sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

Austrália anuncia a compra do primeiro lote de F-35

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

2009-11-17 AF 1

O Governo da Austrália aprovou o programa de aquisição de $3,2 bilhões de dólares para 14 Joint Strike Fighters (JSF).

O ministro da Defesa, senador John Faulkner, disse que a decisão foi precedida por anos de avaliação e planejamento por todos os países envolvidos no desenvolvimento da aeronave.

Faulkner afirmou que o próximo lote de JSF será avaliado em 2012, de acordo com o compromisso do Livro Branco da Defesa, que planeja três esquadrões operacionais com pelo menos 72 aeronaves.

A aquisição de um esquadrão adicional, elevando o total de JSF para 100 aeronaves, será avaliada em conjunto com a futura decisão de aposentar o F/A-18F Super Hornet.

FONTE: Ministério da Defesa da Austrália

- Advertisement -

79 Comments

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Robson Br

“”$3,2 bilhões de dólares para 14 Joint Strike Fighters (JSF).””

3,2bi / 14 = 228,5mil

isto é que é rainha do hangar….

Francisco AMX

“minito” “aposentar o F/A-18…” isso que estão “contentes” com ele! 🙂 já estão pensando num lote para aposentadoria do vespão! é lógico! parece que só no Brasil tem gente que acha que o F-35 não fará o que o SH faz, fará e fará ainda melhor! SH deixa de ser produzido para a USNAVY em 2015 e deixa a ativa até 2025.. escrevam aí! em 10 anos o SH estará totalmente obsoleto! terá inimigos que nem mesmo compreenderá! e seu AESA, que será o mesmo, com alguma melhoriazinha, não farão a mínima diferença frente as novas versões dos caças Russos… Read more »

carl94fn

Grande SH em… Mas tão vendo se um pais quiser se arma, mas ser arma de verdade tem que enfiar a mão no bolso mesmo!!

Luan

Não se pode pensar no Futuro caça e ja pensam que o atual é ruim!?!?

Lamentavel.A propria frança ja tem o substituto do rafale em mente,a Russia dos Su-35.

Qualuqer coisa é motivo para muitos malharem o SH.E quanto uns malham o Rafale…os franchutes Choram.HAHAHA

abraçõs 🙂

Colt

Acho interessante que tem sempre gente do contra.
O F-35 foi o centro de uma polêmica na Austrália, alguns diziam que ele não era páreo para os Flanker da Ásia, os novos radar AESA diminuiriam a furtividade do avião e o seu alcance seria menor do que dos SU.
O que acho interessante notar é que em vez de apoiar as decisões do governo muita gente só critica.
Aja saco !

Francisco AMX

Luan, só estou falndo em substituição, nada a ver com as capacidades do SH, mas que são fraquinhas… hoje ele tem um bom radar e boas armas, mas e a hora que isso mudar? pois vai mudar! não vão deixar uma linha aberta para encarecer o F-35! já era não tem mais volta meu amigo!

sds!

Baschera

Senhores, Entendam que a LM (Lockhed Martin) sempre foi muito mais esperta que os seus concorrentes. Se a Boeing não se cuidar….enfim a concorrência é salutar. A Dassault, se não emplacar aqui… tá com o pé na cova, pois na Índia não emplaca. No entanto a notícia já era de certa forma esperada pois a Austrália já fazia parte do consócio JFS. No direção contrária, lembro o cancelamento de um esquadrão de F-35 por parte da RoyalNavy e da provável compra de outro avião em detrimento do F-35 (JSF) por parte do Canadá, mesmo sendo membro do consócio, mas a… Read more »

Ivan

Quando quiseram retirar o Rafale da provável substituição do Mirage 2000-9 nos Emirados Árabes Unidos eu ponderei, argumentando que é cedo para qualquer avaliação, mas provavelmente a venda aconteceria, mais cedo ou mais tarde. Agora outros tantos vão querer aposentar os F-18F Super Hornet australianos antes mesmo deles entrarem em serviço. Calma aí pessoal. O substituto dos F-18 E,F e G ainda não apareceu. Os F-35 Lightning, são efetivamente mais modernos que os Super Hornets, na verdade ‘meia’ geração mais moderno, mas vão substituir os Hornets na US Navy e RAAF. Vamos observar primeiro a US Navy. O Super Hornet… Read more »

osorio

desculpem pelo off-topic mas gostaria que os admins/editores do blog dessem uma olhada nessa materia.
http://www.revistaaviaorevue.com.br/index.asp?codc=1031

sds Osorio.

