terça-feira, abril 13, 2021

Gripen para o Brasil

F-X2: Revista “Isto É” aponta detalhes das propostas

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

vinheta-clippingApós 15 anos de negociações frustradas, batalhas de lobbies das maiores potências bélicas do planeta e uma sequência interminável de testes e avaliações técnicas, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, finalmente terá em mãos até o final da próxima semana o relatório completo para escolher quais serão os novos aviões superssônicos da Força Aérea Brasileira (FAB). Trata-se de um documento com mais de mil páginas com a análise completa das ofertas finais feitas pelos americanos da Boeing, que oferecem o F-18 Super Hornet; pelos franceses da Dassault, que produzem o Rafale; e pelos suecos da Saab, que concorrem com o Gripen NG. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende anunciar a escolha no dia 7 de setembro. Trata-se de uma decisão com perspectivas de longo prazo e efeitos na concepção estratégica da segurança nacional e no desenvolvimento tecnológico do País. Como tem alertado o ministro Jobim, a transferência tecnológica obtida com a compra dos aviões deve assegurar uma retomada da indústria bélica nacional, na tentativa de alçar o Brasil aos líderes mundiais do setor num prazo de três décadas.

Na semana passada, americanos, franceses e suecos entregaram à FAB a chamada “Best and Final Offer”, a melhor e última oferta, com a qual tiveram chance de melhorar suas propostas iniciais. A Dassault reduziu o preço do Rafale de 70 milhões de euros para 50 milhões de euros, se aproximando dos demais finalistas, o F-18 (US$ 55 milhões) e o Gripen (US$ 50 milhões).

A Boeing ampliou o pacote de compensações comerciais, industriais e tecnológicas. Os americanos propõem parceria com 45 empresas, enquanto os franceses visam à cooperação com 38 companhias ou entidades brasileiras. Na análise comparativa feita pela FAB, as três aeronaves se destacaram de diferentes maneiras, ficando F-18 e Rafale tecnicamente empatados. Equipado com componentes de quinta geração e armamentos de ponta, o caça francês saiu vitorioso no quesito tecnológico. O Super Hornet venceu na logística, pois suas peças e seus armamentos são mais baratos e fáceis de ser encontrados. O Gripen NG, por sua vez, ainda é um protótipo, o que colocou o avião sueco como preferido da FAB para o desenvolvimento do projeto desde sua fase inicial. Mas, para a cúpula da Defesa, não ter o aparelho completamente operacional é um problema. Assim como o fato de o Gripen NG apresentar diversos componentes de fabricação americana, portanto suscetível a embargo para a transferência tecnológica.

Com a balança pendendo para os franceses, o governo de Barack Obama lançou uma ofensiva para tentar reverter o jogo em prol do F-18. Na quarta-feira 29, desembarcou em Brasília o chefe do Comando Sul das Forças Armadas dos EUA, general Douglas Fraser, que esteve com representantes do Ministério da Defesa e das três Forças. Na terça-feira 4, foi a vez de o próprio conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, general James Jones, cumprir a liturgia de encontros a portas fechadas, primeiro com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e depois com Jobim.

A escolha do ministro da Defesa vai definir o futuro da indústria bélica nacional

“O presidente Obama quer que esse relacionamento cresça entre nossos países”, afirmou Jones. Nos encontros, o general americano ressaltou a necessidade de aprofundar a parceria militar bilateral. Ele entregou ao chanceler Celso Amorim uma carta em que a secretária de Estado, Hillary Clinton, garante que haverá total transferência de tecnologia ao Brasil. As palavras foram reiteradas pela subsecretária de Controle de Armamento, Ellen Tauscher, que integrou a comitiva. “Trata-se de uma oferta sem precedentes.” Ela esteve acompanhada do subsecretário de Estado de Defesa, Aquisição e Tecnologia, Ashton Carter. O problema é que, em termos de equipamentos de defesa, a lei americana não permite a transferência tecnológica a não ser que haja aval do Congresso. E isso vale mesmo que autoridades do Executivo prometam o contrário. Ao saber disso, o chanceler Celso Amorim ponderou sobre o embargo imposto pelos EUA à venda dos Super Tucanos da Embraer para a Venezuela em 2006, exatamente porque o avião brasileiro possui equipamentos fabricados nos EUA.

O relatório da FAB, embora seja conclusivo, não tem caráter decisório. Caberá a Lula e a Jobim a palavra final e escolher o Dia da Independência para o anúncio do caça escolhido pode indicar que de fato o Brasil está caminhando no sentido de adquirir conhecimento para fabricar suas próprias defesas.

