domingo, janeiro 16, 2022

Gripen para o Brasil

Boeing retoma contato

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Empresa começa aproximação com o Brasil visando garantir a compra de 36 caças para a FAB

Brasília – Otimista com a possibilidade de uma reviravolta na concorrência F-X2, que definirá a compra de 36 caças para a Força Aérea Brasileira (FAB), a empresa norte-americana Boeing já começou o trabalho de aproximação com o governo Dilma. Nesta semana, o vice-presidente da empresa para desenvolvimento de negócios nas Américas, Europa e Israel, Joe McAndrew, veio ao Brasil para retomar os contatos com altos militares da FAB e com empresários de São Paulo. Durante passagem pela capital, ele trouxe mais uma vez a mensagem de que os Estados Unidos estão, de fato, dispostos a transferir tecnologia para o Brasil. McAndrew garantiu que não há qualquer risco de que essa decisão seja revertida.

Segundo ele, isso ficou evidente na decisão do Congresso norte-americano de autorizar a venda dos caças ao Brasil, em setembro de 2009, sem que a compra tivesse sido definida – uma postura rara, já que essa autorização geralmente só é feita um mês antes da assinatura do contrato. O executivo da Boeing também destacou o fato de a autorização ter resistido aos desentendimentos mais recentes entre o Brasil e os Estados Unidos, como na questão do programa nuclear do Irã. ´Mesmo com essas divergências, o Congresso dos EUA não ameaçou retirar ou embargar a autorização`, disse ao Correio Braziliense/Diario.

McAndrew considera que a visita dos senadores republicanos John McCain e John Barrasso, no início do mandato de Dilma Rousseff, ajuda a reforçar o compromisso dos parlamentares, inclusive da oposição, com a oferta de transferência de tecnologia do governo Obama. E a visita do próprio Obama ao Brasil, anunciada para março deste ano, é vista com ainda mais otimismo pelo representante da Boeing. ´É um sinal muito positivo de que a relação bilateral está ficando mais forte`, afirma McAndrew. A expectativa do executivo é de que a compra dos caças seja um dos temas principais debatidos no encontro entre Obama e Dilma.

O novo governo pediu aos três concorrentes – Boeing, a francesa Dassault e a sueca Saab – que confirmem as propostas e os preços ofertados durante o mandato de Lula. A Boeing, no entanto, declarou já estar estudando uma forma de tornar a proposta mais atraente, o que pode significar, inclusive, uma redução no preço da oferta. (Isabel Fleck)

FONTE: Diário de Pernambuco / COLABOROU: Latino

- Advertisement -

42 Comments

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo

Os gringos vão chegar com o FMS e dedo no olho ai vamos ver se o amor a SAAB é real.

Paulo José

Que vença os SH!!!A FAB agradeçe.

Paulo

LATINO

Tambem concordo que o vespão seria uma boa e ainda tão analizando um desconto maior .
Hehe o tio sam não joga pra ´perder não .

sds

asbueno

É Rodrigo, vamos ver no que dá se isso ocorrer. Aí volta a discussão em relação a opinião de algumas pessoas aqui do Blog: um mix Hi-Lo. Sim, existe a questão de custos mas também devem ser consideradas as oportunidades que um negócio deste tipo acarretaria. teriamos um avião de grande “pegada” que nos daria uma presença de vulto em 4-5 anos e outra de pegada média para um pouco mais além. Agradariamos os “colegas” do norte (tanto pela compra do SH pelo que há de embarcado nos NG). É claro que tudo (independente do mix) deveria vir acompanhado de… Read more »