osorio

Sobre o F-35 ele é um excelente caça,mas tão cedo ele não aposenta o SH,apesar de a Boeing ter participação no F-35 com certeza eles já estão pensando na proxima modernização do SH.

Ivan

Baschera,

Você tocou em um ponto importante, que não havia ainda atentado.
O F-35 A/B/C é Lockheed Martin enquanto o F-18 E/F/G é Boeing.
As duas tentam se matar, obviamente, mas o Washigton não permitiria uma loucura dessas, pois ficaria mais vulnerável do que é ao poder destes gigantes.

Pense nisso.

Ivan.

Ivan

Osório, Seu post não é Off. Ele é IN (ou ON, sei lá). Copiei e colei da materia que vc indicou: “O BOEING EA-18 GROWLER” “Esse derivado do Boeing F/A-18F Super Hornet será o substituto do Grumman EA-6B Prowler da US Navy, a qual, por enquanto, planeja adquirir 85 exemplares até 2012, destinando-os a 12 esquadrões e a uma unidade de conversão operacional na Base Aeronaval de Whidbey Island, no Estado de Washington.” “Curiosamente, os Fuzileiros Navais, usuários dos F/A-18E/F super Hornet, decidiram manter seus EA-6B até a chegada da versão de ataque eletrônico do F-35.” É munição para todo… Read more »

Bosco

Fuzileiros usuários do Super Hornet?
Desde quando?

Bosco

O texto da revista está equivocado é claro. O Marines não usam o Super Hornet e sim os Hornets e não teria lógica se optassem por substituir seus EA6B pela EA18G. Hoje eles operam 3 caças bombardeiros, que são os Harriers, F-18 e EA-6B. No futuro irão operar apenas o F-35B. Eu não creio que eles necessitem no futuro de uma versão exclusiva de ‘guerra eletrônica’ já que seus vetores de interdição/ataque serão os caças Stealths F-35B que carecem de menor necessidade (ou de nenhuma) de escolta eletrônica. Acho que com a retirada dos F-18, os EA-6B serão desativados e… Read more »

Ivan

Bosco,

Desde NUNCA.

Falha na digitação.

O certo seria F-18 A/B/C/D Hornet.

Muito bem observado.

Grato,
Ivan.

Ivan

Bosco,
Como sempre, de uma abordagem técnica impecável.
Grato,
Ivan.

Bosco

Já para a USN ter um “caça” dedicado a EW e com ampla capacidade de atacar sítios de mísseis sup-ar e sistemas de radar (IADS) é interessante já que possui centenas de Hornets e de Super Hornets. E mesmo com a completa substituição de todos os Hornets pelo F-35C ainda haverá uma grande quantidade de Super Hornets. A doutrina de utilização do Super Hornet na USN prevê para que seja bem sucedida operações de ataque/interdição o uso combinado do reduzido RCS, grande capacidade de defesa e o uso de armas de longo alcance (stand-off). O RCS reduzido é questionável tendo… Read more »

Bosco

Ivan,
mas o erro foi da “revista” e não seu.
Um abraço meu amigo.

Robson Br

Mas…Quando os F35 terminarem de substituir os Hornet, iniciaram a substituição dos Super hornet. Portanto… não poderemos esperar mais grandes evoluções dos SH. Apenas pequenas modernizações, pois os vituais novos operadores deles são poucos. Outro fator, é que no preço dos F35 estão parte dos custos do desenvolvimento. Quando ele entrar em grande escala, deve diminuir muito, pois são muitos os operadores. Conclusão: se não aparecer novos operadores, duvido que a linha dos SH passe de 2014. Se a Boeing não tiver outro projeto, só vai restar para ela os Vants. O novo padrão das FFAA americanas, são caças do… Read more »

Bosco

Nossa! Meus erros de concordância estão ficando cada vez mais frequentes.
Toda vez que leio o que escrevo dá vontade de deletar tudo.
Vou tentar ser menos ansioso e digitar primeiro no “Word” para não brindá-los com minhas incorreções gramaticais. rsrs…
Um abraço a todos.

