Home Indústria Aeroespacial F-X2: Proposta da Dassault inclui fabricação do Rafale no Brasil

F-X2: Proposta da Dassault inclui fabricação do Rafale no Brasil

211
206

rafale-b-2

A disputa pela encomenda brasileira por novos jatos está ficando cada dia mais acirrada. A francesa Dassault apresentou uma proposta na qual se dispõe a construir no Brasil os 36 caças de múltiplo emprego a serem encomendados no lote inicial do projeto F-X2. A oferta busca seduzir o governo com o aceno de gerar centenas de empregos na Embraer, que dispensou mais de 4 mil funcionários em fevereiro, causando incômodo no Palácio do Planalto. “Essa é uma decisão exclusivamente do governo brasileiro. Nós deixamos em aberto a opção de abrir uma linha de montagem no país”, afirmou ao Valor o diretor da Dassault no Brasil, Jean-Marc Merialdo. Na semana passada, a Boeing, outra concorrente, esteve em Brasília apresentando uma proposta melhorada.

O relatório técnico da FAB avaliando os três fornecedores que chegaram à fase final da concorrência está perto de uma conclusão. Disputam um contrato estimado em mais de US$ 2 bilhões, além da Dassault (com o Rafale), a sueca Saab (Gripen NG) e a Boeing (F-18 E/F Super Hornet). A análise da FAB abrange critérios comerciais, técnico-operacionais, logísticos, de compensação comercial, industriais e de transferência de tecnologia. O mercado espera uma decisão no fim do ano.

Segundo o representante da Dassault, a empresa obteve autorização do governo francês para a “transferência total de tecnologia” à Aeronáutica e à indústria de defesa brasileira para a construção dos caças, o que inclui a abertura dos códigos-fonte. Às vésperas da escolha do novo caça da FAB, a Dassault assinou acordos de cooperação com 38 entidades e indústrias brasileiras, em um total de 65 projetos. A Embraer é naturalmente a principal peça do programa de cooperação, mas envolvem ainda empresas médias como Mectron, Atech e Aeroeletrônica. Merialdo assegurou que não há restrições para transferir conhecimento nos sistemas de integração de armamentos e no data link (sistema responsável pela comunicação entre caças e com as bases terrestres), áreas de interesse da FAB.

Por compartilhar valores com o Brasil e desejar o fortalecimento de sua posição na arena internacional, o governo francês tem um “acordo estratégico” com o país e a Dassault quer construir uma “parceria de longo prazo”, disse Merialdo. Para ele, a Embraer tem “um grande potencial” para trabalhar com a empresa no desenvolvimento de produtos, com a vantagem de não competir nos mesmos segmentos, como os jatos comerciais de médio porte.

A Dassault ainda detém 0,9% das ações da Embraer, mas desta vez não há nenhum tipo de associação – vetada na atual concorrência da FAB – entre as duas. É o contrário do que ocorreu no F-X original, engavetado no início de 2005 por decisão do presidente Lula. Na ocasião, elas disputavam com o caça Mirage 2000 BR, de uma geração anterior à do Rafale. Agora, a Aeronáutica definiu que o fornecedor deverá obrigatoriamente dividir seus conhecimentos com a Embraer, dentro de um programa de longo prazo de transferência de tecnologia.

Na recente visita de Lula à Itália, onde participou com Sarkozy da cúpula do G8 ampliado, surgiu a notícia – sem confirmação do Palácio do Planalto – de que ele teria dito ao presidente francês que já havia um vencedor da concorrência. O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (Cecomsaer) afirma que a comissão do F-X2 se atém ao relatório técnico, que dará subsídios à decisão do governo. Em última instância, no entanto, Lula e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, um francófilo assumido quando o assunto é o reaparelhamento das Forças Armadas, podem fazer uma escolha política.

