segunda-feira, abril 19, 2021

Gripen para o Brasil

F-X2: Boeing facilitará entrada de empresas nacionais nos EUA se vencer concorrência

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

vinheta-clippingFinalista no processo seletivo que irá escolher o próximo caça da Força Aérea Brasileira, a Boeing vai usar a possibilidade de fornecedores brasileiros exportarem para o mercado americano como ponto a seu favor na disputa que envolve outros dois fabricantes – a francesa Dassault e a sueca Saab.

Michael Coggins, diretor de desenvolvimento de negócios internacionais do setor militar da Boeing, diz que a companhia já assinou termos de compromisso com 25 fabricantes de componentes do Brasil. Essas empresas estão em São José dos Campos, cidade do interior de São Paulo que concentra a maior parte da indústria aeroespacial, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul.

Essa base de fornecimento, que a fabricante de aeronaves americana prepara, inclui empresas como a Embraer, Avibras, Mectron e Atech. No caso das empresas menores, a Boeing poderá transferir a tecnologia necessária para o fornecimento de peças para o programa chamado F-X2. Com relação à Embraer, não se trata de transferência, mas de uma parceria de conhecimento para definir como dois grandes fabricantes de aeronaves podem atuar em conjunto no mercado aerospacial mundial.

Coggins, um dos executivos da Boeing que fazem plantão no Brasil nos últimos momentos da disputa pelo contrato da FAB, diz que as possibilidades de negócios para fabricantes de componentes brasileiros aumentará se a Boeing vencer. Numa comparação da força do mercado de origem da Boeing em relação aos concorrentes, o executivo argumenta que o mercado americano de defesa é “cem vezes maior que o sueco (Saab) e dez vezes maior que o francês (Dassault)”.

Coggins reforça que as oportunidades de negócios para os fabricantes de peças do Brasil ultrapassam o contrato dos aviões caça da Força Aérea Brasileira. “Quando passamos para um novo fornecedor os detalhes, por exemplo, da elaboração de um pneu para aeronave, ele tem de saber para quem mais pode vender aquela peça”, afirma o executivo. O segmento de defesa da Boeing representa a metade da receita anual de US$ 67 bilhões da companhia americana.

O diretor da Boeing afirma, ainda, que o governo brasileiro já foi atendido no que diz respeito à transferência de tecnologia e à abertura de códigos fonte que necessita do Super Hornet, a aeronave com a qual a Boeing disputa a concorrência. O executivo se mostra preocupado com uma eventual confusão sobre o que a transferência tecnológica e a abertura de códigos fonte significam nessa concorrência. Segundo ele, a ideia é proporcionar à FAB todo o tipo de conhecimento necessário para o manuseio das aeronaves e inclusão de equipamentos.

A briga pelo fornecimento para o Brasil é acirrada porque trata-se de um dos maiores contratos do gênero. A FAB precisa de 36 caças de múltiplo emprego. As outras duas participantes da disputa – Dassault e Saab – também estão em contato com os fabricantes de componentes brasileiros e deverão usar essa negociação como chamariz na concorrência.

Se vencer, a Boeing terá no Brasil o maior contrato internacional de fornecimento do Super Hornet. A empresa ganhou recentemente um contrato na Austrália, que vai adquirir 24 unidades. Desde o lançamento, em 2001, 400 unidades do Super Hornet foram entregues à Marinha Americana. A expectativa é que a FAB feche a compra dos novos caças ainda neste semestre. O negócio pode envolver US$ 2 bilhões. Coggins estará hoje em Brasília para dar continuidade ao trabalho de convencimento.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
latino

A Boeing ta jogando pesado poderemos ter surpresas !!!!

to no aguardo do vencedor

Hornet

sei lá, mas acho que nem seria mais surpresa.

abraços a todos

Hornet

em tempo:

o que quis dizer é que surpresa não será, pois o Super Hornet está concorrendo…e como um tem que vencer, num universo de 3…não sei se tem espaço para muita surpresa nisso.

