domingo, novembro 28, 2021

Gripen para o Brasil

Super Hornet australiano faz primeiro voo

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

MSF09-0137

Na foto tirada em 20 de julho no Aeroporto Internacional de Lambert, em St Louis – EUA, o primeiro F/A-18F Super Hornet da RAAF (Royal Australian Air Force  – Real Força Aérea Australiana) decola para seu primeiro voo de testes. A entrega da aeronave, iniciada em cerimônia no último dia 8, deverá ser finalizada até o fim do mês.

FONTE e FOTO (Richard Rau): Boeing

Para mais detalhes sobre a entrega da aeronave e a encomenda / produção dos caças Super Hornet da RAAF, além de um raio-x, clique nos links abaixo:

- Advertisement -

284 Comments

Subscribe
Notify of
guest
284 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lucas Calabrio

Prezados
essa máquina saiu pela bagatela de 200 milhões de dolares

Lucas Calabrio

incluindo tudo o que tem de melhor de armamentos logistica suporte e avionica
sds

Sopa

Alguem sabe me dizer o que são aquelas “ranhuras” nos estabilizadores ?

“Nas faveleas não,mas no SENADO só sujeira pra todo lado”

Thiago

Alguem pode tirar uma dúvida?
Em um combate entre um Rafale e um F-18 quem se sairia melhor?
Valeu!

Lucas Calabrio

Prezado Sopa
Acredito que seja alugum tipo nde antena.

kaleu

Thiago, SH em razão de seu radar AESA … vai ter muita choradeira aqui, porém esse é o fato …

abc
Kaleu

Lucas Calabrio

correção
algum tipo de antena

Lucas Calabrio

Presado Keleu
Ceio ser mais fácil desenvolver um radar aesa do que modificar a avionica dof-18 sh (nada contra mas o rafale é um projeto mais novo e sujeito a correções);
sds

Lucas Calabrio

Creio

kaleu

IIICCCHHHH !!!

Sei não, mas, o Titio Sam tá muito confiante !

E o Rafale já perdeu MUIITTAA concorrência “ganha” pros gringos !

http://www.alide.com.br/joomla/index.php/component/content/article/36-noticias/477-boeing-aposta-alto-na-embraer

Palmite delirante !

Ganha Boeing pra 36 vetores, com TT suficiente para manutenção e integração de armas independente … e Embraer continua no projeto Gripen NG para desenvolvimento de um caça Made-in-Brazil …

Tá bom !! delirei rsrs

abraços
Kaleu

Musashi

Antena? Essa antena parece influênciar pra caramba na aerodinâmica do avião.

Walderson

Caros Tiago e Kaleu,

penso que o mais correto seria dizer que depende de vários fatores. É uma situação bastante complexa para dizer quem é o melhor. Apesar de torcer para o Rafale e depois para o Gripen, fica difícil dizer em um combate qual seria o melhor. Por exemplo, uma das propagandas do Gripen é que ele nunca foi vencido em combate simulado. Mas quais as circunstâncias dominaram o cenário.
Um abraço a ambos.

hms tireless

O pior é que o “futuro” AESA do Rafale é um remendo do atual radar com antena AESA ao contrário do APG-79, projetado como AESA desde o início.

Caipira

Acredito que o Rafale é a melhor opção paa o Brasil hoje, mas estaríamos muuuito bem servidos com os SH…

Felipe Cps

Kaleu: eita sonho baum “seo”, daqueles que nem dá vontade de acordar, rsrs…

Mas num sei, ainda acho se o Gripen tá fora (o que não creio), virá mais lixo francês, que é pros políticos tirarem um “cafezinho”… Isso se o FX2 não for cancelado (hipótese cada vez mais plausível)pelas trapalhadas da Dassault e da dupla patética Jobim/Mulla…

Abs.

