quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

F-35: jogando a pá de cal no programa F-22

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

081001-F-9999X-013

Artigo publicado no Washington Post, assinado pelo Secretário e pelo Chefe do Estado Maior da USAF, justifica o final das encomendas do F-22

O Secretário da Força Aérea dos Estados Unidos, Michael Donley e o Chefe do Estado Maior da Força, General Norton Schwartz assinaram um artigo publicado no Washington Post nesta segunda-feira, 13 de abril, em que são mostrados os argumentos para finalizar a produção do F-22 Raptor com as últimas 4 aeronaves autorizadas para o ano fiscal de 2009. E uma das grandes justificativas do artigo “Moving beyond the F-22” (Indo além do F-22) para o final da produção do Raptor é justamente o início da produção do F-35 Lightning II. Seguem os principais argumentos desenvolvidos no artigo, que vale a pena ler com atenção:

Segundo as duas autoridades, o debate político sobre a continuidade da produção do F-22 foi um dos mais controversos dos últimos tempos, com grande manifestação dos lobbies contra e a favor. Ambos reconhecem que o F-22 é o caça mais capaz do inventário das Forças norte-americanas, com vantagens em furtividade e velocidade, além de sua capacidade de ataque ao solo, apesar de otimizado para combate aéreo. Assim, a questão da continuidade da produção foi analisada sob vários ângulos, levando em conta as prioridades estratégicas que competem com o programa e as alternativas, à luz dos recursos orçamentários disponíveis.

Quando o programa foi iniciado, ao final da Guerra Fria, estimava-se a necessidade de 740 Raptors. Com o tempo e as reavaliações que levaram em conta os novos possíveis conflitos, concluiu-se que um progressivo mix de aeronaves, armas e redes mais sofisticadas produziria o poder de combate necessário com menos plataformas. Combinando essas conclusões aos custos crescentes do programa F-22,  o Departamento de Defesa aprovou em dezembro de 2004 o número total de 183 Raptors. Mas a USAF, baseada em diferentes projeções, já havia chegado a uma conclusão diferente, de que 381 aeronaves seriam necessárias para assegurar baixo risco a uma frota de F-22. Rediscutido o assunto com o Departamento de Defesa, chegou-se a um número de 243 Raptors como uma solução de médio risco.

Porém, desde então, outros importantes fatores foram colocados na balança: as experiências acumuladas em conflitos nos últimos anos, as projeções para os próximos, além do fato de que adquirir 60 aeronaves adicionais do modelo para chegar aos 243 demandaria 13 bilhões de dólares, não provisionados, numa realidade de orçamentos mais restritos, de maneira que comprar mais F-22 significaria comprar menos de outros programas da própria USAF, que não vive apenas de combate aéreo – capacidades de inteligência, vigilância e reconhecimento, comando e controle, espaço e ciberespaço, forças de dissuasão nuclear, e capacitação para o conflito irregular têm que ser atendidas.

Assim, as duas autoridades veem como prudente considerar futuras compras de F-22 numa perspectiva mais ampla de revisão do orçamento de defesa de 2010 pelo presidente Obama, ao invés de uma decisão isolada. Nessa perspectiva, afirmam que deve ser analisada a  relação entre o F-22 e o F-35, que está nos estágios iniciais de produção. As duas aeronaves vão trabalhar juntas nos próximos anos, a primeira otimizada para o combate ar-ar, a segunda para o ar-superfície, porém ambas com capacidades multi-role, já que futuras modernizações na frota de F-22 já estão planejadas. Considerou-se a necessidade da produção do Raptor ser prolongada, como um fator de segurança enquanto o programa F-35 avança para a fase de produção plena. Análises mostraram que essa hipótese seria não apenas cara, mas que, embora o F-35 ainda poderia apresentar problemas a resolver, haveria pouco risco de ocorrer uma falha catastrófica em sua linha de produção. Como muito se espera do F-35, seria então imprescindível mantê-lo no cronograma e no orçamento, chegando o momento de  fazer a transição entre a produção do Raptor e do Lightining II. Some-se a esses fatores a questão de que o trabalho para desenvolver as capacidades de sexta geração, necessárias para o domínio aéreo do futuro, deverá começar logo, nos próximos anos.