Além de ter levado o Rafale para a fase final do F-X2, o Brasil fechou recentemente a compra de 51 helicópteros Cougar EC-725, que serão fabricados em parceria com a Helibrás, e de quatro submarinos convencionais da classe Scorpène, além de um casco maior – desse mesmo modelo – para acomodar o reator nuclear desenvolvido pela Marinha.

Na acirrada disputa com americanos e suecos, Merialdo ressalta que o Rafale “é um programa novo, mas maduro”. O primeiro caça entrou em serviço em 2001, já foi usado em missões de reconhecimento tático e de ataque ao solo na Guerra do Afeganistão, e há cerca de 70 unidades na frota da Força Aérea Francesa. O número deve subir para 294 aviões.

Críticos do Rafale apontam a falta de escala e os problemas no histórico de cooperação com o Brasil – a FAB operou durante décadas o Mirage III – como pontos frágeis da Dassault. Merialdo atribuiu a ingerências políticas derrotas em concorrências na Coreia do Sul e em Cingapura, mas destacou que o Rafale disputa o fornecimento de mais de cem caças para a Índia e antevê possibilidades de venda à Suíça, Grécia e Emirados Árabes.

Em 12 de junho, os três fornecedores da lista final da FAB entregaram suas respectivas “melhores e últimas ofertas” na concorrência do F-X2. Trata-se da Bafo – a sigla em inglês de “Best and Final Offer” -, como é conhecida no jargão militar.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

Subscribe
Notify of
guest
206 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ricardo
10 anos atrás

Bom depois de tudo exposto, fica a pergunta aos críticos de plantão.

Porque não o Rafale…

Eu ja adianto o minha visão do caso, Grippem ta fora por não atender a MB… Então a coisa fica bem clara entre o F/A-18 e o Rafale, so não ve quem não quer…

COMANDANTE MELK
COMANDANTE MELK
10 anos atrás

Senhores, esta é mais uma boa noticia para o Brasil, apenas não concordo quando dizem que o ministro da Defesa, Nelson Jobim, é um francófilo assumido, isso nas entrelinhas é uma forma de desacreditar a opinião pública(numa hipotética escolha do Rafale) nas qualidades técnicas e na proposta comercial do vetor francês. Não estou querendo dizer com isso que a proposta francesa é a melhor, mas apenas mostrando as “artimanhas´´ usadas no jogo. Sob a direção do Brigadeiro Saito a FAB tem conduzido até aqui muito bem o FX2, e creio fará a melhor escolha técnica. Embora saiba que a palavra… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Caro Ricardo, a concorrência é da FAB, não da MB. A FAB faz e anda para o que pensa ou quer a Marinha (difícil mudar 50 anos de rusgas e brigas apenas porque agora existe o MD do “Palhaço Veste-Fardas”). No mais, o Rafale que poderá vir para o Brasil não é a versão naval. Aliás, conversando com um outro forista, cheguei à conclusão que o Rafale é mesmo a melhor e mais econômica opção para a Marinha do Brasil… Para a MARINHA DO BRASIL, não para a FAB… _______________ Uma das melhores reportagens sobre o tema. Quase me convenceu.… Read more »

Wolfpack
Wolfpack
10 anos atrás

O Rafale está na frente e q

Wolfpack
Wolfpack
10 anos atrás

O Rafale está na frente e só uma pessoa pode mudar isso, Barack Obama, basta um telefonema e uma oferta, um BAFÃO. Tá resolvido a parada. O Gripen é o patinho feio da história, mas porque não? Já o que pesa contra o Rafale é esta dependência superavitária com a França. Tudo vem de lá. Parece a Venezuela com a Russia. O Brasil não pode fechar as portas para os Estados Unidos, e deve compensá-los de alguma forma assim como com os Suécos. Perdemos algumas concorrências de forma desleal nos mercado americano com o Super Tucano, mas lembro que o… Read more »

Patriota
Patriota
10 anos atrás

O Rafale já venceu desde o inicio os franceses já tinham a melhor proposta, o gripen NG não existe e nem a Suecia demostrou interesse em adquirir , o F-18 tem restrições a transferencia de tecnologia e abertura de codigos fonte.
Agora os franceses oferecem o seu caça mais moderno e ainda estão
dispostos a transferir tecnologia , para mim nada mais justo do que a proposta francesa vencer o FX2.

joao terba
joao terba
10 anos atrás

O Brasil tem um acôrdo assinado com a França,uma parceria a longo plazo,só isso já é o suficiente para que venha o Rafale.
abraço.