Bosco

As ‘ranhuras’ por serem muitas devem servir a vários própósitos, um deles com certeza é o sistema de alerta de aproximação de míssis voltado para o quadrante traseiro. Mudando de assunto. Eu sempre tive uma certa preferência pelo Rafale. Mais de caráter pessoal que técnico, mas sempre achei o F-18 uma máquina de guerra melhor. Sem falar que é a única que existe de fato e já plenamente apta para todas as funções a que se propõe. Mudei de idéia e hoje torço pelo SH. De transferência de tecnologia, off sets, restrições de ordem política, etc, não entendo bulhufas. Um… Read more »

msx

acho que o “TIO OBAMA” vai marcar um gol aos 46 do segundo tempo só no BAFÂO pelo tel com o “TIO LULA”…..
Acho que vai dar F-18 com alguns “presentinhos” para exército e marinha.
Americano não brinca quando o asunto é negócio.
Espero estar enganado pois prefiro que o BRASIL desenvolva o gripenNG com a suécia.
Pode ser que eu esteja enganado…..

msx

felipe cps, po li agora seu comentário sobre o simulador do rafale ser melhor que o msx.
aí vc pegou pesado, nemhum simulador do rafale, f-18, grpenNG e Su-35bm é melhor que “SALAMANDER” (megarom de msx1) as aeronaves ja disparavam laser e bvr de ultima geração em plena década de 80 quer mais!!!!!!?

Felipe Cps

O loco Bosco, virando a casaca aos 45 do segundo tempo???

Que que os fanáticos francófilos (Hornet, Fco Amx, ETC.) dirão dessa sua atitude??? 🙂

Abs.

Felipe Cps

MSX: eu num lembro desse jogo, rsrs… Mas tb nunca fui muito ligado em msx, meu negócio era NES e fliper. 🙂

Abs.

Nunão

Thiago, entre os equipamentos que causam essas ranhuras aerodinânicas, comuns nas caudas de caças, os mais importantes são das antenas receptoras do sistema RWR (Radar Warning Receiver – alerta radar) no caso, o ALR-67 da Raytheon, que é padrão do Super Hornet (retrofitado também para os Hornets da US Navy e de outros países).

Interessante é que a Austrália pretendia inicialmente desenvolver um RWR local para seus Super Hornets, mas falhou na tentativa e no fim das contas acabou encomendando o sistema norte-americano.

Nunão

Ia esquecendo: coloquei um mais um link no final da matéria, para uma visão raio-x do Super Hornet, mostrando a instalação do ALR-67.

Marcos T.

Não apareceu nenhum Super Hornet nas cores da FAB? Só pra ver como ia ficar?

Sonic Wings

Srs, quais seriam os upgrades do modelo Growler? Muitos falam em guerra eletronica, mas no que se referem? É possivel evoluirmos a este nivel de negociacao? Abs

Adrik

Engraçado, aconteceu comigo a mesma coisa que aconteceu com o Bosco… agora tenho a leve preferência pelo SH.

Acredito ser pela velocidade de a Boeing entregaria os caças (com certeza, bem mais rápido que os franceses).

Abraços a todos

Nunão

Sonic Wings, no caso do Growler a palavra upgrades não é adequada: não é um upgrade, trata-se de uma versão dedicada a outro tipo de missão, a Guerra Eletrônica, e dotada de equipamentos, sensores, interferidores e armas para tanto, como mostra o link abaixo:

http://www.aereo.jor.br/?p=4394

joao terba

O que soma muito nessas compra é a balança comercial,veja o exemplo com a Russia,o Brasil está comprando mais helis porque enxiste um grande diferença há favor do nosso país.

Alexander Shöer Camargo

Srs.(a) É realmente um prazer acompanhar as postagens neste blog, bem como em outros que envolvem a temática militar. Mas não deixo de salientar que certos comentários chegam a ser de fato “hilários”. Não quero denegrir ninguêm. Em absoluto. Acredito ser bastante benéfico esse interesse por assuntos de cunho estratégico-militares. Porém friso: a escolha de qualquer sistema de armas, seja para o operador que for, vai muito além de gostos ou vontades. A escolha é tomada com base em uma diversa gama de variáveis que formam equações por demais complexas. A muito em jogo. Então continuem postando mas, sejam mais… Read more »

Tiago Jeronimo

É o meu preferido, principalmente se vier acompanhado do E/A-18G que se não me engano mudou de nome e não é mais Growler.

Zero Uno

Acho que o F18 E/F está no páreo sim. Ele é praticamente um avião “novo” se comparado ao F18-C/D até mesmo em suas dimensões.

Vamos ver o que o Tio Sam tem a nos oferecer para o FX2.

Sobre o Grippen e o Rafele andarem perdendo concorrências para os aviões americanos, lembro que o Tio Sam – através do seu Departamento de Estado – tem feito pressões políticas em diversos países para que não adotem de maneira alguma caças concorrentes ao F-18 E/F.