Promessas De Última Hora

“Como você sabe, o Departamento de Estado é responsável por autorizar a venda e a exportação de artigos e serviços de defesa dos Estados Unidos. O Departamento de Estado examinou detalhadamente a proposta da Marinha dos Estados Unidos e apoia completamente a transferência de toda informação relevante e toda tecnologia necessária em apoio a essa proposta de venda. Além disso, acreditamos que a oferta da Marinha dos Estados Unidos preenche, e em muitas áreas excede, todos os requisitos técnicos da Força Aérea Brasileira. A Marinha dos Estados Unidos está oferecendo tecnologias e capacidades provadas em combate que, em outras partes da indústria da aviação internacional, estão ainda apenas nos estágios conceituais”

Hillary Clinton, secretária de Estado dos EUA, em carta entregue a Celso Amorim

FONTE: Revista Isto É, via Notimp

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Flamenguista

Nada que um leitor um pouco antenado nas últimas notícias não teria escrito. Ao meu ver, as especulações continuarão mesmo depois de anunciado o vencedor do FX-2. Provávelmente, o caça escolhido será “malhado” pela imprensa “especializada”, seja ele qual for. Além do mais, a revista em questão, apesar de gozar de grande credibilidade, foi a mesma que divulgou o suposto acordo de compra da Saab pela Embraer.

Abraços, e que vença o melhor!

Glauco

Cara Duvido que os EUA algum dia nos passara alguma tecnologia de um avião talvez do texan rsrrs
mais do f-18 nunca mesmo, pode dizer que a França não cumpra tbm mais talvez alguma coisa eles nos passe talvez que sabe pelo menos a tecnologia dos HUD’s deles já seria um grande avanço para nós, agora sobre o NG, o NG não é um projeto, porque ele nem passa disso se o Brasil entrar com Gripen ficara sem avião por muitos muitos anos

tomastomaspriet

Uma coisa é certa. A FAB com seus requerimentos bem especificados conseguiu fazer com que os concorrentes fizessem uma redução substancial nos custos em sacrificar o programa.
A gora vamos esperar as contrapartidas e o repasse real de tecnologia.
Mas também não vamos ficar sonhando com 100% desta, quanto muito o Brasil terá entre 15 e 30% de repasse tecnológico e olhe lá!
Quanto aos códigos fontes ao que parece os participantes cederam totalmente.

konner

… eu prefiro a França !

tomastomaspriet

Uma coisa é certa. A FAB com seus requerimentos bem especificados conseguiu fazer com que os concorrentes fizessem uma redução substancial nos custos sem sacrificar o programa.
A gora vamos esperar as contrapartidas e o repasse real de tecnologia.
Mas também não vamos ficar sonhando com 100% desta, quanto muito o Brasil terá entre 15 e 30% de repasse tecnológico e olhe lá!
Quanto aos códigos fontes ao que parece os participantes cederam totalmente.

Matheus

O que pesa muito para os Frances, é que a Dassault é uma das concorrentes da EMBRAER na aviação regional, se nós compramos o Rafale estaremos investindo em uma empresa que é concorrente da nosso. O Gripen NG é o melhor para a FAB e para a indústria nacional, como teremos acesso ao projeto do começo ao fim, o Gripen será mais adaptado ao nosso país.

Lucius Clay

Matheus! Não temos muitas escolhas, todos são nossos concorrentes em alguma área estratégica…

Claudio

Revista Exame Decisão do FX-2 no Final de Setembro, Com Muitas Novidades A FAB afirmou que, somente no final de setembro sua análise final sobre o FX-2 será encaminhada ao ministério da Defesa. Tal análise englobará aspectos técnicos, operacionais, logísticos, de compensação comercial e industrial, e transferência de tecnologia. O relatório da FAB poderá apontar um caça preferido ou apenas indicar vantagens e desvantagens de cada uma das aeronaves. A decisão será do presidente, com o possível aconselhamento do Conselho de Defesa Nacional (CDN). Essa decisão de adiamento da FAB deverá dar mais fôlego a suecos e americanos, pois Sarkozy… Read more »

Claudio

Bem, até o final do mês de setembro ainda vai ter muito assunto.
Caso a EMBRAER se manifeste a favor ou contra um dos concorrentes a balança pode mudar.