Hornet
Hornet
10 anos atrás

“O Rafale está na frente e só uma pessoa pode mudar isso, Barack Obama”… Pelo visto, isso pode acontecer sim (se é que o Obama já não está trabalhando nisso). Segundo uma entrevista publicada no site Defesa Brasil, com Michael Coggins diretor da Boeing: “DB – Até hoje não saiu a notificação da DSCA ao Congresso dos Estados Unidos sobre a possibilidade de venda (FMS) do Super Hornet ao Brasil. A que se deve essa falta de notificação? Não seria um sinal de que a proposta ainda não conta totalmente com o aval do governo norte-americano? MC – No caso… Read more »

Baschera
Baschera
10 anos atrás

Hornet,

Bem lembrado…… aliás, recomendo a todos a leitura na íntegra da matéria do DB.
Já as matérias do FSP/Jânio de Freitas, recomendo que se use no lugar do papel higiênico, com todo o respeito ao trazeiro de quem for fazer isto.

Sds.

F-15
F-15
10 anos atrás

Putz, olha essa foto do Rafale *_* é muito lindo esse caça de frente

A meu ver a frança percebeu que o Brasil já é um país importante no cenário mundial e está fazendo de tudo pra ser um dos nossos principais parceiros.

Estou torcendo pra dá Rafale desde o começo.

WAR
WAR
10 anos atrás

Só muda, se o Obama oferecer os F35 “bem baratinho” ou os Raptor… Como isto é impossível, voila les Rafales au ciel de Bresil.. Vive la France…E le Bresil

WAR
WAR
10 anos atrás

Só muda, se o Obama oferecer os F35 “bem baratinho” ou os Raptor… Como isto é impossível, voila les Rafales au ciel de Bresil.. Vive la France…Et le Bresil

kaleu
kaleu
10 anos atrás

Lindo ?

As entradas de ar parecem do F/A-18 Hornet C/D …

kaleu
kaleu
10 anos atrás

Caro COMANDANTE MELK,

O Senhor Jobim não está sendo respeitado porque não se dá o respeito … é falastrão, precipitado, se fosse realmente profissional manteria aquela bocarra fechada como fazem HOMENS de … fato como é o caso do Cmte Saito.

Essa queda de braço Políticos X Militares já aconteceu no FX-1 e deu no que deu … a continuar nessa tuada o Sr. NJ não dura muito no cargo … é minha opinião !

abraço
Kaleu

Rodazol
Rodazol
10 anos atrás

F22 e F35 sem trasf. de tecnologia ta fora de cogitação 🙂

Felipe CPS
Qual a diferença do Rafale F3 da marinha para o da aeronautica? Pelo que sei o F3 é completo, sendo necessária a remoção do canhão de 30mm para operar no NAe, por causa do peso.

O Rafale realmente parece coisa do futuro nessa foto, de frente.. pena q de cima/traz ele seja tão feio

Rodrigo Marques
Rodrigo Marques
10 anos atrás

Ah! eu não quero primeiros os 36 fabricados no Brasil!!! ( vai demorar muito até aprendermos tudo) Mande-os logo pra cá e os outros 100 a gente faz aqui… hehehe Fazemos até uns 36 para MB também, para o futuro NAE 🙂

kaleu
kaleu
10 anos atrás

O Sr. Jean-Marc Merialdo, afirmou que:

– “… há cerca de 70 unidades na frota da Força Aérea Francesa. O número deve subir para 294 aviões.”