Vader

asbueno disse: 27 de janeiro de 2011 às 13:39 Prezado Bueno: 1. Não haverá hi-low. Parceiro, se tivermos algum caça já será muito. Hi-low, agora? Not so soon son… 🙂 2. Não haverá aumento de verbas. Na verdade, a tendência é diminuir e depois estabilizar num valor mais baixo do que o de hoje. Vai ser muito, muito punk pra FAB voar os seus SH. Quem paga US$ 3.000 na hora-vôo, passar a pagar US$ 10.000 não é moleza. Vai ter fabiano levando marmita de casa por muito tempo… Mas ainda dá pra voar. Ainda que um pouco menos horas… Read more »

asbueno

Vader disse: 27 de janeiro de 2011 às 14:29 Sim vader, concordo. Todavia, se tudo ocorrer conforme você descreveu (e é muito provavel) somente irá demonstrar que a END etc etc etc são apenas um pouco mais de retórica, coisa de políticos fracos. E, óbvio, não vale apenas para a área de defesa. Se dissermos que a educação precisa ser em tempo integral, com professores ganhando o dobro e cobrados de forma razoável e prédios com salas de aula, laboratórios e bibliotecas decentes (ou que existam de fato!), dirão (os políticos) que é muito gasto, que não há verba etc… Read more »

Observador

Senhores, O Obama não vem ao Brasil à toa. Se fosse para passear, ele teria incluído outros países da América Latina no roteiro. Os EUA vão abaixar o preço do SH e dar contrapartidas irrecusáveis pelo avião deles. Parece que vai se decidir pelo SH mesmo. Acho muito difícil que os franceses revertam a situação, por mais que esperneiem. Quanto ao Gripen NG, embora o seu projeto seja o mais adequado ao país (seja pelo custo da célula, seja pelo custo do seu uso e manutenção), dependendo das contrapartidas da maior economia do mundo, será preferível escolher o SH. As… Read more »

Vader

asbueno disse: 27 de janeiro de 2011 às 15:02 “somente irá demonstrar que a END etc etc etc são apenas um pouco mais de retórica, coisa de políticos fracos” Hehehe, caro Bueno, mas você honestamente tinha alguma dúvida que a tal END e os “Braço-Forte” / “PAEMB” da vida não valem o papel que foram escritos? 🙂 Meu caro, isso aí, esse circo todo, só foi armado pra ganhar a eleição. No final vai ter só o absolutamente inadiável e olha lá: os subs da MB, os blindados do EB e os caças da FAB. E olha lá, porque esses… Read more »

Rodrigo

Amigos, vcs já se perguntaram para quantas células no mínimo é este custo do NG? Vou repetir: Sueco não é mágico e nem tem fábrica em outra dimensão, se o NG ficar com nro de células baixo, não existe custo baixo e não me venham com a palhaçada que a SAAB ou o reino da PQP, irão cobrir este rombo eternamente. Se os dados e valores que a SAAB passa fossem sólidos, o NG já teria clientes. Volto a cobrar que tenham os mesmos questionamentos que vcs tem com a Dassault, que tenham com a SAAB. Quem muito oferece e… Read more »

Tadeu Mendes

Amigos, voces estao pintando um quadro pessimo para o Brasil hein. Nao existe dinheiro para cacas, para a END, para o Programa Braco Forte e nem para o PAEMB. Para que serve o dinheiro que o Brasil tem??? Toda essa grana e para a Bolsa Familia (Compra votos), somente???? Entao essa estoria de que o Brasil ja esta a caminho de se tornar a setima economia mundial foi balela. Estou fora do Brasil ha muitos anos (26 anos), mas o que escuto e/ou leio sobre o pais, e de que a Nacao brasileira se tornou um Global Player e uma… Read more »

tplayer

“Observador disse:
27 de janeiro de 2011 às 15:13
Senhores,

O Obama não vem ao Brasil à toa. Se fosse para passear, ele teria incluído outros países da América Latina no roteiro. Os EUA vão abaixar o preço do SH e dar contrapartidas irrecusáveis pelo avião deles.”

Pra mim ele vem é bater o martelo para a entrada do Brasil no projeto e compra do F-35. O projeto está precisando de mais grana, e o Brasil precisa de uma aeronave.