Por fim, uma tradução mais literal da conclusão do artigo: ” Nós damos suporte à produção dos últimos quatro F-22 propostos na última requisição suplementar no ano fiscal de 2009, já que isso ajudará na viabilidade a longo prazo da frota de F-22. Mas chegou a hora de fechar a linha de produção (destaque nosso). É por isso que não recomendamos que o F-22 seja incluído no orçamento de defesa do ano fiscal de 2010. Mas não duvidem: o domínio aéreo continua sendo uma capacidade essencial para operações conjuntas de guerra. O F-22 é uma ferramenta essencial no arsenal militar e continuará no nosso inventário pelas próximas décadas. Mas chegou a hora de avançarmos”.

f-22-foto-usaf

Fonte e fotos: USAF

Nota do Blog: recomendamos também a leitura de matéria publicada há poucos dias (clique aqui para acessar) sobre a proposta de cortes profundos na aviação tática da USAF, para uma visão mais geral de todo o processo de revisão de gastos em andamento.

- Advertisement -

180 Comments

Subscribe
Notify of
guest
180 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lecen

Eita… se nem os Estados Unidos com o seu gigantesco orçamento militar pretende aumentar o seu número de caças F-22, imagine o Brasil com o sonho de ter caças PAK-FA.

Talvez não seja necessário (no momento) pularmos já de cara para a quinta geração.

Agora será complicado se escolhermos um caça como um francês RAFALE e irmos para o russo PAK-FA.

Erich Hartmann

Nossa há muito à ser discutido neste artigo/matéria muito interessante,mas o que me chamou muito atenção foi o fato de que para se adquirir mais 60 unidades do Raptor precisariam dispender US$ 13 bilhões ou cerca de US$216 milhões por unidade!

MOsilva

É, quando o assunto é orçamento (ou melhor, a falta dele) não há argumentos (a rima foi involuntária). Obviamente os custos do caça são proibitivos, mesmo para os EUA (ainda mais a crise…). Não é a primeira vez que isso acontece. Um outro detalhe: F-117 retirado de serviço; P-2 com poucas (para os padrões dos EUA) unidades em operação (número menor que o de B-52); F-22 podendo ser cancelado com menos de 200 unidades produzidas. Mesmo que haja o incentivo a produção do F-35 A, este seria equivalente ao F-16 e não ao F-15 (que teria como substituto o F-22).… Read more »

lucas lasota

De fato, ha bastante no que se discutir sobre os cacas de quinta geracao, apesar do nosso coracao bater mais forte quando e falado nesses avioes.

Umas das principais funcoes da aquisicao de um equipamento militar de elevada carga tecnologica sob a hegide das contrapartidas, ou offset e justamente o efeito colateral benefico que traz para a industria do pais comprador.

Nesse raciocinio, a proposta russa seria de grande peso na balanca, apesar de, no momento, os russos estarem correndo por fora.

mas ainda temos muito papo pra manga.

abracos

Marcelo Tadeu

Isso é uma resposta para os negativistas deste blog. Sabe o que isso quer dizer? Os F-16C/D e F-15C/D/E vão voar por muitos anos ainda, fazendo oque? Modernizações pois são ótimas plataformas. E tem gente aqui contra a modernização dos F-5 e A-1!!!

Zero Uno

É… Quando falta a grana, é isso aí. Agora, o F35 vai andar a passos largos mesmo.

Invinvible

O que pode estar acontecendo é o seguinte.

Aeronaves de quinta geração permanecerão na ponta por muitos anos.

Logo eles podem postergar a produção do F-22. Nada impede os EUA de voltar a produzir o F-22 daqui a 10 anos. Ele ainda será uma areonave de ponta e talvez o seu custo de produção poderá ser menor. Eles estão cortando esse projeto pois sabem que sua força ainda é muito superior.

