terça-feira, maio 11, 2021

Gripen para o Brasil

Segundo site, FAA cobrou modificações no Phenom 300

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Aeronave poderia ficar limitada a voos até 30.000 pés

embraer-phenom-300-

O site flightglobal informou que a FAA, órgão que regula a aviação civil nos EUA, cobrou da Embraer diversas exigências como condição para o jato Phenom 300 receber a certificação final. Entre as exigências estaria a limitação da aeronave para voos acima de 30.000 pés.

A FAA testou o jato em altitudes mais elevadas que as autoridades brasileiras em relação à formação de gelo sobre a aeronave, exigindo da fabricante brasileira um “anti-icing” para o bordo de ataque das asas e do estabilizador horizontal quando a aeronave voar acima de 30.000 pés. A agência norte-americana, em seu relatório técnico, informou que foi reportado a presença de formação de gelo em três ocasiões acima de 30.000 pés.

Dentre as duas opções encontradas, proibir o voo em condições de formação de gelo acima de 30.000 pés ou restringir o voo nesta altitude, a Embraer optou pela segunda opção segundo a FAA. A reportagem da Flightglobal não consultou a Embraer sobre o caso.

FONTE: Flightglobal

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

3 Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Por favor, quem souber o que é “anti-icing” para o bordo de ataque das asas e do estabilizador horizontal informe aos leigos como eu.

O problema é sério?
Ou é apenas um ajuste?
Tem solução? Fica caro ou barato
Qual a gravidade desta exigência?

Ivan.

Fernando "Nunão" De Martini

Ivan,

Conforme as situações dadas pela variação no nível de voo em grandes altitudes, gelo pode se formar nos bordos de ataque. Conforme a quantidade, isso pode prejudicar o fluxo do ar e, consequentemente, levar a perda de sustentação.

Isso normalmente é resolvido, desde muito tempo, com dispositivos pneumáticos que inflam os bordos, quebrando o gelo. Só não entendi se a aeronave os possui, mas não teriam se mostrado suficientes / adequados, ou se não os possui (o que seria estranho a meu ver). Enfim, algo a aguardar mais explicações, inclusive sobre a veracidade do que é divulgado pelo Flightglobal.

Ivan

Nunão,

Uma notícia ruim é muito mais fácil de lembrar do que dez notícias boas.
Será que a Embraer ‘vacilou’ neste ítem?

Realmente precisamos aguardar o desenrolar desta história, mas posso apostar que no futuro não muito distante a Embraer vai disponibilizar uma aeronave Phenom 300 para um ‘Flight Test’ e ainda vai anunciar na referida revista.

Abç,
Ivan.

Reportagens especiais

John Boyd, o piloto de caça que mudou a arte do combate aéreo – parte 2

Depois de desenvolver a Teoria E-M, o próximo objetivo de Boyd foi comparar os caças americanos com seus rivais...
- Advertisement -
- Advertisement -