Observador

Tplayer: O F-35 não é aquilo tudo que dizem. É mais ou menos como um marreco: voa, anda e nada. E faz tudo de forma sofrível. O F-35 é igual. – Já estão abandonando a versão “B” de decolagem vertical corre o sério risco de ser cancelada. O projeto tem sérios problemas com o trem de pouso, dentre outros problemas; – Já se discutiu muito que a capacidade “Stealth” do aparelho é bem limitada em comparação com o F-22 e seria muito restrita em determinados ângulos (o avião só é invisível ao radar se estiver com o bico apontado para… Read more »

tplayer

Observador, eu não estou torcendo, só digo que é isso que irá acontecer.

Para mim o Brasil iria de Gripen NG pelos próximos 30 anos. E quem sabe teríamos um Brasileiro “6G”.

Wilson Giordani de Souza

Obama vem aí olê olê olá / Super Hornet é o que há lá lá lá lá…

Agora, sério, a Dassault está na mesma posição que Napoleão perdeu… quer dizer… esse comentário também não foi sério…

Eu tenho uma pergunta para o pessoal:

Quais as perspectivas, para vocês, dos projetos Gripen NG e Rafale no caso de derrota no FX-2?

Imagino que a Boeing não vá sentir nem cócegas… já a Saab e a Dassault…

[]s

tplayer

Wilson, a Saab ainda pode conseguir algo na India.

Já a Dessault…

Baschera

Observador disse:
27 de janeiro de 2011 às 15:13

“O Obama não vem ao Brasil à toa. Se fosse para passear, ele teria incluído outros países da América Latina no roteiro.”

Na verdade, Mr. Obama tem, nesta viajem, roteiro composto de visitas oficiais ao Brasil, Chile e Rep. Dominicana.

Sds.

Baschera

Itália e Brasil no topo da lista de parceiros potenciais para o FX da Turquia Qui, 27 de Janeiro de 2011 13:39 Por Bekdil Gee Burak e Enginsoy Umit Publicado em: 23 de janeiro de 2011 Ancara – As autoridades turcas estão em busca de parceiros estrangeiros para ajudar a construir o primeiro caça a jato do país e provavelmente deve iniciar conversações com a Alenia Aeronautica da Itália com a Embraer do Brasil, disseram altos funcionários da área de compras familiarizado com o programa FX turco. “Esperamos que a TAI, a empresa aeroespacial turca, abra negociações com ambos os… Read more »

tplayer

Olha ai, quem sabe o FX Turco seja o caminho para os nossos novos caças. Claro que vai demorar, mas do jeito que as coisas estão não é de se estranhar que o Brasil embarque nessa.

Rodrigo

Baschera disse:
27 de janeiro de 2011 às 20:49

Não consigo nem imaginar, o que alguém que usa o F35, vá construir em conjunto com Brasil e Itália, algo que os deixe estrategicamente gringos free.

Vader

Tadeu Mendes disse:
27 de janeiro de 2011 às 16:31

É Tadeu, pra vc que está longe, o Brasil hoje em dia é aquela história: por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento… 🙂

Abs.

Vader

Observador disse: 27 de janeiro de 2011 às 17:40 “O F-35 não é aquilo tudo que dizem. É mais ou menos como um marreco: voa, anda e nada. E faz tudo de forma sofrível.” Prezado Observador, vou discordar do amigo. E explico: “Já estão abandonando a versão “B” de decolagem vertical corre o sério risco de ser cancelada. O projeto tem sérios problemas com o trem de pouso, dentre outros problemas; Na verdade, o problema já foi solucionado, e o F-35B já voltou nos trilhos: http://vaderbrasil.blogspot.com/2011/01/f-35-b-mostra-progressos-com-cinco.html No mais meu amigo, a menos que o Tïo Sam tenha como jogar fora… Read more »