RodrigoMF

Os americanos não ficam 30 anos com um projeto parado e está será a vida do SH na USN.

Desafio alguém a me mostrar um projeto americano que esteja na primeira linha deles e teve o desenvolvimento estagnado.

Este é um hábito francês, que preferem partir para um desenvolvimento novo, porque só tem uma fábrica e precisam mantê-la funcionando.

Rodrigo Marques

“”No futuro, operações conjuntas com os F-18E/F, EA-18G, F-35C, UCAVs e mísseis Tomahawk serão altamente eficazes contra qualquer tipo de defesa aérea prevista.””

Perfeito, Bosco! Os SH ainda terão muita lenha para queimar, por isso é meu 2º preferido para o FX-2.

E to achando que quem vai sentir essa combinação primeiro será o Irã, não com o Obama, é claro, mas com o sucessor republicano dele.

Abraços

Francisco AMX

Terminaram? 🙂 SH fará o feijão com arroz, e quando feijão com arroz não for mais suficiente, ele precisarão de uma panela que cozinhe o feijão, o arroz, a carne, o pescoço, leguminosas tipo pepino e abacaxi… e este dia chega em no máximo 10 anos! os americanos sabem disso! tuso está previsto, o SH não terá mais encomendas ao invés disso terão encomendas do F-35! a tendência do mundo é reduzir seus vetores, as armas inteligentes e mísseis de cruzeiro começarão a fazer frente aos vetores hoje existentes, por isso um número menor de F-35 se fará necessário! SH… Read more »

Dalton

E terá também o F35B que substituirão os F18s Hornets e os Harriers dos fuzileiros navais. Hoje, 4 esquadroes de F18s dos fuzileiros são embarcados em porta-avioes americanos, ajudando a cobrir a falta de aeronaves da marinha e será interessante ver o F35B operando ao lado dos F35C. Também sempre será possivel embarcar 20 F35B nos grandes navios anfibios LHA/LHD,normalmente apenas 6 ou 8 serão embarcados, com exceção dos novos LHAs da classe America, optimizados para maior embarque de F35Bs o que fará deles uma espécie de porta-avioes de escolta modernos, já que os mesmos já operaram com 20 harriers… Read more »

Bosco

É Francisco, mas um caça de 6ª geração (tripulado ou não) que provavelmente irá ocupar o lugar do SH só deverá estar operacional lá por 2025, já que pelo noticiado só estará voando em 2017. Ou seja, somente em 2025 é que deve começar a substituição do SH na USN se levarmos em conta o tempo médio de um projeto desse porte desde o primeiro vôo até a entrada em operação. Numa taxa (otimista) de 24 a 30 por ano, levariam uns 15 anos para se substituir todos os SH em operação na USN, o que nos leva mais ou… Read more »

Francisco AMX

Bosco a “aritmética” futura não fala com a passada… 10 anos daqui para frente serão de muito mais avanços do que 10 para trás… e esta soma só aumenta a cada ano… O F-35 precisa de escala, e isto estava previsto no prjeto, eu não vejo a Marinha americana comprando mais SH depois de 2015.. acho que até antes a Boeing fecha a produção de F-18E/F, ficando só o G para completar o esquema! Eu acho que o SH estará obsoleto para as forças americanas, dentro de 15 anos! só se o mundo parar a evolução… mas o que vemos… Read more »

Dalton

Bosco… se considerarmos que um Super hornet tem uma vida util de 20 a 25 anos, dependendo do uso, manutençao, modernizaçao, e que a maior parte dos super hornets E/F entraram em serviço em 2005, mais ou menos, então o Super hornet estará voando sim em 2030 ou pouco mais. Como a marinha americana irá adquirir menos de 300 F35C,meta atual, dificilmente será possivel equipar todos os porta-avioes com 2 esquadroes , mesmo que o nr caia de 12 para 10 aeronaves por esquadrão e que um porta-avioes seja retirado antes do tempo, ou seja , não sofra seu reabastecimento… Read more »

