antes deles.

    Mas briga boa mesmo é sobre a origem das células do Nesher/Kfir: tem gente que acredita que Israel nunca fabricou fuselagem nenhuma, que todas vieram em contêineres da França, que a produção do Kfir se encerrou em 1983 quando a Dassault parou de fabricar o Mirage 50 e que os Cheeta C da África do Sul são Kfirs com motor Atar.

    Roberto F Santana
    Roberto F Santana
    8 anos atrás

    Caros amigos Nunão e Clésio,
    Antes, parabéns pelo seu aniversário Nunão.
    Esses pontos no Mirage vieram antes mesmo do Mirage V.
    Existem fotos na web que mostram um Mirage C (único) suiço fazendo testes com o Falcon e isso foi em entre 1962 e 1965.

    Clésio Luiz
    Clésio Luiz
    8 anos atrás

    Eu sempre achei que a FAB demorou demais em comprar o Mirage III. Parte da culpa deve ser dos ingleses que tentaram nos empurrar o Lightning como condição de um empréstimo que iríamos fazer na época. Os pilotos da FAB fizeram o teste-drive do Mirage em 1967, mas o primeiros exemplares só chegaram aqui em 1973. Nessa época acho que valia a pena esperar uns 2 anos para receber o Mirage F.1. Mas ao mesmo tempo apareceu o F-5E e o resto é história.