Storm

Todos companheiros tem razão nas suas colocações, e o texto da revista Exame transcrito aqui no comentário do Sr. Cláudio é bem feliz, pois resume mais um fator que esta em jogo nessa disputa, como a possível venda dos Super Tucanos para Us Navy e marines, que tem grande chance de acontecer mesmo (eu diria 100%) se o F-18 for escolhido e a ironia que existe por de trás da escolha do Rafale, estaríamos ajudando a financiar a Dessault concorrente da Embraer. Mas informação interessante da “Isto É” é a redução do preço do Rafale para 50 milhões (mas reparem… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados
Cada vez que leio a proposta francesa mais me convenço de que ela é realmente a melhor e entendo que qualidade de armamentos têm seu preço nada barato. Se a questão for somente financeira poderems ter uma barato muito caro
Sds

Lucas Calabrio

Os USA sabem que este é o momento para diminuir a potência francesa e sua influência.Vejam o que ocorreu com a Grã-Bretanha, perdeu muito de sua influência e território para os USA, e está querendo fazer isso com a França que se contrapõe à política norte-americana.
Abraço

Lucas Calabrio

Por questões financeiras

luis alberto

Penso que melhoraram muito as chances do Gripen pois eh a unica proposta que oferece real transferencia de tecnologia e o dominio completo da integracao de armas e sensores que a FAB tanto deseja. De acordo com a EMBRAER, soh se transfere tecnologia com a “mao na massa”, e, participando do PROJETO, Fabricacao, Montagem, etc. e etc. eh que realmente se ADQUIRE tecnologia. Finalmente o Gripen eh o unico que realmente temos condicoes financeiras de operar, manter, e pagar pelo sua hora de voo. Lembro que 120 a 150 aeronaves eh o proposito da FAB, com 36 iniciais. Fabricando-se 12… Read more »

gerson carvalho

meus caros, com 7 bilhoes eu comprava 100 sukhoi e muitos misseis e pronto!

catraca

Também torço pelo Gripen…..acho também que é o único que satisfaz os objetivos da FAB.

Que vença o Gripen, se isso não ocorrer, pelo menos que o vencedor agregue tecnologia ao nosso parque industrial.

MEU PAÍS deve ser autosuficiente em suas ARMAS.

tyrion

Sei nao…mas acho que agora as cartas vao ser colocadas na mesa…se for coisa seria o pessoal do SH deve dar um sinal…em vez de avisar o congresso eles devem pedir autorização a venda e a a transferencia de tecnologias conforme especificado na proposta e chacelado pelo executivo…se não nada feito…

sonic wings

Srs. duas novas discussões se deram nesta semana: a primeira: a rusga entre brasileiros e americanos com relação as bases na Colombia, que pode não representar nenhuma ameaça, no entanto evidenciou a sempre desconfiança brasileira em relação aos yankees. Inclusive lembrado pelo ministro Amorin no caso dos ST. a segunda: o artigo trás uma nova visão comercial da FAB com relação à Dassault, demonstrando preocupação em alimentar o concorrente direto no mercado internacional, além do que já se tem falado em mais uma vitória francesa na marinha (as FREMM). Desta forma penso que o GRIPEN se torna a melhor escolha… Read more »

Rodrigo Cordeiro

O gripen é uma piada… simplesmente não existe, desenvolver o gripen realmente nos traria muita tecnologia…será?? como todos ja falaram, “… ninguém transfere 100% da tecnologia…” pq a SAAB transferiria??? quanto ela gastou pra desenvolver o gripen??? se fosse tão facil desvincular as peças americanas por nacionais ou de outros nações pq a SAAB já não o fez, sabendo que poderia vender “a mosquinha” pra vários desafetos americanos sem se preocupar com os vetos deles??? …minha nosssa, a SAAB não tinha pensado nisso!?! hare baba!! (rá!) fato é… somente a Russia, EUA e França possuem este nivel de tecnologia, o… Read more »

Rodrigo Cordeiro

só pra complementar…

eu gostaria que o rafale se desse bem nessa…Apesar de ser fã do SH.

apesar que gostar por gostar….gostaria de ouvir os 2 vencendo essa concorrência, visto as ótimas contra-partidas jamais oferecidas…..calma que já acordei!!! rsrsrsrsrs

grande abraço ao pessoal do blog.

Luiz

O melhor para o Brasil seria, como disseram acima, comprar o caça americano ou francês e participar do projeto do Gripen NG, mas isso colocaria nosso país em uma saia justa, porque se pegasse o Rafale e o Gripen poderiamos ter um embargo dos componentes para o Gripen, mas se pegarmos o SH e Gripen não teria esse problema de embargo, mas isso poderia estragar nossa relação com a França, pois fizemos muitas parcerias com ela em equipamentos de defesa, helicopteros, submarinos, o casco do sub nuclear brasileiro e etc. Por isso acho que essa decisão vai demora pra sair,… Read more »

Azul&branco

Como fazer para aproximar 50 milhões de euros (R$ 2,5) de U$ 55 milhoes (R$ 1,8)? Qual a mágica em reduzir de 70 (ou seria 90?)par 50 milhões o valor do rafeiou?