Só esqueceu de mencionar que a dassault, até jun/09, só fabricou 68 unidades dos quais 26 são da marinha … deve estar contando os 2 protótipos da dasaault, né ?

Provavelmente na cabeça dele os caças embarcados não deixam de ser “força aérea” … é … deve ser isso !

http://en.wikipedia.org/wiki/Dassault_Rafale

abraços
Kaleu

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Kaleu, só completando: ver o Jobim envergando o camuflado do Exército foi a coisa mais insólita que vi nos últimos tempos: ELE NÃO É MILITAR E NÃO TEM O DIREITO DE VESTIR FARDA DE QUALQUER FORÇA ARMADA!

Só no Brasil mesmo: cria-se um Ministério da Defesa para botar um CIVIL no comando e o que ele faz? Se “traveste” de militar… Uma vergonha…

kaleu
kaleu
10 anos atrás

O Sr. Jean-Marc Merialdo, afirmou que: “A francesa Dassault apresentou uma proposta na qual SE DISPÕE A CONSTRUIR NO BRASIL OS 36 CAÇAS de múltiplo emprego a serem encomendados no lote inicial do projeto F-X2. … “Essa é uma decisão exclusivamente do governo brasileiro. Nós deixamos em aberto a opção de abrir uma linha de montagem no país” Essa sim é uma informação importante … porém não é uma “linha de montagem” pois não queremos importar o avião desmontado e montar aqui como a Helibrás … queremo FABRICAR as peças aqui no Brasil … ESSE TRECHO DEVERIA SER MELHOR EXPLORADO… Read more »

kaleu
kaleu
10 anos atrás

Felipe Cps … de fato é ridículo … uma piada …

Ricardo
10 anos atrás

“…Caro Ricardo, a concorrência é da FAB, não da MB. ”

Felipe não seja ingênuo…

Eu sei que é a FAB, mas para que ter duas linhas de montagem, treino e logística para atender a FAB e a MB sob o ponto de Vista do Min da Defesa se pode simplesmente ter os dois em um só…

Diga para mim onde este aspecto não tem sentido com os nossos parcos fundos para sustentar tudo isto ?

Ingenuidade nesta hora deve ficar guardada na gaveta nê ?

Igo
Igo
10 anos atrás

Hornet,

Cada um entende a entrevista como bem entender, mas a frase do carinha da Boeing dizendo que o acordo depende do congresso e não da Boeing é tiro no pé. Falar que isso é um ponto forte, eu considero um absurdo. Os caras não tem autonomia pra oferecer nada, nada foi aprovado pelo congresso americano, o cara entregou os pontos na entrevista.

Sds,

Getulio - São Paulo
10 anos atrás

O único caça de Força Aerea em produção hoje é o Rafale. Eu acho o F-18 um excelente caça, optaria por ele para substituir os F-5. O que ocorre é que ele é um caça naval, de dois lugares e a FAB procura um caça de força aerea de um só lugar. O F-18 é tudo redundante face a característica naval para porta aviões, é um avião ultra resistente a choques, portanto mais caro. A FAB acha que é desnecessário essa redundância para um caça, portanto, acredito que a cartada já está lançada. o Gripen NG nem em produção está,… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“A francesa Dassault apresentou uma proposta na qual se dispõe a construir no Brasil os 36 caças de múltiplo emprego a serem encomendados no lote inicial do projeto F-X2.”

Hilário, deixa o “sindicato dos metalurgicos” da França saber disso…
Nem em concorrencias européias a França é assim “boazinha”, só pq é o Brasil que ela vai ser, c/ montes de empregos a perigo na própria casa.
Me engana que eu gosto!!!

