sexta-feira, junho 24, 2022

Gripen para o Brasil

Modernização do pod designador de alvos ‘Sniper’ a caminho

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A Lockheed Martin informou na última segunda-feira, 13 de setembro, que recebeu um contrato da USAF (Força Aérea dos EUA) para modernizar o data link atual do pod designador avançado de alvos Sniper. O valor divulgado do contrato é de 13 milhões de dólares.

A modernização consiste em um aprimorado data link (enlace de dados) compacto multibanda digital (Compact Multi-band Data Link – CMDL), que deverá expandir as capacidades atuais de enlace de dados de vídeo do pod, permitindo a transmissão digital de imagens em alta definição e de metadados entre tripulações e tropas terrestres, em alcances estendidos.

Segundo a empresa, a capacidade de enlace de dados de vídeo está em todos os pods Sniper que apoiam operações militares dos EUA, e tem se provado de grande ajuda para inteligência “não tradicional”, vigilância e reconhecimento para forças terrestres, reduzindo o prazo de engajamento para apoio aéreo aproximado. A modernização do CDML aumenta a consciência situacional de longo alcance no campo de batalha, assim como a coordenação e confirmação positivas de alvos, ao mesmo tempo em que protegem do inimigo  as transmissões ar-terra.  

O  CMDL comunica-se ininterruptamente com a família ROVER de estações de terra, incluindo o ROVER 5, portátil. Essa modernização segue-se à do software S3.5 dos pods Sniper operacionais em aviões F-16 Block 30/40/50, A-10C, F-15E e B-1. A arquitetura modular do pod permite atualizações em campo (field-level retrofit) e facilita uma disponibilidade de 98%.

Já operacional no CF-18 (designação do Hornet canadense), Harrier GR7 e GR9 (britânicos), a expansão da plataforma Sniper ATP continua no B-52, Tornado e Typhoon, com futuras expansões planejadas para outros modelos de aeronaves, incluindo as não tripuladas.

FONTE / FOTOS: Lockheed Martin

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

6 Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
juggerbr

B-52? Para uso de qual arma?

Drcockroach

“Lockheed Martin has asked us if we are interested in integrating the Sniper on the Gripen. You could say we were a little surprised. We do compete with Lockheed Martin on different campaigns, but at the same time this is not a usual situation. It just means that Sniper can be used with the Gripen,” Nilsson said. http://www.defensenews.com/story.php?i=4547991

In conclusion: Sniper on Gripen too! 🙂

Mauricio R.

“B-52? Para uso de qual arma?”

Paveway LGB, por exemplo.

Bosco

juggerbr,
Também serve para as JDAM e WCMD, contra alvos de oportunidade, como no caso de apóio tático e interdição.
Embora não sejam guiadas por laser as JDAM e as WCMD podem ter seus alvos determinados pelo pod que consegue extrair as coordenadas geográficas de um alvo e passá-las às bombas.
Também o casulo é muito eficiente para descobrir novos alvos e para “mirar” melhor bombas não guiadas.

Gbeck

Com certeza, Bosco. Sem esquecer também da AGM-154 a famosa JSOW, que está se encaminhando para ser a arma stand-off padrão para as 3 forças (USAF, Navy e Marines), com diversos tipos de submunições diferentes. Ela é guiada por GPS e lançada de 15 a 40 milhas do alvo, dependendo da variante utilizada. Daí, quanto mais preciso for o pod, melhor para a arma, no que a modernização do Sniper é muito bem vinda neste caso. Abraços.

Vplemes

Enquanto isso a jaca voadora tem como designador de alvos um M-2000 e um par de binóculos, e isso depois de 23 anos de desenvolvimento do programa rafale.

Últimas Notícias

VÍDEO: Colaboração Real 4 – Episódio 15 – O Comando de Preparo

A implementação de um sistema como o Gripen Brasileiro, gera um grande desafio para os profissionais que conduzem esse...
- Advertisement -
- Advertisement -