Home História da Aviação Há três anos Dassault entregava o último Mirage

Há três anos Dassault entregava o último Mirage

856
71

O dia 23 de novembro de 2007 representa uma data muito importante para a França e para a companhia Dassault. Naquela data o último caça Mirage 2000 produzido pela empresa francesa era entregue para o seu usuário final. A Força Aérea da Grécia recebia o seu derradeiro Mirage 2000-5 Mk 2. Encerrava-se assim a longa linhagem de caças da família Mirage.

Em 25 de junho de 1955 voou o primeiro avião da família Mirage, o Mirage I. Foi necessário um pouco mais de um ano para que a aeronave evoluísse para o Mirage III. Depois de mais algumas modificações, uma pré-série de dez aeronaves Mirage IIIA foi aprovada. O Mirage IIIA começou a fazer história quando tornou-se o primeiro caça europeu a superar a velocidade Mach 2.

A aeronave de produção recebeu o nome Mirage IIIC e voou em 1960. A Força Aérea Francesa encomendou 95 Mirage IIIIC que permaneceram em atividade até 1988. Pouco tempo depois a Força Aérea de Israel faria a sua encomenda de caças Mirage IIIC. As primeiras aeronaves chegaram em 1964 e desde então fizeram história atrás de história no Oriente Médio.

Mas a versão de maior sucesso comercial foi o Mirage IIIE e suas variantes. O Mirage III deu origem também a uma variante de reconhecimento (IIIR) e outra de ataque ao solo (Mirage V). O projeto cresceu, ganhou mais um motor e mudou de função Assim nasceu o bombardeio estratégico Mirage IV.

Modificações feitas pelos israelenses originaram as variações Nesher, Dagger e Finger, mas a maior modificação sobre o projeto original deu forma ao IAI Kfir.

Depois do sucesso dos deltas veio o convencional Mirage F.1 que, segundo alguns especialistas, foi o “melhor dos mirages”. Em paralelo ao desenvolvimento do F.1, a Dassault criou a série Mirage G com o propósito de avaliar os efeitos das asas de geometria variável.

Na década de 1970 surgiu um novo caça francês com asas em delta e equipado com o que havia de mais moderno em termos de tecnologia aeronáutica da época. Este avião recebeu o nome Mirage 2000 e revelou-se outro sucesso de mercado, com mais de 600 unidades vendidas.

Em paralelo ao desenvolvimento do Mirage 2000 a Dassault financiou o projeto Mirage 4000, mas que não obteve apoio do Estado francês e nem recebeu propostas do exterior.

Entre o término da construção do primeiro Mirage I e o término da construção do último Mirage 2000 passaram-se 52 anos de muito trabalho, evolução e e desenvolvimento. A linhagem Mirage pode se orgulhar de ter construído uma boa parte da história da aviação de caça moderna.

Subscribe
Notify of
guest
71 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Madvad
Madvad
9 anos atrás

Dizem que a Arábia Saudita mostrou MUITO interesse no MIrage 4000. ela queria um caça bimotor, de alto desempenho, e a Dassault começou estudos para criá-lo.

O avião voou, começaram-se os testes, os EUA interviram, os sauditas deram pra trás, e abraçaram o Eagle.

Joker
Joker
9 anos atrás

Parabens a Dassault sempre criando otimos caças! Como expoente maximo a familia Mirage!

Almeida
Almeida
9 anos atrás

Realmente uma pena terem desistido do Mirage 2000 em prol do Rafale. Essa decisão estratégica irá determinar o futuro da Dassault.

Rodrigo Avelar
Rodrigo Avelar
9 anos atrás

O Rafale foi um tiro na culatra para Dassault. Estragaram todo mercado que haviam conquistado através dos Miragens…

Pena que os Miragens ficaram caros de se manter, pois ainda são belas Maquinas e com modernizações batem de frente com os F-16.

Giordani RS
Giordani RS
9 anos atrás

Se o Mirage F.1 é o melhor de todos, imaginem o Mirage F.2! Como tería sido…

Dizer que a Da$$ault errou ao projetar o Rafaele é no mínimo desconhecer a história do Rafaele. É preciso entender o período do mundo na qual o projeto foi concebido. O que atrapalhou(e vai continuar atrapalhando) o Rafaele é a moeda única Europeia…

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

A França/Dassault errou sim.