Getulio - São Paulo
10 anos atrás

Em tempo: 36 a 40 F-18 super hornet para substituir os F-5 valorosos, por uma nave a altura, que na marinha americana substituiu aviões notáveis com o fantástico F-14 Tomcat, etc. Pessoalmente compraria este para substituir a maioria das aeronaves da FAB.
Posteriormente, como a India abriria um novo programa FX-3 para comprar ou fabricar um caça de 5ª geração, como o F-35, que daqui a dez anos será insuperável nos céus do mundo.

Hornet
Hornet
10 anos atrás

Igo,

pode ser. Mas só coloquei o trecho da entrevista do DB porque acho que tem importância sabermos que, ao que parece, o próprio governo dos EUA está interessado no FX2. E como geralmente essas negociações são feitas de governo para governo, de país para país (e não de empresas para país), então é um detalhe a mais.

Se isso é bom ou ruim, se será levado em conta ou não…não sei dizer.

abração

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“O único caça de Força Aerea em produção hoje é o Rafale.” Por uma caso jé te apresentaram um tal de EF-2000 “Eurofighter”, que p/ cada “meleca” Rafale vendido somente á França tem uns 8 ou 9 vendidos p/ Alemanha, Espanha, /Itália, Reino Unido, Austria e Arábia Saudita??? “O F-18 é tudo redundante face a característica naval para porta aviões, é um avião ultra resistente a choques, portanto mais caro.” Como a base instalada de F-18E/F deve ser por baixo umas 5 vezes superior á do “meleca” Rafale, o avião mto caro é o frances devido a pequenesa de suas… Read more »

Rodazol
Rodazol
10 anos atrás

Getulio, vc se enganou quanto ao superhornet, ele tem versão biplace sim, mas também tem mono., olha a foto aqui pra comprovar 😀
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/ac/F-18E_landing_06-10304cr.jpg

Agora virou concurso de piadas, quem contar a pior leva o FX-2…

Sonic Wings
Sonic Wings
10 anos atrás

Srs. fazendo um análise fria penso que vai dar SH, mesmo com toda esta gentileza francesa e melhor oferta sueca (na minha opinião). Acontece que neste processo de reaparelhamento das FA alguns países já estão se beneficiando com as vendas para o Brasil, cito: França, Israel, Italia, Russia já abocanharam alguma coisinha por aí. No entanto Tio Sam também deve receber o “faz-me rir” e me parece ser a melhor oportunidade deles uma vez que o Brasil tem enormes interesses no mercado aereo americano, e não vejo grandes possibilidades dos EUA nas negociações com Marinha e EB, pelo menos não… Read more »

Sonic Wings
Sonic Wings
10 anos atrás

Agora com respeito a entrevista americana…

Gosto do estilo americano, sim ou não, não há meias palavras ou dúvidas. Não há talvez ou pode ser. Embora tenho lido muitos nãos hahaah.

Abs

Sonic Wings
Sonic Wings
10 anos atrás

*tenha lido

Igor
Igor
10 anos atrás

Apesar de ser do “governo” americano, o congresso pesa mais na decisão. Então nesse caso, SH pode ser uma fria. Eu sou mais o gripen para realidade da FAB, no entanto a melhor proposta aparentemente é da dassault.

Hornet
Hornet
10 anos atrás

Igor,

eu também acho que a melhor proposta é a da França, justamente devido aos problemas que o Congresso dos EUA podem trazer ao FX2. Se não fosse isso, eu preferiria o Super Hornet. Pois acho que fazer uma parceria com os EUA na área aeroespacial seria muito bem vinda. O problema é que as restrições dos EUA são maiores que a vontade deles em vender os caças pra nós…

Mas não sabemos direito o que ainda pode acontecer, se o Obama pressionar o Congresso dos EUA, muita coisa pode mudar…vai saber…

abração

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
10 anos atrás

Prezados
O conjuto da obra francesa ofertado ao Brasil me parece melhor de todas.
sds

Robson Br
Robson Br
10 anos atrás

o Avião é bonito…

Cor Tau
Cor Tau
10 anos atrás

“coisa mais insólita”

rsrsrsrsrs………….