Flamenguista

Nada que um leitor um pouco antenado nas últimas notícias não teria escrito. Ao meu ver, as especulações continuarão mesmo depois de anunciado o vencedor do FX-2. Provávelmente, o caça escolhido será “malhado” pela imprensa “especializada”, seja ele qual for. Além do mais, a revista em questão, apesar de gozar de grande credibilidade, foi a mesma que divulgou o suposto acordo de compra da Saab pela Embraer.

Abraços, e que vença o melhor!

Glauco

Cara Duvido que os EUA algum dia nos passara alguma tecnologia de um avião talvez do texan rsrrs
mais do f-18 nunca mesmo, pode dizer que a França não cumpra tbm mais talvez alguma coisa eles nos passe talvez que sabe pelo menos a tecnologia dos HUD’s deles já seria um grande avanço para nós, agora sobre o NG, o NG não é um projeto, porque ele nem passa disso se o Brasil entrar com Gripen ficara sem avião por muitos muitos anos

tomastomaspriet

Uma coisa é certa. A FAB com seus requerimentos bem especificados conseguiu fazer com que os concorrentes fizessem uma redução substancial nos custos em sacrificar o programa.
A gora vamos esperar as contrapartidas e o repasse real de tecnologia.
Mas também não vamos ficar sonhando com 100% desta, quanto muito o Brasil terá entre 15 e 30% de repasse tecnológico e olhe lá!
Quanto aos códigos fontes ao que parece os participantes cederam totalmente.

konner

… eu prefiro a França !

tomastomaspriet

Uma coisa é certa. A FAB com seus requerimentos bem especificados conseguiu fazer com que os concorrentes fizessem uma redução substancial nos custos sem sacrificar o programa.
A gora vamos esperar as contrapartidas e o repasse real de tecnologia.
Mas também não vamos ficar sonhando com 100% desta, quanto muito o Brasil terá entre 15 e 30% de repasse tecnológico e olhe lá!
Quanto aos códigos fontes ao que parece os participantes cederam totalmente.

Matheus

O que pesa muito para os Frances, é que a Dassault é uma das concorrentes da EMBRAER na aviação regional, se nós compramos o Rafale estaremos investindo em uma empresa que é concorrente da nosso. O Gripen NG é o melhor para a FAB e para a indústria nacional, como teremos acesso ao projeto do começo ao fim, o Gripen será mais adaptado ao nosso país.

Lucius Clay

Matheus! Não temos muitas escolhas, todos são nossos concorrentes em alguma área estratégica…

Claudio

Revista Exame Decisão do FX-2 no Final de Setembro, Com Muitas Novidades A FAB afirmou que, somente no final de setembro sua análise final sobre o FX-2 será encaminhada ao ministério da Defesa. Tal análise englobará aspectos técnicos, operacionais, logísticos, de compensação comercial e industrial, e transferência de tecnologia. O relatório da FAB poderá apontar um caça preferido ou apenas indicar vantagens e desvantagens de cada uma das aeronaves. A decisão será do presidente, com o possível aconselhamento do Conselho de Defesa Nacional (CDN). Essa decisão de adiamento da FAB deverá dar mais fôlego a suecos e americanos, pois Sarkozy… Read more »

Claudio

Bem, até o final do mês de setembro ainda vai ter muito assunto.
Caso a EMBRAER se manifeste a favor ou contra um dos concorrentes a balança pode mudar.

Storm

Todos companheiros tem razão nas suas colocações, e o texto da revista Exame transcrito aqui no comentário do Sr. Cláudio é bem feliz, pois resume mais um fator que esta em jogo nessa disputa, como a possível venda dos Super Tucanos para Us Navy e marines, que tem grande chance de acontecer mesmo (eu diria 100%) se o F-18 for escolhido e a ironia que existe por de trás da escolha do Rafale, estaríamos ajudando a financiar a Dessault concorrente da Embraer. Mas informação interessante da “Isto É” é a redução do preço do Rafale para 50 milhões (mas reparem… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados
Cada vez que leio a proposta francesa mais me convenço de que ela é realmente a melhor e entendo que qualidade de armamentos têm seu preço nada barato. Se a questão for somente financeira poderems ter uma barato muito caro
Sds