Talvez não seja um cancelamento mas sim um adiamento. Um avião na frente do nosso tempo ou fora do tempo!

Zero Uno

Marcelo Tadeu.

Acho que os EUA não modernizarão mais os F16 e F15. Na minha opinião (claro que podem discordar), o F35 vai sim substituir os dois a médio prazo. Não digo nem longo por que já em 2010 somente 4 unidades de F22 sairão da linha de produção e automáticamente esta linha será substituída (segundo o artigo do blog) pela linha de produção do F35.

Abraços.

Lecen

Eu sou um dos que são contra a modernização dos ultrapassados F-5 e A-1.

Seria muito mais interessante a aquisição de F-15E (ou se possível F-15 SE) como caça padrão da FAB do que manter aviões de terceira geração.

É como se um sujeito quisesse manter o seu velho Pentium II de 300 Mhz com 64 RAM e ao mesmo tempo continuar atualizando os software. Do que adianta? o troço é obsoleto!

Fabio

Ok Ok… F15 Eagle seria ainda um grande avião. F 16 talvez (bom e mais barato), Agora falar em modernizar F-5… aí já vejo um total retrocesso e letargia.. F5 são caças a muito tempo obsoletos. O Ideal para o Brasil seria adotar o Rafale como caça transitório e tampão emergencial e já pensarmos em desenvolvimento de um caça de 5ª geração. A tecnologia é algo que não exige volta ou retrocesso e o mundo hj a muito se baseia na tecnologia Stealth. Rafale por uns 5 a 10 anos com um Stealth na gaveta. Aliás se o Brasil de… Read more »

Zero Uno

Lecen…

Acho que vc esqueceu que muitos F15 da USAF – inclusive os do Japão que são mais novos – estão no chão por fadiga estrutural? Que a USAF terá que substituir com URGÊNCIA 1/3 de sua frota de F16? E chegaram à conclusão que moderniza-los não seria compensador e sim adquirir e fazer acelerar o programa F35 para a substituição desses caças inclusive o F18 que irá ficar no inventário da US Navy ainda por algum tempo até sua completa substituição?

Abraços.

Abraços.

Marcelo Tadeu

O custo de manutenção de um F-15 é astronomico!!!

Zero Uno

Marcelo Tadeu…

Tem razão.

MOsilva

Um fato a ser ponderado: a frota de F-15 e F-16 dos EUA está no limite da vida útil para grande parte das células. Assim, há cerca de 1000 aparelhos que estão em vias de substituição. Não creio que o F-35 possa substituir tanto os F-15 quanto os F-16 e mesmo que isso ocorra, levará uma década para que a produção seja suficiente para repor os modelos em final de vida útil. Assim, penso que: -Os EUA devem diminuir (em muito) o número de aeronaves de suas FFAA. -Haverá uma demanda imediata para o SH-18. -A Boing poderá reabrir a… Read more »

Marlos Barcelos

vcs já pensaram que a tecnologia anti-stealth tenha se desenvolvido a ponto de não ser interessante gastar 200 milhões de dólares em um caça? se os IRSTs dos caças modernos forem capaz de localizar um stealth a 100 km ou de localizar um stealth a longas distâncias por emissões de seu radar, a apesar dos mísseis terem alcance de 170 km, a efetividade do míssil em combate é inferior a 100km, o míssil meteor apresar de seu alcance ser superior a 100km será usado no máximo a 80 porque os alvos são rápidos e móveis.

Guilherme Jacobs

Atenção! as variantes A e C do F-35 possivelmente irão carregar 6 Aim-120 Amraam e 4 bombas ou 2 SDB, porem em relação aos misseis o F-35 so pode carregar 6 (4 Aim-120 e 2 Aim-9 Sidewinder) então possivelmente o F-35 não tera mais os Aim-9. O outro problema é o espaço para a bomba, isso seria um problema, O Raptor é capaz de carregar 6 Aim-120 e mais 2 Aim-9 (em caso de missão ar-terra eles são substituidos pelas SDB) Mas será instalado um “playload” para que o F-35 carregue as bombas aqui tem uma matéria (em inglês) falando… Read more »

Virtualxi

Considerando que o F-35 foi humilhado vergonhosamente e de maneira linda pelo SU-35 então nada melhor que a escolha do caça russo para termos agora um caça superior ao que no futuro será o caça padrão dos americanos do norte.