“ver o Jobim envergando o camuflado do Exército foi a coisa mais insólita que vi nos últimos tempos: ELE NÃO É MILITAR E NÃO TEM O DIREITO DE VESTIR FARDA DE QUALQUER FORÇA ARMADA!

Só no Brasil mesmo: cria-se um Ministério da Defesa para botar um CIVIL no comando e o que ele faz? Se “traveste” de militar… Uma vergonha…”

Finalmente alguem desabafa isso……..Concordo mesmo….O sujeito não tem nada a ver com a coisa toda…..Não conhece nada da coisa toda….É MUITA NÓIA NESSE PAIS VIU………………………………..

http://videolog.uol.com.br/video.php?id=460877

http://www.desaforo.com/2009/07/cao-guia-para-cegos.html

http://www.youtube.com/watch?v=wTX4Ik1QrOs

http://www.youtube.com/watch?v=6rMloiFmSbw

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Rodazol: A versão embarcada é o Rafale M (wikipédia em inglês): “Very similar to the Rafale C in appearance, the M differs in the following respects: * Strengthened to withstand the rigors of carrier-based aviation * Stronger landing gear * Longer nose gear leg to provide a more nose-up attitude for catapult launches * Deleted front centre pylon (to give space for the longer gear) * Large stinger-type tailhook between the engines * Built-in power operated boarding ladder * Carrier microwave landing system * “Telemir” inertial reference platform that can receive updates from the carrier systems.” O Rafale que virá… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Ricardo: veja a resposta a seus questionamentos acima. Não tem essa de economia de escala, Rafale F3 e Rafale M são caças diferentes.

Ricardo
10 anos atrás

“…O Rafale que virá para o Brasil, independente de sua nova nomeclatura na Dassault (A, B, C, D, N, F3 ou XYZ), NÃO será a versão embarcada (do Aéronavale) e sim a comum, do Armée de l´Air. Essa história de operar ele no Opalão é viagem de torcedor, ainda mais que a FAB não está nem aí para a MB (rixa histórica de quase 50 anos) e prefere jogar seus preciosos aviões no mar do que “emprestar” para a Marinha…” Felipe, Falaram a mesmissima coisa do Mi-Mi-35 na FAB com relação a EB, e olha ai, não é que o… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
10 anos atrás

O F-18E virá cheios de restrições e sabotagens do governo americano e além do mais o F-18E é um avião já muito modernizado do F-18A/B/C/D por tanto já chegou ao limite em termos de modernização. O Gripen C que virá para o Brasil tem um raio de combate menor que o F-5 e leva pouco armamento em comparação com o Rafale e o F-18E além disso é claro o Gripen C possui aviônicos americanos e tambem sofrerá algumas restrições. O Rafale C que virá para o Brasil é um avião caro e só homologado para operar equipamentos franceses à versão… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
10 anos atrás

Ricardo

Se falar em Mi-35 um exelente avião que poderia ser usado para substituir o São Paulo e os A-4 seria o Su-34 que poderia operar em terra sairia bem mais barato.

Marcos T.
Marcos T.
10 anos atrás

A minha pergunta é:
Será que o negócio dos Scorpenes não são parte do “pacotão” do Fx-2?
Cara, olha a grana que o Brasil vai dar para os Franceses só nesses dois negócios.(eu acredito que o Rafale já levou essa)

Angelo Nicolaci
Angelo Nicolaci
10 anos atrás

O SAAB Gripen NG ainda é um dos favoritos pela FAB, e os requisitos tecnicos do FX-2 não tem qualquer exigencia de capacidade naval para tal caça, pois a MB tem um numero irrelevante de aeronaves, o que não justifica exigir a compra cara de vetores como o Rafale pra FAB com a intenção de dotar a MB de uns 20 caças navais, o Gripen pode ter o desenvolvimento de uma versão naval, esta em vias de estudo, pois até a India demosntrou interesse numa versão embarcada do Gripen em OFF. Mas mesmo que a MB compre caças usados é… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
10 anos atrás

O Brasil comprou o scorpetone porque quis o Amur 1650 iria cair como uma luva, espero que ele seja fabricado aqui no Brasil como é na Malásia e India e que tenha tecnologia AIP.