Observador

Amigo Vader: Sobre os problemas do F-35 b, realmente não sabia que foram solucionados. Da última vez que li a respeito, foi dado o prazo de dois anos para que tais problemas fossem solucionados. Ou o projeto teria que ser abandonado. Pelo que lembro, o problema era o trem de pouso. O Harrier pesa (vazio) 6 toneladas e o JSF pesa 11 toneladas. Em razão deste peso todo, o trem de pouso e a estrutura de suporte do último não aguentavam o impacto da aterrisagem. Daí reforçavam os dois, o peso da aeronave aumentava e o problema persistia. Pelo que… Read more »

Tadeu Mendes

Vader, Belissimo comentario, voce sabe do que esta falando meu caro. Se tiver algum lugar para eu assinar embaixo, o farei com prazer. Observador, Por que deveriamos exigir que um caca com esse tivesse um autonomia tao grande quanto os F-16s. ???? Digamos que autonomia seria muito util em voos oceanicos e transcontinentais; ou seja mover do ponto A para o ponto B. Ate ai chegamos. A autonomia dos F-35B, e mais que suficiente para operacoes de protecao do Grupo de Batalha, superioridade aerea no TO dos USMC e/ou ataque na zona costeira do adversario. Essas operacoes mencionadas acima, estao… Read more »

Observador

Tadeu: Nada do que escrevi é invenção (pelo menos, não minha). Inclusive, a maior parte destas “invenções” foi matéria deste Blog. Se o F-35 é esta nave espacial, por que a Inglaterra, a itália e Dinamarca estão pulando do barco? Custo X Benefício. Sempre. O que quis mostrar é que enfrenta problemas no seu desenvolvimento e para fugir da “síndrome do marreco”, ele vai ter que achar a sua verdadeira “vocação” e vai acabar sendo especializado. O fato é que é um projeto caro, para um avião caro e de manutenção cara. Vai ser uma rainha do hangar americana para… Read more »

Tadeu Mendes

Caro Observador, Nao foi com intuito de ofender ao companheiro do blog. Nao disse que seu comentario foi invencao sua e nem desmereco pelo fato de nao ser um especialista; o que tambem nao sou. Sou um generalista. Procuro me informar e/ou aprender diversas coisas dentro de uma mesma area, mas tambem nao sou especialista. O F-35 devera ser um excelente vetor. Mas para a FAB, tambem concordo contigo que nao deveria ser adquirido se for para ser rainha de hangar. Sou a favor dos SH para a FAB como um vetor de deterrencia, mas tambem defendo a aquisicao dos… Read more »

Observador

Caro Tadeu: Agora eu fiquei constrangido. Reli o que escrevi e, realmente, o texto passa a impressão de que tivesse me ofendido. Não se preocupe. Não foi esta a idéia que quis passar. O que quis passar é que este espaço, para ser realmente profícuo, precisa ser multidisciplicar. Se apenas os especialistas colocassem suas opiniões aqui, o debate seria árido e sem graça. O que desejei foi colocar que a minha opinião expressa a visão de um civil, membro da iniciativa privada e, que por ter acompanhado como são tomadas as decisões nas empresas (sérias) do país, acaba tendo uma… Read more »

Observador

Ops!
“…precisa ser multidiscipliNar…”

Vader

Observador disse: 28 de janeiro de 2011 às 12:20 “Em razão deste peso todo, o trem de pouso e a estrutura de suporte do último não aguentavam o impacto da aterrisagem.” Grande Observador, olha só: esse problema no trem de pouso (rachaduras, e não um afalha crítica) foi detectado na aeronave para testes em solo (basicamente um “mock-up” melhorado), e apenas nela. Como é que funciona este teste: uma aeronave é presa a um elevador e atirada inúmeras e inúmeras e inúmeras vezes de determinadas alturas, quando então se avaliam os danoss estruturais. São feitos testes em condições muita duras… Read more »

Vader

Observador disse: 30 de janeiro de 2011 às 3:09 “Se o F-35 é esta nave espacial, por que a Inglaterra, a itália e Dinamarca estão pulando do barco? Custo X Benefício. Sempre.” Grande Observador, olha só (o F-35 não é nave espacial): 1. A Inglaterra não está “pulando fora do barco”. Apenas trocou a versão que utilizará em seus futuros PAs, do F-35B para o C. A Inglaterra é Partner Level One do Projeto JSF, aliás a única, ou seja: o F-35 é DELA! Ela não irá abandonar o projeto. 2. A Itália também não “abandonou” o barco, até porque… Read more »

Tadeu Mendes

Vader,

O amigo se esqueceu que Israel ja encomendou 20 F-35???

E provavelmente serao os primeiros a usa-los em combate.

O F-35 e um projeto extraordinario, e portanto complexo e demorado; mas sem duvida alguma, sera um caca magistral.

Tadeu Mendes

Caro Vader,

To sabendo que os F-117 andam fazendo seus voos em certas areas do globo. Hehehehe.

A nave foi recentemente reativada para certas missoes

Guilherme Poggio

Tdeu Mendes disse:

To sabendo que os F-117 andam fazendo seus voos em certas areas do globo. Hehehehe.

É o que alguns acreditam

http://www.aereo.jor.br/2010/10/15/o-nighthawk-vive/

Vader

Tadeu Mendes disse: 31 de janeiro de 2011 às 17:08 Grande Tadeu, esqueci não, até coloquei acima, no comentário ao amigo Observador: “E temos Israel, que não é bobo nem nada, que já adquiriu F-35, para demonstrar que não é o caso.” Na verdade, para mim a maior prova de que o F-35 é um fantástico avião foi a aquisição por Israel, com CINCO anos de antecedência! O Tio Sam é grande! Tem reservas! Tem gordura! Os inimigos estão longe! 🙂 Israel não. Israel não pode se dar ao luxo de brincar com defesa: o país é pobre e o… Read more »

Observador

Vader, Você é um verdadeiro Lorde Sith. Incansável e implacável. Com o seu uso do lado negro da força (ou da Força?) sinto seus dedos apertarem lenta e inexoravelmente a garganta de meus argumentos… rsrsrsrs. Puxa, é muita informação para debater – ou rebater – de uma vez só. Acho melhor tomar um caminho diametralmente oposto para expor o que acho. Com o desenrolar das décadas e das gerações de aviões militares, foi ficando cada vez mais difícil, complexo e caro produzir um avião. Até a Segunda Guerra eram várias fábricas por país. Com o advento da guerra fria (creio… Read more »

Vader

Observador disse: 31 de janeiro de 2011 às 19:26 Bem meu caro Observador, estamos de acordo em muita coisa. Apenas não acho que “quem decide este tipo de investimento não olha se o equipamento é bom ou não; ele só olha os cifrões”. Não acredito nisso: acho que o cifrão é o que mais preocupa o político, mas a preocupação do militar é exatamente a oposta: não tá nem aí pro cifrão, e sim pra qualidade do equipamento. Nos países realmente preocupados com defesa o político e o militar entram em acordo e definem o que é melhor para o… Read more »

Ivan

Os amigos andaram discutindo alcance, autonomia ou “range” dos caças monopostos da Lockheed/Martin. É um debate frustrante, pois cada fabricante, cada publicação e cada especialista compara de uma maneira. Esta falta de uniformidade, conveniente para os fabricantes, impendem uma comparação clara dos vetores. Assim sendo, passei a observar como primeiro parâmetro a capacidade interna de combustível, depois a capacidade (se houver) do tanque conformal e só então dos tanques sub-alares. O programa JSF – Joint Strike Fighter criou uma aeronave multifunção stealth que deve, obviamente, operar sem tanques externos, apesar de ter esta capacidade. Esta é mais uma razão para… Read more »

Ivan

Lord Vader,

Existe uma aeronave americana que foi um sucesso comercial, usado por quase toda a OTAN, mas que teria desempenho duvidoso frente aos ágeis MiG-17 e MiG-21 soviéticos.

Foi o F-104 StarFighter.

Concebido dentro de parâmetros errados, como um interceptador de curto alcance, para decolar e subir como um ‘foguete’ para interceptar os bombardeiros soviéticos, era pouco manobrável e teria dificuldade para o dogfighter com os deltas de sua época, Mirage III inclusive.

Já o F-4, um caça soberbo, tinha a força bruta para compensar… e seus pilotos souberam tirar proveito disso.

Abç,
Ivan.

Ivan

Quanto ao F-117 podemos dizer que nunca foi ‘ F ‘, nunca foi Fighter, sendo esta nomeclatura um possível engodo. Só não sei se era para enganar os soviéticos/russos ou para engana o Congresso Americano… he he he 🙂 Mas creio que seria claramente um ‘ A ‘ de Attack, como foi o robusto A-6 Intruder. Seriam a versão ‘moderna’ dos antigos bombardeiros leves (bimotores) da II Grande Guerra. Usar ‘ F ‘ de forma questionável é um costume na US Air Force. Basta observar os F-105 Thunderchief e F-111 Aardvark, verdadeiros caça-bombardeiros que poderiam facilmente ser enquadrado como bombardeiros… Read more »

Tadeu Mendes

Vader,

Eu posso estar ate enganado, mas eu acho que o PAK-FA foi concebido para combater os F-22.

Mas no caso do F-35, os mesmos sao demasiadamente avancados no espectro tecnologico, e penso que levariam outros 15 anos ou mais para a Russia criar um novo caca capaz de enfrentar os F-35.

Ja a China com o seu J-20 de Isopor….kkkkkkkkkkkkk.

Vader

Ivan disse: 31 de janeiro de 2011 às 23:42 Ivan, ótimos dados, obrigado por enriquecer o debate. ____________ Tadeu Mendes disse: 1 de fevereiro de 2011 às 1:27 Tadeu, o PAK-FA ainda é um caça concebido sob os parâmetros da Guerra Fria, como você disse, para combater o F-22. Ainda está naquela de agilidade, manobrabilidade, velocidade final, etc., etc., etc… coisas que qualquer míssil de 5a geração supera facinho… Mas falar o que dos russos? Eles sempre estão pelo menos uma década atrás de onde estão os americanos mesmo… 😉 Quanto ao J-20, não é um caça. É um caça-bombardeiro:… Read more »

Observador

Senhores, Por um lado, fico contente por ajudar para que a discussão no blog volte a pegar fogo. Por outro lado, é uma tristeza: ficamos discutindo o avião dos OUTROS porque o nosso FX-2 está cada vez mais murcho. Sobre o F-35, respeito TODOS os argumentos apresentados em favor do avião. Porém, com exceção das minhas hipóteses conspiratórias de que os EUA colocaram o mundo a correr atrás de uma tecnologia para a qual eles já tem contra-medidas plenamente desenvolvidas, todo o resto sobre o F-35 não é de minha lavra; a grande maioria foi inclusive colhida neste blog, como… Read more »

Tadeu Mendes

Observador,

Seus argumentos, duvidas e teorias conspitarorias sao formam um prato forte para um bom debate. Rsrsrsrsrs.

Israel gosta de rechear seus cacas americanos, com suite eletronica israelense. Eles tem seus motivos. Motivos esses que nao podem ser discutidos tao abertamente.

La em Israel, Santo de Casa faz milagre. Rsrsrsrsrs.

Pelo que estou sabendo, a IAF vai usar eletronicos israelenses na base do plug and play.

O Pentagono ainda nao abriu a caixa de Pandora eletronica do F-35 para ninguem. Nem mesmo para o seu mais importante aliado: Israel.

Últimas Notícias

A noite em que 21 OVNIs foram perseguidos por caças da Força Aérea Brasileira

A BBC Brasil publicou extensa matéria sobre a famosa "Noite Oficial dos OVNIs" no Brasil. A seguir, publicamos os...
- Advertisement -
- Advertisement -