André C

Sera que o alto custo do F-22 tem algo haver com o atraso no desenvolvimento do F-35 e vice e versa ,já que ambos os projetos são gerenciados pela Lockheed Martin ,sei lá talvez os dois são projetos muitos complexos para ser desenvolvidos ao mesmo tempo pela mesma empresa ,eu acho que se os aviões tivessem sendo projetados por empresas diferentes os custos é o tempo seriam menores porque haveriam o fator concorrência ,mas como é a mesma empresa produzindo os aviões que concorem entre si acho que isso atrapalha .

Raphael Barros

Com o preço do F-22A pode-se comprar uns 4 F-35, mais nada impede que os EUA no futuro próximo volta à comprar o F-22 na versão C ou então novas encomendas do F-22A. Afinal de contas existem uns 1500 F-16 e mais 800 F-15 em funcionamento nos EUA que precisam ser substituidos.

Se ainda tivessemos na Guerra Fria o orçamento militar tanto dos EUA e seus aliados e da URSS e do Pacto de Varsóvia seriam bem maiores e a industria bélica bem mais avançada ou com maior número de aeronaves que hoje.

Zero Uno

Virtualxi.

Sério mesmo sobre o F-35 ter sido “humilhado” pelo Su35? Putz. Gostaria de ver essa matéria. Pode deixar um link ou posta-la aqui? Agradeceria muito mesmo.

Sobre reabrir a linha de montagem do F-15, acho que não seria viável não…

Abraços.

Raphael Barros

F-15 e F-35 para o Brasil? Só se forem pelados….

Marcelo Tadeu

Aqui entre nós, para descontrair!! Esse F-35 é feínho pra dedéu né não? O F-22 não , ele é muito bonito. Me lembrei de uma frase do Marcel Dassault:

“Se o avião é bonito então ele voa bem!!!”” Então, dá-lhe Rafale!!!

Zero Uno

Marcelo Tadeu.

Você assistiu – por acaso – o filme DURO DE MATAR 4.0? Lá aparece o “desempenho do F-35”. O detetive McClean conseguiu até “abater” um F35!!!

kkkkkkkkk.

Para descontrair…

Lecen

Ah, claro… eu tinha esquecido que o Su-35 é o segundo melhor caça do mundo segundo os grandes especialistas “Sukhorianos” aqui do blog… Já ouvi até falar que um único Su-35 dá uma surra em três F-35. Só não falam que é melhor que o F-22, por que estão esperando o PAK-FA aparecer, por que aí sim, este será o melhor do mundo. É no que dá termos professores de história de esquerda que ficam idolatrando tudo que era soviético e é russo para milhares de brasileiros anos após anos. Mas mentir descaradamente é uma capacidade iniguilável da esquerda. Quem… Read more »

Zero Uno

Ops… Detetive McClane, Marcelo… tsss

Rodrigo Marques

F-22 voltará junto com os Republicanos. E com uma nova guerrinha pra movimentar a economia. Tem sido assim desde 1945…

Zero Uno

Lecen… Não estamos debatendo o escopo político da coisa. Estamos debatendo sim, a melhor escolha para a FAB e cada um tem as suas opiniões. Acontece que quando se descamba para o insulto e desrespeito de opiniões de cada um, isso aqui vira um festival de baixo-nível. Apenas isso. Já disse e repito: Não sou de esquerda e nem de direita. Julgo apenas, que tenho bom senso e opino sobre o que “acho” que é melhor para a FAB e para o nosso amado país. Apenas isso. Todo poder seja ele de direita ou esquerda, MENTE. Ou por acaso você… Read more »