Mas acho que a Boeing está colocando, de fato, todas as cartas na mesa.

Se há um favoritismo para o Rafale (e creio que há, devido ser o preferido do MD), a Boeing está equilibrando o jogo na reta final.

abraços a todos

Tiago Jeronimo

Espero que o escolhido seja o SH mesmo 😀

Robson Br

Hornet
Tenho a impressão que o universo é de 2, ou seja, 50%.
Um tem a vantagem do acordo de cooperação, o outro o do financiamento. Acho que isso é que vai pesar.

Cantarelli

Ai tem coisa estao promentendo muito quando se trata dos EUA

Lucas Calabrio

Neste particular os americanos dificilmente deixam de cumprir com o que prometem podem até retardar, diferentemente dos franceses

Lucas Calabrio

eles não são de prometer mundos e fundos como os franceses dão o céu e depois é um inferno.

jc

Na reta final parece que o SH acelera. TOMARA!

Giovani

A compra do F-18 pode ser uma aproximação maior entre Brasil e USA, os Franceses abocanharam uma carteira de US$ 17 Bilhões com os Submarinos e Helicópteros talvez o Governo queira buscar outro parceiro. Pelo que vi no acordo entre Brasil e França para os Subs eles não vão nos abrir a Porta da Esperança então precisamos esperar coisa diferente com o Rafale.
Minha preferencia está dividida entre o Rafale e o F-18.

Baschera

Repararem… a Boeing NUNCA diz textualmente que irá produzir ou até mesmo co-produzir o F/A-18 SH no Brasil. Falam em parceria com a Embraer e tal…. mas que parceria cara-pálida ?? Ficam enchendo a bola dos possíveis negócios com os pequenos fabricantes e fabricação local de peças….. Acho que, se vencer, não fabricarão e nem montaremos o caça aqui. Não sei não, não estou gostando destas notícias da Boeing. São apenas jogos de palavras e promessas. Parece assim : compre, depois vamos ver !! Lucas Calabrio, “Neste particular os americanos dificilmente deixam de cumprir com o que prometem podem até… Read more »

Lucas Calabrio

Prezado Baschera

Sei muito bem que neste mercado como disse um participante o mais amigo é o conde drácula. Certa vez postei o seguinte que caso desse a boeing que como condição de dar prosseguimento ao f-x2 que fosse cumprido o contrato do sivam e um determinado participante disse pra mim esquecer pois ja estava quase tudo nacionalizado (achei estranho mas não quis polemizar pois estava muito cansado e acabou que deixei de lado principalmente por achar que fosse dar o gripen ou o rafale. Lembrando que eu disse dificilmente e é sabido a folha corrida do usa.
Abraço Baschera

Lucas Calabrio

Baschera confime se procede essa nacionalização do sivam.
sds

Patriota

Para mim esta proposta da Boeing não faz muita diferença pois o FX2
tem compromisso com a estrategia de defesa nacional e não com
empreendimentos na area civil , se os americanos não transferirem a tecnologia que queremos não temos motivos para fazer acordos com eles.

Hornet

Robson Br,

concordo com vc. Mas é que oficialmente são 3, né?…hehe

abração

Hornet

Baschera, acho que se a Boeing não apresentou uma proposta realmente convincente no quesito parceria e TT, creio que não tem como o Brasil fechar o negócio com os EUA. o MD já vem há tempos falando que este quesito será o definidor e pelas últimas declarações do Jobim: “Jobim garante que não está tratando da licitação do FX-2 em Paris, mas viajará na quinta-feira a Toulouse para voar em um Rafale – como já fez em um F-18. Ele sustenta que não há preferências, mas demonstra desconfiança em relação à intenção de norte-americanos e suecos de transferir tecnologia, uma… Read more »

Sonic Wings

Como foi citado no blog o caso. Recordar é viver….