Faz parte da Geopolítica…

Hornet

Felipe, “fanáticos francófilos”…me inclua fora dessa…não sou fanático por nada, muito menos por franceses…hehehe Talvez um pouco pelas francesas de um modo geral e pela Carla Bruni em particular…hehehe mas o que o Bosco disse está certo, na perspectiva que ele aborda. Só que ele não leva em conta os demais requesitos do FX2. E ele deixou claro isso no comentário dele. Se os EUA não encrencassem tanto com os demais requesitos do FX2, eu também acharia o Super Hornet a melhor opção, não tanto pelo caça em si mas pela possubilidade de se fazer uma parceria na área aeroespacial… Read more »

Hornet

em tempo:

mas parece que os EUA estão mudando de idéia…nos últimos dias apareceram notícias que sinalizam um maior interesse dos EUA em fazer uma parceria com o Brasil (e não apenas vender os caças).

Se o Obama quiser, ele faz (mesmo dependendo do Congresso, o aval do presidente pode mudar muita coisa e facilitar tudo, ate porque, salvo engano, a maioria do Congresso dos EUA é do mesmo partido do presidente)…e isso pode mudar os rumos do FX2…sei lá, vamos aguardar.

abração de novo

Fábio Max

O problema de se aceitar a hipótese de adquirir um avião e ajudar a desenvolver outro (SH e Grinpen NG, ou Rafale e SU-38, ou Gripen NG e PAK-FA) é que isso leva a concluir que a aquisição se limita aos 36 e não chegará aos 120.

O Brasil devia se preocupar mais em chegar aos 120 planejados (embora não confirmados), agregando melhorias a cada lote e recepcionando a tecnologia pretendida.

Robson Br

Para a Embraer, um acordo com a Boeing comercialmente seria melhor. olhando do ponto de vista imediato o F18 talvez seria a melhor opção, mas dentro da nossa filosofia, que não é nova, já que os militares sempre tiveram sonhos de independencia, um caça oriundo de uma parceria estratégica seria melhor.

Agosto está quase chegando. Para quem esperou tanto, não custa mais esperar alguns dias.

Se o negócio não melar, com qualquer um dos finalista estaremos bem servidos.

Hornet

em tempo II. um trecho de uma matéria/entrevista do Defesa Brasil, para ajudar na discussão a respeito do Super Hornet: “De competidor desacreditado à finalista no F-X2. Essa foi a grande virada da norte-americana Boeing, uma das três empresas que disputam o bilionário contrato de fornecimento de 36 novas aeronaves de combate para a Força Aérea Brasileira. Se no início praticamente não havia quem acreditasse que a gigante da indústria aeroespacial pudesse sobreviver à primeira fase da competição, hoje o F/A-18 E/F Super Hornet já é visto por muitos como um fortíssimo candidato a equipar a aviação de caça brasileira.… Read more »

kaleu

Caro Fábio Max, É exatamente ao contrário (minha visão – posso estar errado), a única possibilidade do Brasil operar 120 caças de alta performance e última geração é que eles sejam fabricados aqui, e sobretudo que seja um projeto nacional, fazendo uma composição hi-lo com os 36 caças adquiridos agora. Esta talves seja minha maior restrição com relação ao Rafale, um caça caro de adquirir, caro de manutenção e caríssimo hora/voo (US# 19 mil) … ou seja, na remotíssima possibilidade de adquirmos 120 Rafales, não teremos verba para voa-los, muito menos para manutenção … são lindos, porém, permanecerão estacionados nas… Read more »

Bosco

Minha torcida pelo Rafale sempre foi motivada pela tradição dos Mirage e pelo mesmo ter uma versão terrestre exclusiva. Mas como já disse a Regina Duarte, “tenho medo” do mesmo ficar limitado apenas à França e ao Brasil. rsrs… Mas acho todos muito semelhantes no essencial com vantagens pontuais hora em favor de um, hora de outro. Vendo pelo ponto de vista da ‘máquina’. A favor do Hornet (o caça, rss..), apesar de dizerem ser uma célula limitada quanto à desenvolvimentos futuros, sempre o considerei ligeiramente superior aos outros. Também não concordo com essa afirmativa de ser uma célula limitada.… Read more »

Bosco

Correção:
R-Darter não. Quis dizer A-Darter.