Zero Uno

Rodrigo Marques. ACERTOU NA MOSCA! As guerras dos Estados Unidos A cronologia dos conflitos da maior potência militar do planeta. Guerra do México: a expansão ao sul 1846-1948 Guerra Hispano-Americana: a tomada do Caribe 1898-1902 I Guerra Mundial: Super Potência? 1917-1918 II Guerra Mundial: a polarização do mundo 1940-1945 Guerra da Coréia: massacre na península 1950-1953 1964-1975: Vietnã Anos 80: Líbia, Líbano, Granada e Panamá 2 de novembro de 1983 EUA comandam a invasão de Granada com quase 6.000 homens Líbia – 23 de abril de 1986 Reagan ataca a Líbia, mas fracassa na tentativa de eliminar Kadafi Líbano: a… Read more »

Felipe Cps

Não acho viável a modernização de F-15 e F-16 pela USAF, primeiro porque estão com problemas estruturais devido ao desgaste do tempo, depois porque o F-35 deve substituir a ambos. O que entendi do imbróglio todo é que o F-22 é um caça tão à frente dos demais que simplesmente não há necessidade, por hora, de se produzir mais. Se em algum momento no futuro ocorrer essa necessidade (o que não acredito que ocorra tão cedo), certamente veremos um F-22B sendo produzido no USA, com a tecnologia de ponta que já possui, acrescido da que for desenvolvida até lá. Simples… Read more »

FE COMANDOS

AE GALERA SOU NOVO NO BLOG, SOU DA FAB E ACHEI ESSA NOTÍCIA NO PORTAL INTRAER, ACHEI INTERESSANTE, E RESOLVI POSTAR. Já se encontra instalado no Túnel Hipersônico – T3, do Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica Prof. Henry Nagamatsu, do Instituto de Estudos Avançados, o modelo bidimensional de um veículo aspirado propulsado a laser. Como mostrado na figura ao lado, o modelo em questão é uma representação de uma seção do corpo de um veículo do tipo “Lightcraft”, que originalmente possui 2,4m de diâmetro e será capaz de transportar cargas úteis para órbitas terrestres. Esta é a primeira vez no… Read more »

Tiago Jeronimo

Pelo que eu entendi o F-22 não foi cancelado definitivamente, apenas paralisado já que no momento os EUA precisam de quantidade, e com o dinheiro que tem preferem produzir muitos F-35s do que poucos F-22. É fato se acompanharmos a história de desenvolvimento de armas nos EUA que governos democratas tendem a cancelar/paralisar programas independente de sua efiência só para ver o mesmo programa ser reativado no próximo governo republicano. Marlos, pela-amor-de-deus, desiste dessas suas ideias sem nexo, se a tecnologia Stealth não é mais um diferencial competitivo nas aeronaves me explica o porquê da sua querida Russia estar reduzindo… Read more »

Felipe Cps

Lecen: é isso mesmo, trinta anos de educação esquerdista fizeram isso com o povo brasileiro: tornaram-no tolerante com ditaduras e proto-ditaduras ao redor do globo, ao passo que não se cansam de desrespeitar, deturpar e denegrir o quanto podem a maior democracia do mundo, na vã esperança de convencer o povo de que o socialismo esquerdopata é melhor do que a democracia e o capitalismo. Sorte do mundo que os norte-americanos fazem e andam de montão pro que pensam os latino-americanos e especialmente os da Republiqueta Petralha rastaquera que se instaurou em Pindorama. Eles sabem (e a esquerdalha rastaquera de… Read more »

Zero Uno

Felipe CS.

Olá. Gostaria da sua opnião sobre o que postei aqui para o LACEN (já que ele ainda não opinou a respeito). Fica a uns 4 “posts” acima.

Poderia opinar para nós aqui do Blog. Se puder, agradeço mesmo.

Abraços meu velho.

Zero Uno

FE COMANDOS.

