domingo, maio 22, 2022

Gripen para o Brasil

Colômbia assina declaração de intenções na participação do programa KC-390

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

FAC poderá adquirir até 12 aeronaves

O governo colombiano manifestou a intenção de comprar 12 aviões de transporte militar KC-390, desenvolvido pela Embraer em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB).

Uma declaração de intenções sobre a participação do país vizinho no projeto de desenvolvimento e produção do cargueiro foi assinada nesta quarta-feira durante o encontro do ministro da Defesa, Nelson Jobim, com seu colega colombiano Rodrigo Rivera – que acompanha a visita ao Brasil do recém-eleito presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Os dois governos discutirão como será a participação da Colômbia no programa, o que pode acontecer pela implantação de uma fábrica de peças usinadas no país.

Na semana passada, o Chile manifestou o interesse em participar do projeto e comprar seis aeronaves. Incluindo a possível encomenda da FAB, as intenções de compras do jato militar já somam 46 aeronaves, informou a Embraer.

Em nota à imprensa, o vice-presidente executivo da fabricante brasileira na área de defesa, Orlando José Ferreira Neto, afirma que o desenvolvimento de um pólo de competência aeronáutica na Colômbia fortalecerá ainda mais a cooperação entre as bases tecnológicas e industriais de defesa dos dois países.

FONTE: Valor onLine

- Advertisement -

23 Comments

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

Bem uma coisa é certa: o Brasil está se aliando aos países certos neste projeto: Portugal, Chile e agora Colômbia.

Nada de bolivarieca falido e que não respeita palavra assinada.

Fábio Mayer

Vader,

Quanto a isso fico tranquilo. Para os bolivianos, aviões ainda são coisa do outro mundo. E para Hugo Chaves e a Venezuela, é impossível entrar em um programa assim, porque os fornecedores norte-americanos de peças e componentes teriam que cair fora. Cuba, Coréia e demais ditaduras comunistas então…

Daniel Rosa

Bem, fico na expectativa de Portugal, Africa do Sul….. de grão em grão a galinha enche o papo hahahahaha!!!

Tysock

Uma boa notícia, mas quería ver a Colômbia injetando $ no desenvolvimento…carta de intenção é muito bonita até mudarem os governos…
A FAC é um cliente em potencial…um crime de lesa pátria não terem vendido um único AMX para eles…mesmo com todo o auxílio dos EUA, eles carecem enormemente de poder aéreo…a meia dúzia de Kfir´s e nada, é capaz do nada ser mais útil…agora, é de dar inveja nos helicopteros de combate e transporte de tropas que eles receberam dos EUA…

Antonio M

Poderiamos ter fechado o Gripen com a Suécia e este país também participar do KC390.

Mas são apenas sonhos, nada mais ….

Nick

Parabéns a Colômbia e a Força Aérea Colombiana!

Agora vamos ao que interessa:

28 Brasil/FAB
06 Chile/FAC
12 Colômbia/FAC
12 França/AdlA (Carrinhos- de- mão)
——-
58 KC-390 até agora, aguardando África do Sul, Portugal e Argentina(será??)

[]’s

Antonio M

E cito a Suécia pois já comentaram sobre sua necessidade em substituir antigos C130 e o projeto da Embraer poderia vir a calhar ….

Elenilson

Antonio M disse:
2 de setembro de 2010 às 12:47
E cito a Suécia pois já comentaram sobre sua necessidade em substituir antigos C130 e o projeto da Embraer poderia vir a calhar ….

Sim, eles vão trocar sua frota de C-130, mas com certeza por um projeto da saab….

Fernando Fidelis

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Alguem explica ai como a embraer vende mais um aviao de carga
do que a dassalt vende um caça

se analisarmos que geralmente uma força area é constituida por apenas algumas dezenas de avioes de carga e centenas de caças kkkk fica feio para a dassault hein.

Guilherme

Fernando, a dassault vendeu mais de 120 caças Rafale, só que só foi para a França. Ficou meio sem sentindo esse comentário seu, sendo que ainda estamos perdendo em números de vendas.

Leandro

Ótima notícia para a EMBRAER, com certeza o KC-390 será um grande sucesso de vendas.
Espero ainda a aquisição desse avião de nações como México, África do Sul, Argentina e Peru.

roberto bozzo

e o EB não vai encomendar o KC390 ?? ou não haveria serventia ao EB??

Mauricio R.

“Alguem explica ai como a embraer vende mais um aviao de carga…”

A Embraer não vendeu nada ainda, é somente mais um país que pretende sabe se lá qndo, comprar essas aeronaves.
É somente mais um país interessado no bolo, agora se vai contribuir p/ a farinha, os ovos e o leite, vai saber???