Ivan

Bosco, Concordo plenamente com sua “aritmética”. Não tenho nada a corrigir, muito pelo contrário. Os amigos do Blog estão esquecendo que o uso das Forças Armadas dos EUA, de muito bom senso inclusive, é estar sempre substituído um vetor tendo outro em operação. Se o F-18 E/F Super Hornet substituiu o F-14 TomCat, KA-6, A-6 E Intruder e S-3 Vicking (e o F-18 G Growler vai substituir o EA-6 Prowler), no primeiro movimento; então o F-35 C Lightining II irá substituir os F-18 A/B/C/D Hornet, no segundo movimento. Evidentemente algumas missões de interdição que eram dos Intruder e que, pelas… Read more »

RodrigoMF

O duro é depender de upgrade da Dassault, me falem que fez um com ela.

Ivan

Rodrigo, Países como a Suécia e a França, que procuram manter sua independência em termos de armamamentos, notadamente aviões de combate (que o alvo deste blog), mas não tem o mesmo poder de investimentos dos EUA, são obrigados a seguir caminhos diferentes. A Suécia, de modo mais claro, procurou ao longo dos anos pós Segunda Grande Guerra substituir seus aviões por uma nova geração. Sempre mantendo a celula básica (Sistema 37 Viggen) ou um só aparelho para diversas funções (JAS 39 Gripen). A França ainda conseguiu, por algum tempo, ter aviões específicos como os SEPECAT Jaguar (de ataque) lado a… Read more »

Bosco

Dalton, talvez eu tenha exagerado dando 30 anos como vida útil pro bichão rsrs…., principalmente tendo em vista o alto índice de utilização das mesmas nos diversos cenários em que a USN atua e também o desgaste naturalmente maior das aeronaves “navais”, mas com certeza a produção do Super Hornet para a USN irá pelo menos até 2010, se não ocorrer nenhum atraso no programa do F-35. Mas mesmo com minha empolgação, com certeza veremos os mesmos voando até 2030 e provavelmente até em 2035. Muito provavelmente os aviões não tripulados de ataque irão substituir gradualmente os Hornets num primeiro… Read more »

Dalton

Bosco !

vc não exagerou muito não!

Ainda mais com relaçao aos Super hornets que entraram em serviço depois de 2005 ou estão por entrar nos proximos 2 anos, portanto
poderão estar voando ainda em 2035.

Não sei se vc concorda, mas caso o substituto do Super hornet seja uma aeronave de 6a geração tripulada, logo poderemos estar recebendo noticias do futuro projeto, pois para que o mesmo possa
entrar em serviço em 2030 ao menos 15 anos serão necessários para desenvolve-lo portanto, contratos precisarão ser assinados antes de 2015.

abraços

Bosco

Pelo que foi falado elas estão previstas para entrarem em operação em 2025.
Sem dúvida logo logo nos chegará alguma informação adicional dos projetos envolvidos, mas já se sabe que os requisitos iniciais da USN dão conta que terão furtividade nível VLO-2 em largo espectro (inclusive térmica, visual e radares de baixa frequência) e poderão ter uma versão tripulada e outra não.
Mas por enquanto pouca coisa vazou e o que existe é uma certa especulação.
Um abraço.

Dalton

Sem falar que em 2025, possivelmente o terceiro porta-avioes da classe Gerald Ford estará entrando em serviço e se as tais catapultas eletromagneticas forem o que dizem que serão, então,
novas possibilidades para aeronaves tripuladas ou não, irão surgir.

sds

Hornet

É claro que cada vizinhança é uma vizinhança e cada analista tem uma opinião. Mas de acordo com a avaliação de um analista australiano, que voou o Super Hornet, a aquisição do F-35 pela Austrália veio mais que na hora certa. Segundo este analista, foi um erro tremendo a Austrália comprar um lote de 24 Super Hornets, entre outros motivos, porque (segundo ele) o Super Hornet não é páreo para os principais caças da região. Diz ele: “The bad news is that the Super Hornet is not competitive against the latest Russian Sukhoi Su-30MK fighters, operated or being acquired by… Read more »

RodrigoMF

A produção do M2000-5 foi mínima, os franceses tem na sua força aérea em pequeno nro, sendo um modelo mais voltado para a exportação, como foi o m2000-9.

