Home Aviação Civil Empresa aérea dos Correios custará R$ 800 milhões ou mais

Empresa aérea dos Correios custará R$ 800 milhões ou mais

1890
8

Segundo anunciado, parceria com a Embraer reduziria custos, incentivaria indústria nacional

 

KC-390 Correios

Os Correios investirão entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão na criação de sua empresa aérea de transporte de carga, já batizada de CorreiosLog. Já está certo que a estatal vai comprar aviões da Embraer, com prazo de dois anos para entrega, para fazer a subsidiária decolar. A frota está estimada em 15 aeronaves.

O objetivo da parceria dos Correios com a Embraer é reduzir custos, incentivar a indústria nacional e gerar empregos. A logística de transporte é um dos problemas mais graves dos Correios. Estudos da estatal indicam que sua capacidade de entregar as correspondências dentro do prazo se esgotará em um ano e meio.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, deu prazo de seis meses para que a direção dos Correios defina o modelo pelo qual deverá colocar a CorreiosLog no ar – se pela compra de empresa já existente ou criação de uma nova empresa – e aprove o plano de negócios, de forma que a subsidiária comece a operar até o primeiro semestre de 2012.

FONTE: Correio

NOTA DOS CORREIOS:

Com relação à matéria “Correios investirão até R$ 1 bi para criar aérea com aviões da Embraer”, publicada pelo jornal O Globo na sexta-feira, dia 20 de maio, os Correios esclarecem que não houve ainda nenhuma decisão, por parte da empresa, sobre a compra de aviões e tampouco sobre o valor que será investido ou o fornecedor. A ECT, inclusive, continua realizando normalmente e com sucesso as licitações para contratação de linhas da Rede Postal Noturna, para transporte aéreo de carga. Como empresa pública e transparente, os Correios divulgarão à imprensa e à sociedade brasileira informações sobre o assunto quando realmente houver definição.

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DrCockroach
DrCockroach
9 anos atrás

O objetivo da parceria dos Correios com a Embraer é reduzir custos, incentivar a indústria nacional e gerar empregos. ???? deu prazo de seis meses para que a direção dos Correios defina o modelo pelo qual deverá colocar a CorreiosLog no ar – se pela compra de empresa já existente ou criação de uma nova empresa – e aprove o plano de negócios Dois ministros influentes (AP e FP), com suas respectivas empresas de “consultoria”, jah se colocaram a disposicao p/ “acelerar” o processo das empresas interessadas. Eh o despachante.**express: “Cansados de burocracia? Cansados da competicao? Cansados de se preocuparem… Read more »

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

A principio pareçe uma otima ideia, com a criação de empregos tanto na empresa nova como na Embraer em um seguimento com crescimento consistente, favorecendo as ambas as partes e desenvolvendo a industria local.

Mas se tratando do Brasil, não se tem o beneficio da duvida, é preciso acompanhar de muito perto tudo isso.

Mas teoricamente as coisas parecem ter sido feitas da melhor forma, vamos aguardar.

Abraços,

Giordani RS
Giordani RS
9 anos atrás

Eu acredito que há muito, mas muito tempo a EBCT já devia ter a sua própria empresa aérea, ainda mais em se tratando das dimensões desse país. Se está no caminho certo? Sim, está, ainda mais depois da última gestão, que só serviu para o eterno aparelhamento dos partidos políticos… Duas coisas é preciso que a sociedade civil observe bem; 1º – O C-390 não deverá estar pronto em 2012; Daí vão continuar os contratos com cias aéreas? As mesmas que nem sobre o burundi ou zamunda poderíam voar? 2º – O eterno aparelhamento pelo estado. Tudo o que a… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

“Já está certo que a estatal vai comprar aviões da Embraer, com prazo de dois anos para entrega, para fazer a subsidiária decolar.” Não há versão cargueira de nenhuma das aeronaves da Embraer, como é de praxe nesse mercado. Entre outros motivos, p/ aproveitar a economia de escala proporcionada pela comunalidade da logística, c/ as aeronaves transportadoras de passageiros. “O objetivo da parceria dos Correios com a Embraer é reduzir custos, incentivar a indústria nacional e gerar empregos.” Vc não reduz custo algum, adquirirndo uma aeronave sem escala e que necessitará de infra-estrutura diferente, daquela já usada pelo mercado. Acho… Read more »

Nick
Nick
9 anos atrás

Para o KC-390 é uma boa noticia, se vier mais encomendas.
Para os Correios, uma empresa de entregas nos moldes de uma UPS pode ser uma boa, se for gerida profissionalmente. E isso significa não operar com custos maiores que seus concorrentes. Se a Embraer conseguir fazer desse KC-390 um cargo com custos competitivos aos convertidos de passageiros, ae sim seria uma boa aquisição.

[]’s

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Em outras épocas, como foi feito com o CAN tudo bem mas hoje em dia e para os grandes centros e cidades acho desenecessário. Uma licitação para estimular a concorrência e conseguir os melhores preços/serviços usando frotas terceirizadas seria melhor. Problemas de regiões pouco habitadas onde não há viabilidade econônomica é outra estória, teria outro tratamento; mesmo assim pelo que sei no Brasil não há cidades que não são atendidas pelos Correios. Prefiro, a princípio, ver o sucesso do KC390 como uso militar e depois o desdobramento de versões civis.

Observador
Observador
9 anos atrás

Pois eu creio que a grande perdedora desta aventura política – além do povo, é claro – que é montar uma empresa de cargas áereas para a ECT, será a EMBRAER. Além de ter seu nome ligado as maracutaias do partido aliado encastelado nos Correios, a EMBRAER se arrisca a perder um bom dinheiro na conversão de um cargueiro militar em uma cargueiro civil. Sim, porque não vai bastar pintar o avião de azul e amarelo, não? E tudo para 15 aeronaves? Onde ficaria a economia de escala? Ou a versão civil do KC-390 sairá muito cara, prejudicando a ECT… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

“Se a Embraer conseguir fazer desse KC-390 um cargo com custos competitivos aos convertidos de passageiros, ae…”

Mais fácil seria fazer um competidor p/ o A-320Neo, o 757 ou até p/ o novo ac da Boeing, que sucederá ao 737.
Pq usar cargueiros derivados dos transportadores de passageiros, é justamento a batida que o mercado toca.