Relembrem a historia do SIVAM e os EUA:

http://www.terra.com.br/istoe/1713/brasil/1713_radar_da_polemica.htm

Henrique

Olha a proposta dos caras:

Nós deixamos vc´s serem fornecedores de algumas peças. E como “canja” ainda ensinamos.

Em outras palavras:

– Continuem fornecendo matéria prima boa e barata que nós continuamos a processá-la e revendê-las pra vc´s novamente.

500 anos fazendo isto!

Lucas Calabrio

Prezado Hornet
Então deu Rafale. Por essa colocação e tem mais começo a pensar seriamente que no Conselho a MB deverá ser simpática ao Rafale pois os franceses foram os únicos a proporem a construção do SNB.
sds

Lucas Calabrio

digo ajudar na construção

Lucas Calabrio

e tem até hoje como bem lembrou o Baschera a não entrega por parte da Raytheon americana, (foi prometido uma contrapartida comercial no projeto) dos treinadores americanos (projeto JPATS) para a Embraer…. estamos esperando até agora !!!
sds

Lucas Calabrio

Pelo visto seja o que Deus quiser.
Como sempre

Hornet

Lucas, eu acho que o Rafale é o mais cotado e desde o início achava isso, devido a proposta francesa ser a mais completa. Eu nunca discuti o FX2 em termos isolados (quem voa mais alto, quem tem o melhor não sei o quê etc.), sempre discutia levando em conta a proposta toda. Não era apenas o caça, era o caça e tudo o mais que os requisitos do FX2 pediam que seriam avaliados e julgados. Como estão sendo, de fato. Eu acho que o Super Hornet equilibrou o jogo devido ao fato de ter sido escolhido (sempre lembrando que… Read more »

Hornet

Lucas,

e sobre a questão da MB, acho que o voto dela no CDN terá peso na escolha. Claro que todo voto vale um voto apenas. Mas peso no seguinte aspecto: será levado em conta pelos representates do Congresso, que fazem parte do CDN, e pelo próprio presidente e vice-presidente da República (que votam também).

Mas qual será o voto dado pela MB, não sei te dizer.

abração

Paulo

Pessoal da blog vocês não acham muito estranho a essa proposta da Boeing essa tal facilitação da tranferênçia da tecnologia para fabricação, esses acordos que os americanos querem fazer com o Brasil me parece um grande conto de fada- madrim. Eu na minha opinião é só papo-furado,se nós já tivemos vários acordo com os americanos o Brasil nunca vomos felizes na verdade o que está por debaixo do tapetes vermelhos americanos. Aqui eu fico pensado até agora todos os participantes tem a mesma propostas eo pessoal estão dividido a sua opinião,e o governo querem fazer acordo com a França é… Read more »

karlus73

Não sabemos as jogadas de bastidores, não vimos as propostas oficialmente apresentadas e apenas estamos a basear de factos “soltos” e apenas especulativos. Seja quem for o vencedor é precioso saber quais eram realmente as propostas apr4sentadas outros concorrentes. Assim ficaria mais transparente e analisaríamos baseando em factos reais. Não escondo o meu favoritismo pelo SH e isto é o sprint final, a cultura empresarial americana e forte e não brinca em serviço, se caso de ser verdade o que li em relação aos concorrentes finais do FX2 a Boeing está em vantagem. Essa noticia de parceria entre a Boeing\Embraer… Read more »

karlus73

Alguns “e” a mais as minhas desculpas…
Uma perguntar, há forma de editar os nossos comentários? Penso que não… certo…

Virtualxi

Essa dita concorrência já tem suas cartas marcadas a muito tempo.