Como digo, continuo desafiando alguém a me mostrar um modelo de linha de frente nos EUA que teve o seu desenvolvimento estagnado como os amigões franceses fazem normalmente.

Hornet

Ainda sobre o F-35 na Austrália e o Super Hornet. Pelo planejamento australiano, a idéia é manter o Super Hornet até a aquisição dos lotes todos de F-35. Assim que se complete a entrega de todos os F-35 previstos para serem adiquiridos pela Austrália, o Super Hornet seria retirado de serviço. Isso está previsto para ser feito pouco depois de 2021 (ou seja, daqui uns 12 anos, ou um pouco mais). “Acquisition of an additional operational squadron – bringing the total number of JSF aircraft to around 100 – will be considered at a later date in conjunction with a… Read more »

Francisco AMX

Rodrigo, como um modelo americano pode ficar stagnado? não tem lógica isso! os Mirages da Armé são diferentes! existem modelos F-1 mais modernos que outros, existem modelos do M2000 idem…, O M2000-5 é um C, com algumas melhorias, mas os modelos C de última geração da Armé, contam com radar RDI e Mica! muitos deles! e esta é a alma do M2000, ele foi substancialmente melhorado nestes 25 anos de vida!

Hornet

Eu não sei exatamente o que o Mirage tem a ver com o tópico, mas enfim… O Mirage-5 é uma modernização do Mirage 2000. Salvo engano, o Mirage 2000 (em suas várias configurações e modernizações) é operado por mais de 7 países (Brasil, Egito, Grécia, Índia, Peru, Qatar e Emirados Árabes Unidos além da própria França) e foram produzidos mais de 500 unidades. O Mirage 2000 (em suas várias configurações) está sendo substituído na França pelo Rafale. Assim como o F-18 Hornet está sendo substituido nos EUA, e não carece de mais investimento na modernização de um caça que não… Read more »

Hornet

Chicão,

eu estava escrevendo o meu post e não tinha lido o seu ainda (antes de eu clicar no “enviar”)…

Pois é…

abração Bro!

Dalton

Hornet…

o Super hornet está sendo adquirido para substituir os F111 australianos.

os Hornets, estes sim, serão substituidos gradativamente pelos F35s
até a data que vc citou, 2021.

Nao faz muito sentido aposentar os Super hornets em 2021, apenas
12 anos de uso ao menos foi o que li até hoje, mas posso estar enganado.

abraços

Hornet

Chicão,

por um acaso não foi vc que escreveu o artigo que postei acima, foi?…hehehe

O analista australiano escreveu muita coisa que vc vem falando aqui faz tempo. E ele voou o Super Hornet.

enfim…

abração

Hornet

Dalton,

não é isso que dizem os artigos que postei acima.

“Acquisition of an additional operational squadron – bringing the total number of JSF aircraft to around 100 – will be considered at a later date in conjunction with a decision on the withdrawal of the F/A-18F Super Hornet.”

Como vc pode ler, aí está escrito F/A-18F Super Hornet, e não o F-18 Hornet.