Vader

roberto bozzo disse:
2 de setembro de 2010 às 18:45

“e o EB não vai encomendar o KC390 ?? ou não haveria serventia ao EB??”

Prezado Roberto, o EB não tem pilotos de asa fixa. É a FAB quem pilotará os KC-390 para potencializar a força de projeção do EB.

Sds.

roberto bozzo

Vader, agradeço a informação, mas não seria mais vantajoso ao próprio EB operar sua aviação de asa fixa ? vc não acha esta “dependência” da FAB limitante a atuação do EB ? eu, particularmente, acho… todo o transporte de média e longa distância, de maquinário, etc, com tal dependência…

Fabio ASC

Roberto concordo com vc, lembro os FN que junto com o EB têm paraquedistas além do que vc citou como necessário para o EB ter.

Outros países que eu gostaria de ver no programa, ou só comprando mesmo: Índia, Paquistão, Inglaterra, Angola, Argélia, e alguns outros da África.

Daniel Rosa

roberto bozzo disse: 2 de setembro de 2010 às 20:38 Vader, agradeço a informação, mas não seria mais vantajoso ao próprio EB operar sua aviação de asa fixa ? vc não acha esta “dependência” da FAB limitante a atuação do EB ? eu, particularmente, acho… todo o transporte de média e longa distância, de maquinário, etc, com tal dependência… Bom dia Roberto. O EB não tem autorização para operar aviação de asa fixa, estando suas operações centradas em helicópteros. A FAB detinha o “monopólio” de utilização de aeronaves de asa fixa. Os Trackers operados no antigo Minas-Gerais eram da FAB.… Read more »

roberto bozzo

Acredito que a embraer esteja no caminho certo e, com o tempo, fechará mais vendas do KC 390, principalmente na ásia.
Mas acho que além do KC, o EB deveria ter aeronaves de transporte pesadas, para locomoção de longas distâncias… mudando rapidamente de assunto, talvez não seja o local adequado e peço desculpas antecipadamente, mas há a previsão do EB adquirir helis de ataque dedicado ? alguém tem alguma informação sobre isso ?

marialva

Amigos tentando apenas ajudar, poderei afirmar que a intenção de compra de Portugal, a confirmar-se será sempre entre 6-8, num prazo de entregas de até 2-3 anos. Posso informar também que já foram publicados esta semana, em Diário da República os contratos de investimentos, entre o estado Português, as OGMA e a Embraer, relativos aos investimentos a realizar nas novas fábricas da Embraer em Portugal. Só por si este já é um sinal de que Portugal está dentro do barco do KC390, para não sair e seguir em frente. Gostava de deixar aqui os mais sinceros desejos de bons voos… Read more »

roberto bozzo

Daniel Rosa, desculpe a falha, bom fim de semana a vc também…

Daniel Rosa

roberto bozzo disse: 3 de setembro de 2010 às 18:56 Daniel Rosa, desculpe a falha, bom fim de semana a vc também… Não há o pq de se desculpar Roberto. Compartilho da sua visão! Acho que o EB deveria sim ter uma frota cargueira, talvez para missões táticas, deixando as estratégicas por conta da FAB… assim como acho que nossos Fuzileiros deveriam ter esquadrões de caças, blindados pesados, e nossa Marinha pelo menos 3 porta-aviões, cada um com capacidade para no mínimo 60 aviões. A Marinha tem planos para contruir 2 até 2030, e de adquirir pelo menos 48 caças…… Read more »

roberto bozzo

Daniel, aí já discordo um pouco de sua visão… não acho que os fuzileiros deveriam ser uma “quarta força” (como nos EUA), mas sim trabalhar em conjunto com a aviação de asa fixa (FAB e marinha)…
na marinha eu gostaria de 4 PA de médio porte, com uns 40 aviões no máximo, e o SP como treinador e/ou porta helis (aí sim transferido aos fuzileiros, se for o caso)…

Daniel Rosa

Bem, é uma questão de opinião Roberto, e sem sombra de duvidas respeito a sua. Acho que em certos cenário, o Brasil vindo a se envolver na politica mundial como pretende, e sendo chamado para ajudar em conflitos em outras terras, em um dado momento nossos Fuzileiro podem vir a precisar de apoio… e estando nossa Marinha já com sua aviação empenhada, penso que seria melhor que eles contassem com sua própria força. Mas isso é só um devaneio da minha parte hahah…
Um abraço.

Últimas Notícias

Operação Rimon 20: Caçadores israelenses versus caçadores soviéticos

Sérgio Santana O fim da Guerra dos Seis Dias de 1967 deixou as forças israelenses no lado leste do Canal...
- Advertisement -
- Advertisement -