Índia segue ‘a todo vapor’ para finalizar acordo de caças de US$ 10,4 bilhões

    125
    20

    Segundo reportagem do jornal ‘The Times of India’, publicada já na madrugada desta segunda-feira, 23 de maio, a Índia está indo a toda velocidade para assinar ‘a mãe de todos os acordos de defesa’ por volta de dezembro, rejeitando as reclamações dos que foram postos para fora do concorrido programa MMRCA (aeronave de combate multitarefa de médio porte), de 10,4 bilhões de dólares.

    O objetivo é garantir que as entregas dos 126 caças comecem a partir de dezembro de 2014, para conter a rápida erosão da vantagem de combate da Força Aérea Indiana. De fato, atas fontes da defesa disseram que planos estão em marcha para basear o primeiro esquadrão MMRCA no setor oeste, mais provavelmente em Ambala, por volta do final de 2015.

    Os primeiros 18 jatos virão em ‘condição de operação’ (fly-away condition) diretamente do grande fornecedor – apenas Eurofighter Typhoon (EADS) e o francês Rafale (Dassault) restaram na competição – finalmente selecionado para o projeto.

    Os lotes seguintes dos 108 caças, a serem fabricados na Índia pela Hindustan Aeronautics (HAL) após transferência de tecnologia, serão progressivamente baseados em locais relevantes, com foco especial na fronteira leste com a China.

    Segundo uma fonte, ” o primeiro caça construído na HAL deverá sair da linha de produção em dezembro de 2016. Subsequentemente, a HAL entregará seis jatos por ano, o que deverá crescer mais tarde para 20 por ano. No final, a HAL conseguirá absorver 85% da tecnologia.”

    Com os planos claramente colocados, o Ministério da Defesa eliminou qualquer 0potunidade de volta dos quatro caças eliminados, os F/A-18 ‘Super Hornet’ ( Boeing) and F-16 ‘Super Viper’ ( Lockheed Martin) dos EUA, o sueco  Gripen (Saab), e o russo MiG-35 ( United Aircraft Corporation).

    Com apenas o Typhoon e o Rafale em consideração após a ‘penosa e transparente’ avaliação técnica e de voo, o comitê de fiscalização técnica ( Technical Oversight Committee – TOC) e o  comitê de avaliação de compensações técnicas (Technical Offsets Evaluation Committee – TOEC) do ministério da defesa estão, agora, trabalhando para entregar seus relatórios em breve.

    Deveremos estar prontos para abrir as propostas comerciais do Typhoon e do Rafale em julho”, disse a fonte. Em sequência, levará mais um mês para determinar a oferta mais baixa (lowest bidder – L-1) devido às “enormes verificações matemáticas e de dados” sobre os ciclos de vida para operar os jatos por um período de 40 anos. As negociações comerciais com o ofertante da L-1 começarão então antes que o contrato final esteja pronto para assinatura, em dezembro.

    Perguntadas sobre as questões que os ofertantes eliminados estão levantando, as fontes disseram que apenas o Rafale e o Typhoon foram considerados cumpridores de todos os 643-660 atributos técnicos ou ASQRs (air staff qualitative requirements  – requerimentos de qualidade do quadro aéreo)  previstos para atender aos requerimentos operacionais específicos da Força Aéra Indiana.

    A fonte disse que “nossos pilotos de teste voaram 222 surtidas e mais de 270 horas nos seis caças, em condições climáticas diversas na Índia e no exterior. Cada ofertante foi informado do desempenho de seus jatos em cada estágio… Eles não têm razão para reclamar”.

    Mas e sobre o fundamental radar AESA (varredura eletrônica ativa), que atualmente está operacional apenas nos caças dos EUA? O Ministério da Defesa disse que as ASQRs não “requerem um radar aesa em uso”. Em vez disso, os ofertantes tinham que demonstrar “uma plataforma modelo de radar em voo ou em bancada de testes, o modelo completo funcionando em laboratório e como ele seria integrado” no MMRCA indiano. “Cinco caças, incluindo o Rafale e o Typhoon, atingiram esse requerimento”, disse a fonte.

    De maneira geral, o Ministério da Defesa e a Força Aérea Indiana estão confiantes que há “suficientes salvaguardas” inseridas no projeto, que incluem “logística baseada em desempenho” para garantir que a Índia “receba a melhor máquina, peças de reposição e apoio ao produto”.

    FONTE: The Times of India (tradução, edição, adaptação e destaques em negrito: Poder Aéreo)

    FOTOS: Armée de l´air (Força Aérea Francesa) e Eurofighter

    Subscribe
    Notify of
    guest
    20 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    LuppusFurius
    LuppusFurius
    9 anos atrás

    O preço mais baixo dos caças mais caros?
    Sonia e Carla, vamos trabalhar meninas.Olha a propin……,digo ,olha a qualidade do “melhor caça”.
    Bem vamos lá,40 anos de serviço estará voando em 2060, caças projetados em 1980………bom, muito bom…….será que os nossos Mike também estarão voando?