LBacelar

Cara, eu fico revoltado com esses americanos!!! Só mensagem dúbia, não demonstraram em momento nenhum que pretendem transferir a tecnologia! Putz esperar 10 anos e comprar caça de preteleira é sinistro, Tomara que dê Rafale, não podemos confiar no titio Samuel

alessandro

amigos do blog, acho que o erro foi do nosso governo ao te calssificado para final dois caças que tem equipamentos de origem americana(um americano de fato F18 e um com dependencia de equipamentos americanos gripenNG). Ficamos meio que em um beco sem saída pq só temos como opção para não cair no conto da carochinha americano (embora acho que os franceses tb podem nos contar o mesmo conto). Por mai que não seja um russófilo acho que poderiamos ter tentado negociar mais com os russos para mante-los no fx-2 e assim termos uma 3ª via senão com o Su-35… Read more »

Lucas Calabrio

Prezado alessandro.
COncordo contigo, mas faria de outra forma colocaria no short list 4 finalista e incluiria o su-35 como forma de pressionar mais liberação do máximo possível em TT e/ou como 3 via porque não?

Lucas Calabrio

Outrossim temos que começar a discutir a partir de agora os armamentos e quais as possíveis contribuições que este blog pode dar para em termos de estrátegia pois digo que “eles”sempre leem os blog inclusive em artigo daa ESG tem num dos cadernos de estudos a citação de um blog.
sds

Roberto CR

Hornet “…Boeing apresentou, no BAFO…” E poe bafo nisso. Eu quase parei de ler o post já no primeiro parágrafo: ” …a Boeing vai usar a possibilidade de fornecedores brasileiros exportarem para o mercado americano como ponto a seu favor na disputa…”. POSSIBILIDADE!?!?!?!?! Olha, O Brasil não é o supra sumo do mundo, mas já temos a algum tempo empresas que podem fornecer peças ao mercado norte-americano de aeronaves civis. Não precisamos dessa POSSIBILIDADE pois já a temos. Não entramos mais nesse mercado justamente porque ele também é protegido. Achei meio desrespeitosa essa afirmação ou foi, no mínimo, falta de… Read more »

kaleu7

Off Topic : Pessoal, Nunão, vejam isso … FSP, 16/07 Lobby militar francês leva deputados a Paris Temer e outros 7 congressistas foram convidados pela França, que tenta vender 36 caças ao Brasil, para festejos da Queda da Bastilha Presidente da Câmara, que teve viagem e hospedagem pagas por seus anfitriões, afirma que ´´houve um lobby muito saudável e elegante´´ ANA CAROLINA DANI Oito deputados federais visitam Paris a convite do governo francês, que tenta vender 36 caças Rafale ao Brasil. Eles foram convidados pelo Instituto de Altos Estudos de Defesa Nacional, em nome do governo da França, para participar… Read more »

Roberto CR

Kaleu7

Deputado brasileiro é irresponsável mesmo!!! A menos de um mês do fechamento do programa FX-2 e a turma vai para França, com despesas por conta do anfitrião!!!!!!!!!!!!

E Raul Jungmann (PPS/PE) como o presidente da Frente Parlamentar de Defesa Nacional???? Ele tomou um corridão do José Rainha (MST) na época em que era ministro do FHC, que capacidade ele tem para tratar de defesa nacional????????

Essa valeu kaleu7

Abraços

kaleu

Os Franceses acharam um “Fértil Terreno”…

Luís Aurélio

Se der super hornet neste FX-2, não haverá nenhuma transferencia de tecnologia, nem mesmo da tinta usada no avião. Não poderemos usar mísseis, que não sejam os permitidos pelos americanos. Será também uma prova de que o brasil continua quintal dos EUA. Lembram do SIVAN ??? O governo americano enfiou os radares da Raytheon coela abaixo do FHC! Lembram do tanque OSÓRIO ? Os EUA mataram o projeto, na casca, não permitindo que a Arábia Saudita comprasse o tanque do Brasil, que foi considerado o melhor na época. E a tecnologia nuclear ? Os EUA, atrasaram , o desenvolvimento da… Read more »

CADU

F-X2: Boeing facilitará entrada de empresas nacionais nos EUA se vencer concorrência.