Dá uma lida depois nos 2 artigos que deixei os links acima.

abração

Dalton

Hornet… o artigo que vc postou fala de um esquadrão adicional a ser considerado em data posterior quando da retirada do super hornet ou seja, algo para 2030 ou depois. Under the Defence Capabilty plan 2009 (released July 2009) the Australian JSF Plan Phase 2a/2b there will be a buy of 72 F-35 fighters for three operational squadrons and a training unit with a slip of Initial Operational Capability to 2017-2019, five years later than planned Later a decision will be taken about Phase 2c to replace the brandnew F/A-18 Super Hornets, with a potentital operational lifetime of 30 years,… Read more »

Hornet

Dalton, Ah oK! Entendi, seria um quarto esquadrão. De qualquer modo, lendo o artigo que vc indicou fica clara a situação de “caça tampão” do Super Hornet. “The original intention was that the F-35 would replace Australia’s fleet of 36 F-111 and 70 F/A-18 Hornets from 2012, but the delay in the development of the F-35the Government decided to buy 24 F-18F Super Hornet Block II as a stop-gap with a total budget of US$ 4.8 billion all-in for a 10 year period.” Ou seja, não era intenção da Austrália comprar o Super Hornet. Só comprou devido ao atraso no… Read more »

Francisco AMX

Hornet! não fui eu, eu só dei uns “toques” (by Raulzito music) Eu não acho que os SH E/F vão deixar o serviço antes de 2025 na Austrália, mas na USNavy serão poucos ou nenhum! quero estar vivo para ver! Mas a questão é a seguinte: e Nós? vamos ficar com um caça que não será mais fabricado depois de 2015??? isso é muito temeroso! Eu tenho certeza que queiram ou não o Rafale irá ser produzido pela França além de 2020, e receberá tudo que de mais moderno pode existir, e se nós comprarmos este caça, poderemos ter estas… Read more »

masadi45

Analisando hoje , o grande trunfo para os países que fizeram associações para produção dessas aeronaves para dividir os custos , é levar uma grande vantagem de custo em relação à outros que não fizeram.Hoje esses que têm a preferência na compra ,do f-35, fazem parte desse consórcio, dividindo bem o mercado, e também vendo o caso do tymphom , acho que é assim que se escreve, creio que vai sobrar pouco mercado para mais algum. Fica difícil encarar um lobby de tantos países se quizer colocar o seu produto.

Ivan

Hornet, O Dalton tem toda a razão ao afirmar que o F-18 F Super Hornet não serão aposentados em 2021 na RAAF. … ( Dalton em 28 nov, 2009 às 16:43 ) … Inclusive esta ponderação do Dalton, que eu concordo plenamente, pode ser embasada no texto que vc indicou. Senão vejamos, pois tomei a liberdade de copiar abaixo: The Gov Monitor: “Acquisition of an additional operational squadron – bringing the total number of JSF aircraft to around 100 – will be considered at a later date in conjunction with a decision on the withdrawal of the F/A-18F Super Hornet.”… Read more »

Ivan

Mirage 2000. Quanto à questão de falar no Mirage 2000 nesta matéria quem começou fui eu, para responder a uma crítica feita pelo colega RodrigoMF em 28 nov, 2009 às 10:04, à indústria aeronáutica francesa. Na verdade usei o exemplo do Mirage 2000 como um positivo implemento constante de tecnologias francesas, ou simplesmente upgrade, desenvolvendo sempre novas versões, como está em: – Ivan em 28 nov, 2009 às 14:30 – Na verdade, a versão Miragem 2000-5 foi simplesmente revolucionária como inteceptador e superioridade aérea, armado com 4 mísseis MICA podia engajar 4 aeronaves direntes, entre 8 trancadas, fazer a volta… Read more »

Hornet

Ivan, então, eu disse mais ou menos o que vc disse acima no meu último comentário para o Dalton. Não não tenho nada contra o Super Hornet. Mas penso como o Chicão. E parece que a Austrália pensa a mesma coisa, pois não aposta suas fichas no Super Hornet. Ele está lá como um caça tampão apenas e nada mais. Aliás, se vc prestar atenção no primeiro link que deixei, existe uma crítica muito grande, feita por um analista australiano (que voou o Super Hornet), a repeito da capacidade de combate do Super Hornet frente aos caças do TO daquela… Read more »

Reportagens especiais

Além do Gripen – parte 2: conversa com piloto de provas da Saab e atualizações sobre o programa

Em 9 de maio, o Poder Aéreo cobriu a apresentação das instalações da Saab Aeronáutica Montagens – SAM –  ...
- Advertisement -
- Advertisement -