    Nick
    Nick
    9 anos atrás

    Esse contrato vai dar um grande alívio ou para a Dassault ou EADS.

    Se considerarmos que os F-18 E e F-16 tem AESA operacionais e os 2 finalistas tem AESA em desenvolvimento/entrando em produção, sobra para o Gripen ou MIG-35 a falha nessa área.

    Vamos aguardar Julho….

    []’s

    Observador
    Observador
    9 anos atrás

    Humm…

    Os indianos esperam AO FINAL, absorver 85% da tecnologia do caça.

    E nós, com meros 36 aviões, vamos absorver o quê?

    Qual dos seis aviões não cumpriu o requisito do rada AESA? O Gripen ou o MIG-35?

    Eu acho que o último.

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    Também acredito que o Mig-35 não tenha preenchido o tal “requisito AESA” mas, se levarmos ao pé-da-letra o que diz o MMRCA, o Rafale e Thypoon também não preenchem, somente os caças americanos. E nos próximos dois ou três anos, desses quem não tem já deverão estar operando-o. E se o conceito de caça leve e caça pesado variam, o que mais variou nessa concorrência, que para mim agora se mostra um teatro mesmo, foi o conceito de menor preço. Tal critério foi detonado pois ficou como já citado aqui: ficaram os caças mais caros, sem AESA, e será escolhido… Read more »

    edcreek
    edcreek
    9 anos atrás

    Olá,

    Se o quesito preço for colocado a prova, o Rafale leva….

    E cada vez mais me pareçe que o NG nunca passou de um prototipo que nunca vai existir, pareçe evidente que o radar deles não funcionou.

    Ele chegou a ser desclassificado no meio de 2009(ou 2010?) e depois reitegrado depois de ter feito alguma versão as pressas, a noticia foi dada aqui mesmo no poder aereo.

    Abraços,

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    Sobre o radar AESA do Gripen NG foi divulgado aqui também:

    http://www.aereo.jor.br/2010/07/26/teste-sar-do-radar-raven-do-gripen-ng/

    Não encontrei sobre o Mig 35, mas não quer dizer que não exista algo.

    E que eu saiba, o fato de ser demo ou protótipo não era critério eliminador/desabonador pois senão, nem teriam entrado na concorrência. Aliás, muito melhor para quem exige TT pois podem participar de mais etapas e mais efetivamente.

    Mesmo porque, aceitam que os radares AESA no Rafale e Typhoon sejam demo ou protótipos.

    E outras incoerência estão relatadas/debatidas recentemente:
    http://www.aereo.jor.br/2011/05/17/mmrca-eliminados-podem-contestar-decisao-da-iaf/

    DrCockroach
    DrCockroach
    9 anos atrás

    The Indian Air Force evaluation team has become the first non-Swedish pilots to fly the Gripen Demo from the front cockpit. The IAF team has done a larger envelope of flying with the technology demonstrator of the Next Generation of Gripen in Sweden and will be shortly arriving in India for completion of phase 3 of the flight evaluation trials.The Gripen Demo was flown with a fully operational AESA radar
    http://www.gripenindia.com/2010/04/iaf-first-foreign-airforce-to-fly.html

    []s!

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    E o Gripen NG não foi eliminado do MMRCA e depois voltou. Mesmo porque isso não existe a não ser que fosse cancelado tal MMRCA e feito um outro. O que ocorreu: http://www.aereo.jor.br/2010/03/09/e-o-gripen-ng-nao-foi/ “…Ainda segundo o site, o Gripen NG não foi enviado porque a Força Aérea da Suécia decidiu adquirir o novo modelo do caça da Saab e ordenou uma série de modificações no demonstrador. Desta forma, a agência de certificação aeronáutica da Suécia ordenou uma série de testes no avião antes que o mesmo possa deixar o espaço aéreo sueco para se dirigir à Índia. ..” Resolvido o… Read more »

    DrCockroach
    DrCockroach
    9 anos atrás

    e complementando o Antonio M : Saab secured a last-minute approval from the Swedish government to deploy the demonstrator for RIAT and Farnborough. “This gives us the unique opportunity to bring the aircraft to the UK during the Swedish summer holiday break,” says Lennart Sindahl, head of the company’s Aeronautics business unit. With the current gap in flight testing, the NG’s prototype Raven 1000P active electronically scanned array radar has been removed following the aircraft’s return from India, and is now with Selex Galileo in Edinburgh, Scotland. http://www.flightglobal.com/articles/2010/07/20/344681/farnborough-gripen-ng-to-fly-in-for-show-debut.html []s! P.S.: nao me parece que o MMRCA selecionou o Rafale e… Read more »