O grupo de empresas que irá visitar a DISNEYWORLD deverá ser identificado como GRUPO BRASILEIRO de AJUDA, todos com crachá e bandeiras dos Brasil nas mãos, seus vistos serão de 6 meses, e não vão precisar entrar en filas, pois estão a nos dar uma força, comprando um caça que não pode mais ser desenvolvido, e que vai ser retirado das forças americanas, no maximo em 10 anos.

GO HOME SUPER HORNET.

Saudações a todos.

Zero Uno

Henrique em 16 jul, 2009 às 0:52

Acho que vc não leu direito sobre o que o cara Boeing disse. Dentre as 25 empresas FABRICANTES – portanto, não são fornecedores de matérias primas (produtos não acabados) – estão: Embraer, Avibras, Mectron e Atech.

SÃO FABRICANTES.

Abração.

Zero Uno

Roberto CR em 16 jul, 2009 às 11:12

O que o executivo da Boeing disse foi sobre o mercado de defesa, o acesso ao mercado de defesa dessas 25 empresas e não mercado civil, não é mesmo? Ou será que estou enganado?

Abração…

Lucas Calabrio

Caro Zero Uno
Neste momento temos que pensar em defesa e depois nos negócios e não no inverso e o ercado vem com o tempo.

Lucas Calabrio

correção
ercado = mercado

José

Agora Americano virou Papai Noel!

Os EUA nunca transferiram tecnologia e nem ajudaram seus fiéis aliados como o Japão, Austrália, Coréia do Sul, Israel e alguns outros, e agora quer ser bonzinho com o Brasil?
Abram o olho!!!

Israel queria desenvolver o ..IAI Lavi.. uma cópia do ..F-16I.. com permissão dos EUA e os Americanos proibiram e vetaram sua fabricação.

E com o Brasil é certesa que não vai ser diferente.

Paulo

Se vencer a boeing facilitar a embraer entrar no mercado dos americanos bhabhabha……, nosso produtos nunca teve ajuda do governo americanos agora vai ter????????.Qualquer que seija o vencedor não vai mudar nada porque a fabricação de altos tecnológia está nos Estados Unidos. na minha opinião é um meio dos americanos espionar a defesa do Brasil bem de perto. Qualquer um ou tal grepin ,ou tal boeing ,ou tal rafale. depende da tecnológia americanos.Nós são sempre barrados também na area espacial é só lobby dos americanos. Se eles vencer vai ser a mesma história.O Brasil vai passar tecnológia para outros países… Read more »

Sonic Wings

Não é possível será que veremos a reedição do caso SIVAM ou pagaremos o olho da cara no escargot francês? Estamos naquela história, se correr o bicho pega e se ficar o bicho come.

Nunão o Gripen está mesmo fora? O que dizem suas fontes? Abraços

Sonic Wings

Enquanto os lobbystas do F-18 e Rafele estão polvorosa a galera do Gripen continua caladinha e isto é muito ruim.

Paulo

A boeing não está dizendo que vai transferir a tecnológia mais sim criar uma parceria com a embraer se o pessoal cair nessa é porque são burros

Paulo

É isso mesmo Sonic Wings o que vai acontecer o bicho vai comer de novo

abraço

Lucas Calabrio

Segundo o garganta profunda do Baschera a decisão está entre bireatores o que exclui o Gripen NG

Zero Uno

Lucas Calabrio em 16 jul, 2009 às 13:46

Não pensei em MERCADOS Lucas. Apenas postei alguns esclarecimentos que julguei nescessários a dois companheiros aqui do Blog.

Apenas isso.

Abração.

Reportagens especiais

Visita ao National Naval Aviation Museum

O Poder Aéreo esteve no National Naval Aviation Museum, o maior museu de aviação naval do mundo, em Pensacola...
- Advertisement -
- Advertisement -