Seja bem vindo meu caro! E que bela notícia você postou aqui no Blog. Nos enche de orgulho este texto.

Abraços.

Marlos Barcelos

Tiago Jeronimo ser stealth é vantagem, quais os caças tem IRSTs no mundo? o gripen, o f-15, f-18, tornado, harrier, migs, nenhum tem, os caças mais novos que detem fusão de dados é que tem, ou seja , o Rafale e o thyphoon, os su-35 tiveram acrescentados mas os IRSTs russos são bem ruins se comparados aos ocidentais. Quem tem os thyphoons e rafales? pouquíssimos países, além disso, mesmo que os f-22 enxerguem caças não stealths a mais longas distãncias os mísseis só podem ser disparados a uma distãncia em torno de 100km, porque não são eficientes a distâncias mais… Read more »

Felipe TP

Segundo o próprio Washington Post, no orçamento estão planejados 2.434 F-35.

Marlos Barcelos

Tiago Jeronimo

f-22 foi cancelado definitivamente, a notícia diz que os americanos em poucos anos desenvolverão o caça de 6ª geração, isso se eles tiverem dinheiro pra isso.O f-22 já era, acabou, finito, são esses 181 e pronto.

Raphael Barros

Zero Uno

Sabe porque os EUA invadiram o Iraque? Muito Petróleo
Sabe porque os EUA querem tanto guerra com o Irã? Mais Petróleo ainda
Sabe porque os EUA querem guerra com a Coreia do Norte? 50% da magnesita mundial.

Com o Iraque e o Irã os Americanos vão ter mais petróleo que a Arábia Saudita e com a maior reserva mundial.

O Império Americano nunca quis a PAZ o que eles querem é ficar cada vez mais Ricos mesmo que isso custe a vida de milhões de pessoas. Quer mais Ditadura do que isso?

Marlos Barcelos

o f-22 vai deixar muitas viúvas, tem gente que diz que ele é tão, tão, tão, fantástico que é invisível ao radar, nada o localiza, localiza qualquer caça a 200km e destroem aviões a 170km, se fosse realmente assim, eles teriam uns 500 a 600 f-22 e pronto ninguém os venceria, porrque este caça seria imbatível, coisa que nem o congresso, nem a USAF acredita, mas especialistas deste blog afirmam com uma convicção tão grande e veemente que talvez mudassem até a opinião do congresso americano.

Tiago Jeronimo

Marlos qualquer aeronave pode instalar um casulo com IRST…

É Zero Uno, verdade o que você falou, tirando a parte dos milhões e da ditadura. Pelo que eu li do seu Post você acha os EUA o demo enquanto a China é o anjinho. Continue pensando assim você chega longe.

Lecen

ZERO UNO: A resposta é simples: por que política externa de um país de verdade não é feita por idealismo (como você parece acreditar que assim deveria ser) mas sim para atender melhor o seu próprio interesse. É por isso que vale a pena para o governo norte-americano ter boas relações com a China assim como é uma boa sentar o pau no Saddam Hussein. Ora, se fossemos acreditar que os EUA atacam os países que forem seus inimigos, o Hugo Chavez há teria virado pó, e nem irei falar dos irmãos Castro! Agora se você se acostumou com a… Read more »

Zeke A6M

Zero Uno Correto…. Os EUA tiveram ganhos em todas as guerras, ora construindo suas industrias; ora incrementando as; ora reconstruindo a devastação causada, e sempre com o seu território e parque industrial intacto. Acredito que a interrupção da fabricação do F-22, está mais ligada a nova estrategia de defesa, desenvolvida a partir de um novo desenho geo-politico e novas possibilidades de conflitos. Raphael Barros O que voce postou é correto, mas daqui para frente acedito que o poder economico dos EUA vão estar mais centrado na defesa das patentes e franquias, enquanto a produção de bens ficará mais com o… Read more »

Zeke A6M

ops.

“mas daqui para frente acedito que o poder economico dos EUA vão estar mais centrado na defesa das patentes e franquias”

leia-se:

mas daqui em diante opoder economico dos EUA estará baseado nas patentes e franquias de suas empresas.