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    Meu comentário anterior ainda aguarda moderação, provavelmente por ter dois link e que mesmo sendo aqui do blog, deve ter parado no filitro então, coloco agora apenas um: Srs editores, por favor podem deletar o anterior, obrigado! ————- Sobre o radar AESA do Gripen NG foi divulgado aqui também: http://www.aereo.jor.br/2010/07/26/teste-sar-do-radar-raven-do-gripen-ng/ Não encontrei sobre o Mig 35, mas não quer dizer que não exista algo. E que eu saiba, o fato de ser demo ou protótipo não era critério eliminador/desabonador pois senão, nem teriam entrado na concorrência. Aliás, muito melhor para quem exige TT pois podem participar de mais etapas e… Read more »

    Vader
    9 anos atrás

    edcreek disse:
    23 de maio de 2011 às 9:47

    “Ele chegou a ser desclassificado no meio de 2009(ou 2010?) e depois reitegrado”

    Caro Edcreek, não minta, até onde sabemos quem foi eliminado do MMRCA foi o Rafale, que voltou depois de rasgação de calcinha francesa:

    http://www.aereo.jor.br/2009/04/16/rafale-eliminado-na-india/

    Sds.

    Vader
    9 anos atrás

    Quanto à notícia em si, ponham uma coisa na cabeça: o Rafale já foi escolhido, e a continuação da competição é só para manter as aparências de que a escolha será “técnica”:

    http://vaderbrasil.blogspot.com/2011/05/politico-indiano-diz-que-sonia-gandhi.html

    Saudações.

    DrCockroach
    DrCockroach
    9 anos atrás

    Mais uma boa noticia p/ os nossos amigos franceses, o Rafale estah mais perto de ser vendido aos EAU:

    http://www.dubaichronicle.com/2011/05/22/hh-sheikh-mohammed-bin-zayed-held-talks-with-french-president-nicolas-sarkozy/

    O principe da foto eh quem realmente decide o assunto, eh ele e ponto. Na India eu achava que as chances do Rafale eram pequenas, mas nos EAU sempre achei que o Rafale era o favorito. Serah que desta vez erro tb ou acertei?

    Esta venda me parece mais interessante que a da India, e tb terah desdobramentos comerciais importantes, o que eh exigencia dos EAU.

    E os mirages irao p/ …

    []s!

    DrCockroach
    DrCockroach
    9 anos atrás

    Apenas p. registro. Desde a independencia dos EAU, os sheikhs somente uma vez receberam a visita de um presidente americano, foi Bush jah no fim do mandato.

    Perdi a conta de tantas vezes que o Sarkozy visitou os Sheiks p/ vender o Rafale. O Nosso Ex-Guia ficaria com inveja da badulacao. E, entre nos, badulacao pode nao funcionar muito p/ alguns, mas p/ outros funciona um pouco.

    Continuo preocupado com os mirages; qual serah o destino deles?

    []s!

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    DrCockroach disse:
    23 de maio de 2011 às 11:47

    Entendi bem sua preocupação com o destino. E outro grande problema, para nós contribuintes, é se convencerem de que precisam ser modernizados aos moldes do que farão na Índia, ao custo de US$ 46 milhões a unidade.

    É capaz que consigam “convencer” nossos políticos…rsrsrsrsr!!!!

    LuppusFurius
    LuppusFurius
    9 anos atrás

    DrCockroach e Antonio M
    Com nossos ‘Cérebros” politicos, teremos Mirages à preço de Rafale , e Rafale à preço de três Raptor.
    Como digo…… Dinheiro é azeite, onde passa “amoloce” tudo…!!!

    edcreek
    edcreek
    9 anos atrás

    Olá,

    Amigos apesar de não ter sido desclassificado, pelo prazo de envio da aeronave a coisa foi feita as pressas.

    A desclassificação dele apesar do “menor preço” evidencia isso, apesar da torçida dos camaradas.

    Abraços,

    edcreek
    edcreek
    9 anos atrás

    Complementando:

    O radar do Rafale já é fabricado em linha desde 10/2010 para 2014 vai estar “tinindo”…

    Abraços

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    Pois é mas, voar com o AESA os próprios pilotos indianos voaram com ele no Gripen NG em 2010 também. Não se esqueça que Rafale e Typhoon voaram com protótipo desse radar igualmente ao Gipen: aereo.jor.br/2010/04/22/gripen-e-noticia-de-novo/ “…Eddy de la Motte, Diretor do Gripen para a Índia, confirmou que pilotos indianos testaram o Gripen NG Demo com radar AESA há duas semanas. Os pilotos fizeram cerca de 10 voos na aeronave, em Linkoping….” Mas pelo jeito a questão do radar de um ou de outro estar operacional não foi determinante pois operacional de verdade somente nos F16 e F18 oferecidos, então… Read more »

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    Só mais um link! rssrsr!!!

    E esse se auto-descreve como “WEB´s authoritative source on India´s security and strategic affairs”.

    SELEX Galileo’s RAVEN AESA radar supporting Gripen NG weapon system

    http://www.indiandefence.com/forums/f7/selex-galileo%92s-raven-aesa-radar-supporting-gripen-ng-weapon-system-248/