Lucas Calabrio

Os USA sabem que este é o momento para diminuir a potência francesa e sua influência.Vejam o que ocorreu com a Grã-Bretanha, perdeu muito de sua influência e território para os USA, e está querendo fazer isso com a França que se contrapõe à política norte-americana.
Abraço

Lucas Calabrio

Por questões financeiras

luis alberto

Penso que melhoraram muito as chances do Gripen pois eh a unica proposta que oferece real transferencia de tecnologia e o dominio completo da integracao de armas e sensores que a FAB tanto deseja. De acordo com a EMBRAER, soh se transfere tecnologia com a “mao na massa”, e, participando do PROJETO, Fabricacao, Montagem, etc. e etc. eh que realmente se ADQUIRE tecnologia. Finalmente o Gripen eh o unico que realmente temos condicoes financeiras de operar, manter, e pagar pelo sua hora de voo. Lembro que 120 a 150 aeronaves eh o proposito da FAB, com 36 iniciais. Fabricando-se 12… Read more »

gerson carvalho

meus caros, com 7 bilhoes eu comprava 100 sukhoi e muitos misseis e pronto!

catraca

Também torço pelo Gripen…..acho também que é o único que satisfaz os objetivos da FAB.

Que vença o Gripen, se isso não ocorrer, pelo menos que o vencedor agregue tecnologia ao nosso parque industrial.

MEU PAÍS deve ser autosuficiente em suas ARMAS.

tyrion

Sei nao…mas acho que agora as cartas vao ser colocadas na mesa…se for coisa seria o pessoal do SH deve dar um sinal…em vez de avisar o congresso eles devem pedir autorização a venda e a a transferencia de tecnologias conforme especificado na proposta e chacelado pelo executivo…se não nada feito…

sonic wings

Srs. duas novas discussões se deram nesta semana: a primeira: a rusga entre brasileiros e americanos com relação as bases na Colombia, que pode não representar nenhuma ameaça, no entanto evidenciou a sempre desconfiança brasileira em relação aos yankees. Inclusive lembrado pelo ministro Amorin no caso dos ST. a segunda: o artigo trás uma nova visão comercial da FAB com relação à Dassault, demonstrando preocupação em alimentar o concorrente direto no mercado internacional, além do que já se tem falado em mais uma vitória francesa na marinha (as FREMM). Desta forma penso que o GRIPEN se torna a melhor escolha… Read more »

Rodrigo Cordeiro

O gripen é uma piada… simplesmente não existe, desenvolver o gripen realmente nos traria muita tecnologia…será?? como todos ja falaram, “… ninguém transfere 100% da tecnologia…” pq a SAAB transferiria??? quanto ela gastou pra desenvolver o gripen??? se fosse tão facil desvincular as peças americanas por nacionais ou de outros nações pq a SAAB já não o fez, sabendo que poderia vender “a mosquinha” pra vários desafetos americanos sem se preocupar com os vetos deles??? …minha nosssa, a SAAB não tinha pensado nisso!?! hare baba!! (rá!) fato é… somente a Russia, EUA e França possuem este nivel de tecnologia, o… Read more »

Rodrigo Cordeiro

só pra complementar…

eu gostaria que o rafale se desse bem nessa…Apesar de ser fã do SH.

apesar que gostar por gostar….gostaria de ouvir os 2 vencendo essa concorrência, visto as ótimas contra-partidas jamais oferecidas…..calma que já acordei!!! rsrsrsrsrs

grande abraço ao pessoal do blog.

Luiz

O melhor para o Brasil seria, como disseram acima, comprar o caça americano ou francês e participar do projeto do Gripen NG, mas isso colocaria nosso país em uma saia justa, porque se pegasse o Rafale e o Gripen poderiamos ter um embargo dos componentes para o Gripen, mas se pegarmos o SH e Gripen não teria esse problema de embargo, mas isso poderia estragar nossa relação com a França, pois fizemos muitas parcerias com ela em equipamentos de defesa, helicopteros, submarinos, o casco do sub nuclear brasileiro e etc. Por isso acho que essa decisão vai demora pra sair,… Read more »

Azul&branco

Como fazer para aproximar 50 milhões de euros (R$ 2,5) de U$ 55 milhoes (R$ 1,8)? Qual a mágica em reduzir de 70 (ou seria 90?)par 50 milhões o valor do rafeiou?

Combates Aéreos

A perda dos ases iraquianos

  Muitos pilotos iraquianos de Mig-21 ganharam notoriedade durante a guerra com o Irã. O mais conhecido foi Tenente (mais...
- Advertisement -
- Advertisement -