COMANDANTE MELK

Senhores, deu no Jornal do Brasil: Boeing aposta alto na Embraer Parceria com empresa brasileira seria a resposta ao favoritismo francês declarado por ministro Jobim Marcelo Ambrosio O cronograma do projeto FX-2, de compra de 36 caças supersônicos para a Força Aérea Brasileira, uma concorrência que pode alcançar valor total de US$ 2 bilhões, está entrando na reta final. Os três concorrentes fecharam contratos com empresas brasileiras que serão as beneficiadas com a transferência de tecnologia prevista, a parte do contrato considerada decisiva para a escolha do jato que substituirá os veteranos Mirages da 1ª Ala de Defesa Aérea, baseados… Read more »

COMANDANTE MELK

Aliás, olha o JB puxando sardinha pro lado dos gringos…

Dalton

Bem-vindo ao clube Bosco!

Como diria o Chapolin Colorado…”sigam-me os bons” e…”nao contavam com minha astucia”.

Tiago…

Eles realmente mudaram o nome “Growler” para “Grizzly”…sabe aquele ursinho…

abraços

Democracia

TESTE

Hornet

amigo COMANDANTE MELK, “Bobo é quem pensa que americano é bobo…” eu diria de outro modo, os norte-americanos são muito profissionais e muito competentes. Eu acredito que se os EUA entrarem pra valer na disputa da parceria aeroespacil (e não apenas de venda dos caças) com o Brasil, é difícil perderem. Eles só precisam provar que merecem nossa confiança neste quesito, no quesito da parceria (que envolve TT e mais uma série de coisas). Provando isso, acho que o Super Hornet dispara na frente em termos técnicos e também políticos na hora da escolha final. Pena que não sabemos o… Read more »

Aurélio

Como brasileiro e patriota me sinto muito bem, vendo os americanos arriando as calças para nos venderem uns míseros 36 caças. Tudo isto graças a diversificação das nossas exportações. Hoje os americanos não podem mais nos fazer ameaças do tipo : olha não compro mais nada de vocês! O próprio Obama já falou para o LULA, que êle deveria reforçar o mercado interno brasileiro e não contar com o mercado americano. Logo nada mais simples para o Presidente LULA do dar o O.K. para o ministro Nelson Jobim, fechar a compra com a França. Aliás transferência de tecnologia, só com… Read more »

COMANDANTE MELK

Amigo Hornet,

eu creio que de fato se os americanos fizessem como o ministro Jobim já comentou, “tratar o Brasil como um igual´´ e interessados em uma “real´´ parceria com nossa industria e forças armadas, não teria pra nimguem, os americanos levariam com a maior facilidade.

Mas, sabemos que não é bem assim, e portando nos encontramos nessa novela FX2 sem um final definido…

Gtato.

COMANDANTE MELK

Opz, Grato.

Sonic Wings

Nunão, valeu pela dica. Abs

kamaleao

OMTEM PASSOU UM REPÓRTAGEM SONBRE O CACAS AMERICANOS
NA RECORD HJ VAI PASSAR MAIS
O JORNAL JA COMECOU MAIS ACHO QUE DEVE SER MAIS NO FINAL ASSITAM
E PARESSE QUE HJ VAIS SER MASSA
UMA MATERIA QUE FALA SOBRE A COMPRA DAS AERONAVES QUE O BRASIL QUE
COMPRAR

FLW

Hornet

COMANDANTE MELK,

de pleno acordo.

abração

ps. Os EUA, se quiserem mesmo ter chances no FX2, precisam mudar sua postura em relação ao Brasil. Caso não mudem, não têm chances nenhuma no FX2. Os EUA precisam entender que o mundo mudou, e o nosso país também mudou, não dá mais pra impor condições ao Brasil. Continuamos e seremos sempre países amigos, mas não precisamos mais ser dependentes e nem bajuladores dos EUA…Aliás, a cada dia que passa somos menos.

Sonic Wings

Pessoal, sendo bastante imparcial (hahaha).

Achei a apresentação do GRIPEN a melhor! O reporter até teve o gostinho de comandar o bicho, enquanto que os franceses liberaram só o simulador…

Abs

Últimas Notícias

O Gripen E vai igualar e, em muitos casos, ser melhor do que os atuais caças de quinta geração, afirma o Chefe da Força...

A Saab apresentou os seis primeiros Gripen E produzidos em série e que em breve ficarão prontos a Força...
- Advertisement -
- Advertisement -