domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Continua o desenvolvimento da nova versão do Maverick, guiada a laser

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

família Maverick - imagem Raytheon

Raytheon recebe contrato de 34,4 milhões de dólares para continuar o projeto do AGM-65E2/L

Na segunda-feira, 10 de maio, a Raytheon informou que a USAF (Força Aérea dos Estados Unidos) concedeu um contrato de 34,4 milhões de dólares para continuar o projeto da nova versão do míssil ar-terra Maverick, o AGM-65E2/L guiado a laser.

Pelo contrato, a empresa deverá desenvolver, integrar e testar a seção de guiagem e controle dessa nova versão, que deverá contar com uma cabeça de busca laser aprimorada e um novo programa (software), para reduzir o risco de danos colaterais e permitir o uso de designadores laser embarcados nas aeronaves.

Segundo a empresa, essa versão é ideal para combate urbano e alvos manobráveis em alta velocidade. O Maverick, testado em combate, está integrado a mais de 25 tipos de aeronave em 33 países, e a Raytheon espera que a nova versão esteja disponível para exportação em breve.

lançamento de Maverick - foto Raytheon

FONTE / IMAGENS: Raytheon

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Julico

Uma opção de missil para os nossos A-1 modernizados ?

ahh e por falar nisso alguem sabe dizer como anda os A-1, se jah estão em processo de modernização ??

abs

Pedro

Caro AMigo,

Achio que nossos A-1,já estão sendo espetados, antes mesmos, de nós o utilizarmos como se deveria.

Abraços.

Henrique Sousa

Vc falam do A-1 (AMX) ou do AF-1 (A-4), ou dos dois??

Aham

O FX-2 tem que ser capaz de disparar o Maverick, se não é burrice. Qual dos três é é capaz de utilizar o bicho?

Bosco

Aham, O F-18 SH e o Gripen NG podem (poderão) lançá-lo. Mas Aham, o Maverick é uma arma eminentemente tática. Acho que os F-X2 deveriam ser usados para defesa aérea e operações ar-sup de ataque. As missões de apoio tático e interdição deveriam ficar por conta dos F-5 e AMX. Esses sim se beneficiariam com uma arma como o Maverick. Henrique, Tanto o A-1 quanto o AF-1 se beneficiariam com um míssil como o Maverick. O A-1 poderia contar com a versão “D” antitanque (IIR) e o AF-1 com a versão “F” antinavio (IIR). Para os dois seria interessante a… Read more »

Bosco

Se bem que para nós a versão guiada a laser (E) pode muito bem ser substituída por bombas guiadas a laser para facilitar a logística/padronização reduzindo a variedade de armas.
O A-1 poderia ser armado com mísseis de autodefesa MAA-1B, bombas guiadas a laser, bombas guiadas por GPS (Britanite/Mectron), míssil Maverick D e míssil antiradiação MAR-1.
Os F-5 poderiam contar com as mesmas armas mais o Derby e o A-Darter.
O AF-1 com míssil MAA-1B, bombas guiadas a laser, bombas guiadas por GPS, míssil Maverick F e míssil MAR-1 (???).

Vader

Boscão, sempre achei esse Maverick um powta desperdício de recursos, pois não faz nada que uma boa bomba guiada não faça. Que vc acha?

Abs.

Edcreek

Olá,

Não considero o Maverick impressindivel, apesar dele ter duas vantagens consideraveis:

1) Maior velocidade em menos tempo para atingir alvos mais moveis;

2) Preço razoavel por ser um missel, e possuir varias versões de guiagem;

Vejo que esse missel é bom para lugares com muitos alvos em posições diferentes onde um caça teria que fazer varias manobras com bombas para acertar os alvos.

Mas no fim nada que uma JDAM(Americana) ou AASM(Francesa) não faça com um pouco mais de trabalho.

Em minha opinião claro,

Abraços,

Bosco

Vader, O Maverick foi concebido na época em que atacar a baixa altitude era o mais adequado contra alvos táticos móveis já que podia atacar de uma distância bem maior que se fosse uma bomba lançada de baixa altitude. Essa tática ainda é válida e ele ainda pode ser usado por muito tempo ainda até o conceito cair na obsolência de vez em cenários de alta intensidade e alta tecnologia. Ele por exemplo é mais eficiente que a bomba AASM guiada por IIR e dotada de foguete que foi concebida para ser usado na mesma situação. Seu envelope de emprego… Read more »

Bosco

Obs:

“Seu envelope de emprego a baixa altura contra alvos móveis sem dúvida deve ser menor.”

Me referi ao “envelope” da bomba AASM em relação ao Maverick D.

Alex Nogueira

O Super Tucano que eu saiba tem “provisões” para receber o Maverick (seja lá o que isso quer dizer, acredito que seja possível integra-lo), pois bem, eles também poderiam se valer desta arma assim como o A-1 e A-4, e numa possível versão “P-29 naval” usaria o Maverick anti-navio.

Vader

Valeu Bosco.

Brandalise

Nunao, gostei da materia, mas achei lah no 2nd paragrafo:

“Tetar” (1a linha) e “canos colaterais” (3a linha)
Seriam inovacoes desta versao do Maverick? 😀

Abs!

NOTA DOS EDITORES:
RSRSRS. “CANOS COLATERAIS” É UM VERDADEIRO MICO…
SERIAM DANOS AO ENCANAMENTO DE UMA RESIDÊNCIA ATINGIDA PELO MAVERICK?
PIOR SERIAM OS “DANOS DOLATERAIS”, OU SEJA, PREJUÍZO EM DÓLARES…
PEDIMOS DESCULPAS A TODOS. CORRIGIDO AGORA!
OBRIGADO PELO AVISO.

Brandalise

Jah fiz piores, Nunao! Verdadeiros “gorilas catilograficos”! Costumo dizer que eh culpa da 5a Besta do Apocalipse: o sono! 😀 —————————————————————– Pessoal, jah que o Maverick foi mencionado, queria aproveitar para um off-topic saudavel… Alguem se lembra de um filme (inspirado em fatos reais) onde varias irregularidades nos programas militares dos EUA eram expostas, incluindo problemas com o Maverick (tah aqui o gancho para a materia)? Era narrado como uma serie de entrevistas, e ficava claro que rolavam varias irregularidades nestes programas, como superfaturamento, concorrencias c/ “cartas marcadas”, equipamentos que nao funcionavam… Passou uma vez soh na Globo, a +… Read more »

Reportagens especiais

20 anos da Operação Tigre II em Natal

Em 1995 Natal sediou um exercício aéreo de grande importância para a FAB, mas que ficou marcado por uma...
- Advertisement -
- Advertisement -