Angelo Nicolaci

Cara o Gripen NG nem saiu do papel e mesmo assim não atende os requisitos da FAB por conter equipamentos americanos e alcance menor que os F-18E e Rafale´s.

Raphael Barros
Raphael Barros
10 anos atrás

Angelo Nicolaci

O Brasil precisa de um avião moderno que seja capaz de patrulhar todo nosso espaço aéreo e naval para ONTEM

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Ricardo: Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, como diz o ditado (rs). Uma coisa são helicópteros que vão executar uma missão senão igual, similar, tanto na FAB quanto no EB. Outra coisa é um caça que decola e pousa de uma pista de 2 quilômetros e um que decola e pousa de uma pista em “sobe e desce” e em movimento tridimensional (pros quatro lados e pra cima e pra baixo) de 265 metros. “para que ter um Caça diferente na FAB e na MB se pode ser um so para ambos” O problema é exatamente… Read more »

Rodazol
Rodazol
10 anos atrás

O Gripen NG, em teoria (nos numeros apresentados), bate o Rafale e o F/A-18 SuperHornet em quase tudo. Existe uma tabela comparativa no site do DefesaBR: http://defesabr.com/FAB/fab_novofx.htm#Conco Vale lembrar que são apenas numeros e nada foi testado ja que o Gripen NG eh soh um projeto 😛 A versão que viria para o Brasil, no caso da SAAB ganhar, seria a versão NG, e não a ‘C’, mas acho improvavél sua concepçao e produção de 36 caças para 2014… conversa pra boi durmir 😛 O Rafale, Gripen e F/A-18 serão todos modificados para utilizar armamento da FAB (vide requisitos e… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Raphael Barros: “Se falar em Mi-35 um exelente avião que poderia ser usado para substituir o São Paulo e os A-4 seria o Su-34 que poderia operar em terra sairia bem mais barato.” Mi-35 é um HELICÓPTERO!!!! Como é que vai substituir os A4??? E com o Su-34 a MB teria que aposentar seu Opalão, o que, esqueça, não vai rolar nem a pau Juvenal (embora eu pessoalmente seja contra Porta-Aviões pro Brasil)… No mais meu caro, não foi o Gripen C que foi oferecido pela Saab à FAB, e sim o Gripen NG, que atende a todos os requisitos… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
10 anos atrás

Felipe Cps Eu sei que o Mi-35 é um helicoptero modernizado derivado do Mi-24 e o EB precisa de mais Mi-35, Black Hawk e um helicoptero de ataque como o Mi-28N, A-129 Mangusta ou Ka-52 esses são os melhores para o Brasil. O Su-34 e o Mi-35 são russos por isso que eu fiz a comparação o São Paulo e os A-4 já passaram da hora de se aposentar, o Su-34 daria um ótimo avião de ataque naval para a MB ele poderia ser operado em terra junto com o futuro FX-2 claro isso só iria acontecer quando se a… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
10 anos atrás

Felipe Cps E um caça totalmente brasileiro tem que ser 100% brasileiro e não derivado de um avião com pouco alcance, pouca carga de combate e cheio de problemas. O melhor projeto que o Brasil poderia se INSPIRAR seria nos Flankers russos que são os melhores aviões de combate da atualidade e que dariam conta do tamanho no nosso país só para ter uma ideia um Su-35BM equivale à 2 Rafales, 2 F-18E e 4 Gripens C. Mais fazer o que né Tio Sam nunca vai querer um país como operando um avião 95% nacional baseado em um projeto russo… Read more »