Rodrigo Marques

Eu postei a respeito das guerras que os EUA travaram a partir de 1945, mas mesmo na II Guerra, o enfrentamento com o Japão foi puramente comercial, ou seja, a luta pelo domínio do comércio e matérias primas no Pacífico. Contra a Alemanha/Itália poderíamos defender um posicionamento ético, visto que os Nazistas/Fascistas não faziam muita questão de esconder as suas pretensões contra diversas minorias. Sem nos esquecermos das atrocidades cometidas pelos japoneses na Coréia e China ocupadas. A partir de 1945, eles passam a agir como todo império dominante, ou seja, uma máquina de guerra alimentada por um complexo industrial… Read more »

Felipe Cps

Amigo Zero Uno: Em primeiro lugar quero deixar claro que não sou pró-USA e sim pró-Brasil. Não tenho nada que ver com eles e quero mesmo que eles se explodam. Tem muita coisa apta a ser criticada no american way of life, tanto interna quanto externamente. Isto posto, o que o amigo quer que eu diga? Que o USA é a “Irmã Dulce” do concerto de nações? Não, não é mesmo. É um fato que eles defenderam e defendem mesmo seus interesses ao longo da história. E que história, meu caro: em menos de 500 anos, menos tempo mesmo que… Read more »

Zero Uno

Lecen… Acho que você não leu o que eu escrevi. ESCREVI QUE NÃO SOU DE ESQUERDA E NEM DE DIREITA meu caro. Vc está colocando palavras que não escreví e jamais farei o que você faz que é insultar opiniões das pessoas que só querem discutir assuntos de interesses da nação. Apenas isso. Não vou entrar com confronto com você porque da mesma maneira que NÃO SOU PT ou Rússia, você é “americanizado” até a raíz do cabelo e se julga o Sr. da razão meu caro. Para você, as opiniões dos outros companheiros do Blog NADA VALEM e você… Read more »

Zero Uno

CARO FELIPE CPS… Concordo com alguns pontos seus. Más se manter uma grande democracia é subjulgar outras nações nunca os EUA vão se livrar de atos de terror contra os seus cidadãos não é mesmo? Definitivamente, não sou contra os EUA. Apenas discordo – como discordo da URSS antes de 1989 – da maneira como fazem política externa. Não concordo mesmo meu brother. Se a liberdade dos EUA custa o espólio, as ditaduras que sempre apoiou, os golpes de estado que sempre apoiou e regimes seculares que ainda apóia, eles devem sim continuar sempre preparados para outros 11 de Setembro.… Read more »

Lecen

Zero Uno, ou se é de esquerda ou de direita.

Ou é monarquista ou republicano.

Ou se é homem ou mulher.

Não há meio-termo.

Você é de esquerda, não se envergonhe! É a vida, ninguém é perfeito!

E eu não insultie ninguém e nem disse que a minha opinião era uma verdade universal e deveria ser levada como dogma.

Relax!

Hornet

Esse blog está cada vez mais religioso…eu hein?!!! Cada um defendendo sua seita e é claro, o errado é sempre o outro. Fico com a posição do Zero Uno. Já sobre a suspensão de mais encomendas do F-22, acho que os EUA estão certos em fazer isso. Não existe cenário provável para utilizá-lo hoje em dia. Ele é mais um dos projetos provenientes da guerra fria, que previa um confronto global entre EUA e URSS, coisa que não tem mais espaço hoje em dia. Soma-se isso à crise econômica, que necessita de novas idéias e não de velhas soluções. O… Read more »

Marcelo Tadeu

Quanto a ser homem ou mulher, há meio-termo sim!!! KKKKKKKK!!!!

Reportagens especiais

Gripen M comparado ao C e ao E: os trens de pouso

Diferentemente do Gripen E, cujo trem de pouso dianteiro mudou para uma só roda, o projeto da versão naval...
- Advertisement -
- Advertisement -