sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

Motores de F-5 roubados na Malásia foram parar na Argentina

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

J85_ge_17a_turbojet_engine

A Agência de Notícias AFP informou na véspera de Natal que dois motores GE J85 (foto) roubados de uma base aérea na Malásia foram parar na Argentina.

Policiais da Malásia estão verificando com seus homólogos em Buenos Aires se os motores ainda estão no país.
Foi informado que vários oficiais, incluindo oficiais generais, serão interrogados por suspeita de conexão com o crime.

Quatro pessoas, incluindo três funcionários de baixo escalão, já foram presos e liberados sob fiança por suspeita de envolvimento no roubo.

O governo da Malásia está enfrentando uma tempestade de críticas devido às acusações de corrupção oficial, após o roubo dos motores. Foi dito que dois motores a jato de Northrop F-5E foram vendidos no mercado negro por oficiais militares para uma empresa sul-americana, depois de terem sido tirados de uma base aérea militar.

O chefe das Forças Armadas da Malásia disse que o roubo foi apenas a “ponta do iceberg”. Após uma auditoria concluída recentemente, revelou-se que milhões em equipamentos estavam faltando. Além dos motores, equipamentos militares e outras peças dos jatos foram roubados.

Vários países sujeitos a embargos dos EUA, incluindo o Irã, Sudão e Venezuela, têm caças F-5 que usam esses motores e precisam de peças de reposição.

O F-5 na Malásia

TUDM RF-5E

A Tentara Udara Diraja Malaysia – TUDM (Real Força Aérea da Malásia) tornou-se cliente do F-5E em 1982, quando comprou 14 aeronaves. Depois ela comprou mais 3 caças para repor os perdidos em acidentes.  A Malásia foi também a primeira compradora do RF-5E Tigereye (foto acima, 2 unidades em 1983), versão especializada do F-5E para reconhecimento tático.

O GE J85

j85

Originalmente encomendado pela USAF para equipar o drone ADM-20 Quail (que seria levado pelos B-52 para iludir a defesa antiaérea soviética), o J85 rapidamente encontrou aplicações em jatos leves, como a família supersônica Northrop F-5/T-38. Mais de 13.500 motores J85 e 2.000 CJ610 foram fabricados.

Com mais de 75 milhões de horas voadas, o GE J85 é o motor que oferece a maior relação peso/potência que qualquer outro motor produzido. É uma pena que seu desenvolvimento tenha sido descontinuado.

O J85 entrou em serviço em 1960 e mais de 6.000 motores continuam em serviço em 35 países. A USAF planeja continuar usando o J85 até o ano 2040.

Nos cortes seccionais, o J85 aparece sem e com pós-combustor (PC). As versões militares do J85 produzem cerca de 1.400kg de empuxo seco e 2.270kg de empuxo máximo com PC. Cada motor pesa de 140 a 230kg, dependendo da versão.

J85 after burner

COLABOROU: Alfeu Morais

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

4 Comments

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
viniciusmodolo

hum…………..

Agora sabemos porque os f-5 da FAB estão voando tanto…srsrssrsr

Wolfpack

Estranha esta história…Não vejo ligação nenhuma entre a Argentina o Irã, Sudão, mas sim com a Venezuela, mas quem voa SU30 não precisa de F5, e ainda têm os F16 para manter na ativa. Agora, talvez o caminho seja este mesmo para não chamar a atenção e a encomenda chegar no Irã. Ou mesmo um louco quer montar um dragster e bater o record mundial de velocidade em terra com duas máquinas como o GE J85. Conspirações… Num mundo onde se pode encomendar pela internet um SU27 porque alguém deseja um J85…

casag

Não imaginava que o pós-combustor tivesse uma vez e meia o tamanho da turbina em si. Realmente se não fosse crítico para o desempenho seria um trambolho a se descartar.

Tomcat

O que me realmente me impressionou foi a relação peso/potencia: 230kg para 2270 kg de empuxo.

230 kg para uma turbina não é nada!!!

Reportagens especiais

Embraer KC-390: um avião que carrega o desafio de conquistar muitas bandeiras

Fernando “Nunão” De Martini e Alexandre Galante (matéria publicada originalmente na revista Forças de Defesa nº 14) Na manhã de...
- Advertisement -
- Advertisement -