Investiu pesado e sozinha em detrimento de um consórcio, por causa do sucesso do Mirage que pensaram repetir com o Rafale, como se fosse algo natural, e quebraram a cara.

Muito caro de aquisição e principalmente manutenção e sem maiores novidades em relação ao concorrentes.

Mac
Mac
9 anos atrás

Na verdade, os EUA vêm sabotando os negócios da Dassault, em virtude de possuírem um maior poder de fogo pelo tamanho de seu mercado. Dessa forma só restará a França armar a Venezuela, Irã e Coréia do Norte.

poorman
9 anos atrás

Se o Sr.FHC tivesse “cojones” e dado inicio ao FX-1, hoje 10 anos depois teríamos aberto na Embraer a linha deste fantástico avião, com certeza com muitos potenciais compradores (veja JF-17 e similares). Naturalmente a evolução da linha produção para o Dassault Rafale, e naturalmente, sua evolução o Neuron. Hoje temos que queimar etapas, gastar bilhões. Nada tira o atraso tecnológico, principalmente da noite para o dia. Qual a quantidade de mão de obra formada desde o FX-1 (Engº. aeronáuticos, desenhistas, operadores de linha, etc.)? Quantas partes produzidas em solo brasileiro ? Quais tecnologias absorvidas pela indústria nacional que poderiam… Read more »

Mac
Mac
9 anos atrás

Eu ainda acho que o Rafale poderá ser um sucesso, depois que confirmar a venda para o Brasil, novas vendas serão mais fáceis de ser concretizadas.

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Se o governo FHC não tives “cojones” para privatizar a Embraer, hoje em dia nem Super Tucano e R99 teriamos, a não ser que fossem comprados de prateleira.

Os atuais governantes teriam aparelhado a estatal, e como não é a Petrobrás que sobrevive graças ao preço do barril de petróleo a US$100 e por vender uma das gasolinas mais caras do mundo, a Embraer já teria morrido a um bom tempo …….

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

E se a tal sabotagem americana nos negócios franceses fosse assim tão verdadeira, nunca a França teria conseguido vender 600 Mirages e ter como parceiro comercial a Líbia.

Aliás, a própria França não seria alinhada aos EUA, votando contra o Irã na questão nuclear e indo contra o seu novo “grande parceiro estratégio” o Brasil….

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

“…Podem meter a ripa no atual governo e em seu ministro, mas não me recordo de um plano ambicioso para 30, 40 anos. Por falar em plano, nunca tivemos a cultura de planejar. …” Queria ver planejamento do governo LuLLa se o mesmo fosse subsequente aos governos Sarney e Collor. Sarney e os 80% de inflação ao mês e depois de vários planos econômicos fracassados e Collor com seu confisco desnecessário que causou gande instabilidade política e social. Pegar o país nos trilhos com inflação sobre controle e outras medidas como a lei de responsabilidade fiscal é bem mais fácil.… Read more »

Carcará
Carcará
9 anos atrás

Um caça lendário! Sem dúvida uma referência para evolução tecnologia de vetores de combate no mundo. Se a argentina tivesse um míssil a altura em seus Mirage III e Dagger na guerra das Malvinas, a coisa ficaria muito complicada para os Britânicos na época. Importante observar o que a combinação: Treinamento+Mirage III pode proporcionar a Israel nos combates contra alguns países Árabes nas décadas de 60 e 70. Sem falar ainda os Mirage F1 do equador nos combates aéreos contra o Peru na década de 90. Parabéns pela matéria.

Alex
Alex
9 anos atrás

que plano ambicioso, que vc esta falando ?

Fabio ASC
Fabio ASC
9 anos atrás

Quantos Mirages foram produzidos no total?

Nick
Nick
9 anos atrás

Realmente lamento a Dassault ter desistido do Mirage 2000, se trocasse o motor por um EJ-200 por exemplo, usassem materiais compostos em maior escala para diminuir o peso e aumentar a furtividade, atualizasse o radar por exemplo o RBE PESA, ainda seria uma excelente aeronave.

[]’s

Sérgio Araújo
Sérgio Araújo
9 anos atrás

Mas que caças delta são lindos são.

Mas se os Mirrages são/eram caros de serem mantidos, por que os Rafales não são tão vendidos ?

RtadeuR
RtadeuR
9 anos atrás
penso o msm q vc pensa velho amigo
9 anos atrás

estorio de modificações e modernizações até chega no potênte e efissiente morage 2000 que é o mas moderno na força aerea brasileira

Vader
9 anos atrás

Realmente, mais escala e evolução no M-2000 e ele seria sucesso internacional até hoje. Mas assim são os franceses: largam o cliente com o produto na mão e encerram a linha para investirem em outro.

Só que no Rafale eles quebraram a cara.

Yasser
Yasser
9 anos atrás

O Vader falou uma coisa interessante. Trabalho em uma empresa francesa e eles possuem uma mentalidade exatamente assim… descontinuam um produto bastante receptível no mercado e simplesmente lançam um outro bem diferente. O Mirage é um caça espetacular. Uma pena a França descontinuar o produto. Poderiam seguir desenvolvendo o Mirage e transformá-lo num caça “barato” em sua linha e atender o mercado de paises emergentes. Lembrem-se que não é só o Brasil que busca independencia de tecnologia norte americana, mas vários outros paises tb buscam. Acho que a Dassault perdeu um excelente nicho para ser explorado. Coisa que vejo a… Read more »

ZE
ZE
9 anos atrás

O maior erro dos franceses foi ter descontinuado o Mirage. Este produto foi um sucesso internacional ! Eu não intendo como os franceses foram cometer o erro de querer fazer um vetor sozinho. Taí o resultado: vetor caro de se comprar, de se manter, com problemas de peças de reposição, e que NUNCA FOI EXPORTADO ! Muito possivelmente, o Rafale está se tornando o maior fracasso da história aeronáutica militar francesa !!!!!!! Era preferível continuar com a linha de produção do Mirage aberta e lançar produtos aperfeiçoados (como se faz com o F-16). Agora, já gastos 40 Bilhões de Euros,… Read more »

luiz otavio
luiz otavio
9 anos atrás

lindo vídeo postado plo Rtadeur

para quem não viu imagens do Mirage IV, vejam, também era lindo.

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Madvad disse: 24 de novembro de 2010 às 0:12 O Eagle já estava pronto e operacional na época, mas Israel pressionava para venderem Eagles a Arábia Saudita… Então eles arrumaram este papo de patrocinar o M4000, ai os gringos sentaram com os Israelenses fizeram alguma troca com eles e os sauditas pegaram o Eagle. No fim todos ganharam e para não perder o hábito os franceses sentaram. ———————————————————————— Os franceses perderam um senhor nicho de mercado retirando o M2000 de produção.. Agora é tarde… Para o M2000 ainda existe um promissor mercado de upgrades… Os franceses perderam o mercado de… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Ops.. para não venderem.

Ricardo_Recife
Ricardo_Recife
9 anos atrás

O Mirage 2000 foi descontinuado. O F-16 continua vendendo bem. Os franceses fizeram bobagem, agora é engolir o prejuízo.

Zorann
9 anos atrás

Pensando da mesma forma que alguns comentaristas, eu pergunto:

Não seria interessante a FAB encomendar um estudo à Embraer sobre a viabilidade de um caça Lift e para treinamento baseado numa nova versão do A-1? Os AT-26 estão sendo retirados de serviço e esta opção poderia ser muito interessante, conseguindo inclusive mercado na América Latina. Se não me engano a alguns anos a Venezuela demonstrou interesse na compra de AMX para treinamento.

Zorann
9 anos atrás

digitei meu nome errado kkkk

Esdras
9 anos atrás

Na pratica o M-2000 se alguem quizer eles fabricam, mas os caras desistiram de ofertar o produto, que foi um grave erro, porque em muitos casos o M-2000 é mais atrativo do que o Rafale.

Sabre
Sabre
9 anos atrás

Os probes de reabastecimento tanto do Mirage quanto o do Rafale são muito proeminentes, se é para ter probe a mostra é preferivel ter um como o do A-4KU Skyhawk II que a Marinha comprou alinhados com o nariz do caça!

Zavva
Zavva
9 anos atrás

Este Mirage 2000 gregos foram para atender um pedido feito em 2000 se não me engano.

Chico AMX
Chico AMX
9 anos atrás

Amigos, recebi de um amigo, o plano simplificado da FAB do PEMAER, feitas pelo Brigadeiro Nicácio…. e lá pelas páginas 15 e 16 intitulada “VISÃO ESTRATÉGICA”… eis que aparecem 2 caças ilustrando! adivinhem quais são!

Para o espanto de alguns e nem tanto de outros:

M2000 e Rafale!

Seria isso um sinal da real preferência da Força? ou apenas um deslize? ou, na minha opinião, de que a FAB quer um caça, e considera, de fato, as 3 opções satisfatória!?

Sds!

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Tem todo tipo de slide..

Tem apresentação da MB ou da FAB, não me lembro ao certo com o Typhoon na capa…

Putz…

O Brasil vai entrar no programa do Typhoon e ainda desenvolver a versão naval!

Pelo menos usaram aquela montagem mal-feita do Rafale com as cores da FAB ?

Nick
Nick
9 anos atrás

Caro ChicoAMX,

Atente para a página 57: Os 3 estão lá 🙂

http://www.planobrasil.com/wp-content/uploads/2010/11/Estado_Painel1_Aeronautica_BrigNicacio2.pdf

Caros editores, seria interassante publicar esse pdf, que é um resumão do Plano Estratégico da FAB, muito elucidativo….

[]’s

grifo
grifo
9 anos atrás

Off topic, mas apenas para complementar, o PEMAER completo está em:

http://www.fab.mil.br/portal/docs/pemaer.pdf

Luiz Paulo
Luiz Paulo
9 anos atrás

RtadeuR disse:
24 de novembro de 2010 às 9:07

Comprei esse filme meio sem querer, mas gostei pra caramba. A trilha sonora e as cenas são demais. A história também foi bem feita. Pra mim melhor que Top Gun.

Sds.

Aurio A. Terloni
9 anos atrás

Cade o post sobre o patrocinio?

Chico AMX
Chico AMX
9 anos atrás

Pois é Nick… mas o estranho, é pq a FAb, que segundo muitos, não quer o rafale, perde a chance de excluir o caça de suas “pretenções”… pelo menos as gráficas! rsrsrsrs

Sds!

Fabio ASC
Fabio ASC
9 anos atrás

Ninguém respondeu pra mim….. 🙁

RolandTFlackphayser
RolandTFlackphayser
9 anos atrás

O M4000 talvez fosse uma melhor opção do que o Rafale já que se tratava de uma variação de um projeto mais maduro como o Mirage.

J. Claro
J. Claro
9 anos atrás

rtadeur: bonito vídeo. realmente foi um desperdício a interrupção do mirage. mas acho que ainda esse ano sai a decisão e o rafale continua mais firme do que nunca. e de nada adianta relatórios do fbi nem nsa ou outra qualquer. na verdade, depois da invasão do iraque com relatórios falsos a credibilidade desses relatórios da inteligência americana ficou meio que comprometa. aliás, digo isso sem que prá isso eu seja um anti alguma coisa. se a escolha recair sobre o f-18 ficarei feliz da mesma forma. os americanos do norte são mentores intelectuais de várias máquinas fantásticas, mas existe… Read more »

Giordani RS
Giordani RS
9 anos atrás

“Fabio ASC disse:
24 de novembro de 2010 às 8:16
Quantos Mirages foram produzidos no total?”

Tá…não chora…”gugou”…

O Dassault Mirage III…foi produzido em diversas versões e adquirido pelas forças aéreas de vinte países num total de 1.422 unidades construídas.

O Dassault Mirage F1…sendo adquirido pelas forças aéreas de onze países num total de mais de 700 unidades construídas.

M2000 = 653 unidades

Nick
Nick
9 anos atrás

Caro ChicoAMX, Eu entendo assim: O histórico de pós vendas franceses, mais o risco da operacionalidade (custo de manutenção maior) , fazem se não a FAB inteira, pelo menos a maioria não preferir o caça francês. Mas se ele vier será muito melhor do que termos só F-5EM voando em 2020. E se a ToT for Irrestrita mesmo, deveríamos iniciar já o plano de copiar o SPECTRA, o REB2 AESA e o SNECMA M88-2, e colocar no catálogo de exportações de produtos como fazem os chineses ! Queria ver a cara dos franceses vendo seus segredos sendo vendidos por nós… Read more »

Asimov
Asimov
9 anos atrás

Sem encomendas -> Sem desenvolvimento -> Perda de competitividade -> Fim da produção.

“Recent Developments. Because of a lack of new orders, Dassault officials indicated early in 2006 that the production line for the aircraft would shut down as the company completed production on the remaining four Mirage 2000 fighters ordered by the Greek Air Force.”

http://www.forecastinternational.com/Archive/ma/ma0111.doc

André Luis
André Luis
9 anos atrás

Fosse a Dassault mais esperta e hoje estaria com um dos caças mais populares do mundo, uma espécie de F-16 genérico, mas com garantia de alta tecnologia, se diferenciando no preço, que é o principal argumento de venda. Uma série continua de aperfeiçoamentos na aviônica, radar, sistema de armas e afins permitiria que todos os operadores mantivessem seus Mirages atualizados. Garantindo um mercado cativo e com reais chances de crescimento. Isso possibilitaria até mesmo ter fluxo de caixa para desenvolvimento do Mirage 4000, que também seria uma alternativa àos caças americanos e russos. Ou seja, hoje eles poderiam estar nadando… Read more »

Asimov
Asimov
9 anos atrás

O Mirage 2000 foi um bom caça, mas exportou “apenas” 300 unidades contra mais de 2.000 F-16.

Na própria Europa, a Grécia foi o único cliente. Mesmo assim, o caça mais numeroso daquela força aérea é o F-16.

O Mirage 2000-5, tirando os 37 para a França, vendeu apenas 80 unidades (Taiwan, EAU e Grécia). Esse é o número de F-16 Block 60 adquiridos pelos EAU.

Almeida
Almeida
9 anos atrás

Imaginem agora se tivéssemos encomendado os Mirage 2000-5 BR lá no FX-1… Provavelmente ainda teríamos a linha de produção aberta, pelo menos aqui no Brasil. Poderíamos estar competindo com a Dassault pelo mercado de aeronaves mais baratas, contra Lockheed-Martin e Saab. Poderíamos absorver os Mirage 2000-9 dos EAU sem problemas, já que teríamos condições de fazer a manutenção e planejar o desenvolvimento futuro deles. Poderíamos ter 120 aeronaves na FAB que não deixam a dever em nada para os F-16 C/D chilenos e Su-30 MKK venezuelanos. Cmm a possibilidade de modernizá-los com radares AESA, IRST e novos armamentos e aviônicos.… Read more »

Almeida
Almeida
9 anos atrás

Asimov, refaça suas contas, apenas para Taiwan foram 60 Mirage 2000-5, mais 30 novos para os EAU (com mais 33 modernizações de Mirage 2000 B/C para 2000). Só aí temos 90 unidades.

E realmente não tem como comparar as vendas de nenhum país com as dos EUA, isso é o que fazem de melhor por lá…

Yasser
Yasser
9 anos atrás

Asimov, mas isso foi depois dos americanos jogarem PESADO com os F-16s. Eles baixaram bem o preço do F-16 para desbancarem os Mirages, fizeram diversas compras casadas e se não bastasse fizeram bastante lobby com politicos. O Mirage era uma excelente alternativa para paises que não queriam vetores norte americanos. Independente do Brasil ficar com os Rafales, eles poderia absorver por uma excelente promoção os 80 Mirages-9 do EAU. São os mais modernos do mundo e ainda tem mtos anos a frente de utilização. Lembre-se que nossos pilotos já estão aptos a voar no M2000. Seria só uma questão de… Read more »

Asimov
Asimov
9 anos atrás

Para ser preciso, foram vendidos 119 Mirage 2000-5/9 novos como tal:

Taiwan: 60 Mirage 2000-5
Catar: 12 Mirage 2000-5
EAU: 32 Mirage 2000-9
Grécia: 15 Mirage 2000-5

O restante foram versões antigas convertidas:

França: 37 Mirage 2000C -> Mirage 2000-5
Grécia: 10 Mirage 2000EG -> Mirage 2000-5
EAU: 30 Mirage 2000EA